Posts Tagged ‘politicamente correto’

Europa vive nova invasão bárbara – Até o Papa já denunciou – No meio desta invasão centenas de terroristas mulçumanos e criminosos de todos os tipos

28/11/2014

10406461_720220714696316_772048986734252242_n

Inversão de valores – Inversão de valores – Inversão de valores – Inversão de valores –

02/10/2014

10672261_878019842216858_2465682386306046461_n

Defenda a Polícia do Brasil de seu pior inimigo: Jornais e jornalistas – Converse com seu filho

05/04/2014

1622827_619365754797866_519304794_n

1977146_1478154845730150_505981627_n

10151362_431191497024472_858341092_n

A miséria humana do Politicamente Correto

22/02/2014

Se o problema do Politicamente Correto fosse só hipocrisia estaria de bom tamanho.

1604867_1539536352937601_991801211_n

O Politicamente correto é de defender e fazer apologia a todo crime cometido por negros, esconder todo crime contra branco, esconder todos os crimes dos países comunistas, do MST, etc, fazer a defesa aberta do crime e odiar a PM.

Alguns exemplos:

O politicamente correto censura a violência das gangs de negros nos EUA que dão “voadoras” em brancos deixando com o rosto destruído, censura as centenas de estupros de mulheres brancas na Europa feita por imigrantes africanos.

O Politicamente Correto esconde os 80 mil brancos mortos da Era Mandela na África do Sul.

O Blog do Homem Culto tem dado toda semana fotos de brancos detonados na África do Sul, fotos sistematicamente censuradas pelos politicamente corretos na grande imprensa.

download

Branca de Neve Politicamente Correta – Rejeita o Príncipe símbolo da Classe Dominante

27/09/2013

1234936_435555889886362_33991671_n

A mulher sadia e a mulher feminista

12/09/2013

1238915_226797874142490_982751595_n

O politicamente correto feminismo deu nisso

07/09/2013

1175655_608340559188369_375933007_n

O Politicamente Correto destruiu a Universidade

14/08/2013

“Radicais nas universidades mostra como a educação superior nos Estados Unidos, em especial nas faculdades de ciências humanas, sofreu uma completa transformação que teve início nos anos 1960 e hoje atinge o seu ápice. Essa mudança foi a total politização das discussões, interesses e critérios acadêmicos em prol de certos grupos sociais e ideologias.
Na atualidade, o ambiente acadêmico vive sob a ditadura do politicamente correto e do único critério que serve para julgamento e decisão do que quer que seja dentro desse ambiente: partidismo. Roger Kimball aponta a farsa que são as carreiras acadêmicas nas áreas das ciências humanas em todas as universidades americanas. Mostra ainda a mediocridade, a infantilidade, a perversidade e a mesquinhez que imperam nesses departamentos.

1150129_351622044967864_1349220141_n
Como tudo que é nonsense, a realidade descrita por Kimball garantirá algum divertimento ao leitor, mas, ao fim, a sensação será de amargor e desânimo pela constatação do elevado grau de deformação da cultura acadêmica contemporânea. Essa mesma deformação aconteceu no Brasil com uma diferença: aqui, o fenômeno nem sequer foi percebido.
A resistência e a crítica praticamente inexistiram nos meios acadêmicos locais. Em parte porque, no Brasil, as atividades nos departamentos de ciências humanas nunca passaram de um pálido reflexo dos modismos acadêmicos europeus que agora imperam também nas principais faculdades dos Estados Unidos. Em nosso país, o pior ainda está por vir: a importação do ideário politicamente correto que sufoca e debilita o ensino nos Estados Unidos, como o leitor poderá constatar em Radicais nas universidades.”

12980_634558929888244_1069829767_n

O que é o Politicamente Correto:

09/08/2013

559701_502211179854966_1269834740_n

O Comunismo nos Estados Unidos

22/07/2013

Íntegra do antigo Projeto de Lei n° 60 – PLC 3/2013 – que libera o Aborto no Brasil

10/07/2013

Projeto de Lei n° 60 de 1999.

(Da Sra. Iara Bernardi)

Dispõe sobre o atendimento às vítimas de violência sexual.

o Congresso Nacional decreta:

Art. 1°. Considera-se violência sexual, para os efeitos desta Lei, qualquer forma de atividade sexual não consentida.

Art. 2°. Violência sexual é situação de emergência média, devendo receber atenção imediata e serviços especializados nos hospitais públicos e particulares.

Art. 3°. Os hospitais deverão oferecer às vítimas de violência sexual atendimento multidisciplinar para controle e tratamento dos diferentes impactos  da ocorrência, do ponto de vista e emocional.

Art. 4°. O atendimento imediato, obrigatório em todos os hospitais públicos que tenham Pronto Socorro e Serviço de Ginecologia, compreende os seguintes serviços:

I – diagnóstico e reparo imediato, das lesões físicas no aparelho genital e no aparelho digestivo baixo;

II – amparo psicológico imediato;

III – facilitação do registro da ocorrência e encaminhamento delegacias especializadas com informações que possam ser úteis para a identificação do agressor e comprovação da violência sexual;

IV – medicação com eficiência precoce para prevenir gravidez resultante de estupro;

V – medicação para prevenir doenças sexualmente transmissíveis;

VI – medicação eficiente para prevenir o contágio da Aids;

VII – coleta de material e utilização de técnicas especializadas para, através de teste DNA, identificar o agressor.

Art. 5°. Esta lei entra em vigor 90 (noventa) dias após a sua publicação.

Art. 6°. Revogam-se as disposições em contrário.

Justificativa

A incidência de abuso sexual tem aumentado nos últimos anos, atingindo o status de verdadeiro flagelo social.

Nos Estados Unidos, segundo estimativa da Anonymous Sexual Association, ocorre um estupro a cada seis minutos. No Brasil, certamente, as cifras não são muito inferiores.

Em levantamento das ocorrências do Setor de Sexologia do Instituto Médico Legal de São Paulo, foram observadas 2.403 queixas de abuso sexual, em 1995, sendo que 1.665 (69,77%) das vítimaram meninas e adolescentes com idade inferior a 18 anos, 547 (22,77%) mulheres com idade acima de 18 anos e 191 (7,94%) em meninos.

Está comprovado que as vítimas de violência sexual apresentam também, além do trauma decorrente da ,violência, complicações físicas e psicológicas.

A própria demora no atendimento às pessoas vítimas de violência Ctp, sexual é um fator de constrangimento que agrava seus estado emocional já  abalado.

O presente Projeto de Lei visa o atendimento integral e imediato que esses casos exigem, ao mesmo tempo que é importante medida no combate à impunidade.

Se as vítimas estiverem conscientes de que terão atendimento condigno deixarão de ter receio de ser expostas a novas violências como chacotas e indignidades, que, muitas vezes, hoje em dia afastam a possibilidade de persecução penal dos agressores, porque a vítima prefere ficar calada.

Aliar o atendimento médico e multidisciplinar às facilidades de acesso à polícia beneficiarão, e muito, a efetividade da punição.

No sentido de tentar minorar o sofrimento das vítimas de violência sexual, estamos apresentando este Projeto de Lei e contamos contar com o apoio dos ilustres Pares para a sua aprovação.

Sala das Sessões, em 23 de Fevereiro de 1999.

Deputada IARA BERNARDI

A “Elite Branca” não dá oportunidades – O Resultado é esse aí:

08/07/2013

Esse cidadão aprontou e foi linchado: A questão é que ele não teve oportunidade.

1045123_135717623301516_728505379_n

0000r

A Elite Branca que não dá oportunidade – Aqui, a Elite de nossa Poesia

Católicos sendo assassinados barbaramente na Síria por adeptos Religião de Alá – Ninguém reclama para não ser preso por “”PRECONCEITO””

09/06/2013

Auto – Censura

Maioria Silenciosa sai do armário em Paris – Marcha Pacífica da Família – Vive la France

26/05/2013

Na França que vive a segunda Catástrofe Socialista, ateia, anti-cristã, anti-família, a gente boa e honesta, humildade e calada, saiu novamente nas ruas sem quebradeira e sem violência para dizer não a Marriage Gay.

Nossas orações por eles.

#ManifPourTous = 0 vitrine cassée, 0 voiture brûlée, 293 arrestations et 231 GAV. A comparer avec le Troca donc ..

942888_632781103418707_772176992_n

Efeito Orloff do Politicamente Correto:

26/05/2013

Primeiro prenderam católicos não me incomodei, são idólatras,

depois prenderam brancos, não me incomodei, são racistas e opressores,

depois prenderam evangélicos, não me incomodei, são fanáticos,

depois prenderam heterossexuais, não me incomodei, são preconceituosos,

depois prenderam tucanos, não me incomodei, são reacionários,

depois me prenderam alegando que eu não tinha matado ninguém de direita e que apenas debatia com eles.

Para quem é culto e antipoliticamente correto: Seguir no Twitter:

15/11/2012
@ReginaBrasilia
@realDonaldTrump
@marlonreis
@StevenErtelt

@rupertmurdoch
@FelipeCalderon
@AlvaroUribeVel

@marlonreis
@aldorebelo
@TeaPartyReport
@mises
@michellemalkin

@PoliticPARIS
@27tournelle
@leafetiche
@FrancoisFillon
@jf_cope
@Aflery
@aourell29
@twitttbretonn
@Mamzelle_Peace

Monstros Policamente Corretos censuram Mark Twain nos EUA, e a macacada daqui copia e censura Monteiro Lobato

20/09/2012

É preciso criminalizar o politicamente correto antes que seja tarde demais:

 

=

DIVULGUE A CAMPANHA:

Mexeu com Monteiro Lobato, Mexeu comigo:

=

 

Aprovado o Primeiro dia do Orgulho Heterossexual do Brasil, em Arraial do Cabo, Rio de janeiro,

19/08/2011

 

Os vereadores de Arraial do Cabo, na região dos Lagos do Rio de Janeiro, aprovaram na última terça-feira (16) um projeto de lei que cria o dia do orgulho heterossexual. O autor da proposta, Fabrício Vargas (PMDB), líder do governo na Câmara, admite que a ideia foi inspirada no projeto idêntico apresentado na Câmara Municipal de São Paulo pelo vereador Carlos Apolinário (DEM), cujo veto já foi anunciado pelo prefeito Gilberto Kassab.

Dos nove parlamentares da câmara de Arraial, seis estavam presentes. Todos votaram a favor. O prefeito Wanderson Cardoso de Brito (PMDB), o Andinho, terá 15 dias úteis para sancionar a lei, a partir do momento que estiver com o projeto em mãos.

Até está quinta-feira (18), segundo a assessoria de imprensa, a proposta ainda não havia sido encaminhada pela Câmara. A assessoria informou ainda que Andinho estava em viagem e, por esse motivo, só tomará conhecimento do teor do projeto nesta sexta-feira (18).

Combatendo o PT, combatendo a corrupção, combatendo o bom combate, combatendo o politicamente correto

16/08/2011

Se você não agüenta mais que o terrorismo rural seja chamado de movimento social,
Se não agüenta mais o desgoverno do PT fabricar conflitos raciais,
Se você não agüenta mais cotas e cotas,
Se você é contra latifúndios indígenas e do mst,
Se você não agüenta mais padres de passeata apoiaram a aborteira Marthóxica,
Se você não agüenta mais filhos da puta dos DH darem a vida por bandidos e difamarem de todas as maneiras os policiais,
Se você não agüenta as “católicas” pelo direito de decidir,
Se você não agüenta mais todos os jornais chamarem o Exército de Caxias de torturador,
Se você não agüenta mais ver quem produz a riqueza do Brasil ser humilhado e chamado de explorador,
Se você não agüenta mais ser chamado de reacionário,
Se você não agüenta mais o PT e tudo que ele representa de podre, ruim e nojento,
Se você não agüenta mais aquelas patricinhas cariocas que se entregam para bandido de favela,
junte-se a nós:

Como vencer um debate sem ter razão: O que fazer quando se fica sem argumentos:

31/07/2011

=

como vencer debate sem ter razão

a história dos politicamente corretos em vídeo

31/05/2009

The history of political correctness http://video.google.com/videoplay?docid=8630135369495797236

 Documentário interessante que achei. Espero que gostem.

A liberdade e a esquerda

17/01/2009
A maior parte das pessoas na esquerda não se opõe à liberdade. Elas apenas são favoráveis a todo tipo de coisas que são incompatíveis com a liberdade.

Liberdade significa, no fim das contas, o direito de as pessoas fazerem coisas que nós não aprovamos. Os nazistas tinham o direito de ser nazistas sob Hitler. Somos livres apenas quando somos capazes de fazer coisas que outros não aprovam.

Um dos mais aparentemente inocentes exemplos das muitas imposições da visão da esquerda sobre os outros é a difundida exigência das escolas e universidades do “serviço comunitário”, para admissão de estudantes.

Há escolas de ensino médio em todo o país em que você não se forma, e faculdades em que você não entra, a menos que tenha se engajado em atividades arbitrariamente definidas como “serviço comunitário”.

A arrogância de se confiscar o tempo dos jovens – em vez de deixá-los (e a seus pais) livres para decidir como usar seu tempo – só não é maior que a arrogância de se impor o que é ou não é um serviço à comunidade.

Trabalhar num abrigo de sem-teto é amplamente considerado um “serviço comunitário” – como se ajudar e se acumpliciar com a vagabundagem fosse necessariamente um serviço, em vez de um desserviço, à comunidade.

Estará a comunidade mais bem servida com mais desempregados vagando pelas ruas, agressivamente mendigando pelas calçadas, urinando nos muros, deixando agulhas e seringas nos parques onde as crianças brincam?

Este é apenas um dos muitos modos em que a distribuição dos vários tipos de benefícios a pessoas que não trabalham rompe a conexão entre produtividade e recompensa.

Mas essa conexão permanece tão inquebrável como sempre esteve para a sociedade como um todo. Você pode fazer de qualquer coisa um “direito” para indivíduos ou grupos, mas nada é um direito para a sociedade como um todo, nem mesmo comida ou abrigo, que têm de ser produzidos pelo trabalho de alguém ou eles não existirão.

Para alguns, o que “direitos” significam é forçar outras pessoas a trabalharem para o benefício deles. Como uma frase de pára-choque de caminhão diz: “Trabalhe duro. Milhões de pessoas on welfare [vivendo dos programas sociais do governo] estão dependendo de você.”

O mais fundamental dos problemas, contudo, não é que atividades particulares são exigidas dos estudantes sob o título “serviços comunitários”.

A pergunta fundamental é: O que, afinal, qualifica professores e membros das comissões de admissão das faculdades a definir o que é bom para a sociedade como um todo, ou mesmo para os estudantes sobre os quais são impostas suas noções arbitrárias?

Qual especialidade eles têm que justifica sobrepor-se à liberdade dos outros? O que suas imposições mostram, exceto que “os idiotas abundam onde os anjos temem pisar”1?

Que lições os estudantes aprendem disso, exceto a de submissão a um poder arbitrário?

A finalidade é, supostamente, a de que os estudantes adquiram um sentido de compaixão ou nobreza por meio do serviço aos outros. Mas isso depende de quem define compaixão. Na prática, isso significa forçar os estudantes a se submeterem à propaganda para fazê-los receptivos à visão de mundo da esquerda.

Estou certo de que aqueles favoráveis às exigências de “serviços comunitários” entenderiam o princípio por trás das objeções a esses serviços se exercícios militares fossem exigidos nas escolas de ensino médio.

De fato, muitos que promovem o “serviço comunitário” obrigatório são fortemente contrários ao treinamento militar mesmo voluntário nas escolas de ensino médio e faculdades, embora muitos outros considerem esse treinamento como uma contribuição à sociedade muito maior que alimentar pessoas que se recusam a trabalhar.

Em outras palavras, esquerdistas querem o direito de impor suas idéias do que é bom para toda a sociedade – um direito que eles veementemente negam àqueles cujas idéias do que é bom para a sociedade diferem das deles.

A essência da intolerância é recusar aos outros os direitos que você exige para si próprio. Tal intolerância é inerentemente incompatível com a liberdade, embora muitos esquerdistas fiquem chocados de serem considerados oponentes da liberdade.

Townhall   com

Tradução de Antônio Emílio Angueth de Araújo

Reinaldo Azevedo narra a proibição de se falar mal de Marta e Obama

19/10/2008
ELEIÇÃO NOS EUA – A DITADURA POLITICAMENTE CORRETA

 

O raciocínio torto de Chico de Oliveira (acima), segundo quem a esquerda não vencerá em São Paulo por causa da mistura de conservadorismo e imediatismo não é produto nativo. É internacional. Buscar uma causa que está fora do debate para desqualificar o oponente passou a ser um recurso argumentativo e retórico das esquerdas no mundo inteiro — inclusive da esquerda possível nos EUA: aquilo que lá eles chamam “liberais”.

O democrata Barack Obama lidera todas as pesquisas de opinião. É verdade que não disparou como se esperava. A julgar pelo amor que as imprensas americana e mundial têm por ele, deveria ser apenas homologado — “como é que este homem não está com 100%?”, parece ser a pergunta. Mesmo assim, é impressionante: os jornais, do Brasil e do mundo, estão eivados pela tese calhorda, mentirosa e antidemocrática de que só o racismo pode derrotá-lo. Vocês devem achar que é uma sacada original de Arnaldo Jabor, mas não é. É palavra de ordem do Partido Democrata mesmo.

Com efeito, criou-se uma tal onda pró-Obama, que é bem possível que alguns tenham vergonha de dizer que não votam nele e mintam para os pesquisadores. Ora, aqui no Bananão mesmo, se você disser que torce por John McCain, há o risco de receber um olharzinho atravessado: “Huuummm, porco racista!”, diz o silêncio do outro lado.

Entenderam a jogada? O paulistano está proibido de não gostar da gestão de Marta — na verdade, isso seria, para os esquerdistas, uma espécie de falha de caráter, pouco importa se consciente. E os americanos estariam impedidos de deixar de votar em Obama porque, Santo Deus!, ele nunca administrou nem mesmo uma joalheria — eu ia escrever “lavanderia”, mas, vocês sabem, ele é mestiço, e não posso associá-lo a serviços subalternos. Isso, hoje em dia, só se pode fazer com brancos há pelo menos sete gerações…

Chegou-se, enfim, à boçalidade de considerar, ainda que isso fique apenas subentendido, que a única forma de ser civilizado é votar em Obama. Ora, extingam a eleição.

E alguns ainda me perguntam por que torço por McCain. Não fosse por uma outra penca de razões, muitas já ditas aqui e em O País dos Petralhas, esse aparelho mental detestável me bastaria. Nada me deixa mais furioso do que tentarem me colocar numa “manada”, repetindo palavra empregada por Rui Nogueira, do Estadão, na generosa resenha que fez do meu livro. Não conseguiria pensar envergando uma canga.

Só faltava agora ter de exigir o direito de não votar em Obama porque, afinal de contas, é possível duvidar de sua competência. É a ditadura politicamente correta.

Por Reinaldo Azevedo | 06:03 | comentários (23)

politicamente correto, Não deixe de ler, o mundo em português, Excelente blog português – irmãos maravilhosos os portugueses

27/08/2008

http://espectivas.wordpress.com/o-que-e-o-politicamente-correcto/

AS NOVELAS POLITICAMENTE CORRETAS DA REDE GLOBO.

07/08/2008

AGUINALDO SILVA em entrevista à Folha de S. Paulo, em 30 de setembro de 2007:

NOVELAS DA GLOBO RECHEADAS DE CENSURA POLITICAMENTE CORRETA: SOLUÇÃO: NÃO ASSISTIR NOVELAS DA GLOBO. 

  “Tenho 64 anos, não preciso mais viver de aparências, fazer média. Não há nada que me impeça de dizer a verdade, o que sinto”. Dito e feito. Na entrevista à Folha, apesar da vigilância de uma assessora da Globo que anotava cada palavra, ele mandou ver. Criticou até novelas da emissora (“assoladas pelo maniqueísmo e o politicamente correto”).
E detonou José Dirceu, que inspirou o protagonista de “Duas Caras”. Ex-ministro de Lula e deputado cassado pelo mensalão, Dirceu, no passado, fez plástica em Cuba para mudar de rosto e, de volta ao Brasil, casou-se usando falsa identidade para fugir da perseguição na ditadura. Com a anistia, revelou-se à mulher, com quem tivera um filho, e se separou. “Quem faz isso é capaz de qualquer coisa. Tenho medo dele.” A seguir, trechos do papo com Silva, que se vangloria de só ter no currículo novelas das oito, nenhuma das seis ou sete, e que fará a primeira com imagem de alta definição da Globo.””‘

 

 

Do orkut sobre o Politicamente correto

28/07/2008
“””””””””””””””Um dos sinais mais alarmantes da castração da liberdade do povo vem através da ditadura do politicamente correto. Essa corrente ideológica tende a relativizar tudo em nome da defesa das “diferenças” e por mais “igualdade” (Já é contraditório diferença e igualdade no mesmo conceito, rs).

O PC ignora que um casal gay não tem estrutura para criar uma criança;
O PC ignora que o sujeito vira bandido porque quer, e não por ser vítima da sociedade;
O PC ignora que os islamicas são racistas e não aceitam outras religiões;
O PC ignora que muitos negros também são racistas;
O PC ignora que fazer aborto é matar um ser humano;
O PC tem ódio em admitir que o cristianismo moldou os belos valores ocidente.
Conclui-se que toda a violencia e criminalidade de hoje, todo o consumo de drogas e dissolução da família é resultado da destruição sistemática dos valores cristãos pela militancia intelectual esquerdista junto com a legitimação do banditismo como forma de protesto social. “””””””””””‘

Quem é a favor? Quem é contra?

12/04/2008

1- ser a favor do homosexualismo
2- pensar que todos somos iguais
3- pensar que não existe cultura superior a outra
4- ser crente e enxer o rabo do pastor de grana ( embora os crentes sejam contra o homosexualismo)
5- pensar que o movimento hip-hop prega a paz e recupera os jovens da marginalidade
6- ser a favor da politica de esmola e acomodação do governo luís viado mula da silva
7- afirmar que raças não existem
8- achar que o carnaval é bom e traz respeito para o nosso país
9- achar que bandido é coitadinho e vitima da sociedade
10- ficar se sentindo culpado por pertencer a classe média.

educação sem preconceito livros infantis contos de fadas politicamente corretos verdadeira estória do Chapéuzinho Vermelho politicamente correta

24/01/2008

Era uma vez uma jovem chamada Chapéuzinho Vermelho que vivia à beira de uma floresta com grande biodiversidade mas cheia de espécies em perigo de extinção. Ela vivia com sua provedora de sustento, antigamente conhecida como “mãe”, embora o uso desse termo não implique que ela seria menos que uma cidadã se tal relacionamento biológico não existisse.

Nem tampouco há intenção de denegrir o igual valor das famílias não-tradicionais, embora nos desculpemos adiantadamente se porventura causarmos essa impressão.

Um dia sua provedora de sustento pediu à Chapéuzinho que levasse uma cesta de alimentos orgânicos livres de produtos animais e água mineral à sua vovózinha.

“Mas mãe, se eu fizer isso não estarei tirando o sustento dos trabalhadores sindicalizados que têm lutado há anos pelo direito de carregar todas as encomendas entre os habitantes da floresta?”

A provedora de Chapéuzinho garantiu a ela que havia preenchido o “Formulário de Missões Compassivas Especiais” e obtido a autorização do presidente do sindicato.

“- Mas mãe, você não está me oprimindo ao me mandar fazer isso?”

A provedora de Chapéuzinho explicou que era impossível uma mulher oprimir a outra, já que todas as mulheres serão igualmente oprimidas até que todas sejam livres da dominação masculina.

“Mas mãe, então por que não manda meu irmão carregar a cesta, já que ele é um opressor, e devia aprender como é ser oprimido?”

A provedora explicou que seu irmão estava participando de uma passeata pelos direitos dos animais, e que, ademais, aquilo não era tarefa estereotipadamente feminina, mas um ato de inclusão que promoveria o sentido de comunidade.

“Mas eu não estarei então oprimindo a vovózinha ao implicar que ela está doente e portanto incapaz de autogestão independente?”

A provedora de Chapéuzinho explicou que sua vovó não estava doente ou incapacitada, embora isso não implique que essas condições sejam inferiores ao que é conhecido como “saudável”.

Assim, Chapéuzinho partiu segura de que a idéia de entregar a cesta à sua vó era certa e que ela não fazia parte do capitalismo opressor excludente.

Muitas pessoas acreditam que a floresta é um lugar perigoso, mas Chapéuzinho sabia que isso era um medo irracional baseado no preconceito da sociedade patriarcal que considera o mundo natural como recurso a ser explorado, e portanto os predadores naturais seriam uma competição intolerável.

Já outras pessoas evitavam a floresta por medo dos assaltos, mas Chapéuzinho sabia que em uma sociedade verdadeiramente liberta das classes sociais, todas as pessoas marginalizadas poderiam ser aceitas e seu estilo de vida ser considerado como válido.

No meio do caminho para a casa da vovózinha, Chapéuzinho viu um lenhador e saiu da estrada para examinar algumas flores quando foi surpreendida pelo Lobo tido como  Mau pelas elites, que perguntou-lhe o que havia na cesta.

A professora de Chapéuzinho havia lhe advertido que não falasse com estranhos, mas Chapéuzinho tinha consciência social e havia decidido assumir controle de sua sexualidade, então ela respondeu ao Lobo que estava levando guloseimas para sua avó.

O Lobo respondeu “Minha querida, é perigoso para uma menina andar sozinha nessa floresta.”

Chapéuzinho disse:

-“Eu considero seu comentário sexista extremamente ofensivo, mas eu ignorarei devido ao seu status tradicional de excluído da sociedade que lhe causou estresse ao ponto de desenvolver uma visão de mundo alternativa e completamente válida. Agora, dê-me licença que eu vou seguir o meu caminho” e voltou à estrada em direção à casa da vovózinha.

Obedecendo ao arcaico pensamento ocidental decadente, o Lobo tomou um atalho que ele conhecia para chegar à casa da vovózinha antes de Chapéuzinho. Ele afirmou sua natureza de predador ao invadir a casa e engolir a vovózinha.

Então, livre das inibições causadas pelas noções tradicionais de gênero devido à sua militância entre os GLBT, ele vestiu a roupa da vovózinha e deitou na cama se escondendo debaixo das cobertas.

Chapéuzinho chegou e ofereceu à vovózinha: “Vovózinha, eu trouxe algumas guloseimas livres de crueldade animal para saudá-la no seu papel de sábia matriarca.”

O Lobo pediu “Chegue mais perto, minha criança, para que eu possa vê-la melhor.”

Chapéuzinho disse “Minh@ Deus@ do Céu! Vovó, que grandes olhos você tem. E que enorme e fino nariz você tem.”

O Lobo respondeu “Eu poderia ter feito uma cirurgia plástica mas eu não cedi às opressão estética da elite branca, minha filha.”

“E vovó, que dentes grandes e afiados você tem!”

O Lobo, que não aguentou mais aqueles insultos de especiesimo, e numa reação completamente justificada pela sua exclusão social, pulou da cama, agarrou a Chapéuzinho e abriu tanto sua bocarra que ela pode ver sua vovózinha espremida no estômago do Lobo.

“Peraí! Você está esquecendo algo!” disse Chapéuzinho bravamente.

“Você tem que pedir permissão antes de avançar para um nível mais profundo de intimidade!”

O Lobo, surpreso com aquela demanda, hesitou. No mesmo momento, o lenhador invade a casa com um machado na mão gritando “Renda-se!”

“E o que você pensa que está fazendo?” disse Chapéuzinho ao lenhador. “Se eu deixá-lo me ajudar, vou expressar falta de confiança em minhas habilidades, o que vai me levar à baixa estima.”

“Sua última chance, cidadã! Liberte essa espécie em perigo de extinção! Isso é uma operação do IBAMA!” gritou o lenhador. Quando a Chapéuzinho recuou surpresa, o lenhador reagiu cortando sua cabeça com uma machadada.

“Ainda bem que você chegou à tempo,” disse o Lobo. “Aquela opressora homofóbica e sua vó me atraíram para cá. Eu pensei que ia ser sacrificado pelo preconceito de espécie.”

“Não. Eu sou a verdadeira vítima aqui.” disse o lenhador. “Eu tenho tentado lidar com a minha infância na miséria e isso só fez aumentar meu trauma.” Então o Lobo se casou com o Lenhador na igreja com as bênçãos da CNBB e foram felizes para sempre.

Copiado do livro “Politically Correct Bedtime Stories: Modern Tales for for Our Life Times” do James Finn Garner.

pérolas do orkut, frases cérebres do orkut, extrema direita frases politicamente incorretas MAIS DA SABEDORIA DO ORKUT!

23/09/2007

“”””””””É extremismo de direita:achar que NUNCA há relação NENHUMA entre condições de miséria e criminalidade;achar que TUDO do politicamente correcto é errado e absurdo;

achar que toda a denúncia ou crítica de preconceitos é sempre estúpida;

achar que não existe racismo NENHUM no Brasil (e xingar quem acha que existe);

achar que os EUA estão sempre certos;

achar que “bandido bom é bandido morto”;

achar que a esquerda NUNCA tem razão em NADA.”””””””