Posts Tagged ‘terror’

Todas as culturas têm que serem respeitadas, dizem os malditos politicamente corretos

02/12/2013

terror

Manual Prático do PT – Lição I

20/08/2013

Terroristas Bárbaros do Taliban e do Hamas continuam jogando foguetes em Israel

14/08/2013

Last night, terrorists from Gaza fired rockets into ‪#‎Israel‬.

In response, the ‪#‎IDF‬ successfully targeted concealed rocket launchers in the northern Gaza Strip.

We will continue to operate in order to safeguard Israel’s civilians.

http://www.idfblog.com/2013/08/14/update-in-response-to-rocket-fire-iaf-targets-terror-sites/

O  TERROR É TANTO QUE ISRAEL PRECISA VIVER CERCADO COMO NOS CONDOMÍNIOS BRASILEIROS:

1069316_10151508763367076_255252940_n

7 de setembro e Rock in Rio – TERRORISTAS DISFARÇADOS NO MEIO DOS MANIFESTANTES PARA IMPLANTAR A VIOLÊNCIA E O MEDO.

07/08/2013

A Revista Época desta semana descobriu que os bandoleiros de esquerda treinam no Mato Grosso com delinquentes do MST, dissidentes das Farc e remanescentes dos Tupamaros e COB. Eles se preparam para meter fogo com bombas molotov no desfile do dia 7 e no Rock in Rio.

Primeiro, a ONG Defensoria Social espalhou voluntários pelo país para defender manifestantes presos por vandalismo. Agora, os anarquistas também recebem treinamento de instrutores experientes. Nos fins de semana, os jovens se reúnem em cidades de Mato Grosso para fazer coquetel molotov e escudo de madeirite e produzir líquidos que anulam o efeito do gás lacrimogêneo.

Nesses encontros, eles escolhem bancos e empresas multinacionais como alvos de depredação. Participam dessas reuniões os anarquistas, alguns dos grupos Anonymous, (Com excessão do AnonymousBrasil), Anarcopunk e Acción Directa, ex-militantes do MST, alguns dissidentes das Farc e remanescentes da guerrilha uruguaia Tupamaros e da Central Operária Boliviana. Os próximos atos de vandalismo como ação política estão previstos para o desfile de 7 de setembro e o Rock in Rio.

1003504_286684964805343_257810479_n

“… em primeiro lugar, escreveu o psicopata Carlos Marighela, o guerrilheiro urbano precisa usar a violência revolucionária para identificar-se com causas populares e assim conseguir uma base popular. Depois: O governo não tem alternativa exceto intensificar a repressão. As batidas policiais, busca em residências, prisões de pessoas inocentes tornam a vida na cidade insuportável. O sentimento geral é de que o governo é injusto, incapaz de solucionar problemas, e recorre pura e simplesmente à liquidação física de seus opositores.”

Ricardo Ricardo

JAIR BOLSONARO detona a comissão da verdade: artigo de bolsonaro na folha

11/01/2011

Comissão da inverdade.

É notório que a esquerda quer passar para a história como a grande vítima que lutou pelo Estado democrático atual, invertendo o papel de militares :

Os militares só conseguem manter a hierarquia e a disciplina porque a verdade está para eles como a fé está para os cristãos. A mentira e a traição fazem parte da vida política brasileira, em que os vitoriosos se intitulam espertos, pois, afinal, dessa forma estarão sempre no poder. A esquerda no Brasil chegou ao poder pelo voto, graças aos militares que impediram em 1964 a implantação de uma ditadura do proletariado. Os perdedores, nos anos subsequentes, financiados pelo ditador Fidel Castro, partiram para a luta armada, aterrorizando a todos com suas ações, que ainda fazem inveja ao crime dito organizado dos dias atuais.

Foram 20 anos de ordem e de progresso. Os guerrilheiros do Araguaia foram vencidos, evitando-se que hoje, a exemplo da Colômbia, tivéssemos organizações como as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) atuando no coração do Brasil. O nosso povo vivenciou sequestros de autoridades estrangeiras e de avião, dezenas de justiçamentos, tortura, execuções como a do adido inglês e a do tenente da Força Pública de São Paulo no Vale do Ribeira, bombas no aeroporto de Recife e carro-bomba no QG do 1º Exército, respectivamente com mortes de um almirante e de um recruta, latrocínios, roubos etc. O regime, dito de força, negociou e foi além das expectativas dos derrotados ao propor anistia até mesmo para crimes de terrorismo praticados pela esquerda. Agora, no poder, eles querem escrever a história sob sua ótica, de olhos vendados para a verdade.

Projeto do Executivo, ora em tramitação na Câmara, cria a dita Comissão da Verdade, composta por sete membros, todos a serem indicados pela presidente da República, logo ela, uma das atrizes principais dos grupos armados daquele período, que inclusive foi saudada pelo então demissionário ministro José Dirceu como “companheira em armas”. Ninguém pode acreditar na imparcialidade dessa comissão, que não admite a participação de integrantes dos Clubes Naval, Militar e da Aeronáutica. Essa é a democracia dos “companheiros”. Ainda pelo projeto, apurar-se-iam apenas crimes de tortura, mortes, desaparecimentos forçados e ocultação de cadáveres, não tratando de sequestros, atentados a bomba, latrocínios, recebimento de moeda estrangeira de Cuba, sequestro de avião e justiçamentos.

É notório que a esquerda quer passar para a história como a grande vítima que lutou pelo Estado democrático atual, invertendo completamente o papel dos militares, que, em 1964, por exigência da imprensa, da Igreja Católica, de empresários, de agricultores e de mulheres nas ruas intervieram para que nosso país não se transformasse, à época, em mais um satélite da União Soviética. Os militares sempre estiveram prontos para quaisquer chamamentos da nação, quando ameaçada, e, se a verdade real é o que eles querem, as Forças Armadas não se furtarão, mais uma vez, a apoiar a democracia. Se hoje nos acusam de graves violações de direitos humanos no passado, por que não começarmos a apurar os fatos que levaram ao sequestro, à tortura e à execução do então prefeito Celso Daniel em Santo André? Ou será que, pela causa, tudo continua sendo válido, até mesmo não extraditar o assassino italiano Cesare Battisti por temer o que ele possa revelar sobre seu passado com terroristas brasileiros hoje no poder?

Publicado na Folha de São Paulo por JAIR BOLSONARO capitão da reserva do Exército, deputado federal pelo PP do Rio de Janeiro.

brasileiros vítimas terror anos 1970, direitos das vítimas, indenização, Das vítimas dos terroristas, ninguém fala, ninguém defende.

16/09/2008

Clic na foto para ampliá-la

O Horror do MST em versos

04/08/2008
*****CAMPO MINADO *****Assisti um vídeo sobre os sem terra
E fiquei muito revoltada
Por ver que esse ‘bando’ de terrorista
Com a terra não quer nada
Pois eles não plantam nem colhem
A qualquer vagabundo acolhem
Para fazer a luta armada.
Espalham o terror e a baderna
Estupram , matam, depredam
Destroem plantações, queimam florestas
Casas, fazendas produtivas incendeiam
E o pior; são patrocinados
Esse bando de alucinados
Por um presidente aloprado
Que as nossas liberdades cerceiam.

Devem usar muita droga
Não consigo acreditar
Pois até os pobres animais
Eles ousam torturar
Quebram suas pernas e as deixam morrer
Muitas horas ficam a sofrer
Com dor até agonizar.

Destroem casas de colonos
E propriedades rurais
Enfim; qual o objetivo
Desses elementos infernais
Que espalham o terror
Deixando tristeza e dor
Para o homem trabalhador
Que vive em busca de paz!