Tem gato na tuba – Algo aqui não está combinando – What the Fuck is that?

31 de janeiro de 2015

-

B8hB--OCUAAIVFE B8hB-t0CAAAitrp

-

What the fuck is that? What the fuck is that? What the fuck is that? What the fuck is that?

31 de janeiro de 2015

-

B8lpaLhIQAA1I_c

-

BÁRBARO ASSASSINATO DE UMA GUARDA CIVIL EM SÃO PAULO-SP BRASIL

29 de janeiro de 2015

Há anos venho insistindo de que estamos em guerra e muitas pessoas teimam em dizer que não, que o problema não é tão grave, que a polícia é que causa a violência, etc… Hipócritas.
Hoje mais uma atrocidade foi cometida contra a família de integrantes das Forças de Segurança, uma mãe de família, Guarda Civil Metropolitana foi brutalmente assassinada na frente do filho de 7 anos de idade, enquanto aguardava a perua escolar para levar a criança para a escola.
Segundo informacoes ela sempre descia do condomínio fardada, colocava os filhos na perua escolar e ia trabalhar.
A GCM Ana Paolla Teixeira foi morta com dois tiros na cabeça, chegou a ser socorrida, mas faleceu pelo PS Tide Setúbal. Ela pertencia a Inspetoria de Ermelino Matarazzo.
Nossos pêsames à família e nossa revolta pelos fato de nossos políticos em Brasília, nada fazerem para mudar essa nossa ultrapassada e inútil legislação penal brasileira.
Acorda Brasil. DO CORONEL TELHADA

ESTES FORAM OS VAGABUNDOS ASSASSINOS QUE DESTRUÍRAM UMA VIDA HONRADA E UMA FAMÍLIA:

10945013_10205959673179305_8243927455872460926_n

30/01/2015 15:14
MARGINAIS QUE EXECUTARAM COVARDEMENTE A AGENTE DA GCM PAOLA FORAM PRESOS EM CASA POR POLICIAIS MILITARES DA ROCAM

SANTANA Jornalista

Informo aos amigos que, os lixos que executaram covardemente a agente da Guarda Civil Metropolitana Ana Paola Teixeira acabam de ser presos por policiais militares da Rocam, os marginais estavam em casa na rua Maria Suzano Polilio na zona leste de São Paulo, os mesmos estão neste momento pelo 32°DP de Itaquera.
Os criminosos ainda estavam com a arma utilizada para executar a agente ainda em seu poder, se aproveitando da atual legislação fraca e ineficiente e contando com a impunidade o marginal que possui 14 anos de idade foi o que executou a agente, segundo os mesmos, outros dois marginais que participaram da execução fugiram para o litoral de São Paulo.
Os mesmos agora irão debochar da cara de toda a sociedade que paga seus impostos pois, os criminosos agora por ser adolescente pelas leis brasileiras é inimputável, as entidades de direitos humanos irão defendê-lo, protegê-lo, pois para os mesmos este criminoso não passa de uma criança inocente.
É uma palhaçada o que acontece no Brasil..! Se isso ocorre nos países tidos desenvolvidos este marginal, seria julgado e ficaria preso até apodrecer, e isso em uma prisão comum, junto com os demais marginais. Pena que no Brasil, só copiam o que não presta dos países desenvolvidos.
O povo precisa acordar, pois a única forma de concertar essa palhaçada e inversão de valores que vivemos atualmente é através do Voto..! Portando, a população precisa parar de votar em políticos covardes que defendem criminosos e em partidos que governam em prol das minorias marginalizadas e corrompidas da sociedade.
Sou da seguinte opinião, quem gosta de defender marginal, adote um e leve para a sua casa..! Ninguém é obrigado a gostar e de ser vítima desse bando de inútil que rastejam pelas ruas deste Brasil.
Parabéns aos Policiais Militares da Rocam pelo empenho e pela união das Forças de Segurança em prol de um objetivo em comum..Parabéns à todos..!

Ter opinião não é crime..!!

SANTANA Jornalista
http://www.policiamunicipaldobrasil.com

Nunca deixamos de dizer que todo petista odeia a imprensa livre

28 de janeiro de 2015

-

10931062_624831280996832_5595636379222440196_n

Vá ao Rio de Janeiro-RJ e ganhe uma bala perdida – É um morto por dia por bala perdida

28 de janeiro de 2015

-

20150127_vejabalasperdidas

Cristãos sendo mortos como animais com o silêncio cúmplice da Falha de S. Paulo

26 de janeiro de 2015

Líder da Igreja Batista na Nigéria diz: “o mundo assiste cristãos morrerem como animais”

“A mesma seriedade com que está se intervendo contra os ataques do ISIS (Estado Islâmico) na Síria e no Iraque, ou com os problemas causados pelo Taliban no Afeganistão… não está sendo demostrado no caso da Nigéria” – disse Samson.

 23/01/2015 15h32 | Atualizado em: 25/01/2015 18h36

O presidente da Convenção Batista da Nigéria(NBC) diz, se referindo aos cristãos: “O meu povo esta sendo morto como animais e todo o mundo está apenas assistindo”. E faz apelo para que haja intervenção internacional urgente para parar a violência do grupo radical islâmico Boko Haram, que aterroriza o país.

O presidente da Convenção Batista da Nigéria(NBC) fez um apelo apaixonado para que o mundo intervenha contra os insurgentes do BokoRev.

Em uma entrevista para Baptist World Alliance (Aliança Batista Mundial), o Rev. Samson Ayohunle expressou “consternação” com a atitude da comunidade internacional ante a face da tamanha destruição e desumanidade cometida contra o povo nigeriano, mais especificamente aos cristãos no país.

“A mesma seriedade com que está se intervendo contra os ataques do ISIS (Estado Islâmico) na Síria e no Iraque, ou com os problemas causados pelo Taliban no Afeganistão… não está sendo demostrado no caso da Nigéria” – disse Samson.

Ele acusou a comunidade mundial de desvalorizar as vidas dos nigerianos, dizendo: ” “Isso não importa para o resto do mundo se Boko Haram continua a matar centenas de pessoas todas as semanas? São essas pessoas menos humana do que aqueles que estão sendo mortas em outro lugar onde eles passaram a intervir diretamente? O meu povo está sendo mortos como animais e todo o mundo está apenas assistindo.”

Ayokunle estava respondendo ao mais recente surto de ataques de Boko Haram, um grupo jihadista que busca estabelecer a lei islâmica na Nigéria.

Boko Haram realizou o massacre em Baga no estado nigeriano do nordeste de Borno, no início de janeiro deste ano, ceifando vidas de um número desconhecido de mortos, embora estimativas variam de dezenas a mais de 2.000. Em abril de 2013, mais de 185 pessoas foram mortas e mais de 2.000 casas em Baga foram destruídos como resultado de combates entre as forças armadas nigerianas e Boko Haram.

Até 2014, o grupo matou mais de 5.000 civis em ataques que ocorrem principalmente no nordeste, centro norte e centro da Nigéria. Desde 2009, o Boko Haram raptou mais de 500 pessoas, incluindo o sequestro de 276 estudantes de Chibok em abril de 2014. Estima-se que 1,5 milhão fugiram de suas casas por causa de ameaças e ataques.

“A situação é patético.” Ayokunle declarou. “As principais metas em todos estes ataques são os cristãos primeiros e qualquer outra pessoa que se oponha a eles. Qualquer cidade que entrar, depois de matar os cristãos lá, eles vão em frente para derrubar todas as igrejas não poupando as mesquitas. Grandes cidades cristãs, tais como Gwoza e Mubi entre outros caíram para eles. cristãos em cidades como Michika e Baga também estão na corrida. “

O líder Batista nigeriano disse que “a igreja está sob o cerco de severa perseguição.” “Nenhuma igreja cristã está de pé mais em Mubi, onde mais de 2.000 batistas fugiram da cidade através dos Camarões quando Boko Haram atacaram.” Alertou.

Estes cristãos batistas, disse ele, voltou para a Nigéria através de uma outra cidade chamada Yola no Estado de Adamawa, mas nunca puderam retornar as suas casas novamente. “Eles tornaram-se deslocado e agora estão vivendo em campos de refugiados correndo por comida, sem alojamento decente e nu.”

Ayokunle disse que edifícios Batista, incluindo os gabinetes das secretarias de Fellowship Baptist Conferência da NBC, foi queimado em Mubi, e na casa do presidente da conferência foi vandalizado. O presidente da conferência e pastores batistas fugiram para a cidade de Jos, no estado Plateau, outra região que tem sido atacado por Boko Haram. “Nossa Baptist High School, em Mubi foi fechado enquanto Escola nossos Pastores Batistas ‘em outra cidade vizinha, Gombi, foi indefinidamente desligado.”

Ele agradeceu o apoio da oração dos batistas e outros cristãos e solicitou apoio financeiro para ajudar aqueles que foram deslocadas pelos ataques terroristas. “Continue a se juntar a nós em oração para que as portas do inferno não pode prevalecer contra a Igreja de Cristo na Nigéria.”

Informação Baptist World Alliance via JM Notícia

A DESIGUALDADE É O COMBUSTÍVEL QUE ALIMENTA O PT – E tem bacana do lado de lá que vota no PT

26 de janeiro de 2015

-

14219296550361

O GENOCÍDIO BRANCO JÁ É UMA REALIDADE NA FRANÇA

24 de janeiro de 2015

-

B8Jr07YCMAAI4yy

Façamos serenamente a Revolução antes que o povo a faça pela violência II

22 de janeiro de 2015

AM: revoltados, moradores incendeiam casas de prefeito:

-
Os manifestantes incendiaram ainda a Câmara Municipal da cidade e jogaram o carro do prefeito no rio Solimões

Walter Junio, Direto de Manaus , 14 Jan 2015 ,21h16, atualizado em 15/01/2015 às 16h17

Manifestantes invadiram as duas casas do prefeito, destruíram eletroeletrônicos, móveis, e depois, incendiaram as residências
ataque-casa-do-prefeito

As duas casas do prefeito de Coari, Igsson Monteiro (PMDB), foram invadidas e incendiadas, na manhã desta quarta-feira (14), durante protesto de funcionários públicos que estão com salários atrasados, e também, de mototaxistas que estariam revoltados com as taxas impostas pelo executivo municipal. Além da casa do prefeito, os manifestantes incendiaram a Câmara Municipal da cidade, depredaram e saquearam a casa de três vereadores e jogaram o carro de Igsson Monteiro no rio Solimões.
Saiba Mais

O titular da Delegacia Interativa de Coari, delegado Luis Fernandes, pediu reforço da PM que enviou, por volta das 16h (18h no horário de Brasília) desta quarta, para a “Terra do Petróleo” cerca de 60 policiais militares do Batalhão de Choque. A situação já está controlada, porém a polícia não descarta novos ataques por parte dos manifestantes.

De acordo com informações da Polícia Civil, com informações da Polícia Civil, aproximadamente 400 manifestantes se reuniram na frente da casa do prefeito para protestar contra a falta de pagamento de salários que se arrasta desde o mês de agosto. Alguns dos funcionários estariam sem o décimo terceiro salário.

A situação saiu do controle e os manifestantes invadiram as duas casas do prefeito, localizadas no Centro e no bairro Tauamirim, onde destruíram eletroeletrônicos, móveis, e depois, incendiaram as residências que ficaram completamente destruídas. Em seguida, eles incendiaram a Câmara Municipal e saquearam a casa de três vereadores, Igseu, conhecido como Bat (PMDB), que é presidente da Câmara e irmão do prefeito, além dos vereadores Passarão (PTC) e Saluciano Junior (PMDB).

Conforme a Polícia Civil, durante a revolta, um mototaxista foi preso por incitar a violência. Mas ele foi liberado logo em seguida. O chefe da assessoria de comunicação da Polícia Militar, major Luiz Navarro, Coari ganhou reforço de policiais militares de cidades próximas e, também, do Batalhão de Choque. Os policiais deverão permanecer na cidade até que a situação esteja totalmente controlada.

Atrasos
Um funcionário, que preferiu não se identificar temendo represálias por parte do prefeito, disse que a maioria dos funcionários públicos está com o salário atrasado desde o mês de agosto de 2014. Inclusive até o décimo terceiro salário não foi pago pelo chefe do executivo municipal. “É uma falta de respeito com os funcionários que precisam sobreviver e pagar suas contas”, frisou.

O Terra tentou contato com a prefeitura de Coari, mas não obteve sucesso até o fim desta publicação.

Coari e escândalos
Coari é conhecida no Amazonas como a “Terra do Petróleo” por conta da instalação da Petrobras na cidade. Embora seja rica no gás e petróleo, Coari é manchada pelos crimes ocorridos na cidade como corrupção e a rede de prostituição infantil, que era comanda pelo ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro. Este está preso desde fevereiro do ano passado, em um Batalhão da PM, em Manaus. Adail é suspeito de comandar uma rede de prostituição que envolvia vítimas com idades de 10 a 13 anos de idades na cidade. Ao menos sete pessoas foram presas e condenadas por integrarem o grupo de exploração sexual em Coari e Manaus. Adail foi condenado por favorecimento a prostituição infantil a 11 anos e 10 meses de cadeia em regime fechado. Mas como corre risco de morte, ele permanece em uma batalhão da PM.

Na última terceira-feira (13), o ex-prefeito foi condenado mais uma vez por unanimidade pela Corte do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), a 1 ano e dois meses em regime aberto, com pagamento da pena em serviços comunitários, por descumprimento de ordem judicial.
T

FAÇAMOS SERENAMENTE A REVOLUÇÃO ANTES QUE O POVO A FAÇA PELA VIOLÊNCIA!

21 de janeiro de 2015

JUIZ LIVRA PREFEITO, FLAGRADO COM DINHEIRO ILÍCITO, DE PERDER O MANDATO, POPULAÇÃO SE REVOLTA E FÓRUM É INCENDIADO.

CORRUPTOS , É MELHOR SAÍREM NUMA BOA, A POPULAÇÃO NÃO SUPORTA MAIS TANTO DESMANDO.

POVO PATRIOTA DO MARANHÃO MOSTRA COMO SE DEVE FAZER PARA SALVAR O BRASIL.

O processo de cassação do prefeito de Buriti causou tumulto na cidade. O magistrado Jorge Antônio Sales Leite desatendeu o pedido de afastamento de Rafael Mesquita, na tarde de ontem (20), o que causou revolta popular, levando os moradores a incendiar o Fórum ‘Desembargadora Maria Madalena Serejo’.

No fim da tarde, populares estavam na frente do prédio do fórum munidos com paus, pedras e material inflamável e queriam atentar contra o juiz.

Depois de invadir o fórum, os revoltosos atearam fogo nos móveis de vários cômodos o prédio. O juiz conseguiu fugir da população, que queria amarrá-lo e expulsá-lo do prédio. Os populares só se acalmaram com a chegada da polícia. Será muito improvável, segundo a PM, encontrar os responsáveis por depredar o patrimônio público.

10929064_854136261296718_4708497009725134836_n

O processo de cassação do prefeito da cidade de Buriti-MA, a 332 quilômetros de São Luís-MA, terminou com o Fórum ‘Desembargadora Maria Madalena Alves Serejo’ sendo incendiado por moradores revoltados com a decisão do juiz, Jorge Antônio Sales Leite, que indeferiu o pedido de afastamento de Rafael Mesquita (PRB), na tarde desta terça-feira (20).

Superintendente de Policia Civil do interior, Dicivaldo Gonçalves, contou que a população ficou revoltada com a decisão do magistrado que deu o parecer favorável ao prefeito Rafael Mesquita, em audiência realizada nesta manhã. No fim desta tarde, se reuniram em frente ao edifício, armados de paus, pedras e matéria inflamável, para investir contra o juiz.

Após invadirem o Fórum, a população queimou os móveis nos diferentes cômodos do prédio. O juiz Jorge Antônio Sales conseguiu fugir da multidão que teria tentado amarrá-lo para colocá-lo do lado de fora da Comarca. O tumulto só foi contido depois da intervenção da Polícia Militar, que fez um cordão de isolamento em frente à Comarca.

Funcionários do prédio ajudaram a apagar o fogo e retirar documentos ameaçados de serem perdidos. Peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) estão no local e avaliam os prejuízos causados pelo incêndio. A polícia admitiu ser improvável identificar os responsáveis pelo ato de vandalismo ao patrimônio público.
Com a decisão desta terça-feira (20), esta se torna a 3ª vez que a Justiça Eleitoral julga o mandato de Rafael Mesquita em pouco mais dois anos. Nas decisões anteriores o prefeito foi cassado, mas conseguiu reverteu a decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MA).

Entenda o caso
Na última eleição, em 2012, Rafael Mesquita teria sido flagrado com R$ 40 mil em espécie no dia do pleito, não conseguindo explicar a origem do dinheiro. O Ministério Público da Zona Eleitoral de Buriti ajuizou uma ação de impugnação de mandato eletivo contra o prefeito de Buriti e seu vice para perda dos seus mandatos por captação ilícita de sufrágio, com abuso de poder econômico em 2013.

Na ocasião a Justiça julgou procedente as acusações gravíssimas e decretou a perda do mandato eletivo dos impugnados Rafael Mesquita e Raimundo Camilo (Vice Prefeito), nas eleições municipais/2012. Eles também se tornaram inelegíveis para as eleições por oito anos subsequentes à eleição para o qual foram eleitos.
Em apenas 48 horas conseguiu voltar ao cargo através de mandato de segurança. Em 2014, ele foi novamente afastado da gestão do municÍpio, mas conseguiu se manter no cargo por causa de uma nova liminar.

QUEM PODERÁ NOS SALVAR??????????????/

18 de janeiro de 2015

-

10256421_781880698548963_2698284992403899137_n

-

A teologia de Francisco Boff

17 de janeiro de 2015

Um cadáver no poder (I)
Por que ainda há quem siga a Teologia da Libertação?

Aparentemente nenhuma pessoa razoável deveria fazer isso. Do ponto de vista teológico, a doutrina que o peruano Gustavo Gutierrez e o brasileiro Leonardo Boff espalharam pelo mundo já foi demolida em 1984 pelo então cardeal Joseph Ratzinger (v.“Liberation Theology”, 1984, http://www.christendomawake.org/…/ratzi…/liberationtheol.htm) dois anos depois de condenada pelo Papa João Paulo II (v. Quentin L. Quade, ed.,The Pope and Revolution: John Paul II Confronts Liberation Theology. Washington, D.C., Ethics and Public Policy Center, 1982). Em 1994 o teólogo Edward Lynch afirmava que ela já tinha se reduzido a uma mera curiosidade intelectual (v. “The retreat of Liberation Theology”, The Homiletic & Pastoral Review, 10024, 212-799-2600,https://www.ewtn.com/library/ISSUES/LIBERATE.TXT). Em 1996 o historiador espanhol Ricardo de la Cierva, que ninguém diria mal informado, dava-a por morta e enterrada (v. La Hoz y la Cruz. Auge y Caída del Marxismo y la Teología de la Liberación, Toledo, Fénix, 1996.)

Uma década e meia depois, ela é praticamente doutrina oficial em doze países da América Latina. Que foi que aconteceu? Tal é a pergunta que me faz um grupo de eminentes católicos americanos e que, com certeza, interessa também aos leitores brasileiros.

Para respondê-la é preciso analisar a questão sob três ângulos:

(1) A TL é uma doutrina católica influenciada por idéias marxistas ou é apenas um ardil comunista camuflado em linguagem católica?

(2) Como se articulam entre si a TL enquanto discurso teórico e a TL enquanto organização política militante?

(3) Respondidas essas duas perguntas pode-se então apreender a TL como fenômeno preciso e descrever a especialforma mentis dos seus teóricos por meio da análise estilística dos seus escritos.

À primeira pergunta tanto o prof. Lynch quanto o cardeal Ratzinger, bem como inumeráveis outros autores católicos (por exemplo, Hubert Lepargneur, A Teologia da Libertação. Uma Avaliação, São Paulo, Convívio, 1979, ou Sobral Pinto,Teologia da Libertação. O Materialismo Marxista na Teologia Espiritualista, Rio, Lidador, 1984), dão respostas notavelmente uniformes: partindo do princípio de que a TL se apresenta como doutrina católica, passam a examiná-la sob esse aspecto, louvando suas possíveis intenções justiceiras e humanitárias mas concluindo que, em essência, ela é incompatível com a doutrina tradicional da Igreja, e portanto herética em sentido estrito. Acrescentam a isso a denúncia de algumas contradições internas e a crítica das suas popostas sociais fundadas numa arqui desmoralizada economia marxista.

Daí partem para decretar a sua morte, assegurando, nos termos do prof. Lynch, que

“Embora ainda seja atraente para muitos estudiosos americanos e europeus, ela falhou naquilo que os liberacionistas sempre disseram ser a sua missão principal, a completa renovação do catolicismo latino-americano”.

Todo discurso ideológico revolucionário pode ser compreendido em pelo menos três níveis de significado, que é preciso primeiro distinguir pela análise e depois rearticular hierarquicamente conforme algum desses níveis se revele o mais decisivo na situação política concreta, subordinando os demais.

O primeiro é o nível descritivo, no qual ele apresenta um diagnóstico, descrição ou explicação da realidade ou uma interpretação de alguma doutrina anterior. Neste nível o discurso pode ser julgado pela sua veracidade, adequação ou fidelidade, seja aos fatos, seja ao estado dos conhecimentos disponíveis, seja à doutrina considerada. Quando o discurso traz uma proposta definida de ação, pode ser julgado pela viabilidade ou conveniência dessa ação.

O segundo é o da autodefinição ideológica, em que o teórico ou doutrinador expressa os símbolos nos quais o grupo interessado se reconhece e pelo qual ele distingue os de dentro e os de fora, os amigos e os inimigos. Neste nível ele pode ser julgado pela sua eficácia psicológica ou correspondência com as expectativas e anseios da platéia.

O terceiro é o da desinformação estratégica, que fornece falsas pistas para desorientar o adversário e desviar antecipadamente qualquer tentativa de bloquear a ação proposta ou de neutralizar outros efeitos visados pelo discurso.

No primeiro nível, o discurso dirige-se idealmente ao observador neutro, cuja adesão pretende ganhar pela persuasão. No segundo, ao adepto ou militante atual ou virtual, para reforçar sua adesão ao grupo e obter dele o máximo de colaboração possível. No terceiro, dirige-se ao adversário, ou alvo da operação.

Praticamente todas as críticas de intelectuais católicos à Teologia da Libertação limitaram-se a examiná-la no primeiro nível. Desmoralizaram-na intelectualmente, provaram o seu caráter de heresia e assinalaram nela os velhos vícios que tornam inviável e destrutiva toda proposta de remodelagem socialista da sociedade.

Se os mentores da TL fossem católicos sinceramente empenhados em “renovar o catolicismo latino-americano”, ainda que por meios contaminados de ideologia marxista, isso teria bastado para desativá-la por completo. Uma vez que esse tipo de análise crítica saiu das meras discussões intelectuais para tornar-se palavra oficial da Igreja, com o estudo do Cardeal Ratzinger em 1984, a TL podia considerar-se, sob esse ângulo, extinta e superada.

Leiam agora este depoimento do general Ion Mihai Pacepa, o oficial de mais alta patente da KGB que já desertou para o Ocidente, e começarão a entender por que a desmoralização intelectual e teológica não foi suficiente para dar cabo da TL (v. “Kremlin’s religious Crusade”, em Frontpage Magazine, junho de 2009,http://archive.frontpagemag.com/readArticle.aspx… Lima: Centro de Estudios y Publicaciones). Em 1959, como chefe da espionagem romena na Alemanha Ocidental, o general Pacepa ouviu da própria boca de Nikita Kruschev: “Usaremos Cuba como trampolim para lançar uma religião concebida pela KGB na América Latina.”

O depoimento prossegue:

“Khrushchev nomeou ‘Teologia da Libertação’ a nova religião criada pela KGB. A inclinação dela para a ‘libertação’ foi herdada da KGB, que mais tarde criou a Organização para a ‘Libertação’ da Palestina (OLP), o Exército de ‘Libertação’ Nacional da Colômbia (ELN), e o Exército de ‘Libertação’ Nacional da Bolívia. A Romênia era um país latino, e Khrushchev queria nossa “visão latina” sobre sua nova guerra de “libertação” religiosa. Ele também nos queria para enviar alguns padres que eram cooptadores ou agentes disfarçados para a América Latina – queria ver como “nós” poderíamos tornar palatável para aquela parte do mundo a sua nova Teologia da Libertação.

“Naquele momento a KGB estava construindo uma nova organização religiosa internacional em Praga, chamada “Christian Peace Conference” (CPC), cujo objetivo seria espalhar a Teologia da Libertação pela América Latina.

“Em 1968, o CPC – criado pela KGB – foi capaz de dirigir um grupo de bispos esquerdistas sul-americanos na realização de uma Conferência de Bispos Latino-americanos em Medellín, na Colômbia. O propósito oficial da Conferência era superar a pobreza. O objetivo não declarado foi reconhecer um novo movimento religioso, que encorajasse o pobre a se rebelar contra a ‘violência da pobreza institucionalizada’, e recomendá-lo ao Conselho Mundial de Igrejas para aprovação oficial. A Conferência de Medellín fez as duas coisas. Também engoliu o nome de batismo dado pela KGB: ‘Teologia da Libertação.’”

Ou seja, em suas linhas essenciais, a idéia da TL veio pronta de Moscou três anos antes de que o jesuíta peruano Gustavo Gutierrez, com o livro Teología de la Liberación(Lima, Centro de Estudios y Publicaciones, 1971), se apresentasse como seu inventor original, decerto com a aprovação de seus verdadeiros criadores, que não tinham o menor interesse num reconhecimento público de paternidade. O tutor da criança, Leonardo Boff, entraria em cena ainda mais tarde, não antes de 1977. Até hoje as fontes populares, como por exemplo a Wikipedia, repetem como papagaios adestrados que o Pe. Gutierrez foi mesmo o gerador da coisa e o sr. Boff seu segundo pai.

Continuarei esta análise no próximo artigo.

ESCRITO POR OLAVO DE CARVALHO | 15 JANEIRO 2015
ARTIGOS- MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO

Publicado no Diário do Comércio.

http://olavodecarvalho.org