CPI próxima de pegar o maior bandido da História destepaiz

25 de abril de 2015

11112491_687803917990867_1740125514044151740_n

11149378_1571595256439609_7405787784222003654_n

CNBB se cala sobre genocídio de cristãos no Mundo

25 de abril de 2015
26/08/2013 07:14 | Categorias: Marxismo, Notícias, Igreja Católica

Os católicos clandestinos da China

As duas Igrejas da China, a “oficial” e a clandestina, revelam a realidade para qual caminham muitos países do ocidente

Enquanto os púlpitos das universidades brasileiras estão impregnados pelo discurso esquerdista, a ponto de se abrirem Centros para Difusão do Comunismo, como acontece, por exemplo, na Universidade Federal de Ouro Preto, do outro lado do Atlântico, mais especificamente na China, católicos são obrigados a refazer o caminho dos primeiros cristãos perseguidos. É a dura realidade da Igreja Católica clandestina, imposta pela revolução cultural do tirano Mao Tsé-Tung, no início da década de 50, com a criação da República Popular da China. Segundo cálculos do premiado professor de Ciência Política da Universidade do Havaí, Rudolph J. Rummel, cerca de 76 milhões de pessoas foram mortas pelo regime entre os anos de 1949 e 1987.

O advento do comunismo chinês provocou uma avalanche de perseguições à religião. Templos foram profanados, igrejas e conventos fechados, fieis foram mortos. Para evitar o nascimento de novas vocações e a autoridade do Papa, o governo criou em 1957 a Associação Patriótica Católica. Desde então, as relações da Santa Sé com o regime tirânico vêm se arrastando de forma conturbada, sobretudo por causa das sagrações episcopais ilícitas promovidas pela Associação. No ano passado, após romper com o Estado e anunciar que não mais serviria ao regime comunista, o recém ordenado bispo, Dom Thaddeus Ma Daqin, desapareceu. Os católicos acusam o governo de tê-lo aprisionado.

Com efeito, os seminaristas que desejam servir à Igreja precisam enfrentar uma verdadeira jornada, às vezes até indo para outros países, a fim de receber uma adequada formação doutrinal. É o caso, por exemplo, do jovem diácono Tomás Zhang, que sonha em se ordenar sacerdote para a Igreja de seu país. Há seis anos em Pamplona, Espanha, Zhang foi ordenado diácono pelo arcebispo Francisco Pérez. No próximo sete de setembro, será ordenado sacerdote em Navarra. Conforme relata, a vida de um padre chinês não é muito diferente da de outros países, a não ser no que se refere aos cuidados com a segurança. Têm que trabalhar de forma secreta e muitos dormem de dia e trabalham à noite, “quando dormem os policiais, para evitar ir para prisão”.

A Igreja Católica chinesa, conta Zhang, é uma autêntica igreja doméstica, uma vez que a maioria das celebrações eucarísticas acontecem nas casas de algumas famílias. Ciente dessa situação conflitante, o Papa Francisco exortou os católicos chineses a serem fiéis ao Sucessor de Pedro, e a “viver(em) cada dia no serviço ao seu país e aos seus concidadãos de modo coerente com a fé que professam”. O pedido foi feito em uma das tradicionais audiências gerais de quarta-feira.

Considerando a distância e as circunstâncias diversas nas quais os católicos brasileiros se encontram, a realidade chinesa parece até surreal. Mas não é. O processo de secularização dos países ocidentais caminha a passos largos e o destino final não é muito diferente do dos irmãos orientais. Quando se tem a fé apenas como um pressuposto e se coloca em seu lugar o ativismo social, não demora muito para que esse pressuposto desapareça e o ativismo se torne demagogia. E o Brasil, outrora maior país católico do mundo, é a prova mais contundente disso.

Por: Equipe Christo Nihil Praeponere

Putaria ensinada nas escolas

25 de abril de 2015

O SR. JAIR BOLSONARO (Bloco/PP-RJ. Pela ordem. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, este é um assunto que eu esperava não tocar mais nele, mas é que tenho uma convicção. Uma célula está para um corpo, assim como a família está para a sociedade. Uma célula doentia – corpo doente; uma família saudável – Estado forte.
Lamentavelmente, uma resolução de 12 de março último, na sessão direcionada à Secretaria de Direitos Humanos, com status de Ministério, veio atingir mortalmente a família. Por quê? O Governo está inoculando nas escolas, junto às crianças, e, por que não dizer, junto às criancinhas de 5, 6, 7 anos de idade, que ser gay é normal.
Repito: não tenho nada a ver com homossexual. Eu quero que eles sejam mais do que felizes; quero que eles sejam felicíssimos. Mas, por favor, não queiram impor esse comportamento dentro das escolas com o desconhecimento dos pais.
Olhem só! Livros escolares!… A Sra. Dilma Rousseff, no início de 2011, falou que estava mandando recolher o material chamado kit gay. Olhem os livros escolares agora aqui! (Exibe livros.)
Exemplo: uma sugestão de brincadeiras escolares. Temos aqui índios seminus, que é da tradição deles, brincando de gavião. Diz aqui o texto: “Façam uma fila indiana. Todos nus. Fiquem bem agarradinhos, um junto do outro, e o último da fila” – é bem explícito – “agarre com mais firmeza para não ser comido”.
É o que está escrito aqui.
E aqui embaixo, agora, para nossa surpresa, diz o seguinte: “Você entendeu a brincadeira? Gostou dela? Convide os seus amigos para brincar de gavião”.
Ora, pelo amor de Deus!
No mesmo livro, mais avante, tem a brincadeirinha do jogo da memória. No meu tempo de garoto – e acabei de fazer 60 anos -, o jogo da memória era com frutas: abacate com abacate, laranja com laranja; ou com animais: leão com leão, etc. Aqui, famílias: tem lá dois idosos, um idoso, uma idosa e uma criança (netinho, vovô e vovó), um casal normal. Tem também a dos casais de dois homens, para a criança começar a memorizar, a partir de 5 anos de idade, que ser gay é normal.
Pelo amor de Deus, Dilma Rousseff! O discurso, nesta data, 1º de abril, cai perfeitamente na sua política mentirosa, que não cansa de atacar, de perseguir as famílias no Brasil. E de onde vem isso tudo? Vem do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. A Sra. Maria do Rosário estava à frente da Secretaria dos Direitos Humanos, há pouco tempo, e agora lá está a Sra. Ideli Salvatti.
Dentre as propostas que estão chegando às escolas, acreditem se quiser, estão as seguintes: inserção nos livros didáticos da temática das famílias LGBT; distribuição de livros para bibliotecas com a temática de diversidade sexual para o público infantojuvenil. Ou seja, até 12 anos de idade, e de 12 para cima também.
Há coisas esquisitas aqui! Cursos de pós-graduação sobre diversidade sexual. O que é isso?
Mais ainda: incentivar a produção cultural ligada à juventude LGBT – o que é isso? Meu Deus do céu! E também casas estudantis para hospedagem de travestis e transexuais; ou seja, república gay.
Mais ainda: desconstrução da heteronormatividade.
Mais ainda: campanha nacional de sexo seguro para adolescentes LGBT, usando-se personagens adolescentes. Na televisão, um garoto de 15 anos vai aparecer, em horário vespertino, dizendo como ele deve fazer sexo com o seu (…) do mesmo sexo, de forma segura

‘Agência Câmara Notícias’

24 de abril de 2015
23/04/2015 – 18h26

Mendonça confirma propina e diz que empresários são vítimas em corrupção na Petrobras

Augusto Mendonça Neto, executivo da Setal Óleo e Gás, empresa investigada pela Lava Jato, prestou depoimento nesta quinta à CPI que apura irregularidades na estatal. Ele assumiu ter pagado propina a Renato Duque e Paulo Roberto Costa

Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados
Audiência pública para ouvir o depoimento do presidente da Setal Engenharia e Executivo da Toyo Setal Empreendimentos Ltda, Augusto Mendonça Neto
Segundo Mendonça, a propina paga saía da margem de lucro das empresas e não de superfaturamento das obras

Em mais de sete horas de depoimento à CPI da Petrobras, o executivo Augusto Mendonça Neto, da Setal Óleo e Gás, uma das empresas investigadas pela Operação Lava Jato, defendeu nesta quinta-feira (23) os procedimentos internos adotados pela estatal, mas admitiu que o consórcio de empresas do qual fez parte pagou algo entre R$ 100 milhões e R$ 110 milhões em propinas aos ex-diretores da petrolífera Renato Duque e Paulo Roberto Costa.

“Para a Diretoria de Serviços [ocupada por Duque] foram de R$ 70 a 80 milhões. Para a [Diretoria] de Abastecimento [chefiada por Costa] foram R$ 30 milhões”, informou, ao responder pergunta do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), um dos sub-relatores da CPI. Mendonça disse que a empresa dele (Setal) só conseguiu voltar a assinar contratos com a estatal após o pagamento das propinas: “O empresário, nessa situação, é vítima”.

Mendonça relatou que começou a pagar propina depois de ter sido procurado pelo ex-deputado José Janene. “Ele me procurou exigindo o pagamento de comissão relacionada à Diretoria de Abastecimento”, comentou. O pagamento teria sido feito por intermédio do doleiro Alberto Youssef.

O empresário fez questão de dizer que, durante todos os anos em que se relacionou com a Petrobras, só soube de corrupção e pedido de propina por parte de Costa, Duque e do ex-gerente de Tecnologia Pedro Barusco – ligado a Duque. Mendonça defendeu a estatal: “Estamos assistindo à Petrobras ser massacrada pela mídia e pela opinião pública, como se fosse uma companhia de segunda categoria, repleta de corruptos. Mas é exatamente o inverso. O único contato que tive com corrupção são com essas pessoas”.

Sem superfaturamento
Segundo ele, a propina paga saía da margem de lucro das empresas e não de superfaturamento das obras. Mendonça confirmou depoimento de Paulo Roberto Costa, que havia feito essa afirmação à Justiça Federal em processo de delação premiada.

O executivo destacou que havia uma faixa de preços que as empresas podiam apresentar para ter a chance de ser contratadas. A proposta tinha que estar na faixa entre 15% abaixo e 20% acima do custo de referência apresentado pela própria Petrobras. “Não havia como ter superfaturamento”, declarou, ao responder o relator da CPI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ). “Nesse caso, os empresários também foram vítimas”, acrescentou.

Delação
Em acordo de delação premiada com o Ministério Público e a Justiça Federal, ele afirmou ainda que o dinheiro pago a Paulo Roberto Costa tinha como destino o PP – por meio de José Janene e de Alberto Youssef.

Nos depoimentos, Mendonça informou que as empresas do grupo (Setec, Projetec, Setal Óleo e Gás – SOG e PEM Engenharia) receberam R$ 117 milhões das obras de duas refinarias da Petrobras: Getúlio Vargas (Repar), em Araucária (PR); e de Paulínia (Replan), em São Paulo.

Ele acrescentou que também houve pagamentos de propinas em outras obras: terminal de Cabiúnas 2, Cabiúnas 3 (em Macaé-RJ); e Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos (SP).

A Setal formalizou acordo de leniência com a Controladoria-Geral da União (CGU) para diminuir as penas administrativas decorrentes da prática de formação de cartel e se comprometeu a fornecer informações sobre as demais empresas que atuavam na Petrobras.

Reportagem – Antonio Vital
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias

Senador Ronaldo Caiado denuncia o Congresso do PT em tempo de Guerra.

23 de abril de 2015

á de volta a Brasília fui surpreendido com muitas mensagens de seguidores alertando para os absurdos publicados no Caderno de Teses para um Congresso Nacional do PT. Assusta porque se trata de um partido que está no governo federal há 12 anos e ainda alimenta uma militância que fala em “partido para tempos de guerra”, “demitir ministros capitalistas”, “romper com pagamento de dívidas interna e externa”, estatizar a Rede Globo”, “anistia a dirigentes do PT”. Soa como esquizofrenia. Em que ano eles vivem? 1917? É triste saber que o maior partido de esquerda do país parou no tempo e hoje cria seus dirigentes em um ambiente de completo delírio onde se prega o total desrespeito às instituições. É sintomático. Ao ser gestado assim, o político do PT tem em suas raízes o DNA do autoritarismo, da aversão à democracia, do desrespeito à imprensa livre e da utilização das instituições como ferramentas de corrupção para a sua manutenção no poder.

11149417_869461079777204_5869793947626559421_n

Tive que imprimir e ler em plenário do Senado trechos do caderno de teses que o PT vai levar ao seu congresso partidário para que meus colegas acreditassem na veracidade do que está ali escrito. Um partido que está no poder há 12 anos lança um documento oficial chamado “Um partido para tempos de guerra”. Estão loucos? Um caderno que fala em “demitir ministros capitalistas”? Em argentinizar nossa credibilidade propondo o calote nas dívidas internas e externas? Em “estatizar a Rede Globo e abrí-la para os movimentos sociais”? A lista de devaneios segue e não se acha uma proposta visando melhorar o país. Para eles, o partido está acima de tudo, o Brasil é secundário.

O caderno chega ao cúmulo de pedir para eliminar qualquer criminalização de movimentos sociais. Querem criar uma nova casta, onde CUT, MST e as tropas do general Stédile ficariam inimputáveis. Livres para agir como os coletivos de Maduro, na Venezuela. Como falei mais cedo, é sintomático que os dirigentes petistas gestados nessa política partidária tenham o DNA do autoritarismo, da aversão à democracia e da utilização das instituições como ferramentas de corrupção. E a origem de tudo isso é o Foro de São Paulo, esta organização que estabeleceu essas diretrizes para que PT e outros partidos de esquerda na América Latina se perpetuassem no poder às custas da deterioração de nossas instituições. E o pior: o principal financiador de tudo isso, como alerta Olavo de Carvalho, é o Estado brasileiro operado pelo PT.

Denunciem o 5° Congresso Comunista do PT

21 de abril de 2015

O Caderno de Teses do PT e a guerra contra a democracia

É impossível analisar o caderno de teses mais doentio da história e não se estender muito. Escolher alguns trechos para comentar 169 páginas golpistas sem escrúpulos é uma tarefa muito árdua; Cada linha mostra a face real do PT, aquela que muitos militantes tentam esconder e omitir, protegendo-a. Farei poucas mas importantes constatações em relação a essa mistura de Manifesto Comunista e releitura de 1984, obra de George Orwell.
1 – Ódio à direita branca
É explícita a incitação de ódio à direita. De acordo com o Partido, as manifestações contra o governo não foram populares e legítimas, apenas manobras dos setores conservadores e burgueses da sociedade. Estamos no século XXI, e a esquerda ainda acha que vive no período de decadência do Feudalismo, falando do objetivo de “dividir e neutralizar a burguesia”. Cada linha implora para que a classe trabalhadora tome posição e vá às ruas lutar pelo Partido. O caderno também cita os objetivos principais do PT: reintegração com a América Latina (ou seja, mais força junto ao Foro de São Paulo e suas ditaduras),
2 – O ideal socialista
A luta pelo que o PT sempre quis para o Brasil está escancarada para quem quiser ver. Não é teoria da conspiração, não é livro do Olavo, é apenas o objetivo que sempre esteve ali. A intervenção estatal, a segregação entre classes, raças e gêneros e tudo que o socialismo possui sempre foi e sempre será o objetivo do Partido. Aquilo que os militantes em 64 e a própria presidente tanto queriam vai aos poucos se espalhando. Não passamos por revolução, ainda não estamos passando fome, mas está aí. (Indico a leitura: “Livro Politicamente Incorreto da Esquerda e do Socialismo” para saber que socialismo é muito mais do que Coreia do Norte e União Soviética)
3 – O golpismo
Liberdade aos presos do mensalão, demissão de “ministros capitalistas”, estatização da maior mídia do país como fez Hugo Chávez, estatização de mídias PRIVADAS com a justificativa de que o ESTADO é laico (???), difusão e hegemonia apenas dos ideais do partido e do socialismo… Eu preciso explicar? Quem leu 1984 deve estar entendo bem o que é essa hegemonia.
O caderno inteiro fala da tal Reforma Política que já esmiucei aqui. Em cada tópico o ataque aos setores de oposição é nítido, incentivando a pressão da militância e chegando a citar a cassação de Jair Bolsonaro. A velha estratégia de falar contra a corrupção sendo a principal fonte desta no país hoje também é perceptível; porém, como foi lido acima, a luta pela liberdade aos presos do mensalão e, durante a semana, a profunda proteção a Vaccari e outros envolvidos ao Petrolão nos mostra o que é mentir na cara dura. É profundamente necessário que TODOS OS BRASILEIROS conheçam esse documento, e também é SUA tarefa fazer com que todos saibam a verdade.
Para ler o Caderno de Teses completo, clique aqui. Obs.: A leitura pode causar danos emocionais e psicológicos.

Para eles não tem Direitos Humanos

21 de abril de 2015

MAIS UM POLICIAL FALECE LUTANDO POR NÓS!

Com grande pesar, a Polícia Militar informa que Cabo PM MÁRCIO CESAR GOMES, pertencente à 2ª Cia do 32º BPM/I, faleceu hoje (20), após ter sido assassinado por um bandido que fugia da Polícia Militar por ter esfaqueado, até a morte, uma mulher.
O Nosso nobre policial militar estava de serviço e apoiava as viaturas que estavam atrás do veículo do criminoso. O bandido viu a viatura e colidiu, intencionalmente, em sua direção. Os policiais foram arremessados para fora da viatura e sofreram ferimentos graves, após o socorro, o nosso herói não resistiu e faleceu.
O Cabo PM GOMES tinha 39 anos de idade, estava na Polícia Militar há 16 anos. Deixou sua esposa e um filho de apenas 08 anos de idade.
A Polícia Militar do Estado de São Paulo, em nome, não só do Cabo PM GOMES ou dos 24 policiais que morreram este ano ou dos 86 policiais que morreram no ano passado, agradece, profundamente, a todos os nossos voluntários da causa pública, que viveram, lutaram e morreram, mas não em vão. Morreram por e pelo povo e que doaram seu maior bem tentando proteger aqueles que nunca tiveram a possibilidade de agradecer. Mas nós agradecemos: obrigada! Descanse em paz.

Petição para a Extinção IMEDIATA do Partido dos Trabalhadores

20 de abril de 2015
Petição Pública Brasil Logotipo
 –
 Apoie este Abaixo-Assinado.
Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.
ABRA ESTE LINK E ASSINE

Extinção IMEDIATA do Partido dos Trabalhadores

Extinção IMEDIATA do Partido dos Trabalhadores

“Não tem declaração nenhuma.

Este abaixo assinado não precisa de texto nem de destinatário.

Quem acha que o PT pode continuar existindo e que precisa de justificativa para acabar com esse Partido de Marginais, simplesmente vá embora e não assine. Isso aqui é assinado por brasileiros de verdade e endereçado a eles mesmos.

O objetivo é estar na INTERNET. Não vai para nenhum congressista, juiz ou líder de coisa alguma.”

Dr.Milton Pires
Porto Alegre
Brasil

Genocídio de Cristãos na Líbia – Alô Alô CNBB – Aquele Abraço!

19 de abril de 2015

CC9xLK2WAAIz24S

CC9xLPwWgAApm1k

Os Reaças – O PT Roubou

19 de abril de 2015

Desviando e roubando e saqueando a nação, são todos pilantras a roubar o povão, nas escolas, nas ruas, campos, construções, somos todos roubados por petistas ladrões
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT
Para os ditadores de longe foram dados milhões, com Maduro e Fidel foram terríveis glutões usando da mentira para tapear a nação
e acreditam nos dólares para comprar oposição
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT
Há militantes amados, informados ou não, quase todos roubando para fazer a revolução;
o partido lhes ensinam uma antiga lição de defender sempre a máfia e negar o petrolão
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT
Dilma vai embora
que o Brasil não quer você
E leve o Lula junto
e os vagabundos do PT

Os Reaças – O PT Roubou

O PT roubou
Com o Mensalão
Foge do PT
Que ali só tem ladrão

E roubou de novo
Com o Petrolão
Foge do PT
Que ali só tem ladrão

O PT não é um partido, é uma quadrilha de políticos ladrões, corruptos, que estão interessados apenas em se perpetuar no poder e para isso fazem o diabo.
O PT não está a serviço do povo, está a serviço do Foro de São Paulo. Eles quebraram o país porque assim fica mais fácil tomar o poder e nunca mais largar. Ou o Brasil acaba com o PT, ou o PT acaba com o Brasil. É por isso que eu digo:

O PT roubou
Com o Mensalão
Foge do PT
Que ali só tem ladrão

O PT roubou de novo
Com o Petrolão
Foge do PT
Que ali só tem ladrão

——————————————-

Composição: Luiz Trevisani
Produção de Áudio: Twist & Shout Estúdio
Mixagem: Luiz Trevisani
Produção de Vídeo: Luiz Trevisani, Eder Borges e Marcelo Maia
Edição de Vídeo: Luiz Trevisani
Gravado em locação no Juvevê, em Curitiba.
Apoio: Loja do Músico e Direita Curitiba.

=

Veja só que festa de arromba

Fez a turma do mensalão

Pra festejar os saques aos cofres da União

E dividir a grana que roubaram do povão

Na porta me barraram e só fui liberado

Porque alguém achou que eu era deputado

Hei! Hei!

Que onda, que festa de arromba!
Logo que eu cheguei notei Marcos Valério com a mala na mão

Simone e David da SMP&B

Entregavam a grana pra galera do PT
Genoíno ria de um assessor

Careca Que pegava os dólares e punha na cueca!

Hey! Hey!

Que onda!

Que festa de arromba!
Delúbio lá no caixa contava os convites

O Lula discursava culpando as elites…

O Valdemar de fogo dizia:

“Onde eu errei?

A minha ex-mulher insinuou que eu sou gay!”
Mas veja quem chegou de repente:

Silvio Pereira com seu novo carrão

O Jefferson pedia pro Zé Dirceu assim:

“Finja que é uma estante e caia sobre mim!”

Renilda, animada, saltou sobre a piscina

Montada num cavalo que ela comprou na Argentina…
Delúbio lá no caixa contava os convites

O Lula discursava culpando as elites…

O Valdemar de fogo dizia:

“Onde eu errei?

A minha ex-mulher insinuou que eu sou gay!”
Mas veja quem chegou de repente:

Silvio Pereira com seu novo carrão

O Jefferson pedia pro Zé Dirceu assim:

“Finja que é uma estante e caia sobre mim!”

Renilda, animada, saltou sobre a piscina

Montada num cavalo que ela comprou na Argentina…
De madrugada, quando eu estava indo embora, ainda tava chegando gente!

Borba, Janene, João Paulo…

Até o Gushiken! Bispo Rodrigues,  Mabel, Maurício Marinho…

Um monte de empresário,  puxa-saco,

Assessor… pode?

Vegetando, não vivendo, os Tempos de PT no Des Governo

19 de abril de 2015

11015906_1569507843315266_8814298198150716167_n

11010589_684722108299048_3259219822868145935_n

10414502_408319232682764_3466136361971206552_n

1599792_1595472264030145_92909347724397796_o

11149249_1429896730657178_6723175607281723498_n

11156179_907816432611360_3159703733186050069_n

CCf_eyoWEAAdBVR

CCZpx7lWgAAI1uw

NO BRASIL DO PT ELE É NOME DE ESCOLA

veja mariga

11156393_963049757041582_4137539210866943216_n

Leigos tiveram que ensinar bispos que o PT é comunista

18 de abril de 2015

“Reforma Política” encabeçada pela CNBB não passou por deliberação da Assembléia dos Bispos.

Comissão de leigos ouviram os bispos e constataram que, de fato, a “reforma política” da Coalisão encabeçada pela CNBB (reforma esta de interesse do PT) não é consenso entre os bispos.

Por Prof. Hermes Rodrigues Nery | Fratres in Unum.com: Estivemos em Aparecida (SP), na sexta-feira, 17 de abril, onde pudemos ouvir, conversar e dialogar com vários bispos que participam a 53ª assembleia da CNBB.

Explicamos aos bispos que a "reforma política" proposta pela Coalisão encabeçada pela CNBB visa consolidar o projeto de poder do PT, com a implantação do socialismo no Brasil, em conformidade com as diretrizes do PT e do Foro de São Paulo.

Primeiramente fomos ouvir dos bispos o que pensam realmente da adesão da CNBB à Coalisão de 103 entidades, encabeçando uma reforma política que defende os mesmos pontos de interesse do PT, conforme atesta o recente documento o 5º Congresso Nacional do partido, a ser realizado em Salvador, de 11 a 13 de junho próximo.

Explicamos aos bispos que a reforma política proposta pela Coalisão encabeçada pela CNBB visa a implantação do socialismo no Brasil, em conformidade com as diretrizes do PT e do Foro de São Paulo, no contexto de um processo em curso já avançado de consolidação da chamada “Patría Grande” socialista, com o que o governo do PT está bastante comprometido, e usando a capilaridade da Igreja, via CNBB e segmentos da Igreja (Pastoral da Juventude outras pastorais sociais) para esses fins. Tal objetivo político conflita com a doutrina moral e social da Igreja, daí o questionamento ao posicionamento da CNBB quanto a esta reforma política.

Depois de conversar com vários bispos, constatamos que:

  1. O tema da “reforma política” não é consenso entre os bispos.
  2. O apoio à Coalisão não foi deliberado em assembleia, mas apenas decisão do Conselho Permanente.
  3. Há muitos bispos desinformados do assunto e que se interessaram em obter mais dados sobre o tema.
  4. Conseguimos o apoio de vários bispos que irão aprofundar o tema com os demais ainda durante a assembleia.

Entregamos aos bispos uma carta expondo o conteído da petição pública pedindo a retirada da CNBB ao apoio a esta reforma política da Coalisão, com o seguinte teor:

“Nós, CATÓLICOS, pertencentes ao Movimento LEGISLAÇÃO E VIDA, e membros de pastorais em nossas respectivas paróquias, vimos a presença de Vossas Excelências Reverendíssimas para solicitar que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) imediatamente RETIRE o seu apoio da proposta de reforma política apresentada pela “Coalizão pela Reforma Política Democrática” na forma de um projeto de lei de iniciativa popular (Cf. [http://www.reformapoliticademocratica.org.br/conheca-o-projeto/]). Exigência fundamentada nos motivos aqui resumidamente expostos.

A CNBB está empenhada em recolher assinaturas de católicos para legitimar uma proposta de reforma política com ítens absolutamente contestáveis. (1) A proibição do financiamento de campanha por empresas, termo que apresenta um componente ideológico escandaloso, excluindo as empresas – representadas por seus proprietários – de se posicionarem em um plano da vida pública que é determinante para o exercício de suas atividades. (2) Eleições proporcionais em dois turnos, processo que, ao contrário da economia advogada no projeto, geraria um gasto mostruoso de recursos públicos. (3) Paridade de gênero, com o estabelecimento descabido do sexo – e não da competência e qualificação – como critério para pleitear o exercício de um mandato político.

Mas o elemento que definitivamente compromete o apoio da CNBB à proposta de reforma política é (4) o fortalecimento dos mecanismos de “democracia direta”. Trata-se de uma forma de inserir a “sociedade civil” nas decisões que envolvem “questões de grande relevância nacional”, colocando-a na elaboração e na condução de plebiscitos e referendos (Cf. Art. 3A e 3B, 8A, p. 18). Acontece que a “sociedade civil” será representada – não pelo cidadão comum -, mas por uma série de organizações e “movimentos sociais” como MST, CUT, UNE, CTB, UBM, CONTAG, ABONG, etc. Estes grupos – que assinam a proposta de reforma política com a CNBB – serão inseridos nas instâncias decisórias da vida pública e eles irão definir quais são as “questões de grande relevância nacional”. Grupos que contrariam frontalmente os princípios e orientações da Igreja Católica: disseminam a luta de classes; promovem atividades criminosas contra o patrimônio público e privado; estão comprometidos com a ideologia de gênero; exigem a legalização das drogas e a implantação definitiva do ABORTO – do ASSASSINATO DE CRIANÇAS – no Brasil.

Nota-se, claramente, que o projeto maquia um consórcio para administrar as “questões de grande relevância nacional” e realizá-las. Não só no âmbito político, mas social e comportamental. Um esquema de concentração de poder que se mostra ainda mais pernicioso quando se traça a ligação dos grupos e “movimentos sociais” envolvidos, que são controlados e financiados sobretudo pelo PT e por seus aliados, por sua vez comprometidos com a promoção do totalitarismo ditado pelo Foro de São Paulo – organização fundada por Lula e por Fidel Castro para fomentar o socialismo-comunismo na América Latina.

Por isso o entusiasmo e engajamento do ex-Presidente Luiz Inácio, que tratou de convocar a militância petista para trabalhar em favor da referida proposta de reforma política (Cf. [http://youtu.be/q1X66PR3KZc]). Contudo, é lamentável o pacto que a CNBB firmou com a presidente Dilma Rousseff para impulsionar a proposta (Cf. [http://www.saladeimprensadilma.com.br/2014/08/25/dilma-sobre-campanha-vou-me-dedicar-a-esclarecer-os-mitos-e-a-discutir-propostas/]), uma vez que se trata de promover um esquema de poder de natureza expressamente condenada pela Igreja Católica:

“O comunismo é doutrina nefanda totalmente contrária ao direito natural” (Pio IX, “Qui pluribus”);

“O comunismo é intrinsecamente mau” (Pio XI, “Divini Redemptoris”);

[…] “[o socialismo] é incompatível com os dogmas da Igreja Católica, pois concebe a própria sociedade como alheia à verdade cristã” […] “Católico e socialista são termos antitéticos” […] “Socialismo religioso, socialismo cristão, são termos contraditórios. Ninguém pode ser, ao mesmo tempo, bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, “Quadragesimo Anno”).

Congregação do Santo Ofício, 1949. (1) É permitido aderir ao partido comunista ou favorecê-lo de alguma maneira? Não. O comunismo é de fato materialista e anticristão; embora declarem às vezes em palavras que não atacam a religião, os comunistas demonstram de fato, quer pela doutrina, quer pelas ações, que são hostis a Deus, à verdadeira religião e à Igreja de Cristo […] (4) Fiéis cristãos que professam a doutrina materialista e anticristã do comunismo, e sobretudo os que as defendem e propagam, incorrem pelo próprio fato, como apóstatas da fé católica, na excomunhão reservada de modo especial à Sé Apostólica? Sim. – II. Congregação do Santo Ofício, 1959. É permitido aos cidadãos católicos, ao elegerem os representantes do povo, darem seu voto a partidos ou a candidatos que, mesmo se não proclamam princípios contrários à doutrina católica e até reivindicam o nome de cristãos, apesar disto se unem de fato aos comunistas e os apoiam por sua ação? Não, segundo a diretiva do Decreto do Santo Ofício de 1o. de Julho de 1949, n.1 [3865].

Nestes termos, nós, CATÓLICOS , cientes da fidelidade que a CNBB  tem à doutrina, aos princípios e às orientações da Igreja Católica Apostólica Romana; apresentamos nossa reivindicação para que a CNBB imediatamente RETIRE o seu apoio da proposta de reforma política apresentada pela “Coalizão pela Reforma Política Democrática” e com ele TODAS AS ASSINATURAS dos fiéis católicos que recolheu para legitimar essa iniciativa.

Pelos motivos expostos, solicitamos ainda que a Conferência dos Bispos abandone a campanha por um “Plebiscito Constituinte”. Trata-se de uma iniciativa do PT que foi inclusive incorporada à campanha de Dilma Rousseff, com as assinaturas entregues nas mãos da candidata (Cf. “Dilma recebe 7,5 mi de assinaturas por plebiscito para reforma política”, G1, 13 de Outubro de 2014 [http://g1.globo.com/distrito-federal/eleicoes/2014/noticia/2014/10/dilma-recebe-75-mi-de-assinaturas-por-plebiscito-para-reforma-politica.html]). Ela tem basicamente os mesmos agentes promotores do projeto de reforma política, e em essência o mesmo objetivo: fortalecer um vasto esquema de poder que contraria integralmente os princípios e orientações da Igreja Católica.

Sendo o que se apresenta para o momento, agradecemos pela atenção e esperamos que tal documento seja considerado pelos senhores durante essa assembleia e que possam ser reavaliados os passos já dados pela CNBB no que diz respeito a reforma política em curso.

Movimento Legislação e Vida 

Manifestamos ainda aos bispos a nossa preocupação com a possível eleição de Dom Joaquim Mol a Secretário-Geral da CNBB. Alguns bispos nos deram seus contatos pessoais e ficamos de apresentar material, documentos, dados e mais informações para eles, que se interessaram em aprofundar a questão.

Agradecemos de modo especial à Missão Tarso (Cláudio e Kátia) e à Meri Angélica Harakava, que estiveram conosco nesta importante missão. E à Flavia Camargo que xerocou a documentação entregue aos bispos. Que Deus os abençoe sempre, com a família.