Posts Tagged ‘cofre do ademar’

Ex guerrilheira confessa que é mentirosa – Falta confessar que não foi torturada e que não tinha dólar algum no Cofre do Adhemar

08/01/2014

Que por… é essa de ex guerrilheira,, não existe isso de ex terrorista, de ex assassino

Governados por assaltantes – Dilma Rousseff e o Caso do Cofre do Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros

21/09/2012

terça-feira, outubro 05, 2010

O ASSALTO QUE DILMA AJUDOU A PLANEJAR

do Blog do Aluísio Amorin

Leiam esta excelente reportagem que está no site do jornalista Augusto Nunes, do portal da revista Veja. É assinada pela repórter Domitila Becker, e detalha como foi o roubo do cofre de Adhemar de Barros, que Dilma Rousseff ajudou a planejar no dia 18 de julho de 1969, quando era ativa militante de uma organização terrorista. Sim, Dilma participou da luta armada contra a democracia com a finalidade de implantar uma ditadura comunista no Brasil. Ou alguém acha que isso é delírio? Com link ao final para leitura completa.

Leiam:
A noite estava chegando quando as duas camionetes estacionaram numa  ladeira do bairro de Santa Tereza, no Rio. Armados de revólveres e  granadas, 11 homens e duas jovens desembarcaram e, em movimentos  rápidos, invadiram o casarão onde morava Ana Benchimol Capriglione,  amante do ex-governador paulista Adhemar de Barros, famoso pelo bordão  “rouba, mas faz”. Na hora do crepúsculo de 18 de julho de 1969, começava  o maior assalto praticado durante a ditadura militar por grupos  partidários da luta armada.

Disfarçados de policiais à caça de documentos considerados  subversivos, os invasores se espalharam pela mansão. Enquanto alguns  subiam ao segundo andar para localizar o cofre, outros imobilizaram  moradores e empregados, furaram os pneus dos carros estacionados na  garagem e cortaram as linhas telefônicas. A operação durou exatamente 28  minutos. E enriqueceu em US$ 2,4 milhões (cerca de R$ 30 milhões em  valores atuais) a VAR-Palmares, organização comunista que tinha entre  seus mais ativos militantes a universitária mineira Dilma Rousseff. “A  gente achava que o golpe ia ser grande, mas não tinha noção do tamanho”,  disse Dilma numa entrevista publicada em 2006.
O cofre de mais de 200 quilos rolou pela escadaria de mármore, foi  colocado numa das camionetes e levado até um “aparelho” ─ termo que  identifica os endereços onde moravam ou se reuniam os partidários da  luta armada ─ em Jacarepaguá. Ali, com o uso de maçaricos, consumou-se o  arrombamento do cofre que fora previamente inundado para evitar que o  dinheiro se queimasse. As cédulas secaram depois de estendidas em varais  e expostas a ventiladores. Eram parte da fortuna do ex-governador de  São Paulo. A informação de que estavam sob a guarda da amante foi  transmitida à VAR-Palmares por Gustavo Buarque Schiller, um sobrinho de  Ana Benchimol que acabara de filiar-se à organização.
Entre os participantes da ação estavam Carlos Minc, deputado estadual  e ex-ministro do Meio Ambiente do governo Lula, e Carlos Franklin  Paixão de Araújo, segundo marido e pai da única filha de Dilma Vana  Rousseff Linhares, ou Estela, ou Wanda, ou Marina, ou Maria Lúcia, ou  Luiza. Embora tenha ajudado a planejar todos os assaltos do grupo, Dilma  não figurou entre os invasores do casarão. Providenciou o armamento,  guardou o dinheiro e ajudou a distribuir o produto do roubo.

Dilma assaltava e roubava diz Ex-Marido: Hoje o nome da coisa é Corrupção

03/06/2012

http://blogdomicko.blogspot.com.br/2012/06/presidenta-do-brasil-o-exemplo-para.html#!/2012/06/presidenta-do-brasil-o-exemplo-para.html

Passado sombrio de Dilma. ROTA NELA.

=

Video sensacional Jair Bolsonaro em comício de Dilma, Cade o dinheiro do cofre do ademar? ficha suja de sangue

29/09/2010

http://www.youtube.com/watch?v=lhCk9kEq31Y

Como Dilma Roussef roubou o cofre do Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros

19/09/2010
Ex-marido de Dilma conta como roubaram 2 milhões e seiscentos mil dólares
19/09 – Ex-marido de Dilma conta como roubaram 2 milhões e seiscentos mil dólares
  
   Capa da Revista Piauí – 04/2009

Carlos Araújo conta a ZH como ele e Dilma assaltaram o cofre de Ademar de Barros 
Por Polípio Braga
Além das cinco páginas com a história de Dilma Roussef, contada a partir da visão do seu ex-marido, Carlos Araújo, o jornal Zero Hora deste domingo conta também a história de José Serra, contada por sua mulher, Mônica Allende, que o conheceu no exílio, no Chile. ZH presta um relevante serviço aos eleitores, já que permite cotejar os dois perfis. A opção pelo melhor será inevitável.

A ex-ministra Dilma Roussef participou, sim, do assalto ao cofre do ex-governador Ademar de Barros, uma ação armada comandada em 1969 pelo seu futuro marido, o ex-deputado Carlos Araújo, em 1969, numa imponente mansão do bairro Santa Tereza, no Rio

Ademar de Barros, ex-governador de São Paulo, foi o fundador da atual Rede Bandeirantes de Rádio e TV. O primeiro dos Saad foi seu genro. Dilma Roussef não gosta de falar sobre o episódio. Sua biografia no site de campanha e nos programas de rádio e TV, omite totalmente o passado terrorista da candidata do PT.

. Quem contou os detalhes do assalto foi o próprio ex-deputado Carlos Araúhjo, que na época liderava com Dilma Roussef a organização terrorista VAR Palmares, já na época aliada estratégica da VPR, grupo liderado pelo ex-capitão Carlos Lamarca. Está tudo no jornal Zero Hora deste domingo. São 5 páginas recheadas de detalhes colhidos pelos repórteres Luiz Antonio Araújo e Mariana Bertolucci, ao longo de oito horas de gravações. O ex-deputado do PDT, 72 anos, vive na mesma casa de sempre, na Assunção, Porto Alegre, mas sua atual mulher, a terceira, Nize Pacheco, mora na sua própria casa. Dilma foi a segunda mulher de Araújo. Ele tem um filho com cada mulher.
. Na reportagem, Carlos Araújo conta que roubaram o cofre com tudo dentro, usando um sistema de roldanas. Depois ele foi aberto com a ajuda de maçaricos. Dentro dele estavam US$ 2,16 milhões. Onde foi parar o dinheiro ? Conta Carlos Araújo:
– Demos US$ 1 milhão ao embaixador da Argélia, para ajudar exilados brasileiros em Argel. O restante foi usado na luta armada.
. O assalto acabou provocando um racha entre Araújo-Dilma com o grupo de Carlos Lamarca.
Nota do editor – Logo abaixo, outras notas sobre a campanha de Dilma Roussef, com ênfase para os assaltos ao dinheiro público praticados nas suas barbas, na Casa Civil de Lula.
Observação do site : www.averdadesufocada.com
Segundo reportagem da revista Piauí de abril de 2009: “Nem Dilma nem Araujo participaram da ação, mas ambos estiveram envolvidos na sua preparação.”  Eles , não estavam no local no momento do roubo, e Franklin Paixão de Araújo afirma que foi ele que levou, de Porto Alegre , o metalúrgico Delci Fensterseifer para abrir o cofre com maçarico..
Ainda segundo a revista Piauí, “Carlos Franklin Paixão de Araújo, deu um depoimento no DOPs de SP onde declarou que ficou em seu poder com 1.2 milhão de dólares, dividido “em três malas de 400mil dólares cada uma” e que o dinheiro ficou cerca de uma semana, “em um apartamento à rua Saldanha Marinho, onde também morava Dilma Vana Rousseff Linhares “. Araújo não quis comentar o depóimento ao Dops. E nem outros, como um de Espinosa, que fala em 720 mil dólares terem ficado com a organização, ou um outro militante, que chega à soma de 972 mil dólares. ” Portanto, participaram no planejamento , finalização da ação e destino do dinheiro.
Sobre o que foi feito da fortuna jamais se chegou a nenhuma conclusão e Araújo declara na mesma  reportagem da Revista Piauí : ” É impossivel chegar a uma conclusão sobre isso que não tem mais importância nenhuma”.
Continuando a reportagem a revista trancreve o seguinte:” Num dos inquéritos é dito que Dilma Roussef “manipula grandes quantias da VAR-Palmares. É antiga militante de esquemas subversivo-terroristas. Outrossim, através do seu interrogatório verifica-se ser uma das molas mestras e um dos cérebros dos esquemas revolucionários postos em prática pelas esquerdas radicais. (..)”
 O que é crível, pois, Dilma, segundo depoimentos, era encarregada da parte financeira da nova organização, juntamente com seu marido Franklin Paixão de Araújp – “Max” – ,  ambos pertencentes ao comando nacional
O destino desse dinheiro é um mistério. Nenhum dos envolvidos na ação, direta ou indiretamente, comenta, muito