Posts Tagged ‘terrorismo’

Venezuela, que tem apoio incondicional de Dilma, vira centro do terrorismo internacional – 80 operativos del grupo radical islámico Hezbollah se encuentran activos en 12 países de América Latina

04/04/2014

Denuncian a Venezuela como el principal centro terrorista de América Latina.

Grupos de Hezbollah activos en Venezuela.

El especialista dijo que la principal fuente de la doctrina militar adoptada por el presidente Hugo Chávez es el libro “Guerra periférica y el Islam Revolucionario: orígenes, reglas y ética de la guerra asimétrica”, escrito por el político español Jorge Verstrynge, que propugna el uso del terrorismo como arma para lograr los objetivos en la guerra asimétrica.

http://interamericansecuritywatch.com/denuncian-a-venezuela-como-el-principal-centro-terrorista-de-america-latina/

 

Por lo menos unos 80 operativos del grupo radical islámico Hezbollah se encuentran activos en 12 países de América Latina, especialmente en Venezuela y Brasil, un pequeño ejército que podría representar una seria amenaza para la seguridad de Estados Unidos, adviertieron expertos reunidos en el Comité de Seguridad Nacional de la Cámara Baja.

En una audiencia que reunió a congresistas con expertos en terrorismo en Washington, fueron expuestas evidencias y fotografías de líderes y activistas vinculados a Hezbollah, entre ellos varios ciudadanos árabes con nacionalidad venezolana, que dirigen una red de reclutamiento y entrenamiento para ataques terroristas, que entre otros lugares tiene una base operativa central en la Isla de Margarita.

El panel integrado por cuatro expertos destacó los diversos aspectos de la amenaza que podría representar para Estados Unidos las actividades de radicales islámicos apoyados por Irán en América Latina.

Según Roger Noriega, ex subsecretario de Estado para América Latina durante la administración Bush, Venezuela y Brasil son en la actualidad los países donde Hezbollah se encuentra más activa.

Bj1o5DYIQAAnlqC

“Chávez, que tiene un récord de apoyar a narcoterroristas colombianos, ha cooperado con Irán para proveer apoyo político, financiamiento o armas a Hezbollah, Hamas o la palestina Jihad Islámica en este hemisferio y otras partes”, dijo el ex diplomatico.

Noriega indicó que la isla de Margarita, en el extremo oriente de Venezuela, “ha eclipsado la infame Area de la Trifrontera – la región donde Brasil, Argentina y Paraguay coinciden en Sur América- como el principal refugio y centro de las operaciones de Hezbollah en las Américas”.

Uno de los líderes claves de Hezbollah es el ciudadano venezolano Ghazi Atef Salameh Nassereddine Abu Ali, originario de Líbano, que en la actualidad es el segundo diplomático en importancia en la embajada de Venezuela en Siria.

Nasserddine maneja junto a dos de sus hermanos una red “de lavado de dinero y reclutamiento, que entrena operativos para expandir la influencia de Hezbollah en Venezuela y en toda América Latina”.

Nassereddine fue incluido en la lista de personas que apoyan el terrorismo internacional, elaborada por el Departamento del Tesoro en 2008.

Abdallah Nassereddine, hermano del diplomático, es miembro de la Federación de Asociaciones Arabes y Americanas, que tiene afiliadas en Suramérica y el Caribe.

El hermano menor de Nassereddine, Oday, “ha establecido una base en Venezuela organizando operaciones de entrenamiento en la Isla de margarita, y actualmente está reclutando seguidores a través de los Círculos Bolivarianos en Barquisimeto”.

Noriega dijo que el supervisor de las actividades de Hezbollah en Latinoamérica es Moshen Rabbani, un alto oficial iraní acusado de participar en los ataques contra objetivos judíos en Buenos Aires en 1992 y 1994.

Rabbani jugó un papel importante en el reclutamiento de cuadros en la región, que son seleccionados para ser entrenados en Venezuela e Irán, especificamente en la región de Qom, la base de operaciones de las Fuerzas Especiales iraníes (Fuerzas Qods).

Aunque es activamente solicitado por la Interpol y por gobiernos como el de Argentina, Rabbani viaja periódicamente a la región, aseguró Noriega.

“Por ejemplo, Rabbani estuvo en Venezuela, en Marzo de 2011, y en Brasi,l en septiembre de 2010, donde él y su hermano (que vive en Brasil) han reclutado docenas de seguidores a su causa radical”, precisó.

Noriega ilustró con ejemplos lo que él considera como pruebas del nivel de amenaza que representa Hezbollah para la seguridad nacional de Estados Unidos.

•             Al menos un activista de Hezbollah implicado en una conspiración para hacer estalar tanques y tuberías de combustible en el Aeropuerto Internacional John F. Kennedy de Nueva York, se reunieron con Moshen Rabbani en Irán. Esta persona fue detenida posteriormente cuando viajaba hacia Venezuela, donde planeaba tomar allí un avión hacia Teherán.

•             El jeque radical sunnita Khaled Razek Tak el-Din, que opera en la Mezquita de Sao Paulo, Brasil, vinculado por el Departamento de Estado en redes de financiamiento de Hezbollah, trabajó y fue anfitrión en 1995 de Osama Bin Laden.

•             Dos agentes de Hezbollah fueron identificados en la conducción de entrenamientos en la Isla de Margarita, a terroristas venidos de diversos países del hemisferio.

•             Comandos israelíes decomisaron en noviembre de 2009 un cargamento de granadas, cohetes Katyusha, 500,000 rondas de municiones y otras armas de fabricación rusa e iraní, abordo del barco Francop, que estaba llevando ese cargamento al Puerto venezolano de Guanta, dirigido a Hezbollah.

•             El 22 de agosto de 2010, Chávez actuó como anfitrión de una cumbre de terroristas en las que participaron altos líderes de Hamas (Khaled Meshal), Hezbollah (un jefe de operaciones), y de la Jihad Islámica de Palestina (secretario general Ramadan Abdullah Mohammad Shallah). La cumbre se realizó por sugerencia de Irán, y los arreglos logísticos fueron realizados por Nassereddine.

•             La aerolínea venezolana Conviasa realiza vuelos regulares entre Caracas, Damasco y Teherán, que son usados por Hezbollah para transportar agentes, reclutas y cargamentos dentro y fuera de la región.

•             Aunque la “enfermedad aparentemente terminal” de Chávez podría reducir el riesgo del apoyo de Venezuela a Hezbollah, “desafortunadamente las redes terroristas se han hecho metástasis en Latinoamérica.

•             Brasil es otro lugar importante de amenaza, principalmente debido a la población de alrededor de $1 millón de musulmanes que tiene.

Douglas Farah, experto del International Assessment and Strategy Center, consideró por su parte que existe una “significativa y creciente amenaza a la seguridad de Estados Unidos en el hemisferio” debido a la presencia de Hezbollah y su principal patrocinante, el gobierno de Irán.

Farah dijo que Hezbollah e Irán han venido trabajando por 10 años en una red con lazos estrechos con actividades y gobiernos que apoyan crímenes violentos y grupos terroristas.

El especialista explicó que es apenas en los últimos dos años en los que agencias militares y gubernamentales en Estados Unidos han posido articular los elementos de esta “amenaza compleja”, y advirtió que el no tomar medidas para enfrentar esta amenaza, podría significar costos muy altos en términos de avance democrático, desarrollo económico e incluso “vidas” de estadounidenses.

Farah detalló que se han demostrado vínculos de Hezbollah con el narcotráfico, que le provee de miles de millones de dólares en ganancias que son usadas para financiar operaciones que representan amenazas a Estados Unidos.

Dijo también que “hay una creciente evidencia de la unión de las actividades criminales-terroristas de la revolución Bolivariana con actividades similares de grupos radicales islámicos (Hezbollah en particular) con apoyo del régimen iraní”, lo cual “presagia una serie de nuevos retos de seguridad para Estados Unidos y sus aliados en América Latina”.

Farah mencionó a varios radicales musulmanes que operan en Venezuela o en connivencia con el gobierno venezolano, entre ellos FAwzi Kan’an, un patrocinante de Hezbollah en Venezuela acusado de ser “significativo proveedor de apoyo financiero a Hezbollah”, que ha sido detectado en operaciones de organización de potenciales ataques terroristas.

El especialista dijo que la principal fuente de la doctrina militar adoptada por el presidente Hugo Chávez es el libro “Guerra periférica y el Islam Revolucionario: orígenes, reglas y ética de la guerra asimétrica”, escrito por el político español Jorge Verstrynge, que propugna el uso del terrorismo como arma para lograr los objetivos en la guerra asimétrica.

Ilan Berman, vicepresidente del Consejo Americano de Política Exterior, describió las influencias de Hezbollah en países como Colombia, Paraguay, México, Venezuela y la Triple Frontera, en el cono sur del continente. También dijo que existe una presencia de este grupo terrorista “en no menos de 15 centros metropolitanos dentro de territorio norteamericano”, desde Nueva York hasta Los Angeles.

Berman dijo que en la última década, Chávez ha forjado una crecientemente íntima asociación estratégica con el gobierno iraní, lo cual ha convertido a Venezuela en un “gran eje de operaciones para Hezbollah”.

Berman aseguró a los congresistas que Hezbollah dirige centros de entrenamiento de militantes radicales venezolanos en el sur de Líbano “para posibles ataques en territorio norteamericano, y opera campos de entrenamiento dentro de Venezuela, con el apoyo de funcionarios gubernamentales simpatizantes”.

Finalmente, la profesora Melani Cammett, académica de la Universidad de Brown, expuso el largo historial político de Hezbollah como organización terrorista en el mundo, pero desestimó la posibilidad de que la agrupación produzca un ataque a territorio norteamericano.

Não sei mais o que falta para meter toda essa gente na cadeia – E querem punir os militares patriótas – Eles mesmos se denunciam – É bom eles confiarem na impunidade, por que assim já sabemos quem são

02/04/2014

A Ajuda e orientação de Cuba aos terroristas do Brasil:

Censurado na Alerj.

María Corina llega a Brasil para denunciar la grave situación de Venezuela

La opositora venezolana María Corina Machado llegó hoy a Brasil con el propósito de “denunciar como diputada” la “grave” situación que vive su país ante miembros de las comisiones de Relaciones Exteriores del Senado y la Cámara Baja.

“La visita es para atender una invitación de ambas comisiones y la intención es plantear, de manera muy directa y en su condición de diputada venezolana, la gravísima situación que vive Venezuela”, dijo a Efe una fuente próxima a Machado.

La dirigente opositora llegó a Brasil tras haber encabezado el martes en Caracas una marcha hasta la Asamblea Nacional, que la semana pasada la despojó de su investidura parlamentaria.

Esa decisión fue refrendada por el Tribunal Supremo de Venezuela y se apoyó en que supuestamente Machado infringió la Constitución, según la mayoría de la Asamblea, al aceptar que Panamá la nombrara su representante alterna para poder intervenir en una sesión de la Organización de Estados Americanos (OEA) el 20 de marzo pasado.

Ese día Machado intentó sin éxito exponer la situación que vive Venezuela ante la OEA y se presentó gracias a una oferta de Panamá, que estaba dispuesto a cederle por su sillón en el organismo.

A pesar de esa decisión, Machado ha insistido en que es “más diputada que nunca” y que la decisión de despojarla de su escaño es ilegal, y demuestra el carácter autoritario del Gobierno de Nicolás Maduro, así como la “inexistencia de la separación de poderes” en Venezuela.

Según las fuentes consultadas por Efe, Machado se reunirá hoy en Brasilia con miembros de las comisiones de Relaciones Exteriores del Senado y la Cámara de Diputados de Brasil y posteriormente ofrecerá una rueda de prensa en la sede del Congreso.

Míssel derrubou avião Boeing 777 da Malásia

09/03/2014

http://www.wnd.com/2014/03/missile-downed-malaysian-plane/

O que é governo militar e quais são seus inimigos

06/11/2013

1381932_1382888251949994_1717407147_n

Seremos salvos pela Mãe Rússia

15/09/2013

1175467_617569148287232_1492473653_n

Cristãos sendo decapitados na Síria pela oposição a ASSAD apoiada pelo Anti Cristo Obama

15/09/2013

http://noticias.gospelprime.com.br/cristaos-decapitados-siria/

PT perde a paciência com os terroristas do MST

11/09/2013

1234757_548231921890892_1847712912_n

Exército vai poder combater e exterminar sem-terras terroristas…… No Paraguay – A gota d´água foi o genocídio de 5 brasiguaios

21/08/2013

21 DE AGOSTO DE 2013 17:45

Modifican la Ley de Defensa

La Cámara de Diputados aprobó este miércoles la modificación de la Ley 1337/99, para que el Poder Ejecutivo pueda disponer de forma inmediata, el uso de las fuerzas militares contra actos de terrorismo, como los protagonizados por el EPP.

Diputados aprobó la modificación.

Diputados aprobó la modificación. / ABC Color

La Comisión de Legislación y la de Asuntos Constitucionales de la Cámara Baja dictaminaron de forma favorable para la modificación de la mencionada ley, lo que dará prerrogativa al Poder Ejecutivo, para ordenar acciones militares con el objetivo de garantizar la seguridad de todos los ciudadanos paraguayos y de la soberanía nacional.

El presidente de la República, con el aval del ministro del Interior y el ministro de Defensa, podría ordenar el accionar militar, según explicaron durante la sesión oridnaria de este miércoles.

La modificación de la ley busca dar mayor fuerza al Estado en su lucha contra el autodenominado Ejército del Pueblo Paraguayo (EPP), responsable de varios asesinatos, entre ellos, el de cinco guardias de seguridad de una estancia en Tacuati el pasado sábado.

Lo que se busca específicamente es la modificación de los artículos 2, 3 y 56 de la ley Nº 1.337/1999 “De Defensa Nacional y Seguridad Interna” y la Nº 4.024/2010 “Que castiga los hechos punibles de terrorismo, asociación terrorista y financiamiento del terrorismo”.

Ahora el proyecto de ley, que fue remitido a Diputados por el Poder Ejecutivo, pasa a Cámara de Senadores, donde existe el compromiso de acompañar la aprobación del documento.

Dilma confirma que praticou ações armadas terroristas: Matou? Assassinou? Roubou? Aleijou?

17/05/2013

Bolsonaro: Comissão da Verdade Sufocada deveria mandar prender Dilma (Patrícia – Wanda)

11/05/2013

BRILHANTE CORONEL USTRA!!!!!

O coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra fêz juz ao nome. Foi BRILHANTE e disse o que 190 milhões de brasileiros deveriam repetir todos os dias: A Dilmaluca é uma terrorista,assassina e sem vergonha.

Não existe ex-assassino ou ex-terrorista, a pessoa é e pronto.

Comissão da Verdade
Comandante Ustra afirma em depoimento que presidente Dilma era terrorista

Coronel reformado diz que defendeu país do comunismo; Depoimento foi marcado por muito tumulto, com direito a gritaria e tapas na mesa”

http://www.otempo.com.br/capa/política/comandante-ustra-afirma-em-depoimento-que-presidente-dilma-era-terrorista-1.642227

O movimento armado de 31 de março de 1964, que depôs João Goulart do cargo de Presidente da República, impediu um golpe que os comunistas planejavam desencadear naquela conjuntura que julgavam oportuna, em face dos desmandos de toda ordem, sobretudo políticos e econômicos, bem como da falta de autoridade que o País mal suportava. Salomão Malina, antigo Secretário-Geral do Partido Comunista Brasileiro, em entrevista à imprensa, reconheceu que setores do PCB, com a aprovação de Luiz Carlos Prestes, conspiravam com aquele propósito, por isso que, ardilosamente, iriam aproveitar-se do clima de agitação reinante, na maior parte, provocado pelo próprio governo.

O Brasil caminhava, aceleradamente, para um desfecho imprevisível, em virtude do ambiente de desordem generalizada que se agravara a partir de 1961. Entretanto, os golpistas do “partidão” e seus aliados, mais uma vez, como já acontecera em investidas anteriores, que a história registra em cores fortes, não souberam identificar, na sociedade, a inquestionável repulsa a seus intentos de subversão da ordem e extremada violência.

Dessa forma, entende-se o movimento armado de 31 de março, sem qualquer dúvida, como uma contrarrevolução que veio em socorro do povo brasileiro ameaçado seriamente pela baderna e pelo caos. Hoje, os integrantes da frente de esquerda, que se apresenta solidamente enquistada no Poder, fiéis doutrinariamente à máxima de que os fins justificam os meios, voltam-se, especialmente, para as novas gerações, cujas mentes buscam envenenar com argumentação falaciosa, repetida à exaustão. Servem-se, largamente, de inocentes úteis, de vítimas da ignorância e de mentes corrompidas. Seus sequazes incentivam revisões da história que passam a narrar de forma distorcida, onde preponderam a mentira e a felonia.

Nos postos de mando alinham-se, despudoradamente, terroristas, sequestradores, assaltantes de banco, criminosos todos, que se locupletam gulosamente de bolsas fartamente endinheiradas. Mas, o que é sumamente grave, novas urdiduras estão em marcha acelerada, pois a partir dos anos 1980, a revolução comunista no Brasil ganhou uma nova vertente inspirada na revolução gramsciana de transição para o socialismo. Sua convivência com pensamento e a práxis política marxista-leninista de alguns partidos caracteriza uma postura tática de pluralismo das esquerdas.

 

O êxito, já alcançado na penetração intelectual e moral do corpo social, é inegável. Chega a um estágio que se teme possa ser irreversível.

Desabafo de criminoso arrependido – Porque saímos da organização terrorista MST

09/05/2013
PORQUE SAÍMOS DO MST – Trechos da carta

“Considerando a crítica aberta, quando ainda estava dentro do MST, sentia por parte dos intelectuais e professores(as) que o apoiam a ausência dessa crítica; e aqueles que ousaram em alguns momentos expressá-la foram considerados como inimigos do movimento”

“Perdeu muitos militantes que hoje (alguns mesmo continuando no movimento) estão acomodados por ser mais confortável, pois, em algumas destas instâncias do MST, existem regalias que, fora delas, não se encontram – como, por exemplo, fazer um curso superior ou conhecer outro país e até estudar lá, como os que estudaram e estudam em Cuba e na Venezuela.”

“…lembrando a referência marxista do trabalho voluntário que aparece nos contextos dos processos revolucionários, que sempre tentamos resgatar, como os sábados comunistas da Revolução Russa, o trabalho voluntário da Revolução Cubana”
“Nesta unidade imposta, quem fazia a crítica estava “queimando” o movimento e, por conta da relação de poder hierarquizada, havia e ainda há muita hipocrisia, expressando assim grandes contradições do MST”

“Entre tantos valores é lembrado o que diz Fidel: “Um revolucionário pode perder tudo: a família, a liberdade, até a vida. Menos a moral”. E foi isso que o movimento perdeu, para nós, entre outras coisas: a moral.”

“…sentidos hoje por muitas pessoas que dedicaram toda a sua vida a esse movimento e não conseguem acreditar que o projeto que defenderam com suas vidas, investindo sua juventude e pelo qual muitos(as) companheiros(as) foram assassinados, esteja dependente do capital e do seu Estado.”

“Existe uma militância que já estava perdida, por não conhecer a essência da crítica, e porque seus dirigentes maiores, em sua arrogância e autoritarismo, nunca abriram o debate”

“Também não podia deixar de compartilhar, enquanto militante cristã, porque minha formação de militante nasceu a partir do Projeto de Jesus Cristo, no auge da Teologia da Libertação, dentro das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base) e da PJMP (Pastoral da Juventude do Meio Popular), em 1984.”

http://www.correiocidadania.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=7907%3Asocial071212&catid=71%3Asocial&Itemid=180

Crime = PT = Crime = Crime = PT = Crime = Crime = PT = Crime

14/04/2013

Crime = PT = Crime

14047_458220434255148_827124666_n

544759_439643409451093_1115464762_n

0000000

17773_10200386887948110_1840062600_n

68589_464871283591394_1994133588_n

524014_574221792610953_154664689_n

Chávez, Farcs e o tráfico internacional de drogas

14/02/2013

Estão claras as ligações do Regime Bolivariano com o tráfico de drogas internacional.

Não é novidade, haja vista que o cão Chávez é aliado das FARCS (guerrilha narco-marxista) em suas pretensões estratégicas e políticas.

O vídeo abaixo mostra as tramas do Governo de Chávez com o tráfico de drogas dentro da América Latina.

Trono manchado de sangue – Dilma sequestradora –

08/11/2012

Agora não tem como negar que o passado de Dilma foi manchado de sangue.

Agora não adianta falar que isso é calúnia ou boato. Hugo Chaves, que se diz grande amigo de Dilma e Lula, confessa a público que ela estava envolvida com sequestro de embaixador no Brasil.

Os videos falam por si so!!

Votar em gente com ficha suja! NUNCA! ACORDA BRASIL!

A Comissão da Verdade As vítimas dos terroristas As vítimas dos guerrilheiros comunistas

25/10/2012

 

Publicado em 20/04/2012 por terranovafilmes. A outra versão do golpe de 64. Enfim um filme que contará as perdas de civis e militares…
Documentário conta história de vítima da violência da guerrilha durante o regime militar.
Pela primeira vez no Cinema Brasileiro, longa-metragem mostra histórias de violência dos 2 lados: da repressão militar e do terrorismo de extrema esquerda.

 

Reparação é o título do documentário de longa-metragem em High Definition que conta a história de Orlando Lovecchio, vítima de um atentado a bomba praticado pela guerrilha que lutava contra o regime militar no Brasil, em 1968.

 

Orlando perdeu a perna no célebre atentado ao Consulado dos EUA em São Paulo e, ainda hoje, em 2009, luta por justiça: como não é considerado uma vítima da ditadura militar, a aposentadoria que recebe é menor que a do autor do atentado que o vitimou e enterrou para sempre seu sonho de ser piloto de avião.

 

O episódio envolvendo Orlando e seus desdobramentos tem merecido amplo e constante destaque na imprensa.
A partir deste caso, o filme provoca uma reflexão a respeito do período militar, da violência de grupos extremistas ontem e hoje na América Latina, da ditadura cubana que persiste até hoje com o apoio de democratas em todo o continente, além da relação ainda conflituosa existente entre o aparelho repressivo do Estado e os cidadãos comuns.

 
Com depoimentos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do historiador Marco Antonio Villa, do jornalista Demétrio Magnolli, entre outros, Reparação pretende iniciar uma nova discussão sobre o período militar dentro do contexto do Cinema Brasileiro, que até hoje tem falhado por mostrar apenas um lado dos que viveram a época, de uma forma muitas vezes maniqueísta (como se a História pudesse ser resumida a um eterno embate do bem contra o mal)

 
Em uma abordagem franca e sem amarras partidárias ou ideológicas, Reparação comprova sua total independência ao não ter recorrido às verbas públicas para sua realização.

 
Uma prova de que o Cinema Brasileiro pode suscitar o debate com qualidade técnica e total independência estética e de pensamento.

Hugo Chávez Frias, amigo de Lula, também é amigo de traficantes (Farcs) e assassinos (Farcs e ETA)

05/10/2012

El líder del grupo paramilitar venezolano, partidario de Chávez, asegura que son «aliados políticos» de ETA y de las FARC

El venezolano Alberto «Chino» Carías, jefe del Movimiento Revolucionario Tupac Amaru (MRTA) -mejor conocidos como «Tupamaros», uno de los comandos armados chavistas-, recibe a ABC en su oficina de la Comisión Permanente de Ciencia y Tecnología e Innovación.
Desde el séptimo piso del edificio administrativo de la Asamblea Nacional da instrucciones sobre las armas y municiones que llevarán el próximo domingo, jornada electoral en Venezuela.

Al líder del comando de la barriada caraqueña «23 de Enero», de 56 años, le gusta llevar el pelo engominado, pendiente en la oreja izquierda y el «666» tatuado en el cuello. Se presenta como un «código naranja» de la policía internacional porque lo detienen en los aeropuertos europeos desde que salió en el documental y el libro «El Palestino», del español Antonio Salas. En ellos hablaba de los entrenamientos de etarras con los guerrilleros de las FARC y sus presuntos vínculos con organizaciones terroristas.

-¿Cómo ve las presidenciales?

-Históricas porque después de cincuenta años de lucha se enfrentan dos tendencias: la de la oscuridad representada por la burguesía venezolana, que simboliza la familia israelí de Henrique Capriles Radonski, y la de claridad, transparencia, cristiana y socialista que representa Hugo Chávez.

-¿Qué planes tiene para ese día?

-Vamos a dar la pelea apostando por la paz y la democracia para que no se rompa el hilo constitucional. Tenemos todos los elementos políticos y la logística a nuestro favor.

-¿El presidente Hugo Chávez ha dicho que reconocerá los resultados?

-Exactamente, porque Chávez ganará; pero si la oposición lo desconoce y llama a las guarimbas (focos de violencia) a partir de las 16:00 horas, nos vamos a enfrentar a ellas.

-¿Cómo lo harán?

-Con plomo. Será un hervidero. Estamos preparados y bien armados. Vamos en moto, coche o a pie. Y si vemos agitación en la calle, nos ponemos la capucha y sacamos las armas.

-¿Cómo hicieron la semana pasada en Barinitas, donde mataron a tres activistas de Henrique Capriles?

-En toda guerra hay muertos.

-¿Cuántos lleva usted encima?

-No llevo la cuenta. Dicen que después de diez muertos ya no se siente ningún remordimiento.

-¿Y si gana la oposición?

-Nunca. La oposición no va a ganar. Eso es muy remoto, un sueño irreal.

-¿Qué van a hacer si la autoridad electoral declara ganador a Capriles?

-Nos pasamos a la resistencia activa. Hemos activado todas las células para denunciar a la extrema derecha. Un gobierno de Capriles tendría al pueblo agitado y movilizado. Eso nos lo enseñó Chávez.

-¿Cuál es su vínculo con el terrorista venezolano «Carlos» Ilich Ramírez, preso en Francia?

-Tenemos contacto t elefónico.

-¿Y sus vínculos con ETA?

-Somos aliados políticos de ETA y las FARC, no voy a dar más detalles por el mal antecedente que tuvimos con el español «El Palestino», que se infiltró en nuestra organización y grabó nuestras actividades con cámara oculta sin decir que era un periodista.

-¿Quién les financia?

-Es un secreto militar.

-¿Cuántos miembros tienen los «Tupamaros»?

-Es un secreto militar. Tenemos células en toda Venezuela.

-¿Cómo se define?

-Como un guerrillero marxista leninista. Somos vigilantes revolucionarios armados. Si hay algún intento de golpe los sacaremos a fuego y plomo como lo hicimos en abril de 2002.

http://www.abc.es/20121004/internacional/abci-plomo-chavez-capriles-201210041155.html

São José dos Campos-SP urgente: Pinheirinho está para ser invadido de novo

02/10/2012

Subversivos vão agir de novo próximo as eleições.

Estamos atentos e divulgaremos qualquer novidade.

ONTEM A TARDE, houve um ensaio de invasão cortanto cerca e permanecendo no Pinheirinho por duas horas.

A desocupação do Pinheirinho foi noticia no mundo todo

=

COMO É UMA CIDADE GOVERNADA PELO PT: Como era a São José dos Campos-do PT:

O Horror que foi o PT em São José dos Campos-SP com a Dançarina da Pizza:

 

Governados por assaltantes – Dilma Rousseff e o Caso do Cofre do Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros

21/09/2012

terça-feira, outubro 05, 2010

O ASSALTO QUE DILMA AJUDOU A PLANEJAR

do Blog do Aluísio Amorin

Leiam esta excelente reportagem que está no site do jornalista Augusto Nunes, do portal da revista Veja. É assinada pela repórter Domitila Becker, e detalha como foi o roubo do cofre de Adhemar de Barros, que Dilma Rousseff ajudou a planejar no dia 18 de julho de 1969, quando era ativa militante de uma organização terrorista. Sim, Dilma participou da luta armada contra a democracia com a finalidade de implantar uma ditadura comunista no Brasil. Ou alguém acha que isso é delírio? Com link ao final para leitura completa.

Leiam:
A noite estava chegando quando as duas camionetes estacionaram numa  ladeira do bairro de Santa Tereza, no Rio. Armados de revólveres e  granadas, 11 homens e duas jovens desembarcaram e, em movimentos  rápidos, invadiram o casarão onde morava Ana Benchimol Capriglione,  amante do ex-governador paulista Adhemar de Barros, famoso pelo bordão  “rouba, mas faz”. Na hora do crepúsculo de 18 de julho de 1969, começava  o maior assalto praticado durante a ditadura militar por grupos  partidários da luta armada.

Disfarçados de policiais à caça de documentos considerados  subversivos, os invasores se espalharam pela mansão. Enquanto alguns  subiam ao segundo andar para localizar o cofre, outros imobilizaram  moradores e empregados, furaram os pneus dos carros estacionados na  garagem e cortaram as linhas telefônicas. A operação durou exatamente 28  minutos. E enriqueceu em US$ 2,4 milhões (cerca de R$ 30 milhões em  valores atuais) a VAR-Palmares, organização comunista que tinha entre  seus mais ativos militantes a universitária mineira Dilma Rousseff. “A  gente achava que o golpe ia ser grande, mas não tinha noção do tamanho”,  disse Dilma numa entrevista publicada em 2006.
O cofre de mais de 200 quilos rolou pela escadaria de mármore, foi  colocado numa das camionetes e levado até um “aparelho” ─ termo que  identifica os endereços onde moravam ou se reuniam os partidários da  luta armada ─ em Jacarepaguá. Ali, com o uso de maçaricos, consumou-se o  arrombamento do cofre que fora previamente inundado para evitar que o  dinheiro se queimasse. As cédulas secaram depois de estendidas em varais  e expostas a ventiladores. Eram parte da fortuna do ex-governador de  São Paulo. A informação de que estavam sob a guarda da amante foi  transmitida à VAR-Palmares por Gustavo Buarque Schiller, um sobrinho de  Ana Benchimol que acabara de filiar-se à organização.
Entre os participantes da ação estavam Carlos Minc, deputado estadual  e ex-ministro do Meio Ambiente do governo Lula, e Carlos Franklin  Paixão de Araújo, segundo marido e pai da única filha de Dilma Vana  Rousseff Linhares, ou Estela, ou Wanda, ou Marina, ou Maria Lúcia, ou  Luiza. Embora tenha ajudado a planejar todos os assaltos do grupo, Dilma  não figurou entre os invasores do casarão. Providenciou o armamento,  guardou o dinheiro e ajudou a distribuir o produto do roubo.

Drogas e terrorismo na tríplice fronteira Paraguay Argentina Brasil

07/09/2012

http://www.foreignaffairs.com/articles/138096/christine-folch/trouble-on-the-triple-frontier?page=show

Bolsonaro desmoraliza presidente comunista da OAB defensor de terroristas assassinos

08/07/2012

=

=

Dilma assaltava e roubava diz Ex-Marido: Hoje o nome da coisa é Corrupção

03/06/2012

http://blogdomicko.blogspot.com.br/2012/06/presidenta-do-brasil-o-exemplo-para.html#!/2012/06/presidenta-do-brasil-o-exemplo-para.html

Passado sombrio de Dilma. ROTA NELA.

=

Brasil: Um país governado por terroristas

14/04/2012

O que diz o lap top do finado AlfonsoCano sobre a ligação FARC-PT, aguardem

13/11/2011

http://www.noticias24.com/internacionales/noticia/8156/fiscalia-de-colombia-revelara-la-informacion-encontrada-en-los-computadores-de-alfonso-cano/

O que os terroristas que hoje governam o Brasil fizeram: alguns de seus crimes

26/10/2011
CONTRIBUIÇÃO PARA A COMISSÃO DA VERDADE III

Aton Fon Filho – ALN
Matéria pesquisada e produzida pelo site: www.averdadesufocada.com

“Familiares de vítimas atacam projeto Júnia Gama –  Alana Rizzo – Correio Braziliense – 20/09/2011
(…)”O projeto como está é uma farsa, não vai produzir justiça. Se for só para dizer que tivemos uma comissão, é melhor não tê-la”, diz o diretor do Sindicato dos Advogados de São Paulo, Aton Fon Filho.”(…)

Contribuindo com a Comissão da Verdade, conheça um pequeno período da vida de Aton Fon Filho, com curso em Cuba e ativo participante da luta armada, hoje advogado, ligado à ONGs e preocupado com os direitos humanos dos militantes da luta armada e com a Comissão da Verdade. Os direitos humanos dos familiares de suas vítimas serão lembrados ?

Marighela recebeu, a partir de julho de 1968, os militantes que haviam sido enviados a Cuba, em 1967, para realizar o treinamento militar. Era o “I Exército da ALN” – como ficou conhecido o grupo -, que retornava para iniciar suas atividades criminosas. Na primeira leva seguiram para Cuba Adilson Ferreira da Silva ( Miguel), Aton Fon Filho ( Marcos), Epitácio Remígio de Araújo (Júlio) , Hans Rudolf Jacob Manz ( Juvêncio ou Suíço), José Nonato Mendes ( Pele de Rato ou Pará ), Otávio Ângelo ( Fermim) e Virgílio Gomes da Silva ( Carlos).

A mesma época, iniciou-se o envio de, mais um grupo de militantes, que reunido em Cuba, realizaria o curso entre março e setembro de 1969.

Apoiado pela chegada do I Exército da ALN e com intuito de partir direto para a ação e de reafirmar que o comando político emergia da ação, Marighela partiu para o ataque reforçado pelo grupo que chegara de Cuba, e liderou alguns assaltos e atentados na área de São Paulo, em 1968. São de autoria do ainda chamado Agrupamento Comunista de São Paulo – AC/SP- os seguintes assaltos:
– ao banco Comércio e Indústria , Av. São Gabriel, 191, em julho de 1968;
– à agência Bradesco, da Alameda Barros com AV. Angélica;
– ao trem pagador da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, em agosto;
– ao carro pagador da Massey Ferguson, no Alto de Pinheiros, em outubro;
– à indústria “Rochester -Armas e Explosivos”, em Mogi das Cruzes ( na Grande São Paulo), no dia 28 de dezembro de 1968;
– á casa de um colecionador de armas , na Alameda Ribeirão Preto.
– o atentado contra um carro pertencente a um elemento do DOPS de São Paulo, na AV. Marginal ; e
– o atentado a bomba contra a casa de um diretor da Contel.

A esses fatos viria somar-se um estremecimento nas relações da agora denominada Aliança Libertadora Nacional – ALN -, com a VPR, que eram muito intensas. O estremecimento deu-se em razão da ALN , que armazenara parte do armamento roubado do 4º RI para a VPR, haver relutado em devolvê-lo quando solicitado por aquela organização.

Essas ações e mais o assassinato do capitão Chandler – 12/10/1968 –  pela VPR, que teve grande repercussão no Brasil e no mundo provocaram um refluxo temporário nas ações da ALN em São Paulo.

Para sobreviver durante esse período, a organização realizou ações de pequena monta, como assaltos a padarias e supermercados, nos quais Aton Fon Filho  participou juntamente com Vírgilo Gomes da Silva,  chefe de um dos grupos táticos armados – GTA-, Manoel Cyrilo de Oliveira e Takao Amano.

Passado o impacto da repercussão do bárbaro asssassinato do capitão Chandler, na frente da mulher e dos filhos, a ALN recomeçou uma série de ações violentas. A primeira foi o assalto à agência de Suzano da União de Bancos Brasileiros, no dia 7 de maio de 1969. Durante a fuga, os terroristas foram surpreendidos, travando-se intenso tiroteio com a polícia, com o saldo de quatro vítimas. O investigador José Carvalho, que tentara impedir a fuga foi atingido por vários impactos. Socorrido, veio a falecer na Santa Casa de Suzano. Os civis Antônio Maria Comenda Belchior e Ferdinando Eiamini, que passavam pelo local no momento do tiroteio, foram feridos.

Takao Amano, ferido na coxa, retirado do local pelos companheiros, foi operado por Boanerges Massa na casa do casal  Carlos Henrique Knapp e Eliane Toscano Zamikhowski, militantes da rede de apoio na ALN de São Paulo.

No dia 27 de maio, no afã de aumentar a potência de fogo de seu GTA e realizar uma ação de propaganda armada, buscando desmoralizar as forças de segurança, foi perpetrada uma ação contra o 15º Batalhão da Força Pública do Estado de São Paulo, na Avenida Cruzeiro do Sul. No Volkswagen dirigido por Celso Antunes Horta, iam Virgílio Gomes da Silva, Aton Fon Filho, Carlos Eduardo Pires Fleury e Maria Aparecida da Costa. O Karman-Ghia da cobertura era dirigido por Ana Maria de Cerqueira Cesar Corbisier, que, antecipando-se ao Volkswagen, estacionara na esquina próxima, aguardando o desenrolar dos acontecimentos. A repetina parada do carro e o rápido desembarque de três elementos surpreenderam, o soldado da Força Pública paulista Naul José Mantovani que se encontrava de guarda. Virgílio, Carlos Eduardo e Aton Fon Filho não deram qualquer chance ao soldado de serviço, que caiu fuzilado pelos terroristas e teve sua metralhadora roubada. O soldado Nicácio Conceição Pupo, que acorreu ao local ao ouvir os disparos, foi gravemente ferido na cabeça, tendo ficado com o cérebro paralisado. Os assassinos, ante a reação da guarda, que respondeu atirando contra o carro, em defesa dos feridos e do batalhão,  lograram empreender a fuga

No dia 4 de junho , no assalto ao Banco Tozan, na Avenida Penha de França, a ALN deu prosseguimento ao rol de suas vítimas fatais. durante a fuga , o soldado da FPESP Boaventura Rodrigues da Silva, que se encontrava de serviço nas proximidades do banco e tentou obstar a ação , foi morto a tiros e teve sua metralhadora roubada. O terrorista Francisco Gomes da Silva, que saiu ferido nas costas, durante o assalto, foi atendido pela mesma equipe da rede de apoio da ALN na casa de Carlos Knapp.

Ainda em 1969, nos meses subsequentes,  a ALN realizou uma série de assaltos a bancos, supermercados e empresas de transporte coletivo e de atentados a bomba , dos quais se destacam o atentado ao Palácio Episcopal , em 6 de agosto, e o metralhamento , em 24 de agosto , à vitrina da Loja Mappin , que expunha material alusivo à Semana do Exército.

As ações da ALN , no referido período, foram
16 de junho – atentado a bomba nos elevadores da CBI, na rua Formosa;
23 de junho – assalto à empresa de ônibus  ” Viação Leste-Oeste”;
6 de junho – atentado a bomba contra uma subestação da Light, em Piquete;
08 de julho –  assalto à agência do Banco do Brasil, Santo André;
12 de julho – assalto simultâneo ao União de Bancos Brasileiros e à Caixa Econômica  Federal, na Avenida Guapira, em Jaçanã;
15 de julho – primeiro assalto à agência Bradesco na Rua Major Diogo;
24 de julho – assalto contra a União Cultural Brasil-Estados Unidos, na rua Oscar Porto;
final de julho – assalto ao Supermercado Pão de Acúcar , no Bairro de Pinheiros;
18 de agosto – assalto à agência do Banco Comércio e Indústria da Avenida São Gabriel;
24 de agosto – atentado a bomba contra a agência da Light;
29 de agosto – assalto à empresa Instrumental Berse LTDA, na rua Agostinho Gomes, 1662;
09 de setembro – assalto á agência do banco Itaú- América, na rua Pamplona;
22 de setembro – segundo assalto à agência do Bradesco, na rua Major Diogo.

No dia 19 de setembro, a ALN realizou mais uma ação de propaganda armada, desta feita contra a guarnição da radiopatrulha nº 21, que habitualmente permanecia estacionada no Conjunto Nacional na Av. Paulista. A guarnição da RP era constituída de dois homens,e nas suas proximidas ficava um guarda-civil do policiamento ostensivo. Por vaIta das 22 horas após saltarem do carro dirigido por Aton Fon Filho, Virgílio Gomes da Silva, o comandante da ação, Denison Luís de Oliveira e Manoel Cyrilo de Oliveira Neto dirigiram-se para a viatura como se fossem solicitar uma informação. Ao mesmo tempo, Takao Amano aproximava-se do guarda-civil. Takao, num gesto desnecessário de prepotência, rendeu o guarda e obrigou-o a colocar-se de joelhos à sua frente, humilhando-o ao exigir que lhe pedisse clemência. A trinca que se ocupava da radiopatrulha, ao imaginar ou pressentir uma tentativa de reação, disparou suas armas para o interior da viatura. O soldado da FPESP Pedro Fernandes da Silva, atingido por vários disparos, um deles na coluna, ficou com sequelas seríssimas. Denison e Virgílio recolheram uma metralhadora INA e dois revólveres .38 , enquanto Takao Amano recolhia um revólver .38 do tripudiado guarda -civil.

Para complementar a “ação revolucionária, os dois primeiros espalharam gasolina e incendiaram a radiopatrulha. Esta seria uma das últimas ações da ALN em São Paulo, no ano de 1969.

Depois disso, em setembro, Aton Fon Filho e Maria Aparecida da Costa partiram de São Paulo e foram atuar no Rio de Janeiro, esperando uma oportunidade para fugir para o exterior.

Fonte : Projeto Orvil

Jair Bolsonaro e a comissão da in verdade montada por ex terroristas; vergonha: não querem investigar terrorismo

01/10/2011

40 anos do terrorismo do bem contra a Guerra do Vietnã, Universidade de Wisconsin 24 de agosto de 1970

23/08/2010
 
The aftermath of the attack on Sterling Hall at the University of Wisconsin 40 years ago this week.

TERROR AT STERLING HALL
40 Years Later, Fugitive Search Continues

08/23/10

Where is Leo Burt? You can earn up to $150,000 by helping us find him.

Forty years ago—on August 24, 1970—Burt and three other young men protesting the Vietnam War carried out a pre-dawn bomb attack at the University of Wisconsin in Madison that would stand as the largest act of domestic terrorism in U.S. history until the Oklahoma City bombing 25 years later.

The three accomplices were eventually arrested and served time in prison for the bombing of Sterling Hall, which caused significant damage and the death of a physics researcher. But Burt—22 at the time and an aspiring journalist—has been on the run ever since.

Retired Special Agent Kent Miller, one of several agents to lead the hunt for Burt over the years, said the Bureau has run down hundreds of tips around the world—everything from Burt reportedly being homeless in Denver to working at a Costa Rican resort. But the fugitive has somehow managed to elude capture, leading some to believe he is dead.

  Audio excerpt
Hear police dispatch audio after the explosion. | Transcript

Miller, who spent 36 years in the Bureau and is currently a deputy coroner in Madison, thinks Burt may still be alive. “If so, I don’t think he’s living in the United States. And if he is alive,” Miller added, “he’s got to be worried every day that he’s going to slip up and get caught. That’s no way to live.”

Special Agent Kevin Cassidy has been in charge of the investigation for the past three years. “Even after four decades,” he said, “we cover every credible lead that comes in.” Despite the passage of time, agents in the field are happy to help. “If we ever catch him,” Cassidy said, “it will be due to the hundreds of agents who have been so diligent in their efforts.”

Cassidy prefers not to speculate about Burt being alive or dead. “Until I know for sure,” he said, “we will pursue him. This was the largest truck bombing in the country’s history at the time, it did millions of dollars worth of damage, and Burt killed someone. He needs to be held responsible for that.”

 
Leo Burt’s wanted poster, including images of what he might look like today. A reward of $150,000 is being offered for information that leads to his arrest.


Burt was part of a radical anti-war group known as the New Year’s Gang.
They were targeting the Army Math Research Center in Sterling Hall to protest the Vietnam War and the university’s involvement with the military. The explosion—heard some 30 miles away—caused extensive damage to the building and to 26 others, and resulted in the death of Robert Fassnacht, a 33-year-old father of three who was working late on campus to finish a research project.

Even though Burt is the only bomber to thus far avoid prison—the other three served relatively brief sentences—retired Agent Miller thinks he may have suffered the most.

“He had a fairly close family,” Miller said. “But because he was on the run, he had to sever ties with his brother and other family members. He missed both his parents’ funerals. When he became a fugitive,” Miller added, “he basically gave up his life.”
 
We need your help to locate Leo Burt. If you have any information, please contact your local FBI office or the nearest U.S. Embassy or Consulate. The FBI is offering a reward of up to $150,000 for information leading to Burt’s arrest.

Terrorista das FARCs condenado nos Estados Unidos por ajudar terroristas internacionais

12/08/2010
Department of Justice Press Release

white spacer
For Immediate Release
August 10, 2010
United States Attorney’s Office
Southern District of New York
Contact: (212) 637-2600
FARC Associate Pleads Guilty in Manhattan Federal Court to Providing Material Support to a Foreign Terrorist Organization

PREET BHARARA, the United States Attorney for the Southern District of New York, announced today the guilty plea of JUANITO CORDOBA-BERMUDEZ, an associate of the 57th Front of the Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia (“FARC”), a Colombian terrorist group, to a Indictment charging him with participating in a conspiracy to provide material support to a foreign terrorist organization. CORDOBA-BERMUDEZ was arrested in Panama in 2008 and was transferred to United States custody in May of 2009.

According to the Indictment previously unsealed in the case:

The FARC was formed in 1964 and is structured as a military organization, with approximately 10,000 armed guerillas organized into seven “blocs,” 68 numbered “Fronts” (including the 57th Front), nine named “Fronts,” and four urban “militias.” The FARC is dedicated to the violent overthrow of Colombia’s democratically elected government and has been designated as a foreign terrorist organization by the United States Department of State. The 57th Front operates in the territory within Colombia’s Choco Department, which borders Panama. The 57th Front supports the FARC’s terrorist activities through narcotics trafficking and kidnapping for ransom, including the kidnapping of Americans and other foreign nationals.

The Indictment recounts multiple discussions among various co-defendants, including CORDOBA-BERMUDEZ, regarding FARC logistics, supplies and weapons, as well as the seizures by authorities of a variety of weapons and materiel in 2008. These discussions occurred in the aftermath of a February 22, 2008, attack by five FARC guerillas on a Panamanian police patrol boat, and their subsequent capture in possession of substantial FARC weaponry and material.

Earlier this afternoon, CORDOBA-BERMUDEZ appeared before United States Circuit Court Judge DENNY CHIN, to whom the case was previously assigned and who has continued to preside over the case since his elevation to the Second Circuit, and pleaded guilty to Count One of the Indictment, which charges CORDOBA-BERMUDEZ with conspiring to provide material support and resources to the FARC. This offense carries a maximum sentence of 15 years in prison. CORDOBA-BERMUDEZ is scheduled to be sentenced on February 9, 2011.

U.S. Attorney PREET BHARARA stated: “The 57 Front is one of the most violent elements of the FARC, comprised of a group of guerrillas and associates who kidnapped a U.S. citizen, procured weapons and explosives, and trafficked cocaine to fuel the FARC’s terrorist activities. Today’s guilty plea demonstrates our resolve to bring to justice not only the FARC’s guerilla members, but also those people who enable the FARC’s terrorist activities by providing logistical support.”

Mr. BHARARA praised the investigative work of the Drug Enforcement Administration’s (DEA) New York Organized Crime Drug Enforcement Strike Force, the Narco-Terrorism Group of the DEA’s Bogota Country Office, the DEA’s Panama City Country Office, the FBI’s Extraterritorial Hostage Taking Squad in Miami, and the Department of Justice’s Office of International Affairs. Mr. BHARARA also thanked the Colombian Navy, the Colombian National Police, the Colombia Attorney General’s Office, and the Panamanian National Police for their assistance in the investigation.

The prosecution is being handled by the Office’s Terrorism and International Narcotics Unit. Assistant United States Attorneys JEFFREY A. BROWN and REBECCA M. RICIGLIANO are in charge of the prosecution.

http://newyork.fbi.gov:80/dojpressrel/pressrel10/nyfo081010.htm

Reportagem: Série de reportagens especiais do The Washington Post sobre o Pentágano, a inteligência, os serviços secretos americanos, a espionagem fora do controle pós 11 de setembro, a herança de Bush para Obama

19/07/2010

=

leia o especial: http://projects.washingtonpost.com/top-secret-america/articles/a-hidden-world-growing-beyond-control/ 

A hidden world, growing beyond control

The top-secret world the government created in response to the terrorist attacks of Sept. 11, 2001, has become so large, so unwieldy and so secretive that no one knows how much money it costs, how many people it employs, how many programs exist within it or exactly how many agencies do the same work. 

These are some of the findings of a two-year investigation by The Washington Post that discovered what amounts to an alternative geography of the United States, a Top Secret America hidden from public view and lacking in thorough oversight. After nine years of unprecedented spending and growth, the result is that the system put in place to keep the United States safe is so massive that its effectiveness is impossible to determine. 

The investigation’s other findings include: * Some 1,271 government organizations and 1,931 private companies work on programs related to counterterrorism, homeland security and intelligence in about 10,000 locations across the United States. * An estimated 854,000 people, nearly 1.5 times as many people as live in Washington, D.C., hold top-secret security clearances. * In Washington and the surrounding area, 33 building complexes for top-secret intelligence work are under construction or have been built since September 2001. Together they occupy the equivalent of almost three Pentagons or 22 U.S. Capitol buildings – about 17 million square feet of space. 

=

O escandaloso acobertamento que Tarso Genro faz de terroristas

15/07/2010

23 de janeiro de 2009

BATTISTI: Novos Assassinatos. Carta-aberta aos brasileiros, pelo Magistrato italiano da luta contra o Terrorismo.

A) Novos Assassinatos.
 
A cada dia que passa, a opinião pública brasileira vai se inteirando da farsa montada para a concessão do status de foragido político ao ladrão, ex-terrorista e assassino  Cesare Battisti.

Parece que todo mundo já sabe, por aqui, que a nossa Constituição, como a italiana, não admite a extradição de nacionais. Por exemplo: se a Itália solicitasse a extradição de Fernandinho Beira-Mar, o Brasil não a concederia pelo fato de Beira-Mar ser  brasileiro e a nossa Constituição proibir.

Quando o ministro Tarso Genro fala que a Itália teve má-vontade e não extraditou Salvatore Cacciola para o Brasil, ignora que o ex-banqueiro nasceu na Itália.

Genro também esquece que a Itália não se opôs a extradição pedida pelo Brasil ao Principado de Mônaco.

Nesse caso de Mônaco, a Itália apenas entregou a Cacciola 200 euros, para as suas despesas pessoais, por assim estabelecer a legislação: Cacciola embolsou os 200 euros, diga-se.

Cacciola embolsou e, depois, reclamou: quando ingressou em presídio brasileiro. Disse, ao representante diplomático italiano, que doaria os 200 euros para algum pobre. Até agora, não se sabe se cumpriu a palavra.
 
Como escreveu o jornalista Mino Carta, em editorial da revista Carta Capital que está chegando às bancas, reeditou-se, no caso Battisti e por brasileiros desinformados (ele inclui o ministro Genro),  o Febeapa (Festival de Besteiras que Assola o País) do saudoso e irreverente Stanislaw Ponte Preta.

Mino lembra, por exemplo, a afirmação errada de o governo italiano ser de ultra-direita quando Battisti, com o seu pequeno grupo, matava açougueiro de periferia e um seu ex-carcereiro: nenhuma vítima fatal, aliás, com militância política ou filiação partidária. A propósito o presidente da República, à época, era Sandro Pertini, do partido socialista italiano.

No momento, o espanto da decisão brasileira é do presidente da República Georgio Napolitano, um comunista: confira em “post” abaixo a carta de Napolitano, que se diz ofendido e magoado, para o presidente Lula.

Outro assassinato ao bom Direito perpetrado por Tarso Genro diz respeito a Battisti ter sido julgado à revelia, sem defesa. Battisti, cientificado para o processo, conseguiu fugir da prisão e advogados, da sua confiança e livre escolha, o defenderam nos processos.

Não ficou Battisti indefeso, como decidiu a Corte de Direitos Humanos da Comunidade Européia, que indeferiu pedido de Battisti para anular o pedido de extradição deferido pela Justiça da França.

Mais ainda. No Brasil, o ex-baqueiro Cacciola foi julgado a revelia. Cacciola, –como Battisti–, foi cientificado sobre o processo e fugiu. Isso depois de obter uma surpreendente liminar do ministro Marco Aurélio de Mello, do nosso Supremo Tribunal Federal. 
 
No Brasil, o assassinato ao bom Direito e as distorções dos fatos levaram o magistrado Armando Spataro, responsável pela Coordenação do Departamento de Repressão ao Terrorismo, enviar uma nota aos cidadãos brasileiros, que passo a reproduzir (tradução livre) e a endosso:

–1. “É difícil para os italianos, efetivamente, compreender como a um tal  assassino desse quilate (Cesare Battisti) possa-se conceder abrigo político. É oportuno partir dos fatos para desmentir argumentos frequentemente utilizados por Battisti e pelos seus “amigos”.   

–2. “Battisti não é um extremista (revolucionário) perseguido na Itália pelas suas idéias políticas. Ele é um criminoso comum que cometia roubos para o fim de obter lucro pessoal.

Battisti se politizou no cárcere. Assim, ingressou numa organização terrorista que cometeu crimes de assassinatos e lesões corporais

Battisti foi preso em junho de 1979, junto com vários cúmplices, numa célula terrorista de Milão, onde foram apreendidas metralhadoras, pistolas, fuzis e documentos falsos”.

–3. “Battisti foi condenado à prisão perpétua ( Nota do blog: o prazo de cumprimento da pena na Itália, como no Brasil, não pode ultrapassar 30 anos) “ por crimes graves, entre eles quatro homicídios.

Em dois dos homicídios ( do cabo Antonio Santoro em Udine, 6/6/1978 e do policial Andréa Campagna (Milão, em 19/4/ 1979), Battisti disparou contra as vítimas (executor matreial dos crimes).

No terceiro homicídio (Lino Sabbadin, açougueiro, morto na cidade de Mestre, em 16/2/1979) teve o papel de ficar vigiando e dando cobertura, em auxílio dos executores materiais.

O quarto assasssinato, de Pierluigi Torregiani, joalheiro em Milão e consumado em 16/2/1979, Battisti participou da decisão de matá-lo e foi o organizador da expedição assassina.

Gostaria de solicitar e saber do ministro brasileiro da Justiça quais motivações políticas ele vê nos homicídios de um joalheiro e de um açougueiro, ambos “justiçados” por terem reagido (reagiram ao assalto que eles tinham sofrido). Também perguntar ao mesmo com relação ao policial e ao cabo (Nota do blog: cabo carabineiro = a membro da nossa policia militar).

–4. Não é verdade que Battisti tenha sido condenado apenas por acusações do colaborador de Justiça (arrependido) Pietro Mutti.

Afirmar isso  significa ofender a seriedade da Justiça italiana.

As confissões de Mutti, efetivamente, foram confirmadas por muitas testemunhas e pela prova emprestada Nota do blog: dadas em processos outros), diante de sucessivas colaborações e relatos de diversos terroristas.

A verdade, frise-se, está escrita nas sentenças, que estão à disposição de qualquer pessoa que tenha a paciência de ler e cujos argumentos para condenar estão firmados em alicerces  graníticos.

–5. Não é verdade que para Battisti tenha sido negada a possibilidade de se defender, enquanto esteve ausente (fuga) durante o curso dos processos.

O certo é que Battisti não quis enfrentar a Justiça, fugindo, em 1981, do cárcere onde estava preso.

Não foi por mero acaso que a Corte Européia de Direitos Humanos de Estrasburgo (França) rejeitou o recurso de Battisti que reclamava em razão da extradição concedida pela França. Entendeu-se “manifestamente infundado” o recurso e afirmou a Corte que, em todos os processos, Battisti esteve sempre assistido pelos seus advogados de confiança.

Será que também a Corte de Estrasburgo perseguiu Battisti ?

–6. É falso afirmar que a Itália e o seu sistema judiciário não estavam em condições de garantir direitos às pessoas acusadas de terrorismo no que se convencionou chamar de “anos de chumbo”. É uma afirmação que nos ofende (magistrados).

Foram tantos os juízes, advogados,homens de instituições e policiais, que foram covardemente assassinados por pessoas como Battisti apenas porque aplicavam a lei.

A Itália não criou Tribunal de exceção e nem militar, nem trilhou caminhos antidemocráticos na luta contra o terrorismo.

Sobre o acontecido naqueles anos, recordou o nosso presidente da República, Sandro Pertini (partido socialista), que a Itália podia honrar-se de ter brecado o terrorismo nas salas de audiências da Justiça, com respeito à lei e à Constitição, numa alusão feita aos métodos legais em vigor (. . .)

–7. Não creio que o refúgio político conferido a Battisti tenha sido imaginado pelos “elaboradores das nossas democracias” para garantir impunidade às pessoas como Battisti, que foi um dos assassinos mais impiedosos e  determido que o terrorismo italiano conheceu (. . .)

–8. Autoridades brasileiras devem repensar a decisão.

 Não porque a Justiça queira vingança, mas porque ela é a sede de afirmação das regras do Estado de Direito: e quem a viola, –ainda mais quando uma pessoa mata o seu semelhante–, deve pagar. Sem isso as democracias se desmentem a si próprias.”
Assinado ARMANDO SPATARO, magistrado da coordenação do Departamento Antiterrorismo.

B. O Fardo Pesado chamado Tarso Genro.

(artigo publicado hoje na revista Carta Capital, por Wálter Fanganiello Maierovitch)

Terra de Antonio Gramsci, filósofo, jornalista, um dos fundadores do Partido Comunista Italiano e encarcerado pelo regime fascista que por 20 anos dominou a Itália, de Enrico Berlinguer, um dos artífices do eurocomunismo de oposição ao modelo soviético por pregar o pluralismo político com respeito à democracia Ocidental, e de Georgio Napolitano, do comunismo histórico e atual presidente da República, a Itália recebeu com júbilo a eleição de Lula.

Tanta e justa admiração começou a ser tisnada. Isto em face de o ministro da Justiça, Tarso Genro, haver lançado  decisão de outorga de status de refugiado a Cesare Battisti de forma ofensiva à Itália e sem visos de juridicidade. A arte de Procusto empregada por Genro reduziu o prestigio de Lula e causou indesejada queda de braço entre o Brasil e a Itália: Lula x Napolitano.

Battisti, ex-terrorista, encontra-se definitivamente condenado como mandante e co-executor de quatro assassinatos. A justiça da França entendeu ser caso de extradição e Battisti de lá fugiu.  Genro, para beneficiar Battisti, presumiu correr ele risco de perder a vida na Itália.

O presidente Napolitano não engoliu o desaforo. Na carta enviada a Lula destaca dois pontos: –1. “ O Estado republicano italiano  contrastou o terrorismo sempre agindo no plano democrático e do estado de Direito, sem conceder à eversão o reconhecimento político de contrapoder que as suas organizações pretendiam. Passamos por uma prova árdua, terrivelmente dolorosa e que ainda não se concluiu”, numa referência clara à impunidade que o Brasil está conferindo a Battisti. –2.  “No nosso Estado-democrático, os sistemas penal e penitenciário mostraram-se generosos . . . e quem acertou contas com a Justiça teve o direito de à reinserção social, mas com discrição e sem que nunca deixassem de saber das suas responsabilidades ético-morais, embora liquidadas as criminais-penais.” A propósito, na Itália o cumprimento da pena não pode passar de 30 anos e o “ergastolo” (pena perpétua) é apenas nominal.

Como recordou o jornal  Corriere della Sera, Napolitano  sempre foi muito sensível às vítimas dos chamados “delitos de sangue” perpetrados por organizações terroristas. Entre civilizados, não se considera crime político o assassinato em democracias. Por isso, Battisti recebeu condenações por crimes comuns.
Em 1973, quando a Cia comandou por interpostos generais o golpe no Chile e se incomodava com o crescimento do Partido Comunista Italiano (PCI), vários líderes antifascistas, dentre eles Berlinguer, Napolitano e Aldo Moro, firmaram o célebre “Compromisso Histórico Italiano”, de “prevenção contra as tentações extremistas”. Os extremistas quebram esse pacto.

O terror começou em dezembro de 1969, com explosão de bomba na piazza Fontana (Milão), a causar 17 mortes e centena de feridos. Até dezembro de 1977, foram dois mil atentados. O Parlamento elaborou, observada a Constituição e o devido processo legislativo, leis de emergência  e não de exceção.

A agremiação de maior prejuízo pela estação terrorista foi o PCI.  O minúsculo Proletários Armados para o Comunismo (PAC), de Battisti, almejava derrubar o Estado-democrático pelas armas e não pelo voto. Battisti era um presidiário que se interessou por político no cárcere. Ingressou no PAC e, para não deixar barato, fez do seu antigo carcereiro uma das vítimas fatais.

No curso do processo, Battisti fugiu da cadeia e o ministro Genro insiste ter sido ele julgado a revelia, sem defesa. No Brasil, teria ocorrido o mesmo, pois o citado para o processo que foge pode ser julgado à revelia. A propósito, Cacciola acabou condenado à revelia, pois quando fugiu já tinha sido citado.

A França e a Corte de Direitos Humanos da União Européia não aceitaram os argumentos de Battisti, que sempre teve a permanente assistência de advogados contratados, da sua livre escolha.

Genro não leu a nossa Constituição antes de se queixar de a Itália haver negado extraditar o ex-banqueiro Salvatore  Cacciola. Aqui, como na Itália, os nacionais não podem ser extraditados. Da mesma maneira, Fernandinho Beira-Mar, caso a Itália se interessasse, não seria extraditado. Genro confundiu a Itália com a Colômbia, que admite a extradição de nacionais.

No Brasil, como na Itália, vale o princípio da livre convicção do juiz desde 1941, antes de Genro nascer. Genro, ao sustentar que o testemunho de um delator não vale, contraria o referido princípio da livre convicção e ingressa, indevidamente, na avaliação do mérito da decisão da Justiça italiana. Ainda mais, no Brasil, admite-se o instituto da delação premiada.

Pano Rápido: Lula carrega o fardo Genro no ministério da Justiça. E deve estar preparado, pois Gilmar Mendes poderá convencer os seus pares a conceder a extradição e desconsiderar a decisão de Genro como impeditiva. Aí, Lula ficará entre a estulta decisão de Genro e a decisão da Corte Suprema.  

Wálter Fanganiello Maierovitch.

………………………………………………………………………………………………………………………..

 

PANO RÁPIDO DOS COLABORADORES.

-1-Comentário da Itália, por GARIBALDI.

Aqui na Italia estamos todos (de esquerda e direita) escandalizada dessa decisao do governo Lula que parece uma escolha de inimigos, nao de amigos.

Tem gente aqui que ja fala de usar servicios segredos pra voltar Battisti e outros tb (Lollo – todos comunistas).

Aqui parece que todo esto acadimento foi uma armadilha frances pra o brasileiros.

NAO EXISTE ASILO POLITICO PRA ASSASSINOS.

O magistrado SPATARO é da associaçao Magistratura Democratica, de esquerda (Isso pra o comunistas que acham que aqui so o fascistas querem o Battisti de volta)

GARIBALDI.

-2- Comentário do Rio de Janeiro (bairro da Gávea), por PAULO CARVALHO.

A percepção que fica é que os Senhores Tarso Genro – Ministro da Justiça -, e Gilmar Mendes – presidente do STF – tomam decisões baseadas em crenças pessoais aleatórias e fortuitas, e interpretam o Direito e a Constituição segundo regras próprias.
Ou têm raciocínios delirantes e assessorias submissas para preparar tais argumentações.
Lucy in the Sky with Diamonds…

PAULO CARVALHO.

– Comentário por SUELI CRIPA.

Pessoas como Battisti e Lollo são monstros da pior espécie.

Deus vai saber o que fazer com eles.

Achille Lollo (Nota do Blog: assassino que vive no Rio de Janeiro, bairro do Botafogo, que não foi extraditado. Ele se apresenta como ideólogo do brasileiro partido brasileiro PSOL) , por exemplo, não teve nenhum escrúpulo de jogar 5 litros de gasolina para incendiar uma casa onde ele tinha certeza de que estavam pai, mãe e 6 crianças – eram 8 ao todo – os pais, Mário e Anna Maria, os filhos Sílvia, Antonella, Gianpaolo, Virgilio e Stefano Mattei.
Digo que tinha certeza porque um dos queimados vivos era seu amigo de infância – Virgílio Mattei (filho de Mário Mattei, o varredor de ruas).
Virgílio e Achille haviam estudado na mesma escola e sempre brincavam juntos.
 
As famílias se conheciam – a mãe de Achille Lollo tinha uma loja perto da casa da avó de Virgílio Mattei (in ‘LA NOTTE BRUCIA ANCORA’, GIAMPAOLO MATTEI RACCONTA IL ROGO DI PRIMAVALLE).
Mesmo assim, ele não exitou em colocar fogo na casa daquela família.

Além incendiar o pequeno apartamento queimando vivas as crianças, Achille Lollo também incendiou o carro de Marcello Schiavoncin e incendiou Perchi Gualtiero.

SUELI CRIPA.

Nota do Blog : Todos os anos, no bairro romano de Primavalle, os moradores se reúnem para orar pelas vítimas de Achille Lollo. O trágico episódio é conhecido por ROGO DE PRIMAVALLE (Incêndio de Primavalle). O ex-terrorista Lollo fugiu para o Brasil. Os crimes prescreveram, mas Lollo não volta na ITália, pois lá é conhecido como assassino-trapalhão.

Não duvidem se Battisti for solto de ter um churrasco promovido por Lollo: ele é especialista em churrasco, de criancinhas e se incomoda com varredores de ruas. Walter Fanganiello Maierovitch

National Security Strategy Quinta-feira, dia 27 de maio, Obama anuncia nova estratégia de defesa de segurança dos Estados Unidos EUA guerra anti terror Iraque Talibã, Estratégia de segurança nacional leia na íntegra

26/05/2010

http://www.washingtontimes.com/news/2010/may/26/strategy-focuses-on-terrorists-at-home/?page=1

ÍNTEGRA:

http://www.whitehouse.gov/sites/default/files/rss_viewer/national_security_strategy.pdf

 

Nova estratégia de Obama e dos Estados Unidos EUA para a guerra do Afeganistão e Paquistão e contra terrorismo e TAliban: Long Gray Line

24/05/2010

On Saturday, President Obama delivered the commencement address at the United States Military Academy in West Point, New York.  This year one thousand and two cadets entered into the “Long Gray Line” of West Point graduates. 

The class of 2010 is the ninth consecutive class to graduate while our nation is at war.  Last year, President Obama visited West Point to his strategy on Afghanistan and Pakistan.  During the commencement address the President reflected on the changing nature of the war over the past nine years: .

We face a tough fight in Afghanistan.  Any insurgency that is confronted with a direct challenge will turn to new tactics.  And from Marja to Kandahar, that is what the Taliban has done through assassination and indiscriminate killing and intimidation.  Moreover, any country that has known decades of war will be tested in finding political solutions to its problems, and providing governance that can sustain progress and serve the needs of its people.

So this war has changed over the last nine years, but it’s no less important than it was in those days after 9/11.  We toppled the Taliban regime — now we must break the momentum of a Taliban insurgency and train Afghan security forces.  We have supported the election of a sovereign government — now we must strengthen its capacities.  We’ve brought hope to the Afghan people — now we must see that their country does not fall prey to our common enemies.  Cadets, there will be difficult days ahead.  We will adapt, we will persist, and I have no doubt that together with our Afghan and international partners, we will succeed in Afghanistan. 

The President stressed the importance of looking beyond the immediate task at hand to building a more prosperous and peaceful future for our country and the international community.

Now even as we fight the wars in front of us, we also have to see the horizon beyond these wars — because unlike a terrorist whose goal is to destroy, our future will be defined by what we build.  We have to see that horizon, and to get there we must pursue a strategy of national renewal and global leadership.  We have to build the sources of America’s strength and influence, and shape a world that’s more peaceful and more prosperous.

Continue lendo em:

http://www.whitehouse.gov/blog/2010/05/24/long-gray-line 

maynard veja íntegra da carta (mainard) marques de santa rosa general de exército apareceu militar com coragem de chamar comissão da verdade e PNDH-III 3 de comissão da calúnia, jobim exonera general (demite, pune, punição) general diz que comissão é formada por ex terroristas e assassinos de inocentes. A COMISSÃO DA “VERDADE”? do comandante do exército nada se fala, onde está o comandante do exército?

10/02/2010

Comissão da calúnia.

A COMISSÃO DA “VERDADE”?
 
A verdade é o apanágio do pensamento, o ideal da filosofia, a base fundamental da ciência. Absoluta, transcende opiniões e consensos, e não admite incertezas.
A busca do conhecimento verdadeiro é o objetivo do método científico. No memorável “Discurso sobre o Método”, René Descartes, pai do racionalismo francês, alertou sobre as ameaças à isenção dos julgamentos, ao afirmar que “a precipitação e a prevenção são os maiores inimigos da verdade”.
A opinião ideológica é antes de tudo dogmática, por vício de origem. Por isso, as mentes ideológicas tendem naturalmente ao fanatismo. Estudando o assunto, o filósofo Friedrich Nietszche concluiu que “as opiniões são mais perigosas para a verdade do que as mentiras”.
Confiar a fanáticos a busca da verdade é o mesmo que entregar o galinheiro aos cuidados da raposa.
A História da inquisição espanhola espelha o perigo do poder concedido a fanáticos. Quando os sicários de Tomás de Torquemada viram-se livres para investigar a vida alheia, a sanha persecutória conseguiu flagelar trinta mil vítimas por ano no reino da Espanha.

A “Comissão da Verdade” de que trata o Decreto de 13 de janeiro de 2010, certamente, será composta dos mesmos fanáticos que, no passado recente, adotaram o terrorismo, o seqüestro de inocentes e o assalto a bancos, como meio de combate ao regime, para alcançar o poder.

Infensa à isenção necessária ao trato de assunto tão sensível, será uma fonte de desarmonia a revolver e ativar a cinza das paixões que a lei da anistia sepultou.

Portanto, essa excêntrica comissão, incapaz por origem de encontrar a verdade, será, no máximo, uma “Comissão da Calúnia”.

Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa

leia também: https://homemculto.wordpress.com/2010/02/02/otacilio-m-guimaraes-%e2%80%93-presidente-do-crea-ceara-carta-do-presidente-do-crea/ 

Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor

Como é sublime
Saber amar,
Com a alma adorar
A terra onde se nasce!
Amor febril
Pelo Brasil
No coração
Nosso que passe

E quando a nação querida,
Frente ao inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória

Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor

IRÃ PAÍS EM QUE SER INIMIGO DE DEUS É CRIME QUE LEVA À PENA DE MORTE PAÍSES ONDE RELIGIÃO COMANDA A POLÍTICA REPÚBLICA ISLÂMICA CORÃO LEIS ISLÂMICAS PENA DE MORTE PARA TERRORISTAS NO IRÃ NO BRASIL ELES SÃO MINISTROS DE ESTADO

31/01/2010

Irán dice que será implacable y que

 seguirá ahorcando a “opositores

terroristas”

Imagen de archivo de ahorcamientos en Irán – Foto: AP Photo

El jefe del Poder Judicial iraní, ayatolá Sadeq Lariyani, confirmó hoy que los dos opositores ahorcados el pasado jueves fueron detenidos antes de las polémicas elecciones presidenciales del 12 de junio de 2009 y estaban acusados de terrorismo.

En declaraciones divulgadas este domingo por la prensa local, el clérigo subrayó, asimismo, que aquellos que sean acusados de “mohareb” (enemigos de Dios, un delito penado en Irán con la muerte) serán tratados como merecen.

Los dos convictos fueron ahorcados “en el momento preciso”, y sus derechos “fueron observados” durante el juicio, aseguró Lariyaní, cuyas palabras citó la televisión estatal por satélite en inglés PressTv.

El jefe del Poder Judicial aclaró que ambos pertenecían a un grupo “terrorista” y que cuando fueron capturados estaban en posesión de explosivos.

En esta línea, Lariyaní insistió en que la Justicia iraní será implacable y “no mostrará clemencia alguna con aquellos grupos de Mohareb que tratan de dañar la seguridad nacional y agitar la República Islámica”.

“Algunos se han hecho ilusiones acerca de que el Poder Judicial sirviera a otra cosa que no sea la justicia. Esas esperanzas políticas son ilegales y contrarias a la ética”, apostilló.

Irán está sumido en una grave crisis política y social desde que el pasado 12 de junio fuera reelegido el presidente Mahmud Ahmadineyad, cuyo triunfo electoral la oposición reformista considera fruto de un “fraude masivo”.

En la represión de las protestas perdieron la vida al menos una treintena de personas -según cifras oficiales- y 72 de acuerdo con el cómputo de la oposición, que también denunció torturas en las cárceles.

Además, alrededor de 4.000 personas fueron detenidas, entre ellas más de un centenar de responsables de la oposición que encabezan los candidatos derrotados, Mir Husein Musavi y Mehdi Karrubí.

Uno de los opositores ahorcado esta semana – Foto: AP Photo

La crisis se agravó el pasado 27 de diciembre, día sagrado de Ashura, una jornada violenta en la que al menos ocho personas murieron en enfrentamientos entre grupos de oposición y fuerzas de Seguridad.

El Poder Judicial iraní ha condenado a muerte a once personas por su supuesta participación en las protestas, de cuya organización acusa a Estados Unidos y el Reino Unido, junto a movimientos de oposición en el exilio como “Muyahidin Jalq” y “la Asociación Monárquica”, que considera terroristas.

El jueves fueron ahorcados dos hombres, Mohamad Reza Ali Zamani, de 37 años, y Arash Rahmanipour, de 20 años, acusados de pertenecer a este último grupo y de conspirar para derrocar el régimen.

Aunque ambos habían sido detenidos meses antes de que estallaran las protestas, fueron juzgados junto a los arrestados en los actuales disturbios.

Además, se anunció que nueve más están pendientes de apelación y que si su sentencia es ratificada, serán igualmente ahorcados.

A este respecto, el clérigo ultraconservador Ahmad Yanati agradeció un día después al Poder Judicial su acción y le instó a acelerar la aplicación de las sentencias impuestas a los detenidos durante las protestas.

“De la misma manera que se ha ejecutado rápidamente a esos dos mohareb (enemigos de Dios), se debe mantener la firmeza y actuar contra el resto de ellos”, señaló.

terroristas brasil regime ditadura militar exército forças armadas combate à guerrilha araguaia dilma VPR palmares vítimas terrorismo esquerda marighela guararapes mário kozel lamarca anistia lei revanchismo direitos humanos vanucci vanuchi vannucci vannuchi

13/01/2010

=

link

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/todas-as-pessoas-mortas-por-terroristas-de-esquerda-1-%E2%80%93-os-19-assassinados-antes-do-ai-5/

PRIMEIRO ATENTADO TERRORISTA DE 2010 PAQUISTÃO 45 MORTOS

01/01/2010

http://www.noticias24.com/actualidad/noticia/134723/primer-atentado-del-ano-en-pakistan-mata-a-45-personas/

farc terrorista terrorismo Luis Francisco Cuéllar assassinato governador degola lula pt e foro de sao paulo apoiam

23/12/2009

Uribe: “Lo degollaron miserablemente”

Hallado muerto el gobernador colombiano secuestrado por las FARC.- El cuerpo de Luis Francisco Cuéllar, de 69 años, presentaba heridas de bala y llevaba un cinturón de explosivos

AGENCIAS – Bogotá – 23/12/2009

El gobernador del Departamento colombiano del Caquetá, Luis Francisco Cuéllar, secuestrado el lunes por presuntos guerrilleros de las FARC, ha aparecido muerto en la zona rural de Sebastopol, cerca de la capital de la región, situada en el sur del país. El cuerpo sin vida del político, que este martes cumplía 69 años, presentaba heridas de bala y llevaba un cinturón de explosivos, han informado las autoridades regionales colombianas.

El presidente de Colombia ordena el rescate militar de un gobernador secuestrado por las FARC

Las FARC asesinan al gobernador de Caquetá

VIDEO – AGENCIA ATLAS – 23-12-2009

Luis Francisco Cuéllar fue secuestrado por guerrilleros y fue degollado en las montañas cuando éstos se vieron acorralados. – AGENCIA ATLAS

El suceso ha conmocionado a la clase política colombiana. El presidente Uribe, que este martes había ordenado personalmente el rescate militar del gobernador, ha lamentado la muerte de Cuéllar en unas declaraciones concedidas a los medios colombianos. “Fue degollado, miserablemente lo degollaron”, ha dicho el mandatario.

“En Colombia, el secuestro no pagará. Seguiremos en la tarea de seguridad para derrotar el secuestro”, ratificó Uribe, que se lamentó de que las FARC hayan respondido de esta manera a las garantías que les ha dado el Gobierno para la anunciada puesta en libertad de dos rehenes.

Horas antes de conocerse el desenlace del secuestro, Uribe repudiaba el suceso y señalaba directamente a las FARC como autoras del suceso. “¿Quiénes lo secuestraron? Estos mismos bandidos que quieren hacer de la liberación de los otros secuestrados un show. Estos mismos bandidos que se burlan del país, que se consiguen unos apoyos internacionales para tratar de validar su terrorismo en Colombia”, declaró el presidente colombiano.

El secuestro de Cuellar se produjo en Florencia, la capital del departamento donde era gobernador, donde una veintena de hombres armados irrumpieron en su casa. “Fue sacado a la fuerza de su domicilio”, explicaba a la prensa el secretario de Gobierno del Caquetá, Edilberto Ramón Endo, y agregaba que la acción la realizaron unos hombres que “vestían prendas exclusivas del Ejército Nacional y que, al parecer, son de las FARC”.

Endo detalló que los secuestradores lanzaron una granada contra la puerta de la casa de Cuéllar, lo que desató un enfrentamiento en el que perdió la vida uno de los policías del servicio de escoltas del gobernador, mientras que otros dos agentes resultaron heridos. Los secuestradores subieron al gobernador a un vehículo todoterreno y huyeron hacia la zona montañosa cercana a la ciudad, donde a primera hora del martes fue encontrado el coche calcinado.

El gobernador ya había sido secuestrado en otras cuatro ocasiones por su actividad como ganadero, reveló el secretario de Gobierno del Caquetá, quien indicó además que venía siendo amenazado y había solicitado mayor protección. Cuéllar era, además, el político de mayor rango secuestrado por la guerrilla desde 2002, fecha en la que fueron capturados el gobernador de Antioquía y un ex ministro de Defensa. Ambos fueron asesinados por las FARC tras 13 meses de cautiverio.

Los servicios de inteligencia colombianos habían advertido de un repunte de los actos terroristas de las FARC ante las próximas citas electorales (legislativas en marzo y presidenciales en mayo), como exhibición de fuerza tras los golpes recibidos en los últimos años, con el acorralamiento por parte del Ejército, la muerte de sus máximos jefes y la constante sangría de las deserciones.

En este contexto se inserta el secuestro y asesinato de Cuéllar, que pone de relieve que, pese a los reveses militares, la guerrilla sigue siendo capaz de actuaciones de “alto perfil”. “Hay un esfuerzo por parte del narcoterrorismo para perturbar la democracia”, dijo el ministro de Defensa, Gabriel Silva, “pero el Estado colombiano está firme en enfrentarlos”.

1000 posts – Homem culto chega ao milésimo post – Quanto custa o MST, qual o prejuízo que o mst causa ao Brasil vandalismo do mst

08/10/2009

Não é apenas os milhões dados às ongs fachadas do mst. Esses milhões são só uma fração:
– É preciso avaliar quanto se gastou em desapropriações de terras e bens imóveis.
-Quanto foi fornecido de créditos aos assentados.
-Qual o prejuízo total deixados pelas invasões (perda de produção e destruições.
-Qual o prejuizo tido pelo Brasil com os latifúndios improdutivos do MST, o que deixa de ser produzido quando uma terra é entregue ao MST.
-Quanto caiu os investimentos agrícolas por medo de ser perder tudo para mst.
-Qual o prejuízo total causado pela desvalorização do alqueire de terra por medo do mst.
É preciso criar o seguro invasão para indenizar perda dos produtores agrícolas com as invasões.

AMIGOS DE LULA FORO DE SÃO PAULO FARC TERRORISMO INDICIADOS PELO FBI

28/09/2009
Department of Justice Press Release

white spacer
For Immediate Release
September 28, 2009
United States Attorney’s Office
Southern District of New York
Contact: (212) 637-2600
Manhattan U.S. Attorney Charges Members and Associates of Colombian Guerilla Front with Terrorism and Hostage-Taking of U.S. CitizenPreet Bharara, the U.S. Attorney for the Southern District of New York, Michele M. Leonhart, the Acting Administrator of the U.S. Drug Enforcement Administration (DEA), and Michael J. Folmar, the Acting Special Agent-in-Charge of the Miami Division of the FBI, announced today the unsealing of two indictments charging a total of 12 members and associates of the 57th Front of the Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia (FARC), a Colombian terrorist group, with conspiracy to provide material support to a foreign terrorist organization and taking a U.S. citizen hostage.

The first indictment unsealed today (the “material support indictment”) charges Luis Fernando Mora-Pestana, aka “Virgilio Antonio Vidal Mora,” aka “Silver” and Julio Enrique Lemos-Moreno, aka “Andres,” who are leaders of the FARC’s 57th Front, along with Front associates Harold Ruben Segura Alvarez, aka “John Jairo,” aka “Cientifico;” Juanito Cordoba-Bermudez, aka “Juanito,” aka “Chechere;” and Cecilio Costa, aka “Cesar Perea,” aka “Costa;” with conspiracy to provide material support to the FARC. Juanito Cordoba-Bermudez is in custody in the Southern District of New York. The material support indictment has been assigned to U.S. District Judge Denny Chin.

The second indictment (the “hostage-taking indictment”) charges Mora-Pestana, Lemos-Moreno; Carlitos Lnu; Alexis Lnu, aka “Alexi;” Fnu Lnu, aka “El Indio;” Roque Orobio Lobon, aka “Roque Orobio Tobon;” aka “Mello,” aka “Tachuela;” Edilberto Berrio Ortiz, aka “El Gavilan;” Alejandro Palacios Rengifo, aka “El Gato,” aka “Yimi;” and Anderson Chamapuro Dogirama, aka “El Tigre,” aka “Dairon;” for their roles in the kidnapping of an American citizen for ransom in April 2008. Roque Orobio Lobon is currently being held by Colombian authorities. The hostage-taking indictment has been assigned to U.S. District Judge Jed S. Rakoff. Mora-Pestana and Lemos-Moreno are the only defendants charged in both indictments.

The remaining defendants in the material support and hostage-taking indictments are at large.

As alleged in the indictments, which were unsealed today in Manhattan federal court:

The FARC was formed in 1964 and is structured as a military organization, with approximately 10,000 armed guerillas organized into seven “blocs;” 68 numbered “Fronts” (including the 57th Front); nine named “Fronts” and four urban “militias.” The FARC is dedicated to the violent overthrow of Colombia’s democratically elected government and has been designated as a foreign terrorist organization by the U.S. Department of State. The 57th Front operates in the territory within Colombia’s Choco Department, which borders Panama. The 57th Front supports the FARC’s terrorist activities through narcotics trafficking and kidnapping for ransom, including the kidnapping of Americans and other foreign nationals.

The hostage-taking indictment relates specifically to the 57th Front’s April 4, 2008, kidnapping of an American citizen. Mora-Pestana authorized financing for the kidnapping, and Orobio-Lobon and others carried out the kidnapping in the Costa del Este neighborhood of Panama City. The defendants held the victim for ransom, which they demanded from the victim’s relatives, informing the relatives that they would never see the victim alive again if the ransom was not paid. The victim was released in February 2009, after a member of the victim’s family paid the ransom.

The material support indictment recounts multiple discussions among the defendants regarding FARC logistics, supplies and weapons, as well as the seizures by authorities of a variety of weapons and material during February through September 2008. The material support indictment also covers the aftermath of a Feb. 22, 2008, attack by five FARC guerillas on a Panamanian police patrol boat and their subsequent capture in possession of substantial FARC weaponry and material. Mora-Pestana and Cordoba-Bermudez in particular discussed the FARC’s response to the event, and on Feb. 27, 2008, a communiqué, purporting to be issued by a FARC element warned the government of Panama of consequences from its capture of the five attackers and that the 57th Front had been ordered to kidnap Panamanian officials to force an exchange of captives with the prisoners, if the prisoners were not released. Other defendants discussed plans to engineer the five guerillas’ escape from a Panamanian prison. (Three of the guerrillas involved in the attack on the Panamanian police boat are now in custody in the Southern District of New York on charges relating to that event. Their case is pending before U.S. District Judge William H. Pauley, III). The material support indictment also recounts discussions concerning the April 4, 2008, kidnapping in Panama and efforts to impede that investigation.

Each of the defendants in the material support indictment is charged with conspiracy to provide material support to a foreign terrorist organization, which carries a maximum sentence of 15 years in prison. Each of the defendants in the hostage-taking indictment is charged with two counts of hostage taking, each of which carries a maximum sentence of life in prison.

“As alleged in the indictments, the 57th Front is one of the most violent elements of the FARC. This group of guerrillas kidnapped a United States citizen, procured weapons and explosives, and trafficked cocaine to fuel the FARC’s terrorist activities,” said U.S. Attorney Preet Bharara. “The charges unsealed today mark another important step in our efforts to combat international narco-terrorism.”

“The increased cooperation between the United States, Panama and Colombia that resulted in today’s indictments signal our shared, unrelenting commitment to combat drug traffickers and those who support them,” said DEA Acting Administrator Michele M. Leonhart. “No country can tolerate vicious terrorist organizations such as the FARC. We and our partners in Panama and Colombia will continue to pursue the remnants of FARC’s 57th Front until its members have surrendered or are captured.”

Acting Special Agent-in-Charge Michael J. Folmar stated: “The FARC is a terrorist organization that for decades has waged a brutal and inhuman campaign for its selfish aims. This case demonstrates the FBI’s firm commitment to bringing hostage takers to justice.”

Mr. Bharara praised the investigative work of the DEA’s New York Organized Crime Drug Enforcement Strike Force, the Narco-Terrorism Group of the DEA’s Bogota Country Office, the DEA’s Panama City Country Office, the FBI’s Extraterritorial Hostage Taking Squad in Miami, and the Department of Justice’s Office of International Affairs. Mr. Bharara also thanked the Colombian Navy, the Colombian National Police, the Colombia Attorney General’s Office and the Panamanian National Police for their assistance in the investigation.

The prosecution is being handled by the Office’s International Narcotics Trafficking Unit. Assistant United States Attorneys Rebecca M. Ricigliano and Jeffrey A. Brown are in charge of the prosecution.

The charges contained in the indictments are merely accusations and the defendants are presumed innocent unless and until proven guilty.

http://newyork.fbi.gov/dojpressrel/pressrel09/nyfo092809.htm

História do Terrorismo no Brasil – baixar

06/04/2009

Tamanho: 3,3MbPáginas: 300

Formato: PDF

Servidor: Rapidshare

http://rapidshare.com/files/218079653/terrorismo.rar.html

A Revolução Comunista em Alagoas

12/03/2009

Senhor Coronel. Escrevo de Alagoas, Maceió, onde os terroristas dos MSLT, MST, guerrilheiros da Liga dos Camponeses Pobre (LCP), Comissão Pastoral da Terra e CUT, estão fazendo ocupações selvagens de fazendas e usineiras produtivas. Entram e começam de imediato a desmatar. A Policia Militar e o exercito, acovardaram-se. Alagoas está a ferro e fogo, incluindo o centro da cidade de Maceió, onde esses terroristas fizeram uma passeata tumultuosa, agredindo transeuntes com bate boca insultuosos. Todo este ataque em Alagoas è comandado pelo coordenador guerrilheiro da Liga dos Camponeses pobres (LCP) para o Nordeste de nome Severino da Silva, pelo coordenador dos terroristas do Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Marco Antonio dos Santos, o “Marron”, e pelo coordenador da CPT, Carlos Lima, que lideram as invasões. Já avisaram que “a nossa ação è contra o latifúndio. Não importa se ele produz ou não”, justificando a falta de critérios para invasões. Uma das fazendas invadidas, fazenda Campo Verde, produz mais de 75 toneladas de cana-de-açúcar por tonelada, pertencente a um dos maiores complexos agroindustriais deste estado. Mas tem muito mais, senhor Coronel. “Marrom”, afirmou que “A luta dos movimentos è para que o governo aprove uma lei onde haja limites para o latifúndio. Para nós não interessa se a terra está produzindo. A nossa ação vai muito mais além. O ideal seria que cada proprietário tivesse direito apenas a 50 hectares.” Afirmações totalmente ao arrepio da nossa Constituição Federal. Para o INCRA daqui, a produtividade não è critério para realização de vistorias, afirmou o superintendente do órgão, Gilberto Coutinho, que ainda afirmou haver três critérios para uma vistoria: 1)quando técnicos do INCRA identificam uma propriedade improdutiva e indicam para avaliação; 2)quando o proprietário tem interesse em vender o imóvel; 3)quando os “movimentos sociais” indicam determinada propriedade. Gilberto Coutinho (INCRA) afirmou ainda que se uma terra è indicada como improdutiva não adianta o proprietário informar que ela produz. Esse Marco Antonio dos Santos, o “Marron”, invadiu ontem, acompanhado de 400 terroristas a sede administrativa do INCRA na rua do Livramento, no Centro, e mantiveram reféns (crime federal) mais de 60 servidores por quase três horas, sob constantes ameaças contra suas vidas e agressões. Nisso, o “Marrom” não quis comentar. Aqui, a Igreja Católica dá sustentação política e financeira à Comissão Pastoral da Terra (CPT), apoiando a violência e truculência de um monte de desocupados para badernar e ameaçar pessoas pacatas. Temos a irmã Cícera Menezes defendendo estas ocupações selvagens. Poderá ler neste site, estas noticias que relatei. Ontem e terça feira também teve o mesmo noticiário. WWW.ojornal-al.com.br 12 de Março de 2009 16:04

O grande erro da Revolução de 194

23/02/2009

Entrevista Extemporânea

Cel Silvio Gama

Eu estava, sexta-feira passada, na sede da Academia Alagoana de

Letras, durante o velório no qual pranteávamos o falecimento do

confrade Ib Gato Falcão e, contava a um grupo de amigos que ele

gostava de me chamar de general, em tom de brincadeira, pensando que a

promoção me agradava.

Nesta ocasião, um jornalista que fazia a cobertura do velório

dirigiu-se a mim e comentou:

– Professor, tenho acompanhado sua vida literária e nunca soube que o

senhor pertence ao Exército. Aproveitando a oportunidade e porque o

acho perfeitamente integrado à vida civil, desejo saber como o senhor

vê a Revolução de 1964.

Pergunta inoportuna, mas se para ela eu não desse resposta, poderia, o

meu silêncio, ser interpretado como uma fuga para evitar uma opinião

contrária. Resolvi encarar o curioso e respondi:

– Da Revolução eu acho que foi uma aventura apressada de uma camarilha

que desejava entregar o nosso Brasil nos braços de uma ditadura

comunista. Porém da Contra Revolução que ela ensejou, acho que foi uma

atitude acertada do Exército, atendendo ao clamor popular.

– Mas a Contra Revolução instalou uma ditadura militar que permaneceu

por mais de vinte anos. Ponderou ele.

– Chamam de ditadura um governo democrata que manteve a autonomia dos

três poderes; Que manteve o processo eleitoral funcionando; Que

respeitou os direitos individuais de todas as pessoas de bem; Que

prendeu bandidos e delinqüentes que se escondiam atrás de um falso

idealismo, onde o individualismo interesseiro predominava; Que mais

trabalhou, comparando-se as suas atividades com as de todos os

governos que o antecederam.

– Mais só uma pergunta, coronel – o meu modo decidido e firme com o

qual eu dava as respostas, já estava fazendo com que ele colocasse os

pontos nos is -, em sua opinião a Contra Revolução cometeu erros?

– Cometeu um só. O de não ter feito com o bando de assassinos, ladrões

de bancos e de carga de caminhões, seqüestradores iguais aos que,

hoje, atormentam à nossa população, o mesmo que Fidel Castro fez em

Cuba – e que eles tanto aplaudem: eliminação sumária. Só assim

estaríamos livres dessa horda de ladrões que, comprando a democracia,

situaram-se no poder; saqueia o erário público; se auto premiam com

indenizações bilionárias por prejuízos morais inexistentes; incentivam

o enriquecimento ilícito e, o que é pior, estão, pelo mau exemplo,

promovendo o esfacelamento da ética e da moral na sociedade.

# Cel Silvio Gama é Aspirante de Artilharia, da Turma TUIUTI – 08 Jan

44, da antiga Escola Militar do Realengo, hoje Cel Reformado, renomado

escritor, autor de vários livros, em prosa e poesia, por isso que

prestigiado membro da Academia Alagoana de Letras

Armas de uso restrito encontrados em acampamento de sem terra no mato grosso do sul

17/02/2009

http://www.campogrande.news.com.br/canais/view/?canal=8&id=247130

Polícia investiga se dono de armas orquestrou seqüestro

Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009 10:21 Reportar erro | Comentários(0)

Fernanda Mathias e Adriany Vital

Marcelo Victor

<!–

–>

Charles Siqueira, de 36 anos, já foi acusado por homicídio, tráfico de drogas e pistolagem

A Polícia Civil investiga se o homem apontado como dono de armamentos encontrados ontem em um assentamento de Anhanduí está envolvido em roubos e no seqüestro do funcionário do Banco do Brasil de Nova Alvorada do Sul, ocorrido quinta-feira passada.

Charles Siqueira, de 36 anos, fugiu do cerco policial na tarde de ontem, após troca de tiros. Ele conduzia a camionete Montana preta com placa NFN-1534.

Segundo o delegado Fernando Villa de Paula, Siqueira é considerado um criminoso de alta periculosidade. Ele já foi preso e acusado por homicídio, tráfico de drogas e pistolagem. Desde o dia 12 de fevereiro Siqueira está foragido da Colônia Penal Agrícola. Há mandados de prisão contra ele por furto e receptação.

O delegado Fernando Villa, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), afirma que ainda não há elementos que comprovem a ligação entre Siqueira e o seqüestro em Nova Alvorada do Sul, mas a partir da apreensão de armas, que seriam dele, as investigações vão se desenrolar.

Policiais que trocaram tiros com o grupo, no dia dos crimes, dizem que os envolvidos que estavam dentro do carro no momento da fuga têm no máximo 18 anos, portanto, bem mais novos que Charles, mas que poderia ser o chefe da quadrilha.

O 5º Distrito Policial vai checar qual o destino das armas: dois revólveres calibre 38 e duas pistolas 9 milímetros, de uso restrito.

Até o momento ninguém foi preso pelo seqüestro do funcionário do BB, ocorrido semana passada. Em Nova Alvorada, o grupo também roubou lojas e na fuga houve perseguição e troca de tiros.

 
 

historia da revolução de 1964 31 de março história do terrorismo no Brasil – o que os comunistas fizeram contra os brasileiros

01/02/2009

História do Terrorismo no Brasil – em PDF

Reunidos em 25 de julho de 1998, 32 anos passados das hediondas explosões do Recife, um punhado de democratas civis e militares, inconformados com a omissão das autoridades legais e indignados com a desfaçatez dos esquerdistas revanchistas, organizou o grupo “TERRORISMO NUNCA MAIS” (TERNUMA), a fim de resgatar a verdadeira história da Revolução de 1964 e, mais uma vez, opor-se a todos aqueles que ainda teimam em defender os referenciais comunistas, travestidos como se fossem democráticos.

O que é o Mst – o horror do mst

24/01/2009

Os nossos Talibãs : MST

A fazenda Estância do Céu era uma típica propriedade dos pampas gaúchos. Localizada em São Gabriel, a 320 quilômetros de Porto Alegre, seus 5 000 hectares eram ocupados por 10 000 bois e 6 000 carneiros que pastavam entre plantações de arroz e soja. O cenário, de tão bucólico, parecia um cartão-postal. Tudo mudou na fria e ensolarada manhã do dia 14 de abril passado. Por volta das 7 horas, 800 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, invadiram a propriedade aos gritos. “Nós ganhamos. Ganhamos dos porcos. A fazenda é nossa.” Armados com foices, facões, estilingues, bombas, rojões, lanças, machados, paus e escudos, os sem-terra transformaram a Estância do Céu em um inferno. Alimentos e produtos agrícolas foram saqueados. As telhas da sede da fazenda foram roubadas. Os sem-terra picharam paredes, arrancaram portas e janelas e espalharam fezes pelo chão. Bombas caseiras foram escondidas em trincheiras. Animais de estimação, abatidos a golpes de lança, foram jogados em poços de água potável. Quatro dias depois, quando a polícia finalmente conseguiu retirar os sem-terra da fazenda, só sobravam ruínas.

Por Otávio Cabral

O que vai acima é trecho de uma reportagem sobre os métodos do MST, que completa 25 anos. A polícia gaúcha apreendeu um farto material do movimento. Ele ensina como roubar, fraudar cadastros do governo e fabricar bombas e trincheiras. A reportagem traz dados impressionantes. Dos 800 invasores que depredaram a fazenda Estância do Céu, por exemplo, 673 já foram identificados. Nada menos que 168 tinham passagem pela polícia. Havia antecedentes de furto, roubo e até estupro.

(…)
Na íntegra em:
http://antiforodesaopaulo.blogspot.com/2009/01/denncia-22-novamente-os-talibs-do-mst.html

Programa do partido pt dos trabalhadores decálogo comunista lenin como tomar o poder corromper costumes

07/11/2008

O “DECÁLOGO” comunista, de Vladimir LÊNIN, em 1913.

Em 1913, Lênin escreveu o “Decálogo” que apresentava ações táticas para a tomada do Poder.

a) Qualquer semelhança com os dias de hoje, não é mera coincidência

b) Tendo a História se encarregado de pôr fim à questão ideológica, a meditação dos ideais, então preconizada, poderá revelar assombrosas semelhanças nos dias de hoje, senão vejamos:

1.. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;
2.. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;
3.. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;
4.. Destrua a confiança do povo em seus líderes;
5.. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;
6.. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;
7.. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;
8.. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;
9.. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa bsocialista;
10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa…

Anistia , tortura, Brilhante Ustra, terrorismo

07/11/2008

atgaaac7ldctmfn6g14tpbum9zrx_smuxosfohrm6xjccaixmtwj-8ppek0p8xs2kl387akjhlvga-t0dmgwpbsgpflrajtu9vdzduc5cawtefd5iyikb6djxxa4iw1