Posts Tagged ‘são paulo’

2014 começa bem para defensores dos Direitos Humanos: PM morto no combate ao crime

01/01/2014

A Primeira alegria do ano para os defensores dos Direitos Humanos: Postado agora no Facebook do Coronel Talhada:

 

“Mal começou o ano de 2014 e infelizmente já temos um PM morto no combate ao crime: O soldado PM Fernando Neves da Cunha, 29 anos de idade, pertencente ao efetivo do 28º BPM/M foi baleado e morto no bairro de Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, por volta das 6h15 de hoje, 01 de janeiro de 2014 e que eu saiba, ninguém foi detido até o momento.

Compondo a guarnição de uma viatura, o PM acompanhava em perseguição motorizada um Toyota Corolla que havia sido roubado quando, na esquina entre a rua Inácio Monteiro e a avenida Dr. Guilherme de Abreu Sodré, ocupantes do veículo desceram do carro e entraram em um baile funk que acontecia no local.

Então, os vagabundos efetuaram disparados de armas de fogo de dentro da multidão (não houve revide por parte dos PM) e um dos disparos atingiu o Sd PM Fernando, que foi socorrido ao pronto-socorro do hospital Santa Marcelina, mas não resistiu e faleceu Mais um herói que nos deixa, mais um PM morto no combate a criminalidade.

Os defensores de bandidos devem estar vibrando de alegria, pois aumentou em muito o número de policiais mortos, enquanto caiu consideravelmente o número de bandidos mortos. Essa é a conta macabra que esses criminosos fazem: para eles, a PM está menos agressiva pois ao invés de combaterem o crime revidando aos injustos disparos, nossos PM têm morrido diariamente… Isso está errado…

É um verdadeiro Genocídio Policial… O funeral está sendo realizado na Vila Ré e o sepultamento será amanhã às 12:00 horas no Mausoléu da PM no cemitério do Araçá. Estaremos lá. Descanse em paz, irmão de farda.”

Abaixo assinado do Movimento Legislação e Vida

30/12/2013

O Movimento Legislação e Vida, da diocese de Taubaté, no estado de São Paulo, está promovendo uma coleta de assinaturas para solicitar, via iniciativa popular, a inclusão do direito à vida desde a concepção na constituição do estado de São Paulo. Clique no link abaixo para ler as instruções e participar da campanha:

http://www.citizengo.org/pt-pt/963-inclusao-do-direito-vida-concepcao-com-emenda-constitucional-na-constituicao-paulista-iniciativa

Embora a Constituição Federal não permita emendas propostas por via de iniciativa popular, o estado de São Paulo possui esta prerrogativa. Por essa razão, o Movimento Legislação e Vida colocou em prática a proposta de tentar fazer com que São Paulo seja o primeiro estado brasileiro a garantir o direito à vida desde a concepção.

A campanha está coletando, prioritariamente, assinaturas impressas das pessoas que moram no estado de São Paulo. Porém também está coletando assinaturas eletrônicas, não apenas dos habitantes do estado de São Paulo, mas também de brasileiros de outras regiões. As assinaturas eletrônicas serão entregues à Assembleia Legislativa de São Paulo junto com as 330 mil assinaturas de habitantes deste estado, necessárias formalizar o pedido de emenda à sua constituição. O objetivo é mostrar que não só os que residem no estado de São Paulo defendem a vida desde a concepção, mas também a maioria da população brasileira.

Se você é de São Paulo, ou conhece alguém que mora lá, clique no link abaixo, leia as instruções e envie sua assinatura. Se você não é de São Paulo, não deixe de participar assinando a petição eletronicamente ou divulgando-a para algum parente, amigo ou conhecido de São Paulo.

http://www.citizengo.org/pt-pt/963-inclusao-do-direito-vida-concepcao-com-emenda-constitucional-na-constituicao-paulista-iniciativa

Vamos continuar trabalhando para que a Cultura da Vida impere sobre a Cultura da Morte em nosso país, especialmente por meio da proteção das crianças não nascidas!

Só São Paulo – São Paulo só – Já é hora dos vagões andarem sob suas próprias rodas

25/12/2013

O Movimento São Paulo Independente é uma associação de direito privado, legalmente constituída, que tem por finalidade a promoção de ações sociais e culturais voltadas ao Estado de São Paulo e seu povo, visando à defesa dos interesses Paulistas, promoção de debates, estudos livres e eventos, referentes ao papel de São Paulo dentro da federação, bem como, a conscientização do povo de São Paulo para reconhecer-se como membros de uma verdadeira e legítima nação, a NAÇÃO PAULISTA, fomentando ainda o Direito de Autodeterminação do Povo Paulista, rumo a sua soberania.

1. Nós cremos na autodeterminação dos povos, proclamado desde a antiguidade como um princípio amplamente legítimo e na modernidade consagrado na Resolução 1514 – XV da ONU, que afirma categoricamente:

“todos os povos tem o direito a livre autodeterminação”. Nossa posição é de solidariedade e irmandade com todas as nações subjugadas e oprimidas por falta de liberdade. Baseamo-nos ainda no Pacto Internacional sobre os Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, que no Artigo 1º dispõe:

“Todos os povos têm o direito a dispor deles mesmos. Em virtude deste direito, eles determinam livremente o seu estatuto
político e asseguram livremente o seu desenvolvimento econômico, social e cultural.”
2. Nosso Movimento busca e privilegia o mérito do trabalho de nossos ativistas.

Aqueles que trabalham pelo MSPI, com garra e abnegação, merecem ter o seu trabalho reconhecido com o respeito de nossos associados.
O papel do associado não é apenas ser simpatizante da causa, mas ser militante integral, real e consistente, dentro de suas possibilidades individuais.
3- As decisões tomadas a respeito dos rumos deste Movimento deverão sempre observar os princípios da democracia e da cidadania, bem como visar o bom andamento interno e institucional do MSPI, tudo com respeito à ordem e a hierarquia necessárias. Nossos associados deverão sempre opinar e questionar livremente, visando mantermos uma constante autocrítica no Movimento. Como buscamos aplicar a democracia dentro do MSPI, não poderíamos nunca ser contraditórios e pregar outra forma de regime para São Paulo:

Defendemos uma democracia harmônica, que aproxime o cidadão diretamente dos centros de decisão política que lhe dizem respeito.
4. Somos um movimento estritamente extrapartidário. Pessoas de diversos agrupamentos políticos e partidários serão bem vindas a participarem desse Movimento, desde que comunguem com os nossos princípios e normas básicos.

O MSPI deve servir somente aos mais altos interesses do POVO DE SÃO PAULO!
5. Os princípios da autonomia política, e da liberdade e responsabilidade pessoal são fundamentais para iniciarmos o percurso de reforma da sociedade Paulista, assim como o princípio presente em nosso terceiro ponto, que é a valorização dos méritos individuais, em prol de si mesmo e da coletividade paulista. Somos defensores da descentralização do poder, revalorizando a esfera municipal, a real e plena participação do cidadão como vigilante e partícipe dos poderes administrativos constituídos.
6. Defendemos a identidade do Povo Paulista. A manutenção e a valorização da identidade cultural tradicional de São Paulo são armas de coesão e força entre nós, e, portanto, devem ser nossos guias ideais na caminhada rumo à Nação Paulista. Do que adianta um povo com posses materiais, mas sem alma?
7. Afirmamos com força a ideia de diversidade cultural. Ressaltamos, não obstante, que a causa da diversidade cultural é distinta do uso ideológico que se faz da ideia de multiculturalismo, sobretudo na forma que assume quando direcionada como ferramenta, justamente, contrária à diversidade cultural, pregando a descaracterização das tradições dos povos em nome de uma igualdade padronizadora, homologada aos avatares do ‘politicamente correto’. No fundo, a meta daqueles que adotam tais posturas é destruir os laços dos homens com as tradições dos seus povos (sociais, culturais, espirituais, políticas e econômicas), criando
uma cultura global uniformizada. O que defendemos, mais uma vez, é a CONSERVAÇÃO e DIFUSÃO das tradições do Povo de São Paulo.
8. O espírito Paulista é de um empreendedorismo civilizacional, demonstrado pela livre iniciativa econômica e pela nossa força vital de trabalho, aliada às bases civilizacionais herdadas dos nossos antepassados ibéricos.
Esse empreendedorismo sempre buscou a maior realização social e o desenvolvimento da Nação Paulista.
9. Cremos nos princípios de garantia às liberdades de expressão e de imprensa. São Paulo deve pautar-se nessa liberdade. Os regimes totalitários do Século XX deixaram evidentes, aos olhos da História, os prejuízos sociais da supressão das várias liberdades civis. Essa supressão não deverá jamais ocorrer em São Paulo.
10. Firmamos compromisso com o ordenamento jurídico vigente na República Federativa do Brasil. Pregamos soluções possíveis dentro da lei e com a lei, para a transformação real dos problemas sociais que o Movimento São Paulo Independente vem apontando através de seu trabalho. Se existem leis em relação às quais nos opomos, nossos princípios nos obrigam a cumpri-las, sem prejuízo da nossa busca, através da pressão popular e da sociedade civil organizada, para efetuar as mudanças legislativas possíveis. As leis são pensadas para ter vigência perpétua, mas os cidadãos organizados podem fazer mudar qualquer norma ou cláusula pétrea. Não se pode frear a ação histórica!
11. Nós damos apoio e solidarizamo-nos com as instituições que, historicamente, são resultado do bom andamento e da ordem social de São Paulo. Sejam essas instituições de caráter cultural, educacional, histórico, jurídico, governamental, econômico e outras, públicas ou privadas.
12. Temos por preceito básico a não discriminação do indivíduo, seja por razão de fé, etnia, sexo ou condição social.
13. Defendemos a aqueles que são socialmente vulneráveis, tais como os idosos, os deficientes físicos, as crianças, os órfãos e outros. Também somos defensores dos princípios da família tradicional, como base de sustentação de uma sociedade firmemente estruturada e sadia.
MOVIMENTO SÃO PAULO INDEPENDENTE

DELEGADO TUMA JUNIOR REVELA: LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, CODINOME ‘BARBA’, INFORMANTE DO DOPS.

07/12/2013

O Analfabeto trabalhou uma vez na vida, menos mal, era X-9

DO BLOG DO ALUÍSIO AMORIM –    ESSE AMORIM SEMPRE ARREBENTA……………

Tem imbecil que diz que o vadio nunca trabalhou.. que cortou o dedo para se aposentar.. ops. isto é vero.

As denúncias contidas no livro Assassinato de reputações: um crime de Estado, de autoria do delegado da polícia paulista Romeu Tuma Junior, que chega às livrarias a partir  desta segunda-feira, explicam por só, as razões do silêncio da grande imprensa brasileira.  Exceção da revista Veja.
Os jornalistas e colunistas da Folha de S. Paulo, Estadão e Rede Globo, para citar os veículos de maior impacto e abrangência simplesmente se fecharam em copas. É possível que a partir de suas edições deste domingo trarão algo a respeito, já que foram furados de forma fenomenal por uma revista semanal. É que com o advento do lulismo o dia passou a durar uma semana, isto é, vai de sábado a sábado, dia em que a revista chega às bancas.
x nove
E este fato corrobora tudo, sem faltar nada, do que venho afirmando aqui no blog em textos que aponto que o controle da mídia, postulado pelo PT, refere-se apenas à reviswta Veja. O resto já controlado pelos “jornalistas” que cumprem missão do “partido”, ou seja, o PT e o Foro de São Paulo que integram o movimento comunista internacional.
Esses trastes comunistas, muitas vezes acumpliciados com os donos dos veículos sequiosos pelos carminguás que são ofefrecidos pelo governo petista, são criminosos, porquanto escamoteiam informações do público leitor, deformam os fatos, mentem sistematicamente e transformaram os veículos da grande imprensa brasileira – exceção de Veja -, em veículos de propaganda do governo de Lula e seus sequazes.
Este blog está longe da sede dos veículos da grande imprensa brasileira, está fora do eixo São Paulo-Rio-Brasília e também não está alojado em nenhum grande portal noticioso. Este é um blog completamente independente, portanto não pretende competir com os grandes veículos de comunicação nacionais. E nem poderia pois não dispõe da estrutura extraordinária que esses jornais e redes de televisão possui.
O foco do blog está portanto mais dirigido a análises e comentários, bem como o clipping das principais notícias veiculadas pela mídia nacional e internacional, procurando fornecer aos leitores elementos com os quais possam formar uma opinião sobre os fatos sem o filtro comunista dos grandes veículos de mídia.
Assim, louvo-se mais uma vez no site da própria revista Veja, mais precisamente o blog do jornalista Reinaldo Azevedo, para concluir estas linhas com uma informação contida no livro de Tuma Junior e que também está na entrevista que o delegado paulista concedeu à Veja que está nas bancas.
Quem não é assinante, deve correr logo e comprar  o seu exemplar, já que esta reportagem sobre o livro de Tuma Junior seja talvez a matéria jornalística do ano de 2013 e que deverá adentrar 2014, quando acontecerá a eleição presidencial. É claro que o desdobramento das denúncias dependerá, em grande medida, da ação dos dois principais candidatos da oposição: Aécio Neves e Eduardo Campos.
1476544_352488438224194_676692700_n
A informação que me refiro e que está no blog de Reinaldo Azevedo, revela uma faceta incrível de Lula, a metaformose ambulante, o doutor honoris causa. Lula era um alcagueta do regime militar. Coisa típica de comunista. Anos depois Lula manda desenterrar a ossada de Jango Goulart e implantar a Comissão da Verdade. Sem falar no mensalão que pretendia, mais do que nada, golpear a instituições democráticas de morte abrindo caminho para a instalação de um república comunista do século XXI, como existe por exemplo na Venezuela.
Por aí, se pode aquilatar o nível moral e ético de Lula, o doutor honoris causa. Até esse título honorífico Lula e seus sequazes conseguiram estraçalhar. Leiam o que informa o blog do Reinaldo, reproduzindo parte da entrevista de Tuma Junior:

Acontece hoje em São Paulo o lançamento do filme “Blood Money – Aborto Legalizado”

05/11/2013

O documentário de Kyle trata do funcionamento legal desta indústria nos Estados Unidos, mostrando “de que forma as estruturas médicas disputam e tratam sua clientela, os métodos aplicados pelas clínicas para realização do aborto e o destino do lixo hospitalar, entre outros temas, de forma muito realista”, conta Luís Eduardo Girão, diretor da Estação Luz Filmes, que adquiriu os direitos de distribuição no Brasil.

O filme também faz denúncias como a prática da eugenia e do controle da natalidade por meio do aborto e trata aspectos científicos e psicológicos relacionados ao tema, como o momento exato em que o feto é considerado um ser humano e se há ou não sequelas para a mulher submetida a este procedimento.

1395891_617568741633784_658105318_n

“Blood Money – Aborto Legalizado” traz, ainda, depoimentos de médicos e outros profissionais da área, de pacientes, cientistas e da ativista de movimentos negros dos EUA, Alveda C. King, sobrinha do pacifista Martin Luther King, que também apresenta o documentário. Dra. Alveda é envolvida em discussões sobre o mecanismo de controle racial nos EUA – o maior número de abortos é realizado nas comunidades negras.

Após o lançamento em São Paulo, ocorrerá uma série de pré-estreias pelo país, passando por Rio de Janeiro (6/11), Goiânia (7/11), Brasília (8/11), Belém (9/11), Curitiba (11/11), Salvador (12/11), Recife (13/11) e Fortaleza (14/11).

No dia 15 de novembro a produção entra em cartaz em todo o país.

Jornalistas petralhas abominam o agro negócio

31/10/2013

Mesmo com a consolidação do Brasil como um dos líderes mundiais do setor, a mídia não especializada pouco aborda o tema.

Redação *

O 1° Fórum ESPM/MSD de Comunicação, realizado no último dia 22, em São Paulo (SP), reuniu renomados profissionais da comunicação e apresentou os resultados de uma pesquisa que analisou como jornalistas de grandes veículos nacionais têm pautado a pecuária brasileira. Segundo o estudo, mesmo com a consolidação do Brasil como um dos líderes mundiais do segmento, a mídia urbana não especializada pouco aborda o tema.

Em seis meses de monitoramento (de julho a dezembro de 2012), foi considerada uma amostra composta de 31 palavras-chave ou expressões (todas ligadas à pecuária) em 10 veículos de comunicação (Jornal da Band, Jornal Nacional, Jornal da Record, Revista Época, Revista IstoÉ, Revista Veja, Jornal O Estado de São Paulo, Jornal Folha de São Paulo, Jornal O Globo e Jornal Valor Econômico), resultando no total de 497 matérias divulgadas.

Desse total, 472 matérias foram publicadas em jornais, 14 em revistas e apenas 11 nos telejornais. “A imprensa brasileira não noticia nossa agropecuária”, salientou o coordenador do Núcleo de Estudos em Agronegócio da pós-graduação da ESPM-SP, José Luiz Tejon, acrescentando que, se todo o setor tivesse sido monitorado, talvez o resultado tivesse sido outro.

Tejon disse acreditar que os resultados servirão para nortear ações no sentido de ter uma comunicação que seja menos subjetiva e que ajude a sociedade a entender que a relação entre a balança comercial e o crescimento do PIB está diretamente ligada a produção de proteínas de forma mais consciente. “A intenção é trazer para a sociedade a realidade do campo de forma sustentável e verdadeira”.

O especialista recordou que uma pesquisa encomendada pela Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) constatou que 81,3% da população das grandes capitais brasileiras consideram o agronegócio como sendo uma atividade muito importante para a economia nacional.

Para o gerente de capacitação técnica da MSD Saúde Animal, Sebastião Pereira de Faria Jr, que falou sobre mitos e verdades sobre a produção de proteína animal, é preciso iniciar um diálogo a partir dos profissionais de comunicação. “Estabelecer interlocutores válidos na cidade e no campo para que a população urbana tenha uma percepção clara de que há uma revolução tecnológica no campo, o que permite uma produção eficiente de carnes e laticínios, com respeito aos animais, ao meio ambiente e à saúde dos consumidores”, destacou.

O debate contou com os jornalistas: Bruno Blecher – Revista Globo Rural/CBN, Heródoto Barbeiro – Record News, Humberto Pereira – Programa Globo Rural, Vera Ondei – Revista Dinheiro Rural, José Luiz Tejon – ESPM, Sebastião Faria Jr – MSD Saúde Animal e como mediadora Kellen Severo – Canal Rural.

Glossário de Pecuária para Jornalistas

A Universidade MSD Saúde Animal lançou no evento o Glossário de Pecuária para Jornalistas que tem o objetivo de aproximar a imprensa do tema, trazendo o significado dos termos mais comuns usados nas cadeias produtivas do leite e da carne. Apresenta também o panorama atual da pecuária brasileira e importantes programas voltados ao aumento da produtividade nas fazendas. “A companhia oferece um leque de serviços através da Universidade MSD, que tem como meta difundir conhecimento técnico, com foco em produtividade animal na pecuária de leite e de corte, técnicas de gestão, marketing e vendas”, destaca Faria.
* Divulgação

Petralhas defendem genocídio do Coronel da PM barbaramente espancado – Geraldo Alckimin perde a paciência com os Direitos Humanos

26/10/2013

“”As imagens covardes que vimos ontem do coronel Reynaldo sendo agredido mostram ações de vândalos e criminosos. Um dos agressores já foi indiciado por tentativa de homicídio e terá prisão preventiva decretada. Uma ampla investigação está em curso. Policiais são representantes do Estado, defensores da sociedade. Defendemos a mudança da lei federal para que o crime de agressão a policiais tenha agravante. Desejo a mais rápida recuperação ao coronel Reynaldo Rossi e a outros policiais covardemente agredidos.”‘

Geraldo José Rodrigues de Alckimin Filho Governador da Locomotiva, do Estado Bandeirante que carrega o Nordeste nas costas.

1377060_229986370498987_1885858635_n

IMPRESSIONANTE! VÍDEO MOSTRA O BRUTAL ESPANCAMENTO SOFRIDO PELO CORONEL COMANDANTE DA PM/SP.

Um suspeito de ter agredido o coronel da Polícia Militar Reynaldo Simões Rossi está preso no 2º Distrito Policial do Bom Retiro, no centro da capital paulista, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do estado. Segundo a PM, o coronel recebeu atendimento médico na madrugada deste sábado no Hospital das Clínicas e foi liberado.

O protesto organizado pelo Movimento Passe Livre (MPL) na noite desta sexta degenerou em quebra-quebra e mais uma vez deixou um rastro de destruição na região central da capital paulista. O Terminal Parque Dom Pedro II foi destruído por vândalos mascarados. Também há relatos de roubos e um ônibus chegou a ser incendiado pelos black blocs. No total, 92 pessoas foram detidas.
Nesta sexta, a manifestação reivindicando “tarifa zero” para o transporte público foi marcada por uma cena lamentável: um grupo encapuzado cercou e espancou o coronel da PM Simões Rossi, que acompanhava à distância a ação da polícia. Em nota, a PM classificou a ação como “covarde”. Além disso, o episódio teve outro fator grave: os encapuzados roubaram a arma e o rádio comunicador do coronel. Rossi é um oficial da elite da PM paulista e atua como negociador, inclusive em caso de reféns. Nesta sexta, não estava no comando da tropa – o responsável era o tenente-coronel Wagner Rodrigues. Após ser agredido – e golpeado na cabeça com uma placa de ferro -, ele foi socorrido por um policial à paisana. Teve a clavícula quebrada, ferimentos na cabeça e no rosto e deixou o local pedindo à tropa que mantivesse a calma. A agressão contra Rossi foi filmada

O negócio está sério!!!

Por Luciano Levinzon
OAB É UM CÂNCER NACIONAL EM CRESCIMENTO ACELERADÍSSIMO , UMA MÁFIA PRIVADA COM ABSURDO MONOPÓLIO CONSTITUCIONAL DE GARANTIR AOS SEUS AFILHADOS O DIREITO RIDÍCULO DE NOS IMPOR SEUS SERVIÇOS DE ACESSO A JUSTIÇA PÚBLICA , ENCARECENDO NOSSAS VIDAS , NOS TACHANDO DE INCOMPETENTES E IDIOTAS , BLINDANDO OS IMUNDOS DITADORES JUÍZES DO CONTATO DIRETO CONOSCO E INCHANDO CADA VEZ MAIS EM TODO O PAÍS , AGREGANDO NOVOS VAGABUNDOS PARASITAS QUE ABSOLUTAMENTE NADA DE ÚTIL PRODUZEM , MAS QUE PARA SOBREVIVEREM EM SEU PARASITISMO , APELAM PARA A IDEOLOGIA SOCIALISTA / COMUNISTA E FICAM NA ESPREITA DE ARRUMAREM MAIS E MAIS PROBLEMAS PARA NÓS , PARA QUE SURJAM A ELES NOVAS OCUPAÇÕES INÚTEIS , PARASITÁRIAS , QUE OS ENCHAM DE DINHEIRO AS NOSSAS CUSTAS !!!
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/10/coronel-da-pm-foi-agredido-e-teve-arma-roubada-durante-tumulto.html

O Brazil de Hontem – e – O Brasil de Hoje

27/09/2013

Ontem:

ELITE BRANCA QUE NÃO DAVA OPORTUNIDADE AOS POBRES DE ESTUDAREM

NÃO DAVAM OPORTUNIDADES

0000r

HOJE – UM PAÍS LIVRE DA ELITE BRANCA:

1375128_523248821097478_1146331577_n

467d1-farc

534341_552073938173357_1665854702_n

Começa a surgir a Esperança Verde Oliva

22/09/2013

Estudante do Colégio Militar mostra jornal distribuído dentro do Colégio. No expediente, o “Editor-redator” do jornal é de um Coronel de Minas Gerais. Na capa, o chamado: “As forças armadas têm o dever sagrado de impedir, a qualquer custo, a implantação do comunismo no Brasil”. Em outras páginas do jornal, ataques a Lula, Dilma, ao Foro de São Paulo, aos “vândalos e comunistas”, ao PMDB, aos “comunistas assassinos” cubanos, e um apelo a que o Congresso Nacional “ponha um fim ao governo Lula”.

8296_10201033058201660_404735562_n

Foto: Alexandre Haubrich / Jornalismo B

Acorda Brasil!

Postado por um militar aposentado,

“Povo brasileiro, não votem no PT, são 38 Generais que se negam a se subordinar ao Ministério da Defesa, e em caso de ser eleito qualquer que seja o candidato petista, não chegará sequer a comemorar a vitória, não aceitamos e nem correremos o risco de que o Brasil adote um sistema de governo Bolivariano”.

Alertam ainda para que o povo retome nas mãos o direito e o dever democrático agindo contra o STF, mensaleiros e o Planalto.

Pode não parecer nada 38 pessoas, mas são 38 generais que comandam as Forças Armadas e que segundo o post vão agir em caso de reeleição ou eleição de qualquer que seja o candidato petista.

Caso o povo não se manifeste e acabe com as falcatruas, no Executivo e no Judiciário eles entrarão em ação. Destituirão Presidente e Ministros do STF assim como efetuarão as prisões de todos os ladrões do erário público que continuam impunes e não condenados e presos como manda a lei.

Obs: Onde estava esse post, fui o único a votar, ler e comentar, a menos que esteja postado em outros lugares além de onde vi, quem postou foi um militar aposentado e o post ficou no ar por exatamente uma semana, após isso foi deletado.

Estou repassando a mensagem e tudo que falei acima estava nesse post, nada adicionei.

Aurélio

http://rosasevinho.com/eleicoes-2014/38-generais-alerta/

generais-425x283

994019_344704465665692_1209859409_n

534341_552073938173357_1665854702_n

Leia o livro do Heitor de Paola – O Eixo do Mal Latino-Americano

19/09/2013

 

Darei início a partir de hoje a uma sequência de Posts diários com recomendações de livros.
Recomendo que salvem o nome ou a imagem do livro com vocês.

Para iniciar: O EIXO DO MAL LATINO-AMERICANO – Heitor De Paola

“Diante do fracasso dos políticos e do perigo iminente, alguns cidadãos comuns se viram obrigados a assumir uma liderança política e a se converter em estadistas. De Paola – ciente de que para vencer o inimigo é preciso primeiro conhecê-lo – elaborou um acurado estudo sobre o neocomunismo, partindo do período do pós-guerra até o Foro de São Paulo, organização que já conta entre seus membros com doze presidentes latino-americanos.

578495_529853393751827_1604777904_n

Possivelmente o leitor sentirá uma preocupação imensa, porque conhecerá em profundidade a ameaça que trama contra toda a região; mas, feitas as contas, este livro é também fonte de esperança e inspiração: porque quando homens como Heitor De Paola decidem arriscar sua vida para denunciar o mal, isto significa que o bem despertou em nossos corações e está destinado a triunfar.”

(stuart)

O Triunfo de Satanás – Hora da Colheita do Antigo Bispo Auxiliar da Zona Leste – Dom Luciano Mendes de Almeida

14/09/2013
10 setembro 2013 Autor: Bíblia Católica 

Fonte: Fratres in Unum

A “filósofa” da USP Marilena Chaui, uma das históricas mentoras, se é que isso é possível, do petismo, encontrou o seu lugar na “igreja libertária” travestida de católica: a diocese de São Miguel Paulista — a quem não sabe, esta diocese foi criada em 1989 pelo Papa João Paulo II com o propósito de dividir a Arquidiocese de São Paulo e, assim, diminuir a área de destruição atuação do então arcebispo Dom Paulo Evaristo Arns.

Além de piedosamente comungar por conta própria, Chaui recebeu a homenagem do reverendíssimo presbítero com suas bailarinas:

carmo1
Paulo Sérgio Bezerra, Marilena Chaui e Padres Dimas Martins Carvalho

Eis a descrição do vídeo no Youtube: “Homenagem feita à Marilena Chauí pela Juventude da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Itaquera, por ocasião de sua participação no último dia da semana de oração na festa de Nossa Senhora do Carmo. A ilustre convidada fez uma reflexão sobre o tema “Sociedade em crise: ausência de filosofia?”. Música: Coração Cívil, Milton Nascimento”.

A diocese de São Miguel Paulista é, de fato, a casa da mãe Joana da Teologia da Libertação: neste ano, já passou por lá, em um Santuário diocesano, o nobre herege Leonardo Boff, com direito a autógrafo em livro para criança — escancarado crime de corrupção de menores:

boff

Igualmente, o mesmo Santuário Nossa Senhora da Paz, cujo reitor é o reverendíssimo Pe. Dimas Martins de Carvalho, se ufana de divulgar em sua página do Facebook aberrações como a que segue:

santuario

Parabéns, Dom Manuel Parrado Carral, bispo diocesano! O objetivo de destruir a Fé Católica na zona leste de São Paulo, curiosamente, a mais pobre e onde os protestantes mais fazem estragos, está sendo atingido com sucesso!

Revolução comunista em marcha em Floripa

06/09/2013

sexta-feira, setembro 06, 2013

REVOLUÇÃO BOLIVARIANA NA ILHA DA MAGIA: GRUPOS DE AGITADORES COMUNISTAS ATACAM EM FLORIANÓPOLIS E ESPALHAM O TERROR..

O jornal Ilha Capital traz em sua última edição uma reportagem especial que revela aquilo que a grande imprensa catarinense escamoteia, ou seja, a invasão de Florianópolis, a capital do Estado catarinense, que fica na maior parte sobre a Ilha de Santa Catarina por organizações que podem ser qualificadas de MST urbano. Seus integrantes constituem uma horda de desordeiros ligados ao PT e seus satélites.
Na abertura da reportagem, Ilha Capital anota que em entrevista recente o empresário Hélio Bairros, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil da Grande Florianópolis (Sinduscon), alertou sobre a chegada das Brigadas Populares em Floripa. Para ele essa “é mais uma preocupação e um desafio para o poder público” porque “essa gente vem para o enfrentamento” e “já está ocupando terrenos urbanos”.
Transcrevo na íntegra a excelente reportagem do Ilha Capital que serve para demonstrar que os cidadãos de Florianópolis que se informam por meio dos grandes jornais e emissoras e rádio e televisão, estão muito mal informados. Especialmente a maioria dos empresários e autoridades municipais e estaduais.
Florianópolis é uma panela de pressão pronta para explodir, por conta da incúria das autoridades que permitem a proliferação desse grupos de viés comunista que espalham o terror na capital catarinense agasalhados sob o deletério manto do pensamento politicamente correto. Essas autoridades são as responsáveis pela insegurança em que vivem os cidadãos de Florianópolis que agora também têm as suas propriedades sujeitas a invasões.
Transcrevo na íntegra a matéria do jornal Ilha Capital, que também pode ser lido no site desta publicação clicando no link ao final do texto. Leiam:
O alerta do presidente do Sinduscon se refere às manifestações de protesto promovidas no início de agosto contra a administração Cesar Souza Júnior (PSD). Elas ocorreram porque, depois dos oito anos de omissão conivente da gestão Dário Berger, a equipe de fiscalização da Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis (FLORAM) botou abaixo quatro barracos em construção por invasores – que se identificam pelo codinome de “Ocupação Palmares” -, sobre áreas de proteção ambiental e de alto risco na região da Serrinha, no maciço de favelas do Morro da Cruz. Cerca de 25 outras famílias de migrantes continuam dividindo nove barracos no local. Elas até concordam em não refazer os barracos, desde que os sem-teto sejam indenizados e realocados pela Prefeitura. Mas tem que ser na mesma região. Apoiados por vereadores de esquerda, depois de uma reunião no gabinete do vereador petista Lino Peres, manifestantes ameaçaram e chegaram a “pedir a cabeça” de Elisa Neli Rehn, gerente de Licenciamento e Fiscalização da Floram e responsável pelas operações.
Em novembro do ano passado, tão logo anunciada a vitória de Adeliana Dal Pont (PSD) no município de São José, a futura prefeita passou a ser pressionada por um grupo de representantes de cerca de 200 sem-teto, que semanas antes haviam invadido uma área particular de quase 92 mil metros quadrados no bairro Serraria, desde então identificada pelo codinome de “Ocupação Contestado”.

Polícia intertita e desmonta barraco erguida em propriedade particular. A ocupação de propriedades privadas afeta também áreas de preservação, mas os ecochatos calam acumpliciados com as organizações comunistas que infestam Florianópolis

Em vias de explusão, eles exigiam “uma solução para o seu problema de falta de moradia digna”. Segundo os militantes, a invasão só ocorreu porque o então prefeito Djalma Berger teria prometido que, se reeleito, desapropriaria o terreno para transformá-lo em um loteamento de baixa renda. Então, toda aquela gente de bem resolveu que era melhor invadir logo de uma vez para garantir o seu quinhão, furando a fila dos trouxas que optam por obter os seus direitos na forma da legislação. Não bastasse isso, passadas as eleições, eles exigem que a eleita cumpra uma suposta promessa do candidato derrotado. São os tempos sombrios em que vivemos…

Esses furdunços são organizados e orquestrados por um movimento político-ideológico com matriz em Belo Horizonte, que se identifica como Brigadas Populares/SC. Elas já atuam em outros três estados – Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro – sempre se articulando com movimentos revolucionários afinados com os círculos bolivarianos. Em Florianópolis, agem em parceiras com denominações como Bandeira Negra, Passe Livre e Ponta do Coral 100% Pública entre tantas outras, além de gabinetes de políticos esquerdistas.
Os brigadistas se tratam como “camaradas” e seu objetivo “é formar uma militância revolucionária caracterizada por sua disciplina consciente, compromisso, capacidade de iniciativa e compreensão da análise materialista, dialética e histórica da realidade”, porque “a forma de organização deve sempre atender às necessidades da luta de classes”. É que a intenção dos valentes – veja só! – é a “transformação revolucionária”, pela constituição de uma “unidade aberta”, que impulsione o surgimento de “uma nova maioria política e social (…) de caráter nacional, popular e socialista”, na qual “os trabalhadores se estabelecem como força dirigente”. A “Revolução Brasileira para um Brasil Socialista (…) como a aspiração mais elevada das massas populares (…) será obra do povo (…) em sintonia com o movimento internacional dos trabalhadores e trabalhadoras”, diz o manifesto das Brigadas Populares, em novembro de 2011.
O Jornal Ilha Capital teve acesso a uma cópia dos roteiros que as lideranças da Ocupação Palmares receberam das Brigadas Populares, com as instruções de alinhamento do discurso dos manifestantes, principalmente frente à imprensa. O documento expressa claramente o projeto de “outras ocupações e novos movimentos de reivindicação” que levem à criação de um “poder popular” na luta pela “revolução social” de “um mundo sem divisão entre classes sociais ou qualquer outro tipo deopressão” (negritos no original).
O brigadista responsável pela Ocupação Palmares, no Morro da Cruz é o paulista graduado em Economia pela UFSC, Vitor Hugo Tonin. Ele diz que “trabalha na UFSC” e nas férias passou um mês na Venezuela. O brigadista da Ocupação Contestado é o paulista Jonathan Henri Sebastião Jaumont, o “Jojo”, graduado em Serviço Social pela UFSC. Eles integram a Frente de Trabalho pela Reforma Urbana em Florianópolis, que já se articula com invasões mais antigas para ampliar suas atividades, aumentar a visibilidade e ampliar a notoriedade. A imprensa trata de forma vaga e casual a presença desse ente de agitação, como se fosse algo tão natural e inocente, que a opinião pública não precisa preocupar-se em saber mais e melhor sobre o assunto.
O Jornal Ilha Capital se encarrega de cobrir essa lacuna com informações consistentes. Aqui não há jornalistas jovenzinhos recém diplomados nos antros marxistas da UFSC. Conhecemos o método desses movimentos, nos quais supostos pacíficos de cara limpa e baderneiros de balaclava são estratégias de um mesmo plano de ação: suas pequenas intervenções para constranger autoridades são só o aperitivo. O banquete deles é a democracia estraçalhada: atrapalhar a vida da população ordeira, tumultuar a rotina das pessoas de bem, paralisar a cidade, provocar a polícia até o intolerável. Tudo em nome da revolução socialista para a implantação da tirania comunista.
Terrorismo em Florianópolis ocorrido recentemente com destruição de centenas de ônibus
Sempre na UFSC
No sábado, 3 de novembro de 2012, foi realizada uma reunião para tratar sobre moradia popular, regularização fundiária e função social da propriedade nesta Capital. Por trás do verniz politicamente correto dessas expressões, o verdadeiro propósito era formar uma rede de apoio à reestruturação do Movimento Sem Teto na Grande Florianópolis, fomentando a organização de ações diretas, em paralelo com o fortalecimento das articulações coletivas. O movimento perdeu muita força em Florianópolis, porque aqui ninguém precisa de “movimento organizado” para invadir ou ocupar propriedades, públicas ou privadas. A Ilha de Santa Catarina virou uma prostituta cercada de gigolôs, alcoviteiros e rufiões por todos os lados. Eles a oferecem a qualquer um, para ser penetrada, estuprada. Quem tentar fazer carinho, beijar na boca ou fazer amor com ela, provoca polêmica e escândalo e é escorraçado!
O local da reunião só poderia ter sido um: o auditório do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFSC. Público alvo: os sem-teto massa de manobra. Compareceram ao evento apenas cerca de 50 membros de grupos invasores de áreas públicas e privadas, moradores em situação precária, em áreas de risco ou despejados: da favela do Siri, Papaquara, Vila União, Kartódromo, favela do Mosquito, Nova Esperança, Panaia Aeroporto, Caieira do Saco dos Limões, Mont Serrat, Maciço do Morro da Cruz e Monte Cristo. A ocupação José Nitro, do bairro Jardim Zanelatto, em São José, também mandou representante.
Por mais de cinco horas eles ouviram a velha discuseira sobre “inclusão social”, “direito à moradia digna” e “cidades para todos”, que disfarça a doutrinação em luta de classes de pobres contra ricos. Falaram os cabeças dos principais entes articuladores da “luta por moradia popular digna” (a propósito: barraco mal enjambrado sobre propriedade alheia e área de risco é “moradia digna”?), inclusive aqueles professores universitários, arquitetos e urbanistas filiados a diferentes partidos políticos de esquerda – os de sempre, que o leitor deste nanico já sabe quais, de cor e salteado. Além dos sargentos das Brigadas Populares, estavam presentes representantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), do Movimento Sem Terra em Santa Catarina (MST-SC), do Coletivo Anarquista Bandeira Negra, do Diretório Central de Estudantes (DCE) da UFSC, o ectoplasma da União Florianopolitana de Entidades Comunitárias (UFECO), Sintrajusc, Sindiprevs, CUT, Central Sindical e Popular (CSP – Conlutas), Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (RENAP). Repare bem: todas sãoorganizações sustentadas por muita grana que arrancam do povo, de forma direta ou indireta, para professar coletivismo e marxismo e combater o capitalismo, tentando expulsá-lo da alma da nação.
Origem universitária
O movimento Brigadas Populares teve origem em um Núcleo de Estudos Marxistas, formado por estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais para dissecar as ideias de pensadores revolucionários. Em 2005 o Núcleo se dissolveu e seus membros partiram para aplicar as teorias na prática, dedicando-se à articulação popular das favelas da periferia de Belo Horizonte, atuando como uma ferramenta a serviço da necessidade de organização da classe trabalhadora para a transformação social: a revolução das massas. Tempos depois foi realizado um seminário em que o movimento passou a ser estruturado para atuar de acordo com a linha politico-ideológica de sua origem. As Brigadas comandam oito ocupações em Belo Horizonte.
As Brigadas Populares são, tipo assim, um MST urbano: sua existência é praticamente virtual, só visualisada em diversos sites e blogs. Ela não tem existência formal, não tem estatuto, registro ou CNPJ, nem fisponibiliza qualquer informação de contato físico, como endereço ou telefone. As únicas peças de sua materialidade são os “profissionais de universidades” que coordenam as ações.
Na prática, os núcleos executivos de militantes orgânicos das Brigadas Populares surgem depois de articulações prévias com lideranças de grupos em áreas invadidas ou de pretendentes a tornar-se invasores de alguma propriedade já em vista. O movimento também recebe indicação de instituições, como as defensorias públicas, sobre a necessidade de apoio a algum grupo. Os brigadistas atuam pelo método de assembleias populares para identificar as pautas de cada grupo, estabelecer o direcionamento político dos embates, organizar as pessoas, prepará-las para as lutas e atividades necessárias, doutrinando-as para a elevação dos níveis de “consciência social” e fortalecimento das convicções pessoais para o enfrentamento. São eles que garantem o recrutamento de novas lideranças e a sua permanente formação e treinamento nas práxis revolucionárias.
Frente antiprisional
As Ocupações Palmares e Contestado, são brigadas territoriais que integram a Frente pela Reforma Urbana das Brigadas Populares. Além dela, em Santa Catarina está ativa desde o final de dezembro de 2011 a Frente Antiprisional, que antes só existia em Minas Gerais. Com o slogan “Nenhuma Vaga a Mais! Por uma sociedade sem prisões!”, a sua principal atividade é coordenar o Grupo de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, que articula e organiza as reivindicações coletivas dos parentes de presos da Penitenciária de São Pedro de Alcântara. A penitenciária é aquela onde ficavam os líderes do Primeiro Grupo Catarinense (PGC) acusados pelo assassinato da esposa do diretor que impunha regime severo no cumprimento das penas. A agente prisional Deise Alves foi fuzilada por engano quando chegava em casa dirigindo o carro do marido, em São José, em outubro de 2012. A aplicação ainda mais rigorosa das regras na prisão, depois da morte de Deise, foi o estopim para duas ondas de violentos atentados terroristas comandado de dentro da cadeia. As ações de guerrilha varreram Santa Catarina entre novembro e fevereiro últimos. Os principais acusados foram transferidos para uma penitenciária de segurança máxima, em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Segundo as investigações policiais, as famílias dos presos já estão se estabelecendo na cidade.
Nos outros quatro estados onde as Brigadas Populares atuam (Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro), já funcionam também frentes de Formação (de quadros), Comunicação e Cultura e de Juventude.
Aprofundando-se, é possível perceber a existência de uma indústria de sem-teto, uma espécie de agência de tráfico de migrantes de uns locais para outros – entre municípíos e estados -, numa constante realimentação de fogueiras do movimento pelo “direito à moradia digna”, que fundamenta as pressões político-ideológicas pela implantação da “reforma urbana” de cunho marxista. Do site do jornal Ilha Capital

O que é o comunismo do PT – Acorda Brasil – A Real Face da implementação do Comunismo & Socialismo

29/08/2013
 Um Documentário OBRIGATÓRIO para jovens mal informados e simpatizantes de partidos radicais de esquerda do Brasil e movimentos revolucionários fanáticos.

Organização política administrativa local no Brasil e em Portugal – Vilas – Municípios no Brasil e em Portugal

29/08/2013

Abra estes PDFs explicação completa:

 

A minha candidatura é o protesto do Povo!

25/06/2013

Minha candidatura é o protesto do povo

ADHEMAR DE BARROS

Devo a êste maravilhoso órgão de divulgação, mais esta oportunidade de continuar o meu diálogo com o povo brasileiro. Continuarei a fazê-lo na mesma linguagem das minhas palestras com a nossa gente em minhas peregrinações de tantos anos. Faço-o sem arrogância e sem imposições: de brasileiro para brasileiro, de igual para igual. Sei que, desde o mais humilde ao mais letrado, todos entendem a minha Mensagem de fé nos destinos da nacionalidade.

Uma longa jornada e uma extensa fôlha de serviços autorizam-me a falar com o povo e em nome dêsse mesmo povo, em nome do Brasil e em nome da Democracia. Sou homem de partido. Sou homem de ideais democráticos, homem de postulados políticos. Sou candidato, mas não o sou por imposições pessoais ou de grupos. Luto sòzinho. Não tenho pelas minhas costas, a impulsionar-me, nem o Govêrno Federal nem o Govêrno do Estado de São Paulo.

Eu não tenho os apoios oficiais, nem os apoios particulares. Eu só tenho você, brasileiro. E, só com você, eu tenho, graças a Deus, mais do que os meus opositores, pois o que vale é o voto e não essa avalancha de dinheiro que pode comprar políticos, mas não compra a consciência cívica dos brasileiros. Sou, portanto, candidato para vencer. Eu sinto que o povo repele a propaganda milionária dos candidatos dos Bancos oficiais do Poder Central e do Estado de São Paulo e dos grupos financeiros que temem a vitória de quem não tem compromissos com êles, mas apenas com as massas sofredoras da nossa terra.

Eu só tenho você brasileiro, que não tem o direito ao pão de cada dia, porque os preços estão pela hora da morte. Eu só tenho você, desabrigado, doente, sem trabalho, que precisa mais de um govêrno humano do que de palácios, espadas ou vassouras. Você, sem casa e sem pão, mas com a alma forte e corajosa. Você que aprendeu, nas vicissitudes por que tem passado, a retemperar a coragem cívica e protestar, através do voto que não se vende, contra êsse estado de coisas. Eu só tenho você, trabalhador espoliado do seu salário, que não lhe permite ter casa para morar, leite e escolas para os seus filhos.

Você, meu companheiro de lutas democráticas, você, povo, sabe que não gosto de acusar ninguém. Gosto, isto sim, de esclarecer a opinião pública. Eu não tenho inimigos pessoais. Os meus inimigos são os inimigos do povo. Se protesto, se mostro erros e desacertos, é porque os vândalos da nossa Economia, os grupos parasitários e os seus candidatos sem partidos, querem tirar ao povo o seu direito de livre escolha. Aí estão as marchas e contramarchas de candidatos que procuram assustar a opinião pública com ameaças de golpes e sangue nas ruas brasileiras, onde deveria correr sòmente a abundância de alimento e progresso. Aí estão as iras da derrota iminente que vem solapando, inclusive, o prestígio pessoal do Presidente JK.

Eu o avisei, de amigo para amigo, de brasileiro para brasileiro, de que uma candidatura imposta seria um abuso capaz de dar nisso que todos estão vendo: essa volúpia de ofensas de dois candidatos que se digladiam em praça pública, ao invés de apresentar idéias ou programas. Aí estão as reviravoltas do oportunismo. Aí estão as ideologias exóticas transparentes, que tomam as côres do momento, ao bel-prazer do oportunismo.

Novas armadilhas são preparadas para o povo, inclusive nas promessas de continuísmos dêsse estado de coisas, com palácios construídos a custa do pão do trabalhador. Então aí as artimanhas, as maquinações da intriga, o ópio com que pretendem dopar as nossas consciências, lançando carradas de papel com rótulo de dinheiro, um papel que não dá para pagar a conta do trabalhador no fim do mês. Aí está, também, a miragem da sêde do Poder a qualquer preço, ainda que seja o preço das maquinações realizadas em viagens nababescas fora da nossa Pátria.

cÉ o protesto do único partido que tem candidato próprio e leva à praça pública um ideal, uma ideologia de trabalho e progresso, com um programa realista e uma Plataforma, a única apresentada até agora ao povo. Eu protesto, portanto, em nome do povo contra a ameaça de agressão à Democracia. Eu protesto contra a deturpação do regime. Se não vamos entrar numa guerra, para que espada? Se não vamos fazer ditadura, mas democracia, para que precisamos do ódio, da vingança, das perseguições e do juízo final, a que se propõe o homem da vassoura?

ademar

Pelos símbolos se conhecem os homens. Um apresenta por símbolo, que é aquilo que deve haver de melhor em sua alma, uma vassoura que, por sinal, serviu de símbolo a tôdas as feiticeiras do passado; o símbolo do mal. O outro, apresenta uma espada, símbolo da prepotência e da fôrça. É por isso que o povo já anda dizendo, com a sua sabedoria divina, que Entre a Fôrça do Mal e o Mal da Fôrça, símbolizados na vassoura e na espada, eu sou o caminho. O caminho da Democracia, da Verdade e do Entendimento, simbolizado num salva-vidas que é o de que a Nação anda precisando neste caos em que se debate.

Eu protesto. Eu não deixarei esta ânsia de poder a qualquer preço chegar à agressão ao direito do voto livre. Em 3 de outubro, o povo brasileiro vai ajudar-me a dar uma lição de Democracia a êsses senhores.

Agora mesmo estamos vendo a confirmação dos meus cálculos de aumento dos preços de gêneros. Está publicada no Correio da Manhã do dia 28 de agôsto último. Eu disse que os preços tinham encarecido 50 anos em 5. A banha aumentou 350% ! A batata, a cebola, o feijão, a farinha de mandioca, o milho e até o amendoim subiram até 600%.

Nunca se viu isto em nossa História. Agora, eu pergunto: onde está o candidato da Oposição que não apresenta solução verdadeira para a alta desmedida dos preços, chegando mesmo a louvaminhar o govêrno do Senhor Juscelino em muitas de suas manifestações, como o fêz recentemente em Brasília? E o candidato do govêrno terá uma boa defesa para essa alta astronômica do custo da vida, quando o govêrno gasta bilhões para uma obra faraônica?

Não, brasileiros! Não farão nada pelo povo, simplesmente porque ambos são candidatos dêles próprios, sem partidos, sem ideais e sem programas.

Eu converso com o povo e lhe digo que, de início, sustarei as emissões desenfreadas; modificarei a distribuição orçamentária, dando 30% ao município, 30% ao Estado e 40% à União; darei preferência, nesse orçamento, aos Ministérios da Educação, Saúde e da Agricultura, não como ora se faz, quando os três Ministérios, Aeronáutica, Marinha e Exército, consomem mais de 50% do orçamento num país pacífico como o nosso, dentro de um mundo dominado por potências que podem anular as nossas fôrças com as suas fabulosas bombas de hidrogênio e atômicas e com as suas frotas aéreas, de teleguiados de capacidade arrasadora nunca vista.

Eu tenho programa e tenho idéias. Quero o Govêrno não para fazer prevalecer a ganância de grupos, sejam os ora dominantes ou os inconformados que vão buscar um candidato fora de suas hostes sòmente para se servirem dêle e não para servir o povo.

Eu não sou problema. Não sou a inflação arrasadora de situações econômicas ou morais. Não sou o alto custo da vida para o qual não contribuí, pois em meus governos, realizando mais que todos os governos, jamais aumentei impostos ou taxas. Eu não sou a fome. Não sou a doença do corpo, nem a doença da alma, nem a doença do regime. Não sou o desemprêgo e nem a falência da Previdência Social. Não a pompa e nem o desperdício. Não sou a volúpia do poder, nem o ódio ou a vingança. Não sou a espada, nem a vassoura: sou o salva-vidas. Sou a solução. Sou a solução para o Brasil, como fui, mercê de Deus, a solução para São Paulo. Sou a solução do Brasil, porque sou a solução para o homem do Brasil e para o regime democrático.

A candidatura do povo está intacta. A vitória do povo, ninguém a tira. A plataforma de govêrno do povo é a resposta aos seus algozes, aos prepotentes e aos místicos da política. Vamos abrir novos caminhos para o Brasil. O Brasil tem um lugar reservado entre as potências em choque. O Brasil será aquela potência moral, que atuará como um freio entre as ideologias em luta. O mundo fica cada vez menor. Um conflito mundial pode causar danos indiretos ao Brasil.

Vamos lutar pela paz, com os nossos instrumentos de trabalho. O trabalho será a nossa linguagem democrática perante os outros povos. Mas trabalho que não seja castigo: trabalho que seja libertação! Vamos abrir os nossos portos ao mundo inteiro. Vamos vender e comprar, vamos negociar, em têrmos honestos, com todos os países do mundo. Mas vamos mostrar, com o nosso trabalho, com a organização da nossa vida, que esta é uma Democracia. Isso será o mesmo que dizer aos outros povos: esta é uma Democracia. Respeitai-a e vivereis felizes!

Vamos falar a linguagem da nossa tradição cristã, que é a linguagem do amor e não o ódio! Não nos vamos unir a ninguém para ir contra ninguém. O Brasil não entrará em guerra. Não pode entrar, pois temos que realizar uma guerra muito mais digna, aqui dentro mesmo: a guerra contra a fome, a sêca, o desabrigo, o desemprego e o subdesenvolvimento. Para isso, eu tenho uma plataforma de govêrno. E essa plataforma de govêrno traz as soluções para o homem do Brasil. A sua valorização e a valorização do seu trabalho. O pão, a água, a casa, a terra, o trabalho, a saúde, a educação. Uma coisa está ligada a outra. Por isso, solucionando o problema da saúde, com assistência real, postos de saúde, maternidades, assistência volante que atinja até o coração da Pátria, teremos um homem saudável. Mas é preciso educá-lo, dar-lhe escolas, cartilha, tabuada, transporte, merenda, tudo gratuito, principalmente a escola técnica, o artesanato, as escolas profissionais.

É preciso, também, remunerar o mestre de acôrdo com seus altos deveres, sem cercear as atividades legítimas do ensino particular onde temos tido a grande fôrça libertadora da ignorância em nossa terra. Somam as milhares as escolas religiosas e são incontáveis as ações dos missionários que levam até o índio a palavra da verdade, porque instrução é verdade. Quanto à terra, o homem deve conquistá-la com irrigação, instrumentos próprios, créditos, máquinas, sementes. A saúde e a instrução lhe darão maior capacidade de trabalho, e mais pão para todos. Não basta dar terra ao homem: é preciso dar o homem à terra! Com a liberdade sindical, previdência atuante e permanente, salário justo, as condições de trabalho melhoram. E, aí, o homem precisa da industrialização. O aço é a matéria-prima do progresso. Centenas de siderurgias nos darão aço suficiente para a industrialização. E aço quer dizer fartura. Com aço desencadearemos a espiral, não da inflação, mas do próprio desenvolvimento.

Transporte, Energia, Saúde e Educação devem ser resolvidos pela criação de sistemas de rêdes completas. Não adiantam as providências estanques. Por onde passar a Energia Elétrica, passarão o transporte, o médico e o livro.

Os recursos para realizar todo um programa de govêrno estarão à disposição no meu govêrno, com estas providências: a) eliminação das despesas supérfluas; b) reforma do orçamento; c) melhor distribuição das rendas, com 30% para os Municípios, 30% para os Estados e 40% para a União, como atrás falamos. O Município executará quase tudo e a União planificará quase tudo.

O princípio básico será: centralizar para planificar e descentralizar para executar.

A par disso, teremos que realizar o aumento da produção e das vendas para o exterior. Aumento da produção do petróleo para economizar divisas, bem como do trigo e do papel de imprensa. Venda em melhores condições do nosso minério de ferro, que nos poderá dar tanto quanto nos dá o café. Criação da cooperativa do café, para libertar os cofres públicos da sustentação cara dos preços. E, para baixar o custo da vida, a solução será a Reforma Tributária. Taxação pesada sôbre os artigos de luxo e as rendas altas. Libertação dos artigos e gêneros de primeira necessidade e dos salários. Salário não é renda, tenho afirmado e, se eleito, provarei que resolverei êsse problema.

Assim tenho falado ao povo nas minhas peregrinações por êste imenso País. Assim continuarei falando através dos órgãos de divulgação como esta brilhante Revista. Assim falarei quando eleito Presidente da República, porque gosto de dialogar com o povo e sei que lhe interpreto as mais sentidas aspirações. Assim irei falando, trabalhando, realizando a exemplo do que fiz em São Paulo e, agora, na Prefeitura da cidade que mais cresce no mundo, até que possamos construir um Brasil Melhor dentro de um Mundo Melhor.

A minha saudação a O Cruzeiro e, através dêste instrumento portentoso da opinião pública, a todo o povo brasileiro: Para a Frente e Para o Alto!

Desta Vez, Vamos!

Foi a Turma do Palácio do Planalto que começou tudo

18/06/2013

Todo CUIDADO é pouco! Líderes são petistas, funcionários da Presidência. O que falta ao movimento é a estratégia de conhecer seu inimigo.

Polícia identifica suspeitos de liderar manifestação de sexta-feira (14), em Brasília
http://globotv.globo.com/globo-news/jornal-das-dez/v/policia-identifica-suspeitos-de-liderar-manifestacao-de-sexta-feira-14-em-brasilia/2640187/