Posts Tagged ‘cuba’

AÍ ESTÁ A PROVA DEFINITIVA: O PT ESTÁ NOS LEVANDO PARA UM FUTURO OBSCURO COLABORANDO PARA UMA 3ª GUERRA MUNDIAL

10/04/2014

O CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU E O PORTO CUBANO DE MARIEL CONSTRUÍDO COM DINHEIRO DOS BRASILEIROS:

10176079_262613220587104_8124558205359200007_n

Um relatório do Conselho de Segurança da ONU QUE POSTAMOS ABAIXO denunciou que o porto de Mariel, que foi financiado com nosso dinheiro com prejuizo da Saúde e Educação, sucateando nossas Forças Armadas, se destinava a dar suporte aos atos agressivos da Coréia do Norte.

Isso deixa claro que, a espionagem executada pelos EUA da qual a dona Dilma tanto reclamou, tem realmente fundamento e era para o nosso bem!

O porto de Mariel, inaugurado por Dilma a menos de tres meses, não tem função lícita, mas sim para servir de disfarce para o envio de armamento para o Ditador Kim Jong-un manter sua política ameaçadora com seu objetivo de causar o terror no oriente.

E vários países de políticas duvidosas além de Cuba, estão envolvidos nisso colocando todos estes sob séria suspeita.

Veja aqui o relatório da ONU de fonte direta:

United Nations S/2014/147
Security Council
Distr.: General
6 March 2014
Original: English

Trechos:

75 Mariel is being developed as a major deep-water port and free trade zone by a Cuba-Brazil
consortium, with the Cuban military controlled Almacenes Universal S.A. The port was
previously a submarine base and its development was formally opened on 27 January 2014.

36. Both consignments listed the same shipper, Cubazucar, and consignee, Korea Central Marketing & Trading
Corporation. Freight charges were payable as per the charter party.13 The ship’s agent, Consignataria Mambisa,
had been dealing with the OMM Vladivostok branch and on its invoices named the client as “Ocean Maritime
Management – Brasil”.

14 This points to involvement of a Brazil branch of OMM in this shipment.

TEXTO DA ONU COMPLETO:
http://reaconaria.org/wp-content/uploads/2014/04/ONU_N1423227.pdf

 

Veja a REPORTAGEM:
http://reaconaria.org/colunas/colunadoleitor/porto-cubano-financiado-por-dilma-e-usado-pra-contrabando-de-armas-para-coreia-do-norte/

1451558_625055994214477_8273779499560610112_n

Junte os fatos com as seguintes informações:

1 – Navio norte-coreano retido no Panamá levava mísseis cubanos para a Coréia do Norte:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/07/130716_panama_barco_entenda_cc.shtml

2 – Aviões Mig-21 encontrados em barco norte-coreano detido no Panamá
Aeronaves tinham armamento cubano não-declarado, dizem autoridades.


Até agora são 2 aviões Mig-21 e baterias antiaéreas e outros equipamentos.
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/07/avioes-mig-21-encontrados-em-barco-norte-coreano-detido-no-panama.html

3 – Rússia retoma a politica de manter bases militares no estrangeiro.
http://portuguese.ruvr.ru/2014_03_01/ministerio-da-defesa-da-federacao-russa-cuida-de-recuperar-as-bases-militares-no-estrangeiro-8298/

4 – Rússia planeja expansão militar em países latino-americanos.
http://oglobo.globo.com/mundo/russia-planeja-expansao-militar-em-paises-latino-americanos-11739493

Não se pode desconsiderar que, a Rússia e a China formam o bloco Euroasiático, no qual a Coréia do Norte está à reboque.

Não deixe de compartilhar isso, pois é preciso que todos saibam de toda esta sujeira.

RACHEL TERIA CORAGEM DE FALAR DISSO???

10176239_10201257950450795_28140776037122314_n

Why we spy on Brazil – O que os EUA já sabem sobre o Foro de São Paulo – Brasil-Cuba-Venezuela – e José Dirceu espião cubano

03/04/2014
<br /><br /><br />
 Brazil's President Dilma Roussef waits to address the audience during the 68th session of the United Nations General Assembly at the United Nations.<br /><br /><br />
Brazil’s President Dilma Roussef waits to address the audience during the 68th session of the United Nations General Assembly at the United Nations.

TIMOTHY CLARY / AFP/GETTY IMAGES

President Dilma Rousseff of Brazil canceled her visit to President Obama. She was offended because the United States was peeking into her electronic mail. You don’t do that to a friendly country. The information, probably reliable, was provided by Edward Snowden from his refuge in Moscow.

Intrigued, I asked a former U.S. ambassador, “Why did they do it?” His explanation was starkly frank:

“From Washington’s perspective, the Brazilian government is not exactly friendly. By definition and history, Brazil is a friendly country that sided with us during World War II and Korea, but its present government is not.”

The ambassador and I are old friends. “May I identify you by name?” I asked. “No,” he answered. “It would create a huge problem for me. But you may transcribe our conversation.” I shall do so here.

“All you have to do is read the records of the São Paulo Forum and observe the conduct of the Brazilian government,” he said. “The friends of Luis Inácio Lula da Silva, of Dilma Rousseff and the Workers Party are the enemies of the United States: Chavist Venezuela, first with (Hugo) Chávez and now with (Nicolás) Maduro; Raúl Castro’s Cuba; Iran; Evo Morales’ Bolivia; Libya at the time of Gadhafi; Bashar Assad’s Syria.

“In almost all conflicts, the Brazilian government agrees with the political lines of Russia and China, as opposed to the perspective of the U.S. State Department and the White House. Its more akin ideological family is that of the BRICS, with whom it tries to conciliate its foreign policy. [The BRICS are Brazil, Russia, India, China and South Africa.]

“The huge South American nation neither has nor manifests the slightest desire to defend the democratic principles that are systematically violated in Cuba. On the contrary, former president Lula da Silva often takes investors to the island to fortify the Castros’ dictatorship. The money invested by the Brazilians in the development of the super-port of Mariel, near Havana, is estimated to be $1 billion.

“Cuban influence in Brazil is covert but very intense. José Dirceu, Lula da Silva’s former chief of staff and his most influential minister, had been an agent of the Cuban intelligence services. In exile in Cuba, he had his face surgically changed. He returned to Brazil with a new identity (Carlos Henrique Gouveia de Mello, a Jewish merchant) and functioned in that capacity until democracy was restored. Hand in hand with Lula, he placed Brazil among the major collaborators with the Cuban dictatorship. He fell into disgrace because he was corrupt but never retreated one inch from his ideological preferences and his complicity with Havana.

“Something similar is happening with Profesor Marco Aurelio Garcia, Dilma Rousseff’s current foreign policy adviser. He is a contumacious anti-Yankee, worse than Dirceu even, because he’s more intelligent and had better training. He will do everything he can to foil the United States.

“To Itamaraty — a foreign ministry renowned by the quality of its diplomats, generally multilingual and well educated — the Democratic Charter signed in Lima in 2001 is just a piece of paper without any importance. The government simply ignores the election swindles perpetrated in Venezuela or Nicaragua and is totally indifferent to any abuses against freedom of the press.

“But that’s not all. There are two other issues about which the United States wants to be informed about everything that happens in Brazil, because, in one way or another, they affect the security of the United States: corruption and drugs.

“Brazil is a notoriously corrupt country and those ugly practices affect the laws of the United States in two ways: when Brazilians utilize the American financial system and when they compete unfairly with U.S. companies by resorting to bribery or illegal commissions.

“The issue of drugs is different. The production of Bolivian coca has multiplied fivefold since Evo Morales became president, and the outlet for that substance is Brazil. Almost all of it ends up in Europe, and our allies have asked us for information. That information sometimes is in the hands of Brazilian politicians.”

My two final questions are inevitable. Will Washington support Brazil’s bid for permanent membership in the U.N. Security Council?

“If you ask me, no,” he says. “We already have two permanent adversaries: Russia and China. We don’t need a third one.”

Finally, will the United States continue to spy on Brazil?

“Of course,” he tells me. “It’s our responsibility to U.S. society.”

I think that Doña Dilma should change her e-mail addresses frequently.

 

© Firmas Press

50 anos da Revolução de 31 de março de 1964 que salvou o Brasil – Sem a Revolução hoje seríamos um país comunista

27/03/2014

1964 é Hoje   – – – 1964 é Hoje 

Estudantes comunistas da Universidade Federal de Santa Catarina tiram a Bandeira do Brasil e colocam a bandeira comunista,

Estudantes patriotas colocam a Bandeira do Brasil no mastro novamente.

14:00 TV ALERG censura pronunciamento:

Neste momento, TV ALERJ corta sinal e censura sessão sobre 31 de março conduzida por Flávio Bolsonaro. Se vivêssemos em uma democracia, haveria também uma sessão em Brasília.

1186263_202497713245812_1068077625_n

1964 é Hoje

1522194_278781315621720_1862649147_n

1535704_548653168586638_2013359848_n

1009954_404113936402129_1070646562_n

1499622_555368114571431_1120180699_n

1978692_439830369485449_1629176467_n

1555318_832820540068760_1823353768_n

Apesar da retirada pelo Governo do 31 de Março do calendário comemorativo nacional, a lembrança do glorioso Movimento em defesa da Democracia, desencadeado pelo Povo Brasileiro em 1964, permanece mais viva do que nunca na sua memória.

31 de março de 1964 é a data histórica que marcou um “basta” contra os desmandos e a ausência de autoridade que o próprio Governo instalado patrocinava, com o propósito de levar o País ao caos e ao descontrole institucional.

1070095_654749851247652_412839489_n

Tal anarquia atendia à estratégia final que levaria à iminente instalação no País de um regime totalitário-sindicalista com inspiração bolchevista.

Instadas pela própria população, as Forças Armadas assumiram o comando das ações, atuando emergencialmente para restaurar a ordem, e, finalmente, dominar a subversão em todas as formas em que se manifestou.

1966907_648986838470860_2141324522_n

Daí em diante, o controle do Estado foi definitivamente restabelecido e reorganizada a administração nacional, que alcançou um desenvolvimento sustentado com sucessivos recordes de crescimento econômico.

1011755_10152661973395130_22105855_n

O tempo passou, muita coisa aconteceu nesses quarenta e sete anos, quase meio século, e o País recebeu, entre outros, um excepcional legado de infraestrutura básica, adquirindo, desse modo, energia para garantir a continuidade do progresso econômico.

Infelizmente, uma parcela de inconformados ainda trabalha negativamente, tentando alcançar os mesmos objetivos retrógrados do passado.

Assim, nuvens negras voltam a pairar, ameaçadoramente, nos nossos horizontes.

1979543_10152672074615130_1400411105_n

Eles, hoje, atuam de forma diferente. Não pela ameaça do terrorismo ou das guerrilhas e, sim, pela letra do manual “gramsciano” – passo a passo – com paciência e perseverança, procurando anestesiar a opinião pública por meio do favorecimento financeiro e da propaganda insidiosa.

Essa estratégia de “aparvalhamento” da Sociedade apresenta-se com as seguintes faces:

•Ocupação dos cargos públicos (e muitos privados), em todos os níveis, por militantes do partido do Governo;

•Suborno coletivo com dinheiro público, mormente, junto às populações menos favorecidas e sem acesso à informação de qualidade;

•Propaganda governista, por parcela da mídia mercenária, no rádio, nos jornais, na televisão e no cinema;

1979892_427331857410436_1410705601_n

•Atuação no setor educacional pelo controle dos currículos e dos livros didáticos, incluindo, aqui, a sutil penetração nos estabelecimentos militares de ensino;

•Uma fraca oposição político-parlamentar, caracterizando a figura do “partido único”.

Todo esse aparato, dirigido pelo comando centralizado de uma minoria atuante, tem transformado o regime brasileiro em autêntica ditadura, travestida de democracia virtual.

Dentro desse quadro, as Forças Armadas, como Instituição não cooptável por tais manobras, passaram a ser alvos de irresponsáveis medidas que visam ao seu enfraquecimento ou eventual extinção/substituição. Não só pela prática de sistemática campanha que tenta aviltar a história militar brasileira, como pela gradativa e perigosa redução de sua capacidade operativa.

1487389_767668519923748_966417542_n

Com insuficientes orçamentos, protelação das decisões para renovação do material de defesa e constantes reduções do padrão salarial do pessoal militar, tentam atingir o moral e a vontade da Instituição.

É preciso que os neófitos entendam que só existe soberania se ela for respaldada por força de defesa competente, e que sem soberania não pode subsistir o Estado nacional.

No cenário internacional, temos tido freqüentes exemplos de imposição da vontade do mais forte sobre países de expressão militar limitada.

Urge, portanto, que a atual Presidente contenha os arroubos dessa minoria inconseqüente, procurando anular-lhes as intenções mesquinhas, que poderão fazer recrudescer animosidades do passado, dificultando as legítimas ações governamentais e, até mesmo, comprometendo o equilíbrio institucional do País.

Por que não trabalharmos todos no sentido único de fazer crescer e desenvolver o Brasil no rumo de seu inexorável destino de grande nação?

O que querem, afinal, esses inconsoláveis perdedores?

1098423_486642188107430_1922216687_n

1486730_1415420378711216_260034876_n

1979611_1424234451158013_884480055_n

1009761_397706233672262_1635560534_n

AGORA VEJA O QUE É O PT NO GOVERNO

1150382_429040260575680_1633057595_n

Bj7EUJQIEAEeHGK

█ Jornalista que critica governo do PT é afastado de jornal do SBT no Paraná

O jornalista Paulo Eduardo Martins, evangélico e comentarista da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, participou nesta sexta (28) pela última vez do “Jornal da Massa”, apresentado às 7 da manhã.

Em sua conta no Facebook, ele anunciou sua saída do matutino: “Amigos, hoje (28) fiz minha última participação no Jornal da Massa. Por uma decisão legítima da direção da Rede Massa, o telejornal não mais contará com comentaristas. Agradeço aos que acompanharam e compartilharam o programa, aos colegas de bancada Denian Couto, Ogier Buchi, Ruth Bolognese e também a todos da emissora por terem sustentado o formato que nos proporcionou fazer o debate e enfrentar as amarras culturais que envolvem a imprensa brasileira. Sigo como colunista do telejornal SBT Paraná. A vida segue”.

No estado, a informação é de que ele teria sido afastado do noticiário por pressão do governo federal, que ameaçou retirar os patrocínios de estatais do programa. Paulo Eduardo é um crítico ferrenho do governo do PT, que ele chama de “comunista” e “ditatorial”.

O notícia gospel, através do repórter Sandro Nascimento, entrou em contato com Paulo, que negou a versão que está correndo nas redes sociais.

Porém, ele disse que não está contente com fato e confessa que fazia algo diferente na TV brasileira, mas reafirma que sempre teve liberdade total nos comentários: “Sim, de fato eu e o outro comentarista, Ogier Buchi, fomos afastados do jornal. A empresa decidiu apostar em um formato mais convencional, apenas com notícias, apesar do programa ocupar o segundo lugar na audiência. Não posso dizer que estou contente, mas entendo como uma decisão legítima por parte da empresa. Ela têm liberdade para apostar nesse ou naquele formato. Sempre fui um crítico severo do governo do PT, mas não posso atribuir a mudança a uma intervenção do governo. Não tenho informação de nenhum movimento nesse sentido. Seria leviano da minha parte afirmar algo assim. Os recados chegam sempre de um ou de outro. É preciso reconhecer que o que vinha sendo feito não era lá muito comum no jornalismo televisivo. Lamento muito a mudança, pois o ‘JM’ nos proporcionou tratar de temas que a imprensa não tem interesse em tratar, como o Foro de São Paulo e o projeto totalitário do PT. E sim, sempre tive muita liberdade”.

Por fim, Paulo Eduardo Martins declara que não foi demitido do canal, já que ele continua com uma coluna no noturno “SBT Paraná”: “Eu continuo com a coluna no SBT PR, que é o telejornal noturno da emissora. Não fui demitido. Fui afastado do JM, que é o telejornal matutino. Ficou claro que um comentarista deve estar intelectualmente e emocionalmente preparado para realmente dizer e sustentar o que pensa, sem se assustar com bandos organizados e barulhentos que não compreendem a liberdade de expressão e ainda, que é preciso ter coragem e entender que a realidade dói e que a dor sempre causa reação”.

Procurada pelo NaTelinha, a assessoria de imprensa da Rede Massa não retornou os contatos até o fechamento desta matéria.A emissora, vale lembrar, pertence ao apresentador Ratinho, que a comprou em 2008. E é vice-líder isolada de audiência em todo o estado.

22 de Março de 2014 – Marcha da Família com Deus pela Liberdade, e, contra o Comunismo ateu do PT-Fidel-Raúl-Farcs-Maduro

20/03/2014

DROGA MATA – NÃO VOTE PT OS DEMOCRATAS SAEM DO ARMÁRIO – NADA DE DITADURA COMUNISTA CHAVISTA NO BRASILA ESQUERDA PERDEU DEFINITIVAMENTE O MONOPÓLIO DAS RUAS – PELA PRIMEIRA VEZ, OS MILITARES DO BRASIL SÃO DEFENDIDOS PUBLICAMENTE. É UMA MUDANÇA HISTÓRICA – NÃO ACEITAREMOS MAIS MENTIRAS NA IMPRENSA E NAS ESCOLAS SOBRE OS MILITARES!

1513713_683277275044834_1775112612_n

oito marcha

marcha sete

1972544_220670264799728_446311946_n

1795547_220671191466302_2068139459_n

.1743664_859990374027516_429634379_n

PRAÇA DA SÉ 22 DE MARÇO DE 2014

SUCESSO. No Rio de Janeiro compareceram pouco mais de 400 pessoas, em São Paulo a concentração foi bem maior, pouco mais de 1000 patriotas. Há pelo menos dois meses que a mídia e partidos de esquerda tentam intimidar, ridicularizar e assustar a sociedade para que ninguém fosse às ruas. Ninguém sensato pode considerar as manifestações um fracasso. A direita está começando a se mobilizar agora, pela primeira vez foi-se ás ruas para uma manifestação contra a esquerda, que têm o governo e já é hegemônica há pelo menos uma década. Agora que sabemos que é possivel uma mobilização. Deve-se partir para a organização, para a centralização e foco nos pontos mais importantes…

– Parabéns  pelo video de Araguaiana na Marcha da Família

Araguaína – 13ª Delegacia do Serviço Militar da 7ª C S M

RUA DAS MANGUEIRAS Nº 1090 – Centro

22 DE MARÇO –  15 HORAS — PRAÇA DA REPÚBLICA – São Paulo-SP RUMO A PRAÇA DA SÉ

Marcha da Família

MANIF POUR TOUS AU BRÉSIL

1148856_227170924150552_1190935812_n

Belo Horizonte

bh marcha

1921983_603427583061127_635566692_n

RIO DE JANEIRO

1911874_545769475531253_663197836_n

“””’Gente, que emoção! A Marcha foi linda!! O pessoal arrasou em tudo!! A Cristina, A Isabella, o Bruno, Plinio, Ana Paula, todos que vem trabalhando para a mudança desse país!!!

O pessoal da Revoltados on line, da Intervenção Militar já, da OCC, da CCC, da Resistência nacionalista, Ordem Dourada do Brasil grupos e mais grupos como o do General Heleno e família Bolsonaro e todos os outros que não me lembro agora, estou com lagrimas nos olhos e sentindo que SIM, DEUS ESTA CONOSCO!!

A PM que fez um trabalho impecável (MARAVILHOSOS, O POVO ORDEIRO CAMINHA COM VOCÊS), A igreja católica e as evangélicas unidas na mesma passeata para o nosso Brasil!! Não existe emoção maior!! Agora rumo ao dia 31!!”‘

10001284_10152025293921638_2082611347_n

MARCHA DA FAMÍLIA  IMAGENS

rt cinco

4444444412

foto marcha tres

1503997_859970940696126_1406869029_n

1511578_635398439867382_2106393704_n

bolsonaro marcha

marcha quatro

1531736_825582120801856_1198261107_n

CAMPO GRANDE-MS

640x480-08961a2fbc9ddb593bf32e17ac75cf8a

marcha dois

Marcha da Família

1901230_859943297365557_701595836_n

1382336_819217841439109_1197518078_n

MARCHA DA FAMÍLIA

MENSAGEM DOS ORGANIZADORES

59786_643517232384389_1590964786_n

TOTAL APOIO DA PM À MARCHA DA FAMÍLIA

983575_802022749826512_823556808_n

 

ESTAMOS JUNTOS *MARCHA DAS FAMÍLIAS COM DEUS*

 

1900178_1399644206972972_670697274_n

1959971_672118156215613_1951971318_n

VENEZUELA COMUNISTA HOJE

SOS VENEZUELA

MARCHA DA FAMÍLIA COM DEUS Pela Liberdade

22 DE MARÇO –  15 HORAS — PRAÇA DA REPÚBLICA – São Paulo-SP

Segurança 100% – A Marcha será aberta pelo Pelotão de Choque, ROCAN, PM, Guarda Municipal e Bombeiros, 7º Batalhão para acompanhar e Marcha, e a PM informou que vai disponibilizar mais batalhões.

Portanto não haverá vandalismo e nada que possa impedir o povo de ir as ruas e manifestar sua indignação com esse governo corrupto e que só promete mas não faz nada pelo Brasil.

Vamos protestar contra o MARCO CIVIL INTERNET, ABSOLVIÇÃO DOS MENSALEIROS, ESCÂNDALO DA PETROBRAS, doutrinação ideológica nas escolas e no ENEM, aparelhamento do setor público pelo PT,  Apoio à Venezuela e Cuba, anistia da dívida de ditadores africanos, Foro de São Paulo, comunização da América Latina, invasão de fazendas, desprezo pela propriedade privada,  VOLTA DA PEC 37 COM OUTRO NOME PARA ENGANAR O POVO,

E TUDO MAIS QUE VOCÊ ESTIVER DESCONTENTE COM ESSE DESGOVERNO.

1978899_10200745098668446_1326467431_n

Contra o Desarmamento do Cidadão de Bem, da defesa de bandidos pelo governo

Contra a  doutrinação gay nas cartilhas e na TV, contra a PLC-122

CONTRA AS MENTIRAS QUE CONTAM AOS ALUNOS NAS ESCOLAS SOBRE O MOVIMENTO PATRIÓTICO DE 31 DE MARÇO DE 1964.

É a hora do brasileiro ir as ruas sem manipulação e com toda segurança possível. LEVE SUA FAMÍLIA E PROTESTE. NÃO QUEREMOS QUE O BRASIL VIRE UMA VENEZUELA GOVERNADA POR CUBA.

1966900_735801746444269_1756641514_n

1912233_436071703194649_483385621_n

1800395_495054430604547_269847804_n

VENEZUELA COMUNISTA

BjIx-fkCQAAxXin

558761_10153946241420311_1303773027_n

VENEZUELA COMUNISTA

BjM_-XMCEAAfOkI

61747_10200745097748423_1474181263_n

VENEZUELA COMUNISTA

BjMviEICIAAtFfk

1978899_10200745098668446_1326467431_n

 –

Hora de rever conceitos….

LEIAM…

Ao ver a foto das jovens aspirantes já com o uniforme branco, uma delas escreveu um dos textos mais coerentes dos últimos tempos. Ele não é sobre a Marinha, mas sim sobre o Brasil. Com a permissão da autora, Carla Andrade, publicamos o texto:

1486682_641459532570121_535752775_n
De todas as transformações que o nosso país enfrenta, não tenho dúvida que a pior delas é inversão de valores.
Não estou falando dos atores, mas da plateia.
Quem determina o sucesso de um espetáculo é o público. Por melhor que sejam os atores e o enredo, se o público não aplaudir, a turnê acaba.
Nós somos a sociedade, nós somos a plateia, nós dizemos qual o espetáculo deve acabar e qual precisa continuar.
Se nós estamos aplaudindo coisas erradas, se damos ibope a pessoas erradas, de que estamos reclamando afinal?
Somos nós que consumimos notícias de arruaceiros que ganham mesada para depredar o nosso patrimônio.
Somos nós que damos trela para beijaços, topless e toda a sorte de falta de educação deste Big Brother e os seus heróis e histéricos performáticos que querem seus minutos de fama.
Quando fazemos isso, estamos dando-lhes valores que não têm. Estamos dando-lhes atenção. Estamos dedicando-lhes o nosso precioso tempo.
Passou da hora de dar um basta nisso!
Por que os nossos jornais estão recheados de funkeiros ao invés de medalhistas olímpicos do conhecimento?
Por que vende-se mais jornal com notícia de um funkeiro que largou a escola por já estar milionário, do que de um aluno brilhante que supera até seus professores?
Por que um evento histórico para o Brasil como o ingresso da primeira turma feminina da Escola Naval não é noticiado?
Por que um monte de alienadas com peitos de fora, merecem mais as manchetes do que as brilhantes alunas, que conquistaram as primeiras 12 vagas, da mais antiga instituição de ensino superior do Brasil?
Por que nós continuamos aplaudindo a barbárie, se ainda temos valores?
O país não mudará se nós não mudarmos o foco!
Os políticos não mudarão se nós não refletirmos a sociedade que queremos!
Já passou da hora de nos posicionarmos!
Ostracismo a quem não merece a nossa atenção e aplausos para quem faz por merecer.
Merecer! Precisamos devolver essa palavra para o nosso dicionário cotidiano.
Meu coração ao olhar essa foto hoje, se divide em vários sentimentos distintos.
Muito orgulho de ser mulher e me ver representada por essas guerreiras.
Elas não estão fazendo arruaça pleiteando igualdade. Elas conquistaram a igualdade estudando e ralando muito.
Elas tiveram que carregar na mão as suas malas pesadas no dia que entraram na Escola Naval. Não puderam puxar na rodinha não! Tiveram que carregar na mão igual aos aspirantes masculinos.
Elas foram e fizeram.
Sentimos uma certa revolta e constrangimento ao ver a essas mulheres semi nuas falando bobagens e se insinuando o tempo todo
como se em cio estivessem sendo anunciadas o tempo todo pelo apresentador como heroínas.Que desonra a esta palavra.
Estariam dispostas morrer como heroínas pelo nosso País se fosse necessário?”

Parabéns Primeira Turma Feminina da Escola Naval de 2014.

Fidel Castro Rúz trai o socialismo e estimula consumo burguês

19/12/2013

Cuba flexibiliza el mercado de automóviles / EFE

1387476657_053579_1387477402_noticia_normal

El Gobierno de Cuba ha anunciado este jueves la flexibilización de las normas vigentes para la importación y comercialización de vehículos por parte de los ciudadanos. El Consejo de Ministros, reunido ayer en La Habana, decidió acabar con las “cartas de autorización” emitidas por el Ministerio de Transporte para la compra de automóviles de segunda mano al Estado, un mecanismo implementado en octubre de 2011 como parte de un plan de desmontaje paulatino de las regulaciones. Las nuevas normas jurídicas serán publicadas en los próximos días en la Gaceta Oficial.

De momento, el diario oficial Granma adelantó que, por efecto de esta decisión “se libera la venta minorista de motos, autos, paneles, camionetas y microbuses, nuevos y de segunda mano, para las personas naturales cubanas y extranjeras residentes en el país, así como para las personas jurídicas extranjeras y el cuerpo diplomático”. La venta liberada, continúa la nota del diario, “se irá implementando de manera gradual y paulatina, y en ella tendrán prioridad quienes actualmente posean cartas de autorización”. Los precios serán semejantes a los que hasta ahora reconoce el mercado entre particulares.

El Gobierno de Raúl Castro ha llegado a esta decisión tras convencerse de que el mecanismo de las cartas de autorización era “inadecuado y obsoleto” y como tantas otras medidas de control vigentes en Cuba, fomentaba a la corrupción y los mercados paralelos. “La baja disponibilidad de autos, la restricción de esta facilidad a un reducido grupo de categorías ocupacionales seleccionadas y la existencia de otro mercado que vende a precios varias veces mayores que los de la empresa comercializadora establecida, generaron inconformidad, insatisfacción y, en no pocos casos, condujeron a que este mecanismo, además de burocrático, se convirtiera en una fuente de especulación y enriquecimiento”, señala la nota informativa del Granma.

De acuerdo a datos del Registro Nacional de Vehículos citados por el diario, alrededor del 30% de los automóviles vendidos por el Estado en 2012 a través de las comercializadoras cambió de propietario poco tiempo después, “lo cual indica que ese procedimiento administrativo motivó que algunas personas se sirvieran de él para obtener ingresos adicionales”; las cartas de autorización para comprar se vendían incluso a través de Internet. En cambio, la compra-venta de vehículos usados entre personas naturales era más fluida.

La autorización estatal, sin embargo, seguirá siendo un requisito para la importación directa de vehículos de motor nuevos y de segunda mano por parte de las empresas importadoras autorizadas y del cuerpo diplomático. También seguirán vigentes las regulaciones establecidas previamente para el traspaso de propiedad entre particulares nacionales y extranjeros, y la prohibición en la venta de vehículos por parte de personas jurídicas, cubanas o extranjeras, a personas naturales. Adicionalmente, el diario Granma informó acerca de la decisión de extender los plazos para el traspaso de propiedad de los vehículos que pertenecían a quienes salieron definitivamente del país antes de octubre de 2011 –cuando entraron en vigor las primeras reformas contenidas en el Decreto 292–, de modo que los ciudadanos puedan concluir los trámites de esta naturaleza que desde entonces están en proceso.

“Con estas normas jurídicas se dan pasos adicionales para eliminar restricciones que con el tiempo perdieron su razón de ser; con ellas desaparecen trabas administrativas que dejaban espacio a la ilegalidad; y se fomenta una nueva fuente de ingreso para el desarrollo del transporte público, lo cual es una prioridad del Estado cubano”, ha celebrado el Granma, pues el dinero líquido que recaude el Gobierno por estas ventas irá a parar a un fondo “destinado especialmente al desarrollo del transporte público en todo el país”.

WND-TV ‘NELSON MANDELA WAS A RADICAL MARXIST’ Renowned Christian minister: ‘He tried to destroy us, set his dogs on us’

07/12/2013

Published: 21 mins ago

See video:

http://www.wnd.com/2013/12/nelson-mandela-was-a-radical-marxist/

Nelson Mandela was a radical Marxist and a firm advocate of abortion, pornography, homosexuality and legalizing prostitution, according to a prominent Christian missionary who was summoned to the home of the South African president.

Rev. Peter Hammond, founder of Frontline Fellowship and Africa Christian Nation, has worked for nearly 30 years helping persecuted Christians in Africa. As a result of Hammond’s visit with Mandela – in which the missionary laid hands on the president and prayed for him to see abortion for what it really is, the merciless slaughter of innocent human life – Hammond was subjected to a 13-year audit of his organization.

Don’t mourn for Mandela: Joseph Farah says man ‘wasn’t the saintly character portrayed by Morgan Freeman’

In 2010, Frontline released a set of two videos titled, “My Meeting with Nelson Mandela,” in which Hammond reveals the true character of the anti-apartheid revolutionary and recalls his visit with him at his home.

“I’m astounded that so many in the West idolize Mandela and lift him up as a messianic figure because they obviously don’t know what he teaches, what he believes or what he does – or his support for some of the most radical Marxist dictatorships on the planet with some of the worst human-rights records, such as the governments of Red China and Cuba,” Hammond declared. “He has supported these dictators wholeheartedly and received them with the greatest honors.”

Hammond said there are many Christians who idolize Mandela because they’ve been given false information about who the man really was.

Read more at http://www.wnd.com/2013/12/nelson-mandela-was-a-radical-marxist/#8W7CXZSbBVr2orEj.99

João Goulart abriu o Brasil para a subversão comunista cubana

01/12/2013

João Goulart, acobertava a intervenção de Cuba no Brasil, desde 1961; estimulava a divisão das nossas Forças Armadas com o objetivo claro de provocar uma guerra civil; desrespeitava a Constituição e elevava os gastos públicos , provocando a inflação.

Portanto, sua derrubada, por si só, foi um ato legítimo! Até porque contou com apoio do Congresso e, principalmente, da opinião pública, expressa no maior movimento de massa, talvez, até hoje, com a A MARCHA DA FAMÍLIA PELA LIBERDADE. Ainda , na sequência do contragolpe, os comunistas provocaram cerca de uma centena de atentados terroristas.

A partir de Geisel, infelizmente, e os comunas nada falam nem dele , nem de Figueredo, pois lhes facilitaram a vida, o país mergulha num socialismo e envereda no terceiro-mundismo antiamericano e , de alguma forma, ajudou a Cuba a invadir Angola, onde mais de 100 mil foram mortos. Um verdadeiro genocídio, más nenhum comunista , nem seus facilitadores oportunistas, toca no assunto.

Em 1973, o ex-chefe da KGB, Ladislav Bittman, confessou ter sido o propagador da mentira que atribuia o “golpe militar de 1964” , ao conluio com os americanos, lenda que até hoje é repetida à exaustão pelos agentes de influência , especialistas em desinformação.

O que o PT fez pelo Brasil e por Cuba

06/11/2013

1375703_228862990611325_1521807452_n

Os 10 mandamentos do esquerdista esquerdoso seboso rei do DCE e dos grêmios estudantis: Por Filipe Altamir

06/11/2013

1- Use termos de PIB; branco heterossexual de classe média, facista, nazista, machista opressor burguês imperialista com qualquer um que discordar de você.

2- Destrua propriedades, pratique vandalismo e acabe com tudo alegando que é simbologia, mas tenha medo que façam o mesmo com sua casa!

3- Seja usuário de todas as drogas, sequelado, relativista moral e subversivo. Sempre declare “não há verdade absoluta”, mesmo que essa declaração seja uma suposta verdade absoluta.

4- Defenda bandidos, homicidas e estupradores e aponte que eles são vítimas da sociedade.

5- Critique a VEJA e a Rede Globo como mídia facista e manipuladora, mas ao mesmo tempo sendo assinante da Carta Capital e viciado na TV estatal cultura.

6- Não tome banho, não corte o cabelo e nem faça a barba.

7- Critique a ditadura militar, mas idolatre a ditadura cubana, venezuelana e coreana.

8- Aponte Cuba como uma maravilha de arco-íris e pôneis, mas nunca tenha coragem de ir morar e viver por lá.

9- Coloque a culpa sempre no capitalismo, no patriarcado, na opressão do homem branco e heterossexual através do app do Facebook de um milionário pelo Iphone 5.

10- Fale que todos os países desenvolvidos só são desenvolvidos por que colonizaram os mais pobres, quando na verdade, esses países apenas optaram por menos burocracia, sistema tributário mais simples e um alto grau de liberdade econômica com fortes direitos de propriedade.

 

UFSC Conservadora – Grito de Alerta contra o comunismo nas universidades

28/10/2013

Universitários catarinenses reagindo ao comunismo, que chegue a todas as universidades públicas brasileiras.

Carta aberta contra o socialismo na Universidade Federal Santa Catarina

Caros alunos da UFSC,

Dirijo-me a vocês, estudantes da nova geração, porque a antiga, a de seus professores, está corroída até a alma pelo verme da desonestidade. A esperança de que a saúde intelectual e moral dessa nação melhore está em vocês. Espero que estas breves palavras tenham algum impacto em vocês, como um balde de água que se joga em alguém que antes dormia. Meu chamado a vocês é que ACORDEM para o grande perigo que nos rodeia.

Vejo um futuro negro a nossa nação. Vejo esse futuro sombrio se materializar velozmente ao meu redor. Continuando o atual processo destrutivo e revolucionário, o Brasil deixará de existir em duas ou três décadas, diluindo-se na “Pátria Grande” latino-americana, que está agora mesmo sendo construída pela esquerda.

A Pátria Grande será um mega bloco comunista totalitário governado desde Havana, pelo Foro de São Paulo, no qual as atuais nações latino-americanas serão meras províncias de um grande e centralizado governo.

O Brasil entrará, portanto, muito em breve, para a lata de lixo da história. Dele só se terá uma breve lembrança, que lá houve uma ditadura terrível, que tendo matado 300 pessoas, foi pior que a ditadura de Fidel Castro que matou mais de 115 mil pessoas.

O Brasil será uma nota de rodapé – muito vergonhosa – na história da construção da gloriosa Pátria Grande. Se continuarmos seguindo a estrada na qual caminhamos, este será, sem dúvida alguma, o ponto de chegada.
No meio disso tudo, há uma criminosa conivência de setores da UFSC pela destruição da cultura e da soberania nacional. Muitos cursos e centros de pesquisa das ciências humanas tornaram-se apenas instrumentos dóceis nesse processo revolucionário, caixas de ressonância de ideologias forjadas em Cuba e na Venezuela. Muito se falou do Centro de Difusão do Comunismo da Universidade Federal de Outro Preto, mas a UFSC também tem o seu. É o IELA (Instituto de Estudos Latino-Americanos), cujos membros são ligados a partidos comunistas e ao Foro de São Paulo. Esse grupo luta abertamente pela construção de um futuro comunista ao Brasil, e a sua destruição em favor da construção da Pátria Grande latino-americana. O símbolo do Foro está estampado em publicações do IELA.

Se o Centro de Difusão do Comunismo foi fechado por fazer propaganda política com recursos públicos, o que é ilegal, o mesmo deveria ocorrer com o IELA, que promove eventos na UFSC como a Semana Paulo Freire ou as Jornadas Bolivarianas, eventos nos quais participam agentes do governo cubano e abertamente ligados ao Foro de São Paulo.

O CDS – Centro de Desportos – da UFSC, no qual ocorre a semana Paulo Freire, bem que poderia se chamar Centro de Difusão do Socialismo (ainda hoje desconfio que a sigla CDS seja isso mesmo).

Como comunismo e perseguição cristã sempre andam de mãos dadas, os setores revolucionários da UFSC não poderiam ficar de fora. Os símbolos cristãos são ofendidos em meio à praça do campus, por estudantes do curso de Artes Cênicas. Ao mesmo tempo, nas salas de aula das ciências humanas, há a hegemonia do sentimento anticristão e do materialismo. O centro de psicologia dá andamento à destruição da moral quando praticamente só se interessa em pesquisar sobre sexualidade.

Os pedagogos da UFSC promovem concursos de cartazes “anti-homofobia” em escolas infantis de Florianópolis, que significa a destruição dos valores que as crianças aprendem em casa e na igreja, e a preparação das novas gerações à aceitação da legalização da pedofilia (a meta última do movimento gay é esta, e não apenas a legalização do casamento homossexual).

As feministas se reúnem anualmente para propagar o ódio ao cristianismo e o fim da família tradicional num evento chamado “Fazendo o Gênero”.

O curso de Direito faz apologia aberta ao governo genocida dos irmãos Castro ao organizar o “Cuba em Foco”.
É um verdadeiro crime intelectual ver como vários setores da UFSC deixaram de fazer ciência para apenas propagar a revolução. A depender de muitos criminosos que atuam nessa universidade sob o título de “pesquisador”, a União Soviética renascerá numa versão tropical e latina.

Atenciosamente,

Antonio Pinho
Editor e articulista do blog UFSC Conservadora.

Fonte

http://ufscon.wordpress.com/2013/10/05/carta-aberta-contra-o-socialismo-na-ufsc/#more-366

Liberdade de Religião termina assim:

18/09/2013

554542_690071764354674_2087742802_n

Hora da Colheita: O resultado da Doutrinação Comunista nas Escolas – Queimando a Bandeira do Brasil – Hasteando a Bandeira de Cuba

09/09/2013

1239573_10200534613908174_684285234_n

Nunca leia a Wikipedia – Veja como é o Artigo Cuba – Nem Frei Betto escreveria melhor

03/09/2013

Reinaldo Azevedo mostra porque jamais devemos ler a Wikipedia:

1229802_213366985489300_1708980348_n

 

Presidente da Venezuela Maduro é agente cubano – assim como Zé Dirceu

01/09/2013

Como em 1964, povo clama de novo para militares tirarem comunistas do Poder!

31/08/2013

O PARTIDO QUADRILHA ORGANIZADA “PT” NÃO TEM PLANO DE GOVERNO TEM PLANOS PARA PERPETUAÇÃO NO PODER PELA FORÇA: GOLPE DE ESTADO

Você brasileiro, que ama sua Pátria, e guarda consigo os valores morais aprendidos em casa, independente de ser civil ou militar, tem o dever cívico de ler, anuir, compartilhar e participar com sua família desta convocação.
Que categoria profissional está satisfeita com a política social, previdenciária e de carreira que nos tem sido imposta pelo governo? Quem, em sã consciência, vê com naturalidade a contratação de médicos cubanos, ao arrepio das nossas leis trabalhistas, em regime de semiescravidão, com o claro propósito de mandar recursos para ajudar a manter o regime comunista de Fidel Castro?

1174980_419586714812867_1886514186_n

Quem não se estarrece com a parcimônia da chamada “oposição” política brasileira frente a essas aberrações? Quem não perde a fala ao observar que, não só os 3 Poderes da nossa “República”(???), mas até nossos Comandantes Militares violam a Constituição do país, ao se negarem a submeter-se à aposentadoria compulsória, visto que os três já passaram dos setenta anos de idade? O que podemos esperar quando, na contramão das melhorias pedidas pelo povo para a Educação, o governo quer adequar o ensino brasileiro à mediocridade cubana, formando zumbis para pensarem e agirem numa única ocupação, obstruindo lhes a livre expressão do pensamento?

1236898_385751104884965_787621895_n

Quem consegue educar seus filhos hoje em dia sem sofrer a nefasta influência midiática que a todo instante divulga valores amorais e imorais como familiares?

SE VOCÊ JÁ CANSOU DE TUDO ISSO, E SABE, COMO TODOS NÓS, QUE DAS MANIFESTAÇÕES DE JUNHO NADA RESULTOU A NÃO SER A APROPRIAÇÃO DAS IMAGENS PELOS PARTIDOS POLÍTICOS OPORTUNISTAS (NO CASO, TODOS), NÃO DEIXE DE PARTICIPAR DA GRANDE MANIFESTAÇÃO PÚBLICA E PACÍFICA DE 7 DE SETEMBRO EM TODO O BRASIL.

1175588_658793084140160_1772952975_n

E PARA OS QUE DIZEM QUE NÃO TEMOS OBJETIVOS COMUNS, CLAMEMOS POR:

1) APOSENTADORIA COMPULSÓRIA DOS 3 COMANDANTES MILITARES;

2) IMPEACHMENT DE DILMA E RENÚNCIA DE TODOS OS SEUS INCOMPETENTES MINISTROS;

3) REORGANIZAÇÃO DO ESTADO PELAS FFAA, PREPARANDO-O PARA ELEIÇÕES GERAIS;

COM ESSAS BANDEIRAS O BRASIL REPUDIARÁ DE UMA VEZ POR TODAS O COMUNISMO DE NOSSO SOLO SAGRADO.

VISTAM-SE DE VERDE E AMARELO E VENHAM PARA AS RUAS NESSE DIA. A FESTA É DO POVO BRASILEIRO E NÃO DOS COMUNISTAS QUE ESTÃO NO PODER.
ESTAMOS MERGULHADOS EM UM MAR DE LAMAS QUE ENVERGONHA TODO BRASILEIRO SENSATO, lute!

“Só os covardes se omitem

Mais Médicos – A Fraude – Maus Médicos

29/08/2013
Aqui está a prova de que desde o começo o programa “Maus Médicos” foi criado somente para importar guerrilheiros cubanos para o Brasil e exportar dinheiro público brasileiro para Cuba.

Petista é bom demais – Critica ditadura e adora Cuba

28/08/2013

1236259_10200478857394296_702730337_n

PT já avisou que não aceita o Direito de um cubano fugir de Cuba

28/08/2013

1235903_404840476282208_1877620622_n

NOVA ENGANAÇÃO DESCARADA DO GOVERNO DO PT: REVALIDAÇÃO FAJUTA NOVAMENTE ENGANA BRASILEIRO E O FAZ PENSAR QUE MÉDICOS CUBANOS SÃO CAPACITADOS AO FAZEREM TESTES PARA “INGLÊS VER”.

27/08/2013

terça-feira, 27 de agosto de 2013

 

Clique na imagem para ampliação.

 

Programa permite aos médicos estrangeiros trazerem, na bagagem, todos seus dependentes, sendo 10, 20 ou 30
Fonte: Jornal O DIA 
( Opinião:27/08/2013)
O Super-Homem está para a criptonita assim como a Dilma Rousseff está para ademocracia. No afã de trazer velhos aliados da luta contra o regime militar, a presidenta pretende inundar o Brasil com dezena de milhares de agentes cubanos.
A Medida Provisória 621 — Programa Mais Médicos —, no Artigo 12, permite aos médicos estrangeiros trazer, na bagagem, todos seus dependentes, independentemente de serem 10, 20 ou 30, que poderão exercer, no Brasil, qualquer atividade remunerada. Teremos não mais um, mais dezenas de Araguaias em nosso país.
Dez anos no poder e o PT, só agora, “desperta” para a grave crise da saúde. Não é o que pensa, entretanto, o deputado petista Domingos Dutra, ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos, ao propor em 2011 (PL 2.230) que o poder público para cada 1.000 presos destine 12,5 médicos, bem superior aos atuais 1,8 no Brasil.
De forma sorrateira, quer o PT revalidar, sem o devido exame, o diploma de centenas de ‘companheiros’ que cursaram Medicina em Cuba indicados pelos ‘doutores’ do MST e do PC do B como se estas agremiações tivessem qualquer respaldo, moral ou técnico, para selecionar quem quer que seja para cursar seja lá o que for.
Concordaria com a malfadada MP caso os ilustres governantes da República trocassem seus atendimentos no Sírio-Libanês pelos médicos cubanos da ilha do genocida Fidel Castro, onde sequer dispõem de internet para sua formação.
Como a maioria das ações propostas pela MP se aplicará àqueles que adentrarão nas universidades em 2015, com seus diplomas reconhecidos em 2023, peca o governo pela absoluta falta de urgência para o encaminhamento de MP nesse sentido.
Nosso Mandado de Segurança Parlamentar 32.224/2013 está em vias de ser apreciado no STF, pelo ministro Marco Aurélio, oportunidade em que, em nome dos bons médicos formados no Brasil, esperamos, liminarmente, pela suspensão do projeto inspirado em Cuba, aqui já conhecido como Maus Médicos.
Jair Bolsonaro (PP-RJ)
 

Cuba é a minha prisão

27/08/2013
“Nenhum médico cubano viaja por amor à sua profissão. Em Cuba os médicos vivem tão precariamente que quando se fala de uma missão ao estrangeiro é como se abrissem as portas do céu. É uma constante batalha campal nos centros de saúde do país, porque todo mundo quer sair para ver se pode resolver parte de suas necessidades” (páginas 33 e 34)
cubaminhaprisao

A assassina medicina de Cuba

25/08/2013
2 de março – Estas fotos foram tiradas no hospital psiquiátrico de Havana, conhecida como Mazorra, no início de janeiro deste ano e levado para fora da ilha por pessoas que arriscaram suas vidas para mostrar ao mundo o que realmente está acontecendo em Cuba de Fidel Castro.
Estes são alguns dos mais de 40 pacientes que morreram de hipotermia no hospital, quando as temperaturas perto de congelamento atingiu a área onde está localizado Mazorra.
Estes pacientes morreram por causa da negligência dos responsáveis deste hospital, e depois que eles morreram, funcionários do hospital jogou sobre uma mesa, um em cima do outro, como sacos de lixo na lixeira local.
Esta é a saúde fantástico que os cubanos recebem, de acordo com Michael Moore e outros idiotas úteis.
Os pacientes são tratados pior do que os animais. É a crueldade de que o regime brutal que foi a opressão do povo cubano por mais de 51 anos, enquanto o ditador assassinando e os cubanos que oprime é referido como “presidente”, e abraçado por líderes latino-americanos que foram democraticamente eleitos.
Muitas marcas mostram que indicam que os pacientes que foram espancados antes de morrerem.

Venezuelanos já provaram dos médicos espiões e terroristas cubanos: Fora Falsos Médicos Cubanos

24/08/2013

sábado, agosto 24, 2013

MÉDICOS CUBANOS CHEGAM AO BRASIL ELOGIANDO O REGIME COMUNISTA ASSASSINO DE FIDEL CASTRO

Equipe de médicos comunistas cubanos que vem trabalhar para a campanha eleitoral do PT. (foto do site de O Globo)
Leitores do blog da Venezuelas advertem sobre o perigo dos agentes cubanos. Fato semelhantes ocorreu na Venezuela. Começou com médicos e depois vieram outros agentes comunistas de outra profissões.

O primeiro lote de médicos cubanos já desembarcou no Brasil agitando a bandeira da Ilha comunista ao lado do Pavilhão Nacional. Pelo conteúdo das declarações que deram – a não ser que estejam blefando – é que são todos comunistas e defendem o regime tirânico de Fidel Castro, que há 53 anos domina cuba com mão de ferro e mantém prisioneiros políticos em masmorras em condições desumanas.

Anunciaram também que já realizaram essa mesma missão em outros países, o que significa que fazem parte de um esquema internacional.

Clique AQUI para verificar as declarações desses semoventes vagabundos comunistas que enaltecem o regime terrorista dos irmãos Castro.
As cenas são iguais às ocorridas na Venezuela, quando lá desembarcaram.

Diversos leitores do blog na Venezuela enviaram twittes advertindo sobre o esquema comunista dos médicos cubanos, conforme se pode ler acima.

Esse mesmo programa de médicos cubanos foi adotado na Venezuela, pelo finado tiranete Hugo Chávez. Há milhares desses agentes cubanos vestidos de médico na Venezuela.

A invasão cubana na Venezuela começou com programa similar ao que o governo do PT acaba de criar no Brasil. Posteriormente, agentes cubanos incorporaram-se em todas as instâncias estatais, inclusive nas Forças Armadas. Muitos prestam serviços de saúde mas na verdade funcionam como espiões a serviço de Cuba e do governo que os contrata.

Quem acompanha o noticiário da Venezuela sabe que isto vem acontecendo há muito tempo nesse país e a maioria dos cidadãos deplora a ingerência cubana, denunciando constantemente pelas redes sociais.

Desabafo de uma vítima esquecida do lixo humano sem-terra

28/07/2013

MINHA FAMÍLIA FOI VÍTIMA DO MST, MATARAM O GADO DESNECESSARIAMENTE, SAQUEARAM E QUEIMARAM A CASA, SÓ NÃO NOS MATARAM POR QUE FUGIMOS, A FAZENDA ERA PEQUENA, ENTRETANTO ERA A MAIS PERTO DELES (ESSE É O CRITÉRIO: PROXIMIDADE E NÃO TAMANHO) AO LADO À PROPÓSITO TINHA FAZENDA MUITO MAIORES, MAS QUE, TALVEZ POR TEREM APOIO POLÍTICO, SÃO POUPADAS DA “REFORMA AGRÁRIA”. FICO PENSANDO O QUE SERIA A “REFORMA POLÍTICA” JÁ QUE CONHEÇO A AGRÁRIA.
Ahh e antes que um comuna atente: Não, meus ancestrais não receberam uma capitania hereditária, nem foram grileiros, nem invadiram terras indígenas. Foram pessoas que venderam as poucas terras que tinham no RS (compradas com muito trabalho) para comprar no MT mais hectares em uma época em que não havia lá estradas, luz elétrica, água encanada(q ainda não tem) e serviços. Aprendi que em terra com tendências de comunistas não vale a pena investir nada, pois 25 anos de muito trabalho e dedicação podem ser destruídos em apenas 1 dia, ou no nosso caso, em algumas horas. A Constituição Brasileira é uma piada na medida em que está escrito em vão. Olha o Lula com o chapéu do MST, porque esse lado os comunas não vêem?

Tive vários professores de história, todos comunistas assumidos, porém as idéias deles só existiam na teoria, na prática vemos coisas como http://pesadelochines.blogspot.com.br/, ou como vi hoje mesmo em reportagem sobre a China Comunista: a doação compulsória de órgãos seguida de morte para religiosos e opositores da ditadura – fonte abaixo. Os crimes que os nazistas cometeram aos judeus estão de repetindo ainda pior na China, em Cuba e na Coréia do Norte e ninguém faz nada. Acho importante respeitar crenças, religiões alheias e até mesmo ideologias. Por isso, eu até respeitaria as idéias comunistas se elas na prática respeitassem primeiro os direitos humanos básicos como a vida, a liberdade, o direito a ter uma religião ou ideologia, entre muitos outros direitos violados. Infelizmente é um rio de sangue + escravidão moderna, o qual o PT cego faz questão de seguir, só vêem um lado e isso é perigoso. Afinal não queremos que os massacres nazistas, cubanos ou chineses se repitam.

Porque os Cubanos fogem do Paraíso?

27/07/2013

65212_272199996252652_1829030044_n

PT adora CUBA

17/07/2013

1016789_403801923070413_371418649_n

Ratos de Esgoto – Isso é o PT – Vamos mandar essa cambada para CUBA

23/06/2013

1001631_584307308276603_533708525_n

Defensores de Cuba e da Coréia do Norte começam a ser espancados no Brasil

22/06/2013

É PRECISO ISSO:

1012331_607646665921222_748767843_n

E MAIS ISSO:

00000000000000000000 comuna

PARA NÃO CHEGAR NISSO:

969651_197466603741475_977888844_n

0000000000000000000000000000000 foro

Poste Dilma-erda diz em CADEIA NACIONAL que vai trazer milhares de falsos médicos cubanos para o Brasil

21/06/2013

A ladra do cofre do Ademar, que não é brasileira; nasceu na Hungria, está envolvida na morte do inocente garoto Soldado Mário Kozel Filho vai trazer os falsos médicos cubanos agentes de terrorismo ,…..para o Brasil..

Não vai não..

Não vai não.

Será derrubada e presa pelo assassinato de Mário Kozel Filho.

00000000000000 dirma

Não aceitaremos nenhum cubano espião e terrorista da brutal ditadura assassina de Fidel Castro.

ANONYMOUS DESMENTE DILMA NO YOUTUBE =  Dilma é falsa e mentirosa

0000000000000000000 dilmerda

Maldito assassino blasfemo Ernesto Che Guevara

11/05/2013
O único Che Guevara bom é um Che Guevara morto.

Da próxima vez que seu filho chegar em casa em uma camiseta do  Che Guevara, pergunte-lhe se ele sabe que o assassino cubano realmente representava. Faça-o se sentar, fale com ele, tire as vendas da ignorância de seus olhos e mostre-lhe estas citações Guevara.

Em seguida, queime a maldita camiseta.

1. “Louco de fúria, mancharei de vermelho meu rifle estraçalhando qualquer inimigo que caia em minha mãos!  Com a morte de meus inimigos preparo meu ser para a sagrada luta, e juntar-me-ei ao proletariado triunfante com um berro bestial!”

2. “O ódio cego contra o inimigo cria um impulso forte que quebra as fronteiras de naturais das limitações humanas, transformando o soldado em uma eficaz máquina de matar, seletiva e fria. Um povo sem ódio não pode triunfar contra o adversário. “

3. “Para mandar homens para o pelotão de fuzilamento, não é necessário nenhuma prova judicial … Estes procedimentos são um detalhe arcaico burguês. Esta é uma revolução!”

4. “Um revolucionário deve se tornar uma fria máquina de matar motivado pelo puro ódio. Nós temos que criar a pedagogia do Paredão!” (O Paredão é uma referência para a parede onde os inimigos de Che eram mortos por seus pelotões de fuzilamento).

5. “Eu não sou o Cristo ou um filantropo, velha senhora, eu sou totalmente o contrário de um Cristo … eu luto pelas coisas em que acredito, com todas as armas à minha disposição e tento deixar o outro homem morto, de modo que eu não seja pregado numa cruz ou qualquer outro lugar. “

6. “Se qualquer pessoa tem qualquer coisa boa para dizer sobre o governo anterior, para mim é bom o suficiente matá-la.”

7. Che queria que o resultado da crise dos mísseis em Cuba fosse uma guerra atômica. “O que nós afirmamos é que devemos proceder ao longo do caminho da libertação, mesmo que isso custe milhões de vítimas atômicas”.

8. “Na verdade, se o próprio Cristo estivesse no meu caminho eu, como Nietzsche, não hesitaria em esmagá-lo como um verme.”

9. “Deixe-me dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor.”

10. “É muito triste não ter amigos, mas é ainda mais triste não ter inimigos.”

Tenha cuidado para não perder as nossas 13 razões porque você deve jogar fora a sua camiseta do Che Guevara.

http://www.ihatethemedia.com/
Tradução: Emerson de Oliveira

Leia mais: http://logosapologetica.com/10-citacoes-de-che-guevara-que-a-esquerda-prefere-nao-falar/#ixzz2T0nvFsrK
Follow us: @lapologetica on Twitter | LogosApologetica on Facebook

Desabafo de criminoso arrependido – Porque saímos da organização terrorista MST

09/05/2013
PORQUE SAÍMOS DO MST – Trechos da carta

“Considerando a crítica aberta, quando ainda estava dentro do MST, sentia por parte dos intelectuais e professores(as) que o apoiam a ausência dessa crítica; e aqueles que ousaram em alguns momentos expressá-la foram considerados como inimigos do movimento”

“Perdeu muitos militantes que hoje (alguns mesmo continuando no movimento) estão acomodados por ser mais confortável, pois, em algumas destas instâncias do MST, existem regalias que, fora delas, não se encontram – como, por exemplo, fazer um curso superior ou conhecer outro país e até estudar lá, como os que estudaram e estudam em Cuba e na Venezuela.”

“…lembrando a referência marxista do trabalho voluntário que aparece nos contextos dos processos revolucionários, que sempre tentamos resgatar, como os sábados comunistas da Revolução Russa, o trabalho voluntário da Revolução Cubana”
“Nesta unidade imposta, quem fazia a crítica estava “queimando” o movimento e, por conta da relação de poder hierarquizada, havia e ainda há muita hipocrisia, expressando assim grandes contradições do MST”

“Entre tantos valores é lembrado o que diz Fidel: “Um revolucionário pode perder tudo: a família, a liberdade, até a vida. Menos a moral”. E foi isso que o movimento perdeu, para nós, entre outras coisas: a moral.”

“…sentidos hoje por muitas pessoas que dedicaram toda a sua vida a esse movimento e não conseguem acreditar que o projeto que defenderam com suas vidas, investindo sua juventude e pelo qual muitos(as) companheiros(as) foram assassinados, esteja dependente do capital e do seu Estado.”

“Existe uma militância que já estava perdida, por não conhecer a essência da crítica, e porque seus dirigentes maiores, em sua arrogância e autoritarismo, nunca abriram o debate”

“Também não podia deixar de compartilhar, enquanto militante cristã, porque minha formação de militante nasceu a partir do Projeto de Jesus Cristo, no auge da Teologia da Libertação, dentro das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base) e da PJMP (Pastoral da Juventude do Meio Popular), em 1984.”

http://www.correiocidadania.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=7907%3Asocial071212&catid=71%3Asocial&Itemid=180

Fidel Castro saqueou Angola e torturou angolanos

02/05/2013

Fidel Castro saqueou Angola e torturou angolanos


By José Maria e Silva 03/11/2008 At 20:57

Militante de esquerda, simpatizante do PC do B, o escritor angolano Nelson Pestana foi preso político em Angola. Ele conta que a tortura era feita pelo Exército cubano. Segundo ele, Fidel dilapidou o património de Angola, roubando até fábricas que eram levadas para Cuba. O exército cubano chegou a estuprar mulheres

DEPOIMENTO DE NELSON PESTANA, ESCRITOR ANGOLANO DE ESQUERDA

O papel de Cuba em Angola, do meu ponto de vista foi um papel de potência de segundo grau e de colonização. Os cubanos representaram um mercenarismo de Estado. Da mesma maneira que houve a intervenção de outros exércitos, como o sul-africano e o zairense, por parte dos outros movimentos de libertação, Cuba interveio para apoiar o MPLA. E interveio como força expedicionária que se apropriou da riqueza nacional, inclusive porque os cubanos, a uma determinada altura, mandavam no país. Os angolanos eram marionetes nas mãos dos cubanos. O poder angolano de Agostinho Neto dependia da força expedicionária cubana. Tanto é assim que, quando houve uma cisão dentro do MPLA e há um golpe de Estado em 27 de maio de 1977, esse golpe é controlado pelos cubanos, que estão do lado de Neto. São os cubanos que reprimem a tentativa de golpe de estado dessa corrente do MPLA, que era comandada por Nito Alves e que tinha o apoio da União Soviética. Os cubanos tinham interesses próprios, como potência regional de segunda ordem, e, nesse caso, ficaram em lado oposto aos soviéticos.

A intervenção em Angola trazia um desafogo para a própria economia cubana. O internacionalismo é discurso de propaganda. Os cubanos eram pagos e bem pagos, inclusive os soldados, não era só o pessoal civil que era pago. Lembra-me que, numa determinada altura, cada soldado cubano custava mil dólares para Angola, por mês. Era uma factura muito elevada. O internacionalismo era apenas um discurso de legitimação. Essas quantias em dólares pagas aos cubanos deram um desafogo à economia de Cuba, que estava extremamente estrangulada na altura em que eles fizeram a intervenção em Angola. Daí os interesses diferentes de cubanos e soviéticos. Cuba apoiou Neto porque ele dava maior garantia aos cubanos de permanência no país. Cuba chegou a ter 60 mil pessoas em Angola, entre soldados e civis. Não eram os angolanos que diziam: “Agora, precisamos de 20 médicos”. Cuba que mandava 30 médicos. Angola tinha que os aceitar e lhes pagar os salários, além de comprar todo o material que era operado pelos cubanos. Inclusive, antes de Angola estruturar sua própria força repressiva, os cubanos é que torturavam directamente os angolanos.

Os cubanos são idolatrados como internacionalistas, sei que na América Latina eles têm essa imagem, mas, pelo lado da população angolana, eles são vistos como força de intervenção. Eles tiveram as práticas de todas as forças de intervenção, como violação de mulheres, apropriação de fábricas completas. Os cubanos, normalmente, eram os primeiros que chegavam às cidades desertadas pelas forças sul-africanas e de outros movimentos de libertação. Então, os cubanos se apropriavam de tudo aquilo que lhes interessava. Conta-se, inclusive, uma anedota, que acho que tem a ver com a realidade, que, numa primeira viagem de Estado que Agostinho Neto fez a Cuba, ele levou vários ministros, entre eles o ministro da Justiça, que teve a surpresa de ver, em Havana, o carro que lhe tinha sido roubado em Havana. Muitos carros circulavam em Havana com a matrícula “MP”, que significava “matrícula pedida”. Eram carros roubados em Angola, levados para Cuba e, depois, matriculados com uma nova chapa cubana. Mas não foram só carros. Foram roubadas até fábricas. Eram desmontadas as fábricas, postas em barcos e levadas para Cuba, assim como clínicas e hospitais.

 

Os cubanos fizeram uma depredação histórica em Angola, não só porque arrancavam coisas para levar para Cuba, mas também porque quebraram monumentos, alegando que eram alusivos ao colono. E a depredação dos cubanos não foi só na retirada deles, mas assim que chegaram. Era uma depredação organizada. Por exemplo, em Cabinda, que é uma região de floresta, que tem madeiras preciosas, eles cortavam a madeira, punham nos barcos e levavam, simplesmente não pagavam impostos, não pagavam a madeira, não pagavam nada. Faziam uma exploração da madeira, por conta própria, sem qualquer autorização ou acordo entre Cuba e Angola. Os cubanos destruíram a produção de cana-de-açúcar em Angola. Os cubanos comandaram, durante muito tempo, a marinha mercante angolana, e fretavam barcos para servirem à sua própria marinha mercante. E nós pagávamos frete de barcos cubanos que serviam à sua marinha mercante.

Eles fizeram imensas coisas. Há coisas que já estão sendo mais ou menos relatadas por cubanos dissidentes. De qualquer maneira, os cubanos não saíram totalmente de Angola. Saíram as tropas. Muitos deles converteram-se em negociantes e continuam em Angola, com lojas de comércio externo, clínicas, entre outros negócios. Alguns deles são uma força de reserva do próprio regime, porque um general que vira comerciante é sempre general. Há bem pouco tempo, o presidente angolano José Eduardo dos Santos visitou Cuba para um novo incremento da colaboração militar com Cuba. Apesar dos pesares, não temos uma atitude revanchista em relação aos cubanos. Naquilo que eles forem interessantes para Angola, conversamos muito bem, pode haver colaboração com Cuba.

Deixe me dizer que conheci Cuba, em 1981, e o que mais me chocou em Cuba foi o racismo contra os negros, pior do que no Brasil, mas como é uma revolução socialista, fala-se muito de Guevara, esconde-se muito isso. A guerra em África, tanto em Angola como na Etiópia, serviu, também, um bocado à comunidade negra cubana para a sua afirmação, para a sua promoção social, porque não se viam generais negros no Exercito cubano. Passou a haver numa determinada altura, porque a intervenção em África fez com que o discurso de Fidel incidisse sobre a recuperação das raízes africanas cubanas e isso motivou certa promoção da comunidade negra cubana. Há muito tempo que não vou a Cuba, mas, em 1981, quando estive lá, havia um racismo declarado em Cuba, a ponto de um branco não dançar com uma negra. E de eu me interessar por uma mulher que, nas circunstâncias, era negra e ela perguntar-me se eu efectivamente gostava dela, porque achava que um indivíduo com a minha pigmentação não poderia se interessar, de maneira nenhuma, por uma mulher de pele escura. Porque em Cuba havia essa separação, a separação das raças. Eu tinha companheiros cubanos desportistas que não dançavam num baile com brancas, porque se fossem pedir para dançar, elas não aceitavam porque eles eram negros. É um racismo que se pode encontrar mesmo nos textos do José Martí, quando ele fala no nosso “irmão mais novo”, o negro, numa atitude paternalista, que é, também, uma forma de racismo.

 

Costumo dizer aos meus amigos brasileiros, alguns com militância no PT, que Fidel Castro, moralmente, está uns pontos abaixo de Pinochet. Porque Pinochet era um ditador, mas, hoje, pôs a sua cadeira à disposição de um referendo. Fidel Castro, apesar de ter sido aconselhado a fazer o mesmo, até para renovar a sua legitimidade, nunca o fez e continua a manter uma ditadura das mais retrógradas. Mas eu costumo dizer aos meus amigos brasileiros que o nosso ditador é sempre mais simpático que o ditador do outro. O Pinochet era o ditador da direita e, por isso, é aquela besta que reprimiu a república, que matou Allende. Sabemos disso e tenho muito respeito por essa resistência, mas eu vi um resistente do Chile a ir buscar o Pinochet em Londres, para que ele não fosse julgado por Baltazar Garzón. E ele explicava que a democracia tinha sido negociada com esse ditador, que decidiu renunciar ao poder porque perdeu um referendo.

Não tenho simpatia nenhuma por nenhum tipo de ditador, mas, como homem de esquerda, embora de uma esquerda democrática, que não aceita nenhuma forma de coação sobre as liberdades individuais e colectivas, não posso me identificar com um ditador como Fidel Castro. Eu me identifico mais com aqueles a quem ele chama de vendilhões da pátria, que são esses movimentos da sociedade civil que apenas têm a fragilidade de seus corpos para opor ao regime brutal de Fidel Castro. E é um regime verdadeiramente brutal. Não é por acaso que alguns intelectuais de esquerda que até há pouco tempo o apoiavam cortaram relações com ele. O último caso foi o do escritor José Saramago, que escreveu aquela célebre carta aberta.

Conheci Cuba e não vi as grandes conquistas do socialismo que eles vendem. Mas, mesmo que houvesse essas grandes conquistas do socialismo, nada justifica a opressão sobre as pessoas. Não é por um prato de arroz que um ditador qualquer tem direito a impor uma ditadura como a de Fidel Castro. Por isso, acho que o PT teria muito a ganhar demarcando-se desse tipo de ditadura, a não ser que ele concorde com uma política de dois pesos e duas medidas: por um lado, o PT que fez um percurso de 20 anos de luta e chegou ao poder pela legitimidade do voto popular; por outro, o PT que apoia Fidel Castro, um dinossauro que não tem legitimidade nenhuma.

Fidel não aceita pôr o seu poder ao referendo da população cubana, porque acha que isso é invenção do ianque. Mas não é. Ele pode organizar as manifestações que quiser, com a população que quiser, para dizer que aqueles activistas cívicos cubanos que lutam pela liberdade do país não representam ninguém. Mas Ceaucescu, na Romênia, também tinha eleições com 90 por cento de aprovação, mas, de um dia para o outro, caiu e nós depois vimos o que era efectivamente esse poder. No Iraque, Saddam ganhou as últimas eleições que fez com 100 por cento dos votos, mas hoje vemos que as manifestações no Iraque contra a potência ocupante mostram uma pluralidade de movimentos e não 100 por cento em favor do ditador que foi derrubado pela intervenção americana. Fidel não tem, com certeza, 100 por cento da população do seu lado. Mas bastava que houvesse um cubano que pensasse diferente do Fidel para que ele tivesse o direito de pensar diferente.

Voltando ao PT, eu acho que há uma corrente no partido que, efectivamente, não aceita a democracia como modelo a seguir, que se submeteu a ela, nas circunstâncias do Brasil, e que, por isso, poderá ser sempre um risco para a própria democracia brasileira. E eu, não sendo brasileiro, sendo angolano, digo isso com preocupação, porque é normalmente nesses modelos ditatoriais que os nossos ditadores se inspiram. E, por isso, o exemplo brasileiro, nesse capítulo, pode ser um mau exemplo para Angola. E, como tal, eu tenho que me bater para que a própria democracia brasileira se fortaleça e se desenvolva naquele caminho que todos nós desejamos.

http://www.midiaindependente.org/en/blue/2008/11/432662.shtml

 

O último: Marca sessão extraordinária da Câmara dos Deputados as 11:00 para que não seja transmitida a sessão da Comissão da Câmara que ouviria Yoani Sánchez

20/02/2013

Cachorrada do PT para não deixar Yoani depor na TV Câmara.

Yoani Sánchez conta o horror que está passando no Brasil

19/02/2013

El viejo acto de repudio

Quizás ustedes no lo saben –porque no todo se cuenta en un blog- pero el primer acto de repudio que vi en mi vida fue cuando sólo tenía cinco años. El revuelo en el solar llamó la atención de las dos niñas que éramos mi hermana y yo. Nos asomamos a la reja del estrecho pasillo para mirar hacia el piso de abajo.

La gente gritaba y levantaba el puño alrededor de la puerta de una vecina. Con tan poca edad no tenía la menor idea de qué pasaba. Es más, ahora cuando rememoro lo ocurrido apenas tengo el recuerdo del frío de la baranda entre mis dedos y un destello muy breve de los que vociferaban.

Años después pude armar aquel calidoscopio de evocaciones infantiles y supe que había sido testigo de la violencia desatada contra quienes querían emigrar por el puerto del Mariel.

Pues bien, desde aquel entonces he vivido de cerca varios actos de repudio. Ya sea como víctima, observadora o periodista… nunca –vale la pena aclararlo- como victimaria.

Recuerdo uno especialmente violento que experimenté junto a las Damas de Blanco, donde las hordas de la intolerancia nos escupieron, empujaron y hasta halaron los pelos.

Pero lo de anoche, fue inédito para mi. El piquete de extremistas que impidió la proyección del filme de Dado Galvao en Feria de Santana, era algo más que una suma de adeptos incondicionales al gobierno cubano.

Todos tenían, por ejemplo, el mismo documento -impreso en colores- con una sarta de mentiras sobre mi persona, tan maniqueas como fáciles de rebatir en una simple conversación. Repetían un guión idéntico y manido, sin tener la menor intención de escuchar la réplica que yo pudiera darles.

Gritaban, interrumpían, en un momento se pusieron violentos y de vez en cuando lanzaban un coro de consignas de esas que ya no se dicen ni en Cuba.

Sin embargo, con la ayuda del Senador Eduardo Suplicy y la calma ante las adversidades que me caracteriza, logramos comenzar a hablar. Resumen: sólo sabían chillar y repetir las mismas frases, como autómatas programados.

¡Así que la reunión fue de lo más interesante!

Ellos tenían las venas del cuello hinchadas, yo esbozaba una sonrisa. Ellos me hacían ataques personales, yo llevaba la discusión al plano de Cuba que siempre será más importante que esta humilde servidora. Ellos querían lincharme, yo conversar.

Ellos respondían a órdenes, yo soy un alma libre.

Al final de la noche me sentía como después de una batalla contra los demonios del mismo extremismo que atizó los actos de repudio de aquel año ochenta en Cuba.

La diferencia es que esta vez yo conocía el mecanismo que fomenta estas actitudes, yo podía ver el largo brazo que los mueve desde la Plaza de la Revolución en La Habana.

Dossiê contra Yoani Sánchez e será vigiada pela polícia cubana no Brasil – Vergonha:

17/02/2013

O ULTIMO – no final desta notícia tem atualização sobre facismo em Feira de Santana impedindo povo de assistir filme sobre repressão em Cuba

=

=.

Barbaridade !!! PT vai distribuir dossiê contra a blogueira Yoani Sánchez em sua visita ao Brasil, e ajudar Cuba a vigiá-la. 

Vou te falar uma coisa, se o que está escrito na matéria abaixo é verdade, o que creio, só mostra como esse Governo do PT é MALDITO, coisa do MAL, e que apóia a DITADURA !!!

A presidente Dilma Rousseff que se diz ter sido uma vítima da trortura e etc, deveria ser a primeira a querer proteger a blogueira cubana, mas sabe como ´E, o Governo PT, Venezuela, e Cuba não tem diferença. 

Revista Veja

 
com Carinho, uma coletânea de seus textos sobre o triste cotidiano do povo cubano sob a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. O trabalho rendeu à dissidente uma perseguição implacável. Ela foi sequestrada, torturada e, durante anos, impedida de deixar o país. É rotulada de mercenária pelos comunistas da ilha e acusada de trair os princípios revolucionários. 
O que Yoani não sabe é que, apesar da distância que separa o Brasil de Cuba – 5 000 quilômetros -, ela não estará livre dos olhos e muito menos dos tentáculos do regime autoritário. Para os sete dias em que permanecerá no Brasil, o governo cubano escalou um grupo de agentes para vigiá-la e recrutou outro com a missão de desqualificá-la a partir de um patético dossiê. Uma conspirata oficial em território estrangeiro contra quem quer que seja é uma monumental afronta à soberania de qualquer nação. Esse caso, porém, envolve uma inquietante parceria. O plano para espionar e constranger Yoani Sánchez foi elaborado pelo governo cubano,mas será executado com o conhecimento e o apoio do PT, de militantes do partido e de pelo menos um funcionário da Presidência da República.
André Dusek/Estadão Conteúdo
NA SURDINA - Um assessor do ministro Gilberto Carvalho participou da reunião na embaixada, recebeu o dossiê e ouviu detalhes do plano de ataque
 NA SURDINA – Um assessor do ministro Gilberto Carvalho participou da
 reunião na embaixada, recebeu o dossiê e ouviu detalhes do plano de ataque
=

Conexão Havana-Brasília: militantes impedem exibição de filme com Yoani

19 de fevereiro de 2013

Os protestos nos aeroportos de Recife e de Salvador eram o prenúncio do que ocorreria mais tarde, no primeiro evento do programa da blogueira cubana Yoani Sánchez no Brasil.
Durante à noite de ontem, ela levou meia hora para conseguir ingressar no Museu Parque do Saber, em Feira de Santana, onde participaria da exibição de um documentário sobre a liberdade de expressão em Cuba e Honduras, do cineasta Dado Galvão. Cerca de 80 manifestantes do PT, do PC do B e de movimentos de esquerda como a União da Juventude Rebelião, União da Juventude Socialista (UJS) e a Associação José Marti da Bahia cercaram o local onde seria exibido o filme. Com receio de que a quantidade de manifestantes provocasse tumulto, os organizadores do evento atrasaram a chegada da blogueira até que fosse formado um cordão de segurança por guardas municipais.
A exibição do filme teve que ser cancelada. Com mais de uma hora de atraso, Yoani entrou no auditório, vaiada e com muito empurra-empurra. Os manifestantes só se acalmaram depois do convite para participar de um debate não programado. Quando Yoani falou, foi vaiada e aplaudida algumas vezes.
Ela contou como criou o blog e por que escreve para denunciar repressões do governo cubano. Após o ocorrido, no Twitter, ela definiu o “debate” como “gritos contra argumentos” e “slogans contra ideias”, e chamou atenção para panfletos que traziam os militantes: “Todos tinham o mesmo material, impresso da mesma forma, com as mesmas cores e palavras. Como se alguém tivesse distribuído a esses enérgicos do grito o mesmo dossiê contra mim. Que coincidência!”

Relembrando os perseguidos por Fidel Castro: Lula ama Fidel Castro Rúz

12/02/2013

Foto: AP Photo/Javier Galeano

Estados Unidos cree que “sería una vergüenza” que los países democráticos no apoyasen a los disidentes cubanos ni prestasen atención a la situación de los derechos humanos en Cuba.

Así lo aseguró hoy el embajador norteamericano en Madrid, Alan D. Solomont, quien después de tres meses de estancia en la capital española participó en un desayuno informativo en el que gran parte de las preguntas se centraron en la situación cubana.

El embajador, que trató de evitar en todo momento una crítica abierta al Ejecutivo de José Luis Rodríguez Zapatero, admitió no obstante cierta satisfacción por parte del gobierno de Barack Obama por que la presidencia española de la Unión Europea (UE) no haya tenido éxito en su intención de modificar la “posición común” del bloque hacia la isla.

EEUU “no está decepcionado por que no se haya ido más lejos en el intento de cambiar la ‘posición común”, dijo Solomont al ser preguntado al respecto.

Esa “posición común” fija desde 1996 y a instancias del gobierno español de entonces, encabezado por el conservador José María Aznar, las reglas en la relación con Cuba, condicionando el diálogo a que haya avances en la situación de los derechos humanos y libertades civiles allí.

El ministro de Exteriores español, Miguel Ángel Moratinos, pretendía suavizar ese marco durante la presidencia semestral española del bloque, pero la falta de consenso entre los socios lo impide, sobre todo después de la muerte del disidente Orlando Zapata.

Pese a esa muerte y a la huelga de hambre que mantiene actualmente el disidente Guillermo Fariñas, Estados Unidos no ve movimientos en el gobierno de Raúl Castro.

“Desgraciadamente no hay pruebas de que se esté ablandando”, dijo el embajador, sino que incluso se ha visto una respuesta “bastante estridente” por parte de las autoridades cubanas a los esfuerzos internacionales por hallar una solución.

“Se están enrocando”, aseguró, si bien indicó que seguramente existe una lucha interna entre los que defienden “mano dura” y los que quieren “una mano incluso más dura”.

Desde su llegada a la Casa Blanca, Barack Obama ha suavizado algunas restricciones impuestas a Cuba por la administración de George W. Bush. Y a ello se refirió también Solomont. “Nos gustaría que la relación con Cuba fuese distinta”, concluyó el embajador, que destacó que el futuro de la isla debe depender del pueblo cubano.

Vía DPA

Fidel Castro Rúz – Rei do Tráfico de Drogas da América Latina

04/01/2013

EL EJE CASTRO-NORIEGA

Página 1 de 1. • Compartir • ¡Más!

Ver el tema anterior Ver el tema siguiente Ir abajo

EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:40 pm

Como dentro de poco, será liberado el narcotraficante Manuel Antonio Noriega; he decidido postear este artículo. Para que no quede en el olvido, la personalidad de este compinche de Castro; muy activo y unido, a aquellos que el sanguinario cubano; asesinó como resultado de la Causa 1 del 89.
                                                                                                                                                                                                                                     EL EJE CASTRO-NORIEGA Foto de una reunión celebrada en la Habana, con la
presencia de Castro, Noriega; y Barba Roja. Durante la misma se planearon, las operaciones de “La selva del Darien”

Durante el mismo período en que se crea el Cartel de Medellín, el general Manuel Antonio Noriega toma el poder en la República de Panamá.

Con el nacimiento del eje Cuba-Panamá-Nicaragua y de los carteles de la droga se conformó una situación muy particular que dio inicio a la más compleja y vasta organización jamás imagina:

la alianza de traficantes, presidentes, generales, guerrilleros; banqueros, contadores y teóricos‑políticos, que, juntos, unirían esfuerzos para obtener ganancias multimillonarias.

El general Omar Torrijos, como jefe de gobierno de Panamá, reinició las relaciones diplomáticas con el régimen cubano, comenzando así un proceso de acercamiento que culminó con la instalación de un entramado comercial de amplias proporciones.

En el período 1974‑1981 las relaciones entre Cuba y Panamá estuvieron regidas por la política exterior de apertura diseñada por el general Torrijos.

La inteligencia checoslovaca había abierto la brecha para el bloque soviético en Panamá, al participar muy al principio en las operaciones cubanas bajo el nombre código de “Pablo”.

En los albores de la década del setenta, las autoridades norteamericanas se hallaban nerviosas por dos elementos que surgían en la superficie del tablero panameño: la relación de Torrijos con Castro, que cada día se hacían más intensas, y la evidente participación del ejército panameño en el narcotráfico que facilitaba el intercambio de drogas por armas para las guerrillas.

El hombre clave en ambas operaciones sería José Martínez, un allegado de Torrijos. El general Torrijos no puso objeción a que compañías cubanas se establecieran en Panamá con el objetivo de operar desde la zona libre de Colón.

El gobierno cubano llegó a convertirse en importante cliente de la “zona libre” y de los comerciantes panameños.

El Departamento América estableció entonces relaciones estrechas con el jefe de las Fuerzas de Defensa de Panamá, Noriega.

En 1975, el capo de los servicios secretos cubanos para el continente, Piñeiro, viajó varias veces a Panamá con el objetivo de asesorar al presidente Torrijos en todo lo concerniente a las negociaciones de los tratados canaleros con los Estados Unidos.

Ese noviembre, Piñeiro encabezaría otra amplia delegación de los servicios secretos cubanos que sostendría negociaciones en Panamá con funcionarios de ese país. Entre ellos figuraba Noriega, Jefe de la Inteligencia panameña. Lenta pero sistemáticamente crecía la hidra.

Según un informe del buró político del partido Nueva Joya de Granada, los cubanos vincularon con la mafia a Unison Whiteman, hombre de confianza de Bishop, durante su estadía en Panamá con motivo de los funerales de Torrijos. Dicho enlace tenía como fin el asegurar algunos componentes vitales para el aeropuerto que construían los cubanos en Granada.

A la muerte de Torrijos asumió el mando de la Guardia Nacional de Panamá el general Rubén Darío Paredes, quien durante el breve lapso de su gestión distanció al gobierno panameño de la influencia de La Habana.

En varias ocasiones, tanto en reuniones públicas como privadas, Paredes expresaría a Castro su oposición a la política del cubano hacia Centroamérica y especialmente hacia Panamá.

La desaparición de Torrijos y los dos años en que Paredes desempeñó el cargo de Comandante en Jefe cambiaron radicalmente la situación panameña con relación al gobierno cubano, coincidiendo también en esta etapa dos elementos importantes en la historia de América Latina: el surgimiento del Cartel de Medellín y el incremento extraordinario del tráfico de armas en Centro y Suramérica.

En Panamá, con el concurso de ramificaciones de izquierda y miembros de los partidos comunistas locales, Cuba crearía las condiciones para inclinar a Noriega hacia una colaboración con La Habana, infiltrando las Fuerzas de Defensa.

En Panamá no existió la necesidad de derrocar al gobierno sobornable de Noriega. Cuba no tuvo que promover allí a ningún conjunto de presión o colectivo insurgente para utilizar el espacio panameño como pedestal seguro y santuario de las operaciones ilegales en el continente que acarreaba entre otros Tony de LaGuardia.

Con el consentimiento del gobierno panameño, los cubanos ensamblaron toda suerte de negocios para sostener las insurrecciones en la comarca, para realizar sus operaciones y burlar el embargo norteamericano, y para perpetrar la transferencia de alta tecnología desde los Estados Unidos al entonces bloque soviético.

En este gran diseño, dos tentáculos cubanos asumirían las riendas de las operaciones: el Departamento MC bajo el puño de Tony de LaGuardia y los espías de Piñeiro.

Por su parte, la insurgencia sandinista había planteado una cooperación más profunda entre los servicios secretos de Cuba y los de Panamá. Noriega facilitó su país para que La Habana estableciese la infraestructura necesaria con que remitir armamentos a los sandinistas.

Las operaciones estuvieron a cargo del agente cubano Luís Hernández Ojeda, el hilo directo con Piñeiro en La Habana. Ya para 1978, el agente de la DEA norteamericana, Avelino Fernández, hacia pública la conexión de Noriega con el tráfico de drogas, y de que Castro estaba específicamente identificado en el mismo desde 1964.

La impecable fachada e infraestructura formada en Panamá descansaba en una combinación de compañías del país conjuntamente con comerciantes cubanos exilados que se prestaron al enjuague con Castro. Esas sociedades estaban ubicadas en Ciudad Panamá y en la zona franca de Colón. Los gerentes de tales negocios disponían de documentación para entrar en los Estados Unidos.

Sería a partir de 1980 que las diligencias del Departamento América en Panamá cobraron un vehemente ímpetu. En 1982, el responsable de los operativos cubanos en Panamá, Luis Hernández, fue reemplazado por el experimentado veterano José Luis Ojalvo, quien había prestado servicios en Colombia hasta el rompimiento de relaciones de Bogotá con La Habana.

Ojalvo sostuvo en Panamá estrechas conexiones con figuras políticas como Marcel Salamín, José Blandón y los hermanos Souza, del Partido del Pueblo.

Así, Panamá se transformó en un sitio de reuniones clandestinas, y de hospitalización y residencia de los miembros del Farabundo Martí de El Salvador. Incluso, el conciliábulo oculto entre el líder Roberto D’Aubuisson, del conservador partido ARENA de El Salvador, con componentes cubanos del Departamento América para negociar el cese de las hostilidades, tuvo lugar en Panamá.

En septiembre de 1982, Piñeiro y Osmani Cienfuegos llegaron a Panamá. Piñeiro coordinaba el narcotráfico por la parte cubana; Cienfuegos se encargaba del aspecto financiero y comercial de las actividades ilícitas.

Estas operaciones se facilitaron ya que quien realmente mandaba en la Guardia Nacional de Panamá era el general Noriega, ya que Paredes estaba más preocupado con su aspiración a la presidencia durante las elecciones de 1984 que en atender su cargo de Comandante en Jefe.

=

=

Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:41 pm

El 12 de agosto de 1983, Noriega toma el mando de la Guardia Nacional en sustitución del general Paredes, realizando una extensa purga y colocando a hombres de su confianza en los puntos claves del ejército y del gobierno, de instituciones financieras y de aduanas, de aeropuertos, de embajadas y consulados. Una vez en control absoluto de esta maquinaria, Noriega establece una alianza con Castro sin precedentes en el continente, que incluiría el intercambio de información de inteligencia, operaciones comerciales, el apoyo a insurrecciones, y negocios ilícitos como el narcotráfico.Noriega aportaba a esa relación su larga trayectoria como jefe de la Inteligencia panameña. Ya desde los tiempos del general Torrijos, Noriega había establecido vínculos estrechos con el Ministerio del Interior de Cuba, y muy especialmente con el general Abrantes y la alta oficialidad de ese organismo. Lo mismo había hecho con el jefe del Departamento América, Piñeiro, y con sus cuadros para América Latina y Estados Unidos. Los cubanos también se acercaron a otros oficiales panameños -como el capitán Felipe Camargo, Luís del Cid, Cedeño, Mejías, Cortizo, Madriñán, Luís Córdoba- y al grupo de civiles más cercanos a Noriega.Noriega estableció estrech&shy;as relaciones personales con los sandinistas en medio de la lucha contra Somoza. Una vez en el poder, los hermanos Ortega utilizarán los mismos esquemas organizativos que los cubanos en las operaciones comerciales, políticas y militares. El contacto en Nicaragua sería Humberto Ortega, Ministro de Defensa, y todo el aparato de Seguridad del Estado en manos de Borge y Lenín Cerna.Conforme al testimonio de Blandón, hombre de confianza de Noriega, una parte del sobrante de las armas compradas para los sandinistas, que habían quedado al cuidado de “grupos chilenos” fue vendida por colaboradores de Noriega al M-19 de Colombia.Los agentes de Piñeiro adquirían en la zona franca de Colón equipos de comunicaciones para el uso de las guerrillas de El Salvador y Colombia. Allí tuvo lugar también una vasta convención entre los hombres de Piñeiro y subversivos colombianos como Navarro Wolf, Rosenberg Pabón, y Jaime Batemán; a quienes se les proporcionó documentación falsa y fueron enviados a Cuba4. Valiéndose de sus contactos con la Fuerza de Defensa panameña, los cubanos transfirieron armas a los alzados colombianos; y durante la era de Noriega, emplearon al oficial panameño, Camargo, como su mediador.
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:41 pm

EN LA SELVA DEL DARIENEn reunión sostenida por Noriega en Panamá en 1984 con los jefes del narcotráfico en Colombia se ofreció el pago de la deuda externa panameña a cambio del uso de ese territorio como santuario. Los cabecillas del Cartel de Medellín trasmitieron una similar oferta a las autoridades colombianas a través del ex presidente de Colombia, Alfonso López Michelsen: el pago de la deuda externa si se les dejaba en paz. El Cartel de Medellín se hallaba en dificultades, sobre todo después que la policía colombiana detectara un embarque de éter para procesar cocaína, causando una extensa investigación que resultaría en la destrucción del centro de procesamiento de cocaína más grande del mundo.El Ministro de Justicia colombiano, Rodrigo Lara Bonilla, determinó deportar a los más notorios jefes del Cartel a los Estados Unidos. El Cartel le puso un “contrato” a Rodrigo Lara, provocando así que Pablo Escobar Gaviria (alias el Padrino) los jefes de la familia Ochoa de Colombia, y otros capo tuviesen que huir y buscar refugio. Algunos lo lograrían en Cuba; los más fueron recibidos por Noriega quien les extendió la alfombra de bienvenida.El conocido narcotraficante Carlos Lehder, que en 1991 pasaría a ser testigo principal en el caso contra Noriega en Estados Unidos, dará fe en sus testimonios de que Rodrigo Lara fue asesinado para impedir que revelara las conexiones de López Michelsen con el Cartel, como era su intención. La presencia ilegal del Cartel en Panamá, bajo protección de Noriega, resultó de beneficio para el dictador, quien logró mover hacia su dirección una tajada del negocio de narcóticos. Así fue como el Cartel trasladó parte de sus operaciones a Panamá, enviando un centenar de personas para realizar dichas operaciones, como contadores, abogados, al igual que familiares, que recibieron de Noriega protección y documentación.Irónicamente, los altos jefes del Cartel se mudaron a las casas anteriormente ocupadas por funcionarios estadounidenses del Fuerte Amador cuya propiedad había sido traspasada a Panamá bajo los tratados canaleros. El resto del personal fue hospedado en el Hotel Marriott. Los Estados Unidos, alertados por funcionarios panameños de la existencia de una planta procesadora de cocaína descubierta por indios de la zona del Darién, comenzaron a presionar al general Noriega.Ya las relaciones entre Washington y Noriega atravesaban una etapa difícil; Noriega también enfrentaba conflictos con la oposición interna luego del escándalo de fraude en las elecciones de mayo de 1984. En esta pinza entre el Cartel y Washington, Noriega tendría que enfrentar a uno de los dos. Pero para Noriega, la crisis con el Cartel había comenzado desde finales de 1983, cuando una avioneta en la que viajaba Batemán, jefe del M-19 desapareció en el trayecto entre Colombia y Panamá con $10 millones de dólares.
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:41 pm

Batemán había sido entrenado en Moscú; era, además, amigo íntimo de Castro y de Piñeiro. Batemán deseaba negociar una tregua y quizás una unión entre su movimiento y un escuadrón derechista controlado por el Cartel de Medellín. Noriega negará la existencia del dinero en el lugar del accidente, causando la ira del Cartel de Medellín. Según la testificación de Lehder5, la disputa de Noriega con el Cartel surge porque el panameño exige una tajada mayor de las operaciones, demandando $1 millón por encima de los $5 millones originalmente negociados por ofrecer santuario en territorio panameño al que lo necesitase.Escobar, un hombre brutal que llegó a amasar una inmensa fortuna mala habida, estaba enfurecido por la petición de Noriega. El 20 de mayo de 1984, casi todos los jefes del Cartel (Gustavo Gaviria, Pablo Correa, Alfonso Cárdenas, Escobar y García Rodríguez Gacha) viajaban hacia Panamá para conferenciar con Noriega y llegar a un acuerdo sobre el uso del laboratorio en el Darién. Cuando el Cartel le niega a Noriega su exigencia de dinero, éste ordena a la Fuerza de Defensa Nacional a arrasar el centro de procesamiento de cocaína del Cartel en la jungla de Darién, que se lleva a cabo al día siguiente. Así es como Noriega viola el acuerdo multimill&shy;onario hecho con Escobar.El ataque contra Darién fue un dolor de cabeza; era la acción más imprudente realizada en el negocio de las drogas. Noriega nunca le diría a sus socios de Medellín que les traicionaría para complacer a los Estados Unidos. El 23 de junio, apenas un mes después del destrozo de Darién, Blandón, asesor de confianza de Noriega, volaba a Cuba con Camargo, eventual jefe del G‑2, para discutir el ataque a Darién.Blandón y Camargo se entrevistaron con Piñeiro, quien arregló la entrevista entre los panameños, el Cartel, y Castro. Los intereses del Cartel estuvieron representados por López Michelsen. Castro expresó, según el testimonio de Blandón, que el enfurecimiento de los colombianos por el ataque de Darién era peligroso para Panamá y para todo el mundo6. “El Cartel puede transformar a Panamá en un campo de batalla si Noriega le causa problemas. Sería una lucha entre las fuerzas de defensa y el Cartel”.Blandón dio a entender claramente su sorpresa ante el conocimiento detallado que del Cartel mostraba Castro. El mandatario cubano señaló que los líderes del Cartel estaban ansiosos por ver en libertad a sus miembros detenidos, ya que se corría peligro de que estos engrosaran la lista de testigos contra el Cartel en las cortes de los Estados Unidos. Castro también fue portavoz de las exigencias del Cartel en cuanto a dinero y aviones, así como de un nuevo acuerdo para conducir los negocios.Blandón recibió instrucciones de comunicarle a su jefe en Panamá que en La Habana le esperaba alguien conocido para dichas negociaciones: Michelsen. A su llegada a La Habana el 25 de junio procedente de Nueva York, Noriega, Michelsen y Castro se reunieron para discutir estos pormenores. Noriega partió de regreso a Panamá con una fuerte escolta personal suministrada por Castro. Sin duda, estaba jugando con fuego: negociaba con el Cartel a la vez que traicionaba a los colombianos, había sido sorprendido por los americanos en este juego, y ahora caía en manos de Castro. De acuerdo con la deposición de Lehder, el disgusto del Cartel era máximo, al punto de considerarse planes para eliminar a Noriega. Desde Nicaragua, Piñeiro les recomendará que “no debían actuar de forma violenta”; según Lehder, el problema quedaría resuelto con la devolución de dos millones de dólares por parte de Noriega.
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:42 pm

UN CENTRO DE ESPIONAJEPanamá, con su privilegiada posición geográfica, su centro financiero, la facilidad para crear corporaciones, y la zona libre de Colón, tenía los elementos básicos que requerían los cubanos para una operación en gran escala. Castro hizo de Panamá un eslabón clave en su política de evadir el bloqueo norteamericano; allí establecería su base de operaciones para lograr ingresos en dólares, para la obtención de alta tecnología occidental y para la exportación de ciertos productos de Cuba.A Castro no le importó la carga política que representaba aliarse con Noriega, ya que por el contrario, esa relación representaba una magnífica fuente de divisas. Es por ello que, desde los inicios de las relaciones con Noriega, Cuba definió claramente una estrategia: renunciar a la hegemonía política en Panamá en favor de las prioridades económicas que le ofrecía dicha alianza.Los bancos de Panamá eran aprovechados como estaciones de lavado de dinero. Panamá utilizaba a Luis del Cid en el correo de fondos con El Cartel y de contacto ejecutivo con los cubanos. En esta red de Noriega para el narcotráfico figuraba destacadamente el empresario panameño Enrique Pretelt. Otros dos panameños -Ciro Moscoso y Jaime Tejada- poseían vínculos para la adquisición de medios militares para el ejército de Cuba. Según el mayor de la seguridad cubana, Florentino Azpillaga, Noriega se ocuparía personalmente de comprar armas para Cuba, que luego eran transferidas a los guerrilleros de El Salvador, Honduras y Colombia.Todas las operaciones comerciales de Cuba estarían a cargo del Ministerio del Interior, a través del grupo CIMEX (Actividades de Empresas en el Exterior) que encabezaban Emilio Aragonés y Osmani Cienfuegos. Tony de LaGuardia dirigía este grupo de compañías registradas en Panamá desde su Departamento MC; todas ellas realizaron sus operaciones bajo la protección de Noriega, utilizando únicamente abogados y empresarios no vinculados a grupo alguno del sector de la izquierda panameña.En la actualidad todavía existen corporaciones que operan en coordinación con entidades similares ‑también controladas por los cubanos‑ para evadir el bloqueo económico y para realizar actividades lícitas e ilícitas en otros países. Por ejemplo, cuando se establece la compañía de transporte Caribbean Happy Line Co., en Panamá, ésta será controlada por Carlos Duque, en representación de Noriega, y por Rubén Cuenca Montoto, en representación de los cubanos. Caribbean Happy Line tiene conexiones directas con sus homólogas la Anglo Caribbean Shipping en Londres, la Cariberia en España, la Taíno Shipping en Bélgica y la Reimor S.A., en Méjico; todas ellas controladas por Cuba.En un principio, Noriega les proporcionaba todo tipo de ventaja, desde bandera panameña para sus barcos, hasta pasaporte panameño para los marinos cubanos, servicio de consulado, documentación y asesoría legal. De acuerdo con el Departamento de Comercio de los Estados Unidos, de las 60 compañías pantallas que Cuba operaba en Panamá en 1986, alrededor de 20 participaban en el tráfico de armas hacia las guerrillas latinoamericanas.

Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:42 pm

La compañía CIMEX, realizaba el grueso de tales negocios para lo cual utilizaba el aparato del MC dirigido por el coronel Tony de LaGuardia. Las operaciones políticas estarían supervisadas por el Departamento de América; los contactos militares por el general Abelardo Colomé Ibarra y por Tony de LaGuardia. Para instrumentar esta estrategia, el MININT instaló a sus agentes en Panamá. El encargado de las actividades con la máxima jerarquía del gobierno cubano era Cienfuegos. Compartirá con él estas responsabilidades el jefe del Departamento de América, Piñeiro, y el entonces Ministro del Interior, general Abrantes. El MININT disponía de sus agentes operativos como fachada en la embajada cubana en Panamá; otros espías figurarán en la gerencia de las compañías creadas allí.En 1986 se llevaron a cabo unos insólitos contactos clandestinos entre el servicio secreto israelí -el Mossad- y la inteligencia cubana, por medio de la conexión panameña. En tres ocasiones, el panameño Camargo acompañó al espía israelí Mike Harari a La Habana. Allí el enviado del Mossad expresó a los cubanos que Tel Aviv estaba en disposición de establecer relaciones diplomáticas con Cuba si ésta les ayudaba a localizar criminales de guerra nazi en Paraguay usando los eficientes servicios secretos castristas8.Harari elogió el alto nivel de profesionalismo del espionaje cubano, e incluso sostuvo conversaciones directas con Castro. Harari mantuvo los lazos con los agentes cubanos en Panamá y continuó sus viajes a Cuba hasta 1988; los últimos, los haría escoltado por el capitán Félix Rodríguez.El panameño Camargo, a su vez, se desplazó con elementos del Departamento América a Cuba el 14 de febrero de 1988, donde desarrolló extensos coloquios con el vicepresidente Carlos Rafael, con Piñeiro y con los oficiales José Luis Arévalo, Fidel Martínez y José Félix Rodríguez. Asimismo, se relacionó con el entonces ministro del interior, general José Abrantes9. En agosto de ese mismo año miembros del Departamento América reunieron a 80 empresarios panameños para discutir los pormenores de futuras actividades con La Habana. Entre ellos figuraban el coronel Luis Córdoba y el mayor Gonzalo González quienes fueron escoltados a Cuba.A partir de 1988, personal del Departamento América comenzó a despachar de forma sistemática con la inteligencia de la Fuerza de Defensa panameña. Desde el edificio El Manguito, ubicado en el barrio de El Cangrejo, Camargo y Benjamín Ku por los servicios de Panamá, y Félix Luna por los de Cuba compilaban información de inteligencia y contra inteligencia que luego servía a los cubanos para formular planes10.Luna, probado agente del Departamento América, había relevado a Ojalvo en Panamá en 1984. No obstante, Ojalvo supervisaba desde La Habana las evoluciones del área con la asistencia de Roberto Márquez y Martín Calá. Los agentes del Departamento América se aprovecharon de la desesperación panameña; así comienza a beneficiarse económicamente el plan cubano. Para esos entonces, Noriega ya había designado a Luís Córdoba, Luís Quiel, Darisnel Espino, Ramiro Vásquez Chambonet, Nils Castro y Lucho Gómez para que se entendieran con los cubanos11.Fue así como el Departamento América logró ejercer el control del puerto panameño de Vacamonte, interceptando, desde una flota pesquera cubana anclada permanentemente en el lugar, las comunicaciones del comando sur de los Estados Unidos (SOUTHCOM)12. Para facilitar la coordinación con el general Noriega, Castro ubicó en su embajada a otro puñado de agentes compuesto por Alfredo Pila, Oscar Gutiérrez, Lázaro Mora y Miguel Pérez Cruz. Cuando hacen crisis las relaciones de Noriega con Estados Unidos, a principio de 1988, el Departamento América organizó la transferencia de armas a Panamá para que pudiera ser utilizada por los batallones de la dignidad, en una lucha guerrillera contra una posible ocupación militar norteamericana. Al estallar el escándalo de las armas, la maquinaria de desinformación cubana comenzó a propagar la idea de que Libia, con su ya mala fama internacional, era la proveedora. El mismo mecanismo dio resultado cuando se produjo la transferencia de dinero a Panamá vía Cuba. El dinero provenía de las operaciones de narcotráfico, pero Libia cargó nuevamente con la culpa debido a la malicia cubana.

Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:42 pm

Luna fue reemplazado por Martín Calá en 1989 como jefe de los servicios secretos del Departamento América en Panamá. Con la caída de Noriega, Calá fue expulsado del país y la inteligencia cubana trasladó sus cuarteles generales a Managua para desde allí seguir dirigiendo las operaciones en el Istmo. El personal del Departamento América reubicado en la embajada cubana de Nicaragua se convirtió así un grupo de consejeros políticos. Sin embargo, en 1991, Calá inspeccionó nuevamente a Panamá y es sabido que los miembros del Departamento América siguen explotando el suelo panameño como punto de escala en su labor de espionaje, y como plataforma para la importación de mercancías de los Estados Unidos.A partir de febrero de 1988, Noriega comienza a enfrentar fuertes presiones domésticas e internacionales ante las acusaciones que le hace un Gran Jurado en Miami por tráfico de drogas. De inmediato solicitará ayuda de La Habana; como resultado, un numeroso grupo de altos oficiales de la Seguridad del Estado de Cuba se trasladó a Panamá para asesorarle en esta crisis.Tras su defección en Estados Unidos, el mayor de la aviación panameña, Augusto Villalaz15 expresó públicamente que Castro había enviado 500 toneladas de armas a Noriega para la construcción de una infraestructura paramilitar de defensa que pudiera sostener una guerra de guerrillas en caso de una invasión norteamericana. Asimismo, la inteligencia cubana estableció una unidad política de asesoría a Noriega en Panamá, que fue integrada por Arbessú, Ravelo, Ramiro Abreu Quintana, José Luis Ojalvo y Luís Hernández Ojeda. Por parte de Nicaragua arribarían los altos jefes de la seguridad sandinista Ricardo Wheelock, Julio López y Lenín Cerna.En 1986, cuando The New York Times publicó detalles de las andanzas de espionaje y narcotráfico de Noriega, Castro quiso distanciarse, y denunció en una revista cubana la participación en el narcotráfico de algunos militares panameños encabezados por Noriega. A exigencias del dictador panameño, Castro le defendería de las acusaciones en entrevista televisada por cadena nacional en Panamá.
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 2:44 pm

Fuente: http://www.gadcuba.com/ LasguerrassecretasdeCastro
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 3:01 pm

La narcodictadura cubanaDado que el gentil público izquierdista suele defenderse (evadir es más preciso) de cualquier acusación apuntando a la paja en el ojo ajeno, cabe otra vez aclarar: Sí, hay gobiernos en todo el planeta y de todo tipo involucrados con el tráfico de estupefacientes y armas. Dicho eso, procedamos a desenmascarar al ídolo revolucionario del Caribe:”¿Habían sido descubiertos unos maleantes dentro de las estructuras de mando de la honorable revolución cubana y se les castigaba por su felonía? Nada de eso. El delito sí, había sido descubierto, pero no por los servicios de inteligencia cubana –que eran los delincuentes–, sino por el Drug Enforcement Administration, la DEA norteamericana que vigila y persigue el narcotráfico en el terreno internacional. Sencillamente, el Gobierno cubano había sido agarrado con las manos en la masa de la cocaína. La DEA tenía las pruebas de la complicidad con el
narcotráfico de la Marina, la Fuerza Aérea, el Ministerio del Interior y hasta del Ministerio de Relaciones Exteriores de Cuba. Los cuerpos policiacos estadounidenses habían infiltrado en la operación a un piloto taiwanés, Hu Chang, que el 8 de mayo de 1987 aterrizó en una de las más secretas instalaciones del Gobierno cubano, en un vuelo procedente de Colombia cargado de cocaína. Prueba contundente que reproducía la experiencia previa de dos narcotraficantes cubanoamericanos, Reynaldo Ruiz y su hijo Rubén, vinculados por lazos familiares a un alto oficial de los servicios de inteligencia cubanos, Miguel Ruiz Poo, situado en Panamá. Reynaldo y Rubén, obligados a colaborar con la DEA como modo de reducir las acusaciones que se les formularían por narcotráfico, le habían dado al Gobierno norteamericano todas las pruebas y pistas necesarias para que Castro pudiera ser llevado a los tribunales por sus vínculos con el
tráfico de narcóticos y «lavado» de dinero. No obstante, decidido a presentar el caso de manera totalmente irrefutable, el Gobierno norteamericano comete entonces una increíble estupidez: se propone tenderle una trampa al mismísimo ministro del Interior, el general José Abrantes, y para esos fines saca de la cárcel a un narcotraficante cubano llamado Gustavo Fernández, Papito, que en el pasado había colaborado con la CIA, y le propone una sustancial rebaja de su pena si se presta a montar la celada. El plan –en el que piensan hasta utilizar un submarino– incluye el apresamiento en aguas internacionales de Abrantes y su posterior presentación a los tribunales y a la prensa.
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 3:02 pm

Gustavo Fernández, naturalmente, acepta, pero en un descuido de quienes lo vigilan escapa a La Habana y cuenta todo lo que sabe: va a estallar el escándalo y Castro dejará de ser la heroica figura de la Revolución para convertirse ante los ojos del mundo en un vulgar narcodictador de la categoría del panameño Manuel Antonio Noriega, figura absolutamente desacreditada por aquellas mismas fechas. Esto ocurre entre abril y mayo de 1989.”
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por Anonymou el Vie Mayo 11, 2007 3:04 pm

Espero que los valiosos aportantes al foro, dedicados a la busqueda de fuentes. Tengan la prudencia de leer primero el artículo, y de esta manera; evitarse un ridículo.Toño
Anonymou
Invitado

Volver arriba Ir abajo

Re: EL EJE CASTRO-NORIEGA

Mensaje por fidelon el Vie Mayo 11, 2007 3:58 pm

TOÑO, muy bueno el informe pero aun te faltan agentes que estaban dentro de la embajada, cubana en panama desde el año 1983, hasta la invasion, conozco a dos marido y mujer. en estos momentos estan jubilados y viven como perros en cuba, se retiraron con los grados de coroneles y tte,coronel respectivamente.

Para meninas e meninos que usam camiseta do assassino genocida Che Guevara. Escutem Che falando em fuzilamento:

21/12/2012

541457_596872830339245_1501353560_n

Roberto Campos fala do revanchismo dos comunistas brasileiros

05/12/2012
Por este artigo de Roberto Campos é possível ter uma boa sinopse dessa época do regime militar.
 “Atualmente fala-se novamente nos atos revolucionários ou melhor dos atos do regime militar, muitos jovens não vivenciaram esta época então aproveito este momento no blog para mostrar  esta matéria de Roberto Campos publicada no O Globo e Folha de Sâo Paulo em 04.08.1996 e que parece bem atual.”
O artigo  chama-se  : “A nostalgia das Ossadas”
Roberto Campos“A nostalgia das Ossadas”

Uma revolução não é o mesmo que convidar alguém para jantar, escrever um ensaio, ou pintar um quadro… Uma revolução é uma insurreição, um ato de violência pelo qual uma classe derruba a outra”     Mao Tsé-Tung
Dizia-me um amigo argentino, nos anos 60, que seu país, rico antes da Segunda Guerra, optara no pós-guerra pelo subdesenvolvimento e pelo terceiromundismo. E não se livraria dessa neurose enquanto não se livrasse de três complexos: o complexo da madona, o fascínio das ossadas e a hipóstase da personalidade. Duas madonas se tinham convertido em líderes políticos – Evita e Isabelita. As ossadas de Evita foram alternativamente sequestradas e adoradas, exercendo absurdo magnetismo sobre a população. E a identidade nacional era prejudicada pelo fato de o argentino ser um italiano que fala espanhol e gostaria de ser inglês…
A Argentina parece ter hoje superado esses complexos. Agora, é o Brasil que importa (sem direitos aduaneiros como convêm ao Mercosul) um desses complexos.
Os estrangeiros que abrem nossos jornais não podem deixar de se impressionar com o espaço ocupado pelas ossadas: as ossadas sexuais de PC Farias, as ossadas ideológicas dos guerrilheiros do Araguaia e as perfurações do esqueleto do capitão Lamarca! Em vez de importarmos da Argentina a tecnologia de laticínios, estamos importando peritos em “arqueologia moderna”, para cavoucar as ossadas do cemitério da Xambioá. Há ainda quem queira exumar cadáveres e ressuscitar frangalhos do desastre automobilístico que matou Juscelino, à procura de um assassino secreto. Em suma, estamos caminhando com olhos fixos no retrovisor. E o retrovisor exibe cemitérios.
Na olimpíada mundial de violência, os militares brasileiros da revolução de 1964 não passariam na mais rudimentar das eliminatórias. Perderiam feio para os campeões socialistas, como Lênin, Stálin e Mao Tsé-Tung. Seriam insignificantes mesmo face a atletas menores, como Fidel Castro, Pol Pot, do Camboja, ou Mengistu, da Etiópia.

Fidel Castro e Che Guevara

Os 136 mortos ou desaparecidos em poder do Estado, ao longo das duas décadas de militarismo brasileiro, pareceriam inexpressivos a Fidel, que só na primeira noite pós-revolucionária fuzilou 50 pessoas num estádio. Nas semanas seguintes, na Fortaleza La Cabaña, em Havana, despachou mais 700 (dos quais 400 membros do anterior governo). E ao longo de seus 37 anos de ditadura, estima-se ter fuzilado 10 mil pessoas. Isso em termos da população brasileira equivaleria a 150 mil vítimas. Tiveram de fugir da ilha, perecendo muitos afogados no Caribe, 10% da população, o que, nas dimensões brasileiras, seria equivalente à população da Grande São Paulo.

Definitivamente, na ginástica do extermínio, os militares brasileiros se revelaram singularmente incompetentes. Também em matéria de tortura nossa tecnologia é primitiva, se comparada aos experimentos fidelistas no Combinado del Este, na Fortaleza La Cabaña e nos campos de Aguica e Holguín. Em La Cabaña havia uma forma de tortura que escapou à imaginação dos alcaguetes da ditadura Vargas ou dos “gorilas” do período militar: prisioneiros políticos no andar de baixo recebiam a descarga das latrinas das celas do andar superior.
O debate na mídia sobre os guerrilheiros do Araguaia precisa ser devidamente “contextualizado” (como dizem nossos sociólogos de esquerda). Sobretudo em benefício dos jovens que não viveram aquela época conturbada. A década dos 60 e o começo dos 70 foram marcados mundialmente por duas características: uma guinada mundial para o autoritarismo e o apogeu da Guerra Fria. Basta notar que um terço das democracias que funcionavam em 1956 foram suplantadas por regimes autoritários nos principais países da América Latina, estendendo-se o fenômeno à Grécia, Coréia do Sul, Taiwan, Cingapura e à própria Índia, onde Indira Ghandi criou um período de exceção.
Na América Latina, alastrou-se o que o sociólogo O’Donnell chamou de “autoritarismo burocrático”. O refluxo da onda democrática só viria nos anos 80, que assistiria também à implosão das ditaduras socialistas.
Uma segunda característica daqueles anos foi a agudização do conflito ideológico. Na era Kennedy (1961-63), que eu vivenciei como embaixador em Washington, houve nada menos que duas ameaças de conflito nuclear. Uma, em virtude do ultimato de Kruschov sobre Berlim, e outra, a crise dos mísseis em Cuba. Em meados da década, viria a tragédia do Vietnã.
É nesse contexto que deve ser analisado o episódio dos guerrilheiros do Araguaia e da morte de Lamarca. Não se tratavam de escoteiros, fazendo piqueniques na selva com canivetes suíços. Eram ideólogos enraivecidos, cuja doutrina era o “foquismo” de Che Guevara: criar focos de insurreição, visando a implantar um regime radical de esquerda. Felizmente fracassaram, e isso nos preservou do enorme potencial de violência acima descrito.

Capitão Lamarca

Durante nossos “anos de chumbo”, não só os guerrilheiros sofreram; 104 militares, policiais e civis, obedecendo a ordens de combate ou executados por terroristas, perderam a vida. Sobre esses, há uma conspiração de silêncio e, obviamente, nenhuma proposta de indenização. Qualquer balanço objetivo do decênio 1965-75 revelará que no Brasil houve repressão e desenvolvimento econômico (foi a era do “milagre brasileiro”), enquanto nos socialismos terceiromundistas e no leste europeu houve repressão e estagnação.

É também coisa de politólogos românticos pensar que a revolução de 1964 nada fez senão interromper um processo normal de sucessão democrática. A opção, na época, não era entre duas formas de democracia: a social e a liberal. Era entre dois autoritarismos: o de esquerda, ideológico e raivoso, e o de direita, encabulado e biodegradável.
Hoje se sabe, à luz da abertura de arquivos, que a CIA e o KGB (que em tudo discordam) tinham surpreendente concordância na análise do fenômeno brasileiro: o Brasil experimentaria uma interrupção no processo democrático de substituição de lideranças. Reproduzindo o paradigma varguista, Jango Goulart, pressionado por Brizola, queria também seu “Estado Novo”. Apenas com sinais trocados: uma república sindicalista.
As embaixadas estrangeiras em Washington, com as quais eu mantinha relações como embaixador brasileiro, admitiam, nos informes aos respectivos governos, três cenários para a conjuntura brasileira: autoritarismo de esquerda, prosseguimento da anarquia peleguista com subsequente radicalização, ou guerra civil de motivação ideológica. Ninguém apostava num desenlace democrático…
Parece-me também surrealista a atual romantização pela mídia (com repercussões no Judiciário) da figura do capitão Lamarca, que as Forças Armadas consideram um desertor e terrorista. Ele faz muito melhor o perfil de executor do que de executado. Versátil nos instrumentos, ele matou a coronhadas o tenente Paulo Alberto, aprisionado no vale da Ribeira, fuzilou o capitão americano Charles Chandler, matou com uma bomba o sargento Mário Kozell Filho, abateu com um tiro na nuca o guarda-civil Mário Orlando Pinto, com um tiro nas costas o segurança Delmo de Carvalho Araujo e procedeu ao “justiçamento” de Mário Leito Toledo, militante do Partido Comunista que resolvera arrepender-se.
Aliás, foram dez os “justiçados” pelos seus próprios companheiros de esquerda. Se o executor acabou executado nos sertões da Bahia, é matéria controvertida. Os laudos periciais revelam vários ferimentos, mas nenhum deles oriundo de técnicas eficientes de execução que o próprio Lamarca usara no passado: tiro na nuca (metodologia chinesa), tiro na cabeça (opção stalinista) ou fuzilamento no coração (método cubano). As Forças Armadas têm razão em considerar uma profanação incluir-se Lamarca na galeria de heróis.
As décadas de 60 e 70, no auge da Guerra Fria, foram épocas de imensa brutalidade. Merecem ser esquecidas, e esse foi o objeto da Lei de Anistia, que permitiu nossa transição civilizada do autoritarismo para a democracia. Deixemos em paz as ossadas. Nada tenho contra a monetização da saudade, representada pela indenização às famílias das vítimas. Essa indenização é economicamente factível no nosso caso. Os democratas cubanos, quando cair a ditadura de Fidel Castro, é que enfrentariam um problema insolúvel se quisessem criar uma “comissão especial” para arbitrar indenizações aos desaparecidos. Isso consumiria uma boa parte do minguado PIB cubano!
Nosso problema é saber se a monetização da saudade deve ser unilateral, beneficiando apenas as famílias dos que se opunham à revolução de 1964. Há saudades, famílias e ossadas de ambos os lados.”
Roberto Campos escreveu este artigo quando tinha 78 anos, e era deputado federal pelo PPB do Rio de Janeiro.
Foi senador pelo PDS-MT e ministro do Planejamento (governo Castello Branco).
É autor de “A Lanterna na Popa” (Ed. Topbooks, 1994)

Cuba – O Paraíso para o PT – O modelo petista para a América Latina

03/11/2012

As maravilhas de Cuba.
Este é o povo cubano sendo tratado como gado para simplesmente receber a sua ração mensal de comida. A Polícia Revolucionária pode covardemente dar cacetadas pois confiscaram as armas da população.
Este é o regime de terror e fome que o PT elogia, adora e quer implementar em toda a América Latina atráves do Foro de São Paulo:

Os 50 anos dos Mísseis de Outubro: Para a URSS aceitar tirar mísseis nucleares de Cuba, Kennedy aceita jamais invadir Cuba

15/10/2012

Cuban Missile Crisis ‏@missilecrisis62

US analysts use recon photos to identify 23/24 missile sites in Cuba as well as parts of a Soviet MRBM in San Cristobal

13 razões pelas quais você deve jogar fora a sua camiseta do Che Guevara

10/10/2012
Che Guevara: assassino genocida vicioso e ícone trash de camisetas.

De acordo com a mitologia esquerdista que foi construída ao longo dos últimos 50 anos, Che Guevara era um soldado nobre e corajoso que amava a liberdade e sacrificou sua vida para que outros pudessem alcançá-la.

Há! Aqui estão os 13 fatos de Che que a esquerda NUNCA menciona. Treze coisas que, se fossem amplamente conhecidas, poderiam contribuir para diminuir em muito as vendas dessas ridículas camisetas.

  1. A famosa viagem de motocicleta de Che pela América do Sul é mais um mito. A moto quebrou no início da jornada e foi completada com outros meios de transporte.
  2. Che foi apelidado de Chancho (porco) por seus colegas de escola, porque ele raramente tomavam banho.
  3. Logo depois que Batista foi derrubado, Guevara executou centenas de funcionários do governo cubano. Observe que a frase “julgamento justo” estava conspicuamente ausente das sentenças.
  4. Che era um assassino brutal. Ele treinou e comandou pelotões de fuzilamento que EXECUTARAM milhares de homens, mulheres e crianças considerados inimigos pelo novo regime de Castro. Certa vez, ele atirou na cabeça de um companheiro de guerrilha, ao qual suspeitava de deslealdade.
  5. Che não era um fã da Primeira Emenda estadunidense. Ele se opôs à liberdade de expressão, de religião, de imprensa, assembléias e protestos. Algo semelhante com a famigerada Coréia do Norte?
  6. Todos esses jovens universitários vestindo sua camiseta do Che podem se surpreender ao saber que ele apoiou a repressão de rock n ‘ roll em Cuba.
  7. Os homossexuais e gays não se davam bem na Cuba de Che. Ele montou uma campanha para tê-los presos.

 

  1. Veja a foto acima. Ela foi tirada em um escritório da campanha de Obama, no Texas. O voluntário que colocou o cartaz na parede pode se surpreender ao saber que seu herói se opunha às oposição eleições livres.
  2. Che nunca ganhou um Prêmio Nobel de Economia e com boa razão. Castro o colocou no comando da economia cubana, mas o seu estridente comunismo imediatamente a colocou em uma moral espiral econômica descendente.
  3. Che fugiu de Cuba em meados dos anos 1960 não para espalhar o comunismo por todo o hemisfério, mas porque ele tinha destruído totalmente sua vida privada. Ele era um adúltero perdulário que desertou duas esposas, amantes e inúmeras crianças.
  4. Che esperava que a crise dos mísseis cubanos levaria a uma guerra atômica. “O que nós afirmamos é que devemos proceder ao longo do caminho da libertação”, disse ele, “mesmo que isso custe milhões de vítimas atômicas”.
  5. Os membros do culto de Che alegam que suas últimas palavras foram: “Eu sei que você está aqui para me matar. Atire, covarde, você só está indo matar um homem. “No entanto, o general Ovando, Chefe das Forças Armadas da Bolívia Forças, informou que Che morreu em batalha e que suas últimas palavras foram bem menos nobres: “Eu sou Che Guevara e eu falhei.”
  6. Outra versão de suas palavras finais é ainda mais patética. Longe da coragem de enfrentar a morte como um mártir, os captores do Che informaram que ele implorou por sua vida, dizendo: “Não atire! Eu sou Che Guevara e valo mais para você vivo do que morto.”

Irônico, não é, que as últimas palavras do Che foram tão erradas quanto toda sua filosofia de vida. Como os fornecedores dessa camiseta idiota ao redor do mundo descobriram, ele realmente tem valido muito mais morto do que vivo.

Fonte: http://www.ihatethemedia.com/
Tradução: Emerson de Oliveira

Amigo de Lula e tirano da Venezuela não emplaca 2013 dizem médicos

28/04/2012

Ficará Cuba sem petróleo?

 

http://icrtencubalibre.blogspot.com.br/2012/04/carlos-montaner-la-agonia-de-hugo.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

Papa em Cuba dá legitimidade à tirania comunista de fidel castro rúz

25/03/2012

Embargo a Cuba completa 50 anos

07/02/2012

http://www.washingtonpost.com/blogs/blogpost/post/cuba-trade-embargo-turns-50-still-no-rum-or-cigars-though-some-freedom-in-travel/2012/02/07/gIQAKaYfwQ_blog.html?tid=sm_twitter_washingtonpost

Cuba trai o socialismo, será permitido compra e venda de imóveis e carros

03/11/2011

http://ultimosegundo.ig.com.br/especialcuba/cuba-legaliza-compra-e-venda-de-propriedades-privadas/n1597351533163.html

Pacientes de hospital de cuba morrem de fome e frio, cenas fortes, maldito pt que apóia cuba e a saúde cubana

09/10/2011