Posts Tagged ‘Brazil’

O Brazil de Hontem – e – O Brasil de Hoje

27/09/2013

Ontem:

ELITE BRANCA QUE NÃO DAVA OPORTUNIDADE AOS POBRES DE ESTUDAREM

NÃO DAVAM OPORTUNIDADES

0000r

HOJE – UM PAÍS LIVRE DA ELITE BRANCA:

1375128_523248821097478_1146331577_n

467d1-farc

534341_552073938173357_1665854702_n

Só as táticas anti-guerrilha do Exército podem resolver a Questão Indígena

25/09/2013

Índios brasileiros recebem treinamento de guerrilha na Colômbia

A agência de notícias EFE informou ontem que um indígena brasileiro que integrava as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) APOIADAS PELO PT E FIDEL CASTRO NO FORO DE SÃO PAULO E MAIORES FORNECEDORES DE COCAÍNA PARA O MUNDO se entregou e disse que pelo menos 30 índios de várias etnias foram integrados à organização guerrilheira. As informações foram passadas à EFE pelo exército colombiano.

Segundo um comunicado, o indígena, conhecido pelo codinome “Hernán”, de 24 anos, foi recrutado pelas Farc em uma zona rural de Inirida, capital do departamento colombiano de Guainía, na fronteira com Venezuela e Brasil.

Ao se entregar, “Hernán” disse aos militares que pertence à tribo curripaco e que estava há seis meses nas Farc. Um indígena menor de idade se entregou aos militares junto com “Hernán”, mas o exército não deu mais informações sobre sua origem.

“Hernán” denunciou que outros 30 índios, dos povos cubeo, tucano e desano, também foram recrutados pelas Farc.

O índio afirmou que ao ingressar no grupo os guerrilheiros prometeram alimentação, roupas e transporte. Além disso, contou que os rebeldes o ensinaram a atirar e a manejar explosivos.

“Hernán” disse ainda que trabalha construindo trincheiras, coletando lenha e realizando outras atividades.

– See more at: http://www.questaoindigena.org/2013/09/indios-brasileiros-recebem-treinamento.html?spref=fb#sthash.vFy4leQB.dpuf

Vexame na ONU – Dilma denuncia o que todo mundo sabe: A Rede Echelon – Diplomatas fazem força para não rirem

24/09/2013

Texto de 13 anos atrás.

LEIA NA ÍNTEGRA O IC 2000 REPORT

http://new.duncan.gn.apc.org/menu/surveillance/echelon/IC2000_Report%20.pdf

Sobre o Brasil diz:

Thomson CSF and Brazil
102. In 1994, NSA intercepted phone calls between Thomson-CSF and Brazil concerning SIVAM, a $1.3 billion
surveillance system for the Amazon rain forest.

The company was alleged to have bribed members of the
Brazilian government selection panel. The contract was awarded to the US Raytheon Corporation – who
announced afterwards that “the Department of Commerce worked very hard in support of U.S. industry on this
project”. 69 Raytheon also provide maintenance and engineering services to NSA’s ECHELON satellite
interception station at Sugar Grove.

Começa a surgir a Esperança Verde Oliva

22/09/2013

Estudante do Colégio Militar mostra jornal distribuído dentro do Colégio. No expediente, o “Editor-redator” do jornal é de um Coronel de Minas Gerais. Na capa, o chamado: “As forças armadas têm o dever sagrado de impedir, a qualquer custo, a implantação do comunismo no Brasil”. Em outras páginas do jornal, ataques a Lula, Dilma, ao Foro de São Paulo, aos “vândalos e comunistas”, ao PMDB, aos “comunistas assassinos” cubanos, e um apelo a que o Congresso Nacional “ponha um fim ao governo Lula”.

8296_10201033058201660_404735562_n

Foto: Alexandre Haubrich / Jornalismo B

Acorda Brasil!

Postado por um militar aposentado,

“Povo brasileiro, não votem no PT, são 38 Generais que se negam a se subordinar ao Ministério da Defesa, e em caso de ser eleito qualquer que seja o candidato petista, não chegará sequer a comemorar a vitória, não aceitamos e nem correremos o risco de que o Brasil adote um sistema de governo Bolivariano”.

Alertam ainda para que o povo retome nas mãos o direito e o dever democrático agindo contra o STF, mensaleiros e o Planalto.

Pode não parecer nada 38 pessoas, mas são 38 generais que comandam as Forças Armadas e que segundo o post vão agir em caso de reeleição ou eleição de qualquer que seja o candidato petista.

Caso o povo não se manifeste e acabe com as falcatruas, no Executivo e no Judiciário eles entrarão em ação. Destituirão Presidente e Ministros do STF assim como efetuarão as prisões de todos os ladrões do erário público que continuam impunes e não condenados e presos como manda a lei.

Obs: Onde estava esse post, fui o único a votar, ler e comentar, a menos que esteja postado em outros lugares além de onde vi, quem postou foi um militar aposentado e o post ficou no ar por exatamente uma semana, após isso foi deletado.

Estou repassando a mensagem e tudo que falei acima estava nesse post, nada adicionei.

Aurélio

http://rosasevinho.com/eleicoes-2014/38-generais-alerta/

generais-425x283

994019_344704465665692_1209859409_n

534341_552073938173357_1665854702_n

O Brasil de joelhos

20/09/2013

Em 18 de Setembro de 2013 o Brasil foi ajoelhado pelo poder da Foice e do Martelo que se instalou nas entranhas da Corte Máxima da nossa Justiça, o Supremo Tribunal Federal.

A falta de esperança na justiça deste país está estampada no semblante de cada brasileiro e brasileira que ficaram mudos quando o defensor obstinado dos bandidos mensaleiros, proferiu, que estes tem direito a um segundo julgamento.

Se a maioria do Supremo Tribunal Federal já está cooptada ao PT, a quem devemos recorrer para nos tirar deste lamaçal, ao Papa Francisco, que nos cobrou uma postura mais revolucionária ou às Forças Armadas Brasileiras ??

554546_4866884370544_441816313_n

Excelentíssimos senhores Enzo Peri – Ministro do Exército, Juniti Saito – Ministro da Aeronáutica e Julio de Moura Neto – Ministro da Marinha, a população ordeira deste país percebe que o bandidismo reina livremente em todos os cantos deste solo pátrio, inclusive no STF,com um agravante, agora estamos desarmados, caso a covardia tenham lhes tomado o corpo, teremos toda a parcimônia e entenderemos, mas pedimos encarecidamente apenas duas coisas :

SEUS SOLDADOS E ARMAS para tirarmos todos os bandidos do poder, serviço este, que os senhores já deveriam ter feito.

A Pátria Amada agradece !

Edson U Curió

Leia o livro do Heitor de Paola – O Eixo do Mal Latino-Americano

19/09/2013

 

Darei início a partir de hoje a uma sequência de Posts diários com recomendações de livros.
Recomendo que salvem o nome ou a imagem do livro com vocês.

Para iniciar: O EIXO DO MAL LATINO-AMERICANO – Heitor De Paola

“Diante do fracasso dos políticos e do perigo iminente, alguns cidadãos comuns se viram obrigados a assumir uma liderança política e a se converter em estadistas. De Paola – ciente de que para vencer o inimigo é preciso primeiro conhecê-lo – elaborou um acurado estudo sobre o neocomunismo, partindo do período do pós-guerra até o Foro de São Paulo, organização que já conta entre seus membros com doze presidentes latino-americanos.

578495_529853393751827_1604777904_n

Possivelmente o leitor sentirá uma preocupação imensa, porque conhecerá em profundidade a ameaça que trama contra toda a região; mas, feitas as contas, este livro é também fonte de esperança e inspiração: porque quando homens como Heitor De Paola decidem arriscar sua vida para denunciar o mal, isto significa que o bem despertou em nossos corações e está destinado a triunfar.”

(stuart)

Para não perder tempo – Quando falar com um petista – diga de saída: Eu sou reacionário

19/09/2013
Por que a esquerda sempre faz uma oposição histérica a toda e qualquer ínfima medida ou iniciativa que seja por ela tida como “antiprogressista” ou, pior ainda, “reacionária” e contrária ao seu “projeto de poder”?

Os comunistas, ao menos em sua clássica fase leninista, ansiavam por uma revolução violenta e apocalíptica que destruiria o estado capitalista e levaria à ditadura do proletariado. Já os mencheviques — social-democratas ou neoconservadores —, fieis ao seu ideal “democrático”, sempre se sentiram um tanto desconfortáveis com a ideia de revolução, preferindo muito mais a “evolução” gradual produzida pelas eleições democráticas. O estado deve ser totalmente aparelhado por intelectuais partidários e simpatizantes, de modo a garantir a continuidade da longa marcha gramsciana da conquista das instituições culturais e sociais do país.

Daí a desconsideração pelos gulags e pela revolução armada. Por isso o desaparecimento de seus primos (e concorrentes) bolcheviques não ter sido lamentado pelos social-democratas.

A esquerda se torna histérica sempre que percebe a ameaça de uma pequena reversão nesta sua inexorável marcha ao poder total, retrocessos estes que sempre são rotulados, obviamente, de “reações”.

Na visão de mundo tanto de comunistas quanto de social-democratas, a mais alta — desde que “progressista” — moralidade é se mostrar não apenas um defensor, mas também, e principalmente, um entusiasmado fomentador da ‘inevitável próxima fase da história’. É ser a “parteira” (na famosa expressão de Marx) desta fase.

Da mesma forma, a mais profunda, se não a única, imoralidade é ser “reacionário”, ser alguém dedicado a se opor a este inevitável progresso — ou, pior ainda, alguém dedicado a fazer retroceder a maré, a restaurar costumes enraizados, a “atrasar o relógio”.

Quem vai vencer essa guerra? Não se sabe. De que lado está a maioria da população? Certamente perdida, disponível para quem chegar primeiro. A maioria está confusa, vagando de um lado para o outro, dividida entre visões de mundo conflitantes. Ela pode pender para qualquer lado.

Durante suas inúmeras batalhas faccionárias dentro do movimento marxista, Lênin certa vez escreveu que há dois grupos batalhando, cada um formado pela minoria da população, sendo que a maioria está no centro, e é formada justamente pelas pessoas confusas, às quais ele se referiu como O Brejo. A maioria da população hoje está confusa e constitui O Brejo; estas pessoas estão no terreno no qual a maioria das batalhas será disputada. E a metáfora é corretamente militar. Trata-se de uma batalha de vida e morte pelo formato do nosso futuro.

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1292

Da Série: ANTI POLITICAMENTE CORRETO : 8 besteiras financeiras que os homens fazem por causa de mulher

19/09/2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

http://www.vidaruimdepobre.blogspot.com.br/2013/09/8-besteiras-financeiras-que-os-homens.html

1337124313979

O cheiro, o cabelo, a pele macia, esse olhar, esse charme são seu maior inimigo na busca pelo milhão

Vou listar para você, pobretão do meu Brasil, as besteiras financeiras mais comuns que homens cometem devido mulher. Sua independência financeira tem como obstáculo sim as mulheres.

1 – Comprar carrão para impressionar mulher

Você já parou pra colocar na ponta do lápis a quantidade de mulheres que você comeu devido seu carro (seja por impressioná-las quanto pela locomoção) e a quantidade de mulheres que você comeria com o dinheiro do carro? É fácil fazer essa conta: Vamos supor que você seja um retardado brasileiro padrão e vá comprar um carro zero de nível médio pra top e gaste 55.000 reais. Bem, você irá fazer prestações de 1.000 reais com juros elevando o preço pra quase 70.000 reais pagando 15.000 de juros. Você terá por ano IPVA, manutenção e gasolina. Com 1000 reais você come 10 mulheres por 100 reais por mês. Você come 4 mulheres tops por 250 reais por 1 hora. Você come 17 mulheres por 60 reais meia hora. Se você não está comendo ou com ficantes sexuais nesses números você cometeu um grave erro. De fato você está mais pobre e menos rico cada vez que passa com seu carrão depreciando na sua garagem. Carrão como eu quero (Camaro que é meu sonho) só quando você já estiver com muita grana sobrando.

2 – Pagar cursos, faculdade ou sustentar mulheres concurseiras

Este erro é comum com homens mais velhos casados com mulheres mais novas ou casados. É comum que homens paguem a faculdade ou sustentem otárias que querem ficar de boa em casa decorando leis e regras de português para passar em um concurso. É engraçado já que NENHUMA mulher faz isso por um homem (pagar faculdade e sustentar concurseiro) mas o que mais acontece é homem fazendo isso. Este erro é gravíssimo porque? Primeiro você está jogando grana fora num investimento de risco que é dar para sua mulher a chance de:

– Foder alfas na faculdade e se apaixonar por homens mais jovens (sim elas vão dar beijinhos em gatinhos nos happy hours de faculdade);

– Quando formadas ou quando passarem em concurso elas não irão lhe ajudar em casa com as contas. Elas vão pagar uma coisa ou outra mas a merda toda continuará nas suas costas. As que se formarem e irem pra iniciativa privada irão lhe trair com o colega alfa e com o chefe. As concurseiras irão fazer pouco de você e se acharão o máximo caso ganhem próximo, igual ou mais que você. Você se tornará descartável e os milhares de reais gastos com elas terminarão em um divórcio violento ou num adultério humilhante.

Só otários sustentam suas mulheres em faculdade ou concurseiros.

3- Comprar imóveis/comprar imóveis caros/móveis/reformas da casa

“Quem casa quer casa”. O delírio feminino por um apartamento/casa própria de qualidade pressiona homens a imobilizarem sua renda em prestações insanas ou em imóveis caríssimos com condomínios caros. O fazem gastar rios de grana em reformas, móveis, quadros entre outras besteiras pois a mulher o pressiona de forma violenta a gastarem tudo na casa. Esse erro é gravíssimo já que o maior gasto em vida de um homem são dois como já falei aqui: Filhos e imóvel. De fato a compra do imóvel por significar que você não ficará rico nunca mais. Não adianta vir com papo de valorização. Você se vender irá ter que comprar outro lugar tão bom quanto o atual e nenhuma mulher aceita algo pior do que tem hoje.

4- Não casar com separação total de bens

Já falei aqui neste post. Resumindo: Você tem que ser muito, mas MUITO burro pra casar com separação parcial de bens. Homens que não concordam normalmente se enquadram nestas categorias: Esquerdistas de merda; Universitários sonhadores; feministas de merda; Sonhadores problemáticas; Homens que não fazem sexo faz muito tempo

5- Namorar à distância

Isso é um erro pois o peso das viagens, hospedagem e locomoção sempre ficam nas costas dos homens. Raro elas fazerem isso e quando o fazem só depois de muito tempo quando as coisas estão firmes. Sem falar nas traições que você irá tomar pelas costas já que toda mulher tem alfas por perto dando em cima querendo dar umazinha com elas e elas não resistem.

1371844776315

6- Dar presentes muito caros (carro, viagens, joiás)

É de matar ver homens dando carros, viagens caras, levando para super restaurantes. São gastos que não voltam e não terão nenhum efeito na mulher por mais de 1 mês. Depois disso ela vai querer mais e os níveis de amor, serotonina, dopamina e felicidade voltarão aos patamares anteriores e você para superar esses sentimentos não terá o que mais fazer. Mulheres são seres extremamente ingratos, interesseiros que estão sempre olhando para o melhor negócio (homens) para fazerem a troca acesso à sua buceta X benefícios financeiros/status/proteção.

7- Sustentar/ter amante

Ter amante é uma burrice. No começo pode ser legal, faz bem pro ego, dá um ânimo na vida pois relembra que você é um homem, com desejos sexuais e sente admirado de novo já que sua esposa caga e anda pra você faz anos. Mas com o tempo você terá 2 mulheres pra sair, 2 pra sustentar, 2 pra aturar, 2 pra dar presentes. É muito melhor para os infiéis que usem putas fixas que com o tempo diminuirão os preços e não necessitarão de presentes ou saídas do que ter uma amante. Amante é coisa do passado e para quem não é rico, burrice.

8- Gastar muito em puteiros

Esse eu cometi demais. É preciso tomar cuidado com o dinheiro gasto com as putas pois o vício pode vir e ele é perigoso. É preciso estabelecer um orçamento específico pra elas e não passar disso.

E aí, quais erros você já cometeu ou vê homens cometendo? Que outros erros financeiros homens cometem por mulher?

Forte abraço!

Faculdade jesuíta convida inimigos da Igreja para dar cursos em Simpósio

11/09/2013

LEONARDO BOFF, ex padre, teólogo da libertação dá palestra em Faculdade de Teologia.

29 de agosto de 2013 às 10:26

Pedro Canísio de Alcântara

De 2 a 4 de outubro de 2013, a Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia promoverá seu IX Simpósio Internacional Filosófico-Teológico. Depois da ilustre presença do Prof. Dr. Leonardo Boff com a conferência de abertura do Simpósio no ano passado, este ano a FAJE convidou para dar conferências e seminários dois notórios inimigos da Igreja Católica: a laicista e abortista Profa. Dra. Roseli Fischmann (USP) e o Pe. José Maria Vigil, CMF, um dos hereges mais ousados de nosso tempo.

Uma acadêmica laicista e abortista

A Dra. Fischmann irá ministrar um seminário (4h/a) que tem por título “O caráter educativo da laicidade do Estado” e se realizará conforme a programação do evento nos dias 3 e 4 às 10h no Campus da FAJE.[1] O seminário está entre os cinco eventos simultâneos entre os quais os alunos da instituição poderão escolher para participação obrigatória.

A Dra. Fischmann faz parte do Grupo de Estudos sobre o Aborto (GEA)[2], que “conta com o apoio do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e seu foco é capilarizar a discussão do tema do aborto sob o prisma da Saúde Pública e retirá-lo da esfera do crime.”[3] Entre seus participantes o GEA declara outras organizações, como por exemplo, as Católicas pelo Direito de Decidir e o Ipas Brasil, que possuem a mesma finalidade, além do Ministério da Saúde e da Secretaria de Política para as Mulheres.[4] Para alcançar seu fim o GEA “produz novos materiais e estimula a difusão de informação e dados de pesquisas através de entrevistas e matérias nos veículos de comunicação do Brasil e no mundo e realiza seminários, colóquios e encontros com mais parceiros nessa iniciativa.”[5] Tudo isso para descriminalizar o aborto. Para se ter ideia da importância do GEA, alguns dos seus membros e o próprio grupo tiveram importância na discussão e julgamento favorável ao aborto de fetos anencéfalos pelo STF na ADPF 54.[6]

1240195_421501964626022_1558943273_n

Pró-aborto, a Dra. Roseli realizou nos anos de 2007 e 2008 o projeto “Ensino Religioso em Escolas Públicas: legislação e normas e seu impacto sobre a cidadania e os direitos sexuais e reprodutivos”. Tal projeto teve como financiadores as Católicas pelo Direito de Decidir[7] e apoio financeiro da MacArthur Foundation (ambas abortistas) com consultoria do GEA.[8]

Em 2009, em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, a Dra. Roseli Fischmann, contrária ao acordo entre o Brasil e o Estado do Vaticano, defendeu a  inconstitucionalidade e os perigos do acordo[9] [10]. Tendo ela mesma, por conta desta ocasião, pedido a viagem de representante(s) da virulenta ATEA Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos para Brasília.[11]

Contrária ao ensino religioso na escola pública[12], no contexto do acordo com a Santa Sé ela afirmou: “A abordagem insidiosa da Igreja Católica sobre o ensino religioso nas escolas públicas não pode mais ser alvo de omissão por parte das autoridades, em particular dos parlamentares, em nome de supostas boas intenções que permeariam um suposto ensino interconfessional. Na prática, no cotidiano das escolas, crianças de 6 ou 7 anos de idade são objeto de manipulação por parte de pessoas que sequer percebem o que estão fazendo e vão, com isso, moldando consciências de forma oposta às exigências de autonomia moral presentes na boa educação, disseminando também preconceito e discriminação.

Temas como meio ambiente, saúde e em particular saúde reprodutiva podem ser afetadas diretamente pelo tipo de abordagem dada nessas propostas inconstitucionais de ensino religioso, negando o conhecimento científico, pela abordagem que é própria para o campo religioso, mas imprópria para o campo pedagógico, sobretudo da escola pública. Nessa perspectiva, valores e condutas podem ser “ensinados” como verdade absoluta, ignorando a ética e a formação para a autonomia, sem o que não se consolidará jamais a democracia.”[13]

Comentando sobre um “casal” de homossexuais, lamenta o julgamento destes “casais” como “não merecedores do reconhecimento como entidade familiar” dizendo que “é a falta de reflexão crítica e de postura ética que leva a essa situação em que é preciso lei e decisão judicial, onde apenas o justo reconhecimento da dignidade do ser humano bastaria.”[14] Tal reconhecimento familiar, portanto, seria apenas o justo reconhecimento da dignidade do ser humano.

Em outro texto sobre o mesmo assunto, comenta: “amparada na ética e voltada para o avanço histórico, decisão inédita em nível federal, do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), reconhecia a legalidade da adoção de crianças por casal homossexual de Bagé (RS).”[15]

Em um texto sobre denúncias de pedofilia na Igreja, ela pega carona neste assunto e critica a interferência da Igreja em políticas públicas, como se a Igreja, quer dizer, os católicos, não fizessem parte da sociedade. Ela aponta a “outra face da moeda, que credita à Igreja Católica o poder de a tudo julgar e tudo determinar na vida humana, inclusive interferindo em políticas públicas. É o caso das pressões sobre o 3º PNDH, para os temas de retirada dos símbolos religiosos de estabelecimentos públicos, reconhecimento da autonomia das mulheres, em caso de aborto, e das uniões homoafetivas, incluindo adoção de filhos.” E argumenta que os fiéis católicos não serão obrigados ao que contraria a doutrina católica. Argumenta também que o interesse público deve atender toda a cidadania, sem discriminação. E que não cabe às denominações religiosas convencer o Estado a atender as determinações que elas pregam. O Estado, segundo ela, lida apenas com o que é crime. E, por fim, acusa o Vaticano de disposição de ser soberano por sobre a ordem humana.[16] Caberia perguntar como ela justifica que os católicos devem se reduzir a aceitar as leis decididas para “atender toda a cidadania”, isto é, as vontades e os pensamentos de quem quer que seja e devem aceitar a ordem pública por tais pessoas desejadas. Pelo jeito, a Dra. Roseli substituiu “bem comum” pela vontade desse conjunto chamado “toda cidadania”, que leva à exclusão do pensamento e da vontade dos católicos sobre a sociedade.

Note-se que o Estado, na pessoa de seus governantes, sempre faz juízos de valor e juízos morais sobre a maldade ou bondade daquilo que é considerado crime; de fato, nem todo mal moral é ou deve ser crime, mas todo crime há de ser mal moral, porque atenta contra o bem público ou privado, caso contrário carece de matéria, constituindo-se em mera arbitrariedade. A própria Dra. Fischmann realiza uma série de juízos morais. Dizer que o Estado não trata de moral é falso. Dizer que a influência da Igreja, tanto no plano da pregação religiosa quanto no plano do senso comum e da sua forte e milenar reflexão filosófica, deve ser eliminada é fazer uma opção filosófica ou ideológica clara, mas que ela não adverte. O que faz a posição da Dra. Fischmann melhor do que a dos católicos? Por que razão eliminá-la do debate? Qual a razão pela qual devemos aceitar o bom-mocismo politicamente correto da moda? Sob qual fundamento se sustenta o igualitarismo religioso ou o indiferentismo do Estado? Serão estas questões passíveis de serem colocadas em debate? Se não, por quê?

A doutrina católica sobre a relação da religião com o Estado, a sociedade e a educação

Por fim, convém lembrar a doutrina católica, exposta no Concílio Vaticano II, sobre os temas tratados acima pela Dra. Roseli:

– Prestar culto a Deus é um dever dos homens e para isto devem ter imunidade de coação na sociedade civil, portanto, “permanece a doutrina católica tradicional acerca do dever moral que os homens e sociedades têm para com a verdadeira religião e com a única Igreja de Cristo.”[17]

– A Igreja defende o ensino religioso católico nas escolas públicas.[18]

– O bem comum, fim da comunidade política, “compreende o conjunto das condições da vida social que permitem aos indivíduos, famílias e associações alcançar mais plena e facilmente a própria perfeição.”[19] Portanto, bem comum está ligada não às condições de realização de qualquer vontade, mas às condições objetivas para alcançar a perfeição humana, fim de sua natureza objetiva.

– Além disso, “o apostolado no meio social, isto é, o empenho em informar de espírito cristão a mentalidade e os costumes, as leis e estruturas da comunidade em que se vive, são incumbência e encargo de tal modo próprios dos leigos que nunca poderão ser plenamente desempenhados por outros.”[20] Tal apostolado não exclui nenhum bem espiritual ou temporal.[21] Por isso, o Concílio pede aos católicos que “investiguem em conjunto o modo de organizar as instituições sociais e públicas segundo o espírito do Evangelho.”[22] Não, obviamente, fazer e estudar o modo como a Dra. Fischmann quer organizar a sociedade. O único evento digno desta senhora é um debate, se muito.

Um herege brutal

Mas como um é pouco, mas dois é bom, como não poderia deixar de ser, o Simpósio contará com uma personalidade ilustre da teologia da libertação: o Pe. José Maria Vigil, CMF. Ele apresentará uma conferência às 8h do dia 4 de outubro na FAJE com o título “Consequências da secularização e tarefas para o futuro” e às 19:30 do mesmo dia será a figura principal de uma “mesa redonda” com o mesmo título. Já no Campus Coração Eucarístico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, nos dias 3 e 4 às 14:30, o Prof. Vigil irá ministrar o seminário “A grande virada que vem – Releitura do cristianismo a partir de novos paradigmas: Enfoque epistemológico” no âmbito do V Simpósio Internacional de Teologia e Ciências da Religião desta universidade.

O padre Vigil é aquele que escreveu o livro “Teología del pluralismo religioso. Curso sistemático de Teología Popular”, que foi objeto de uma nota[23][24] da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da Conferência Episcopal Española. Na nota sobre tal livro, podemos ler:

“La pretendida unión entre la teoría y la práctica se ve, sin embargo, condicionada por incorrectos presupuestos metodológicos, como son la asunción acrítica de una filosofía racionalista que niega de facto la posibilidad real de la intervención de Dios en la historia, la lectura e interpretación de la Sagrada Escritura al margen de la Tradición eclesial, la hermenéutica del Concilio Vaticano II en clave de ruptura, la negación del Magisterio como intérprete auténtico de la Palabra de Dios escrita y transmitida, una concepción relativista del hecho religioso, una comprensión sociológica de la Iglesia y una presentación ideológica de la Historia de la evangelización[1].”

“Estos presupuestos metodológicos llevan a afirmaciones incompatibles con la fe de la Iglesia católica, como son, entre otras: la negación del realismo de la Encarnación, presentada como “«teologúmenon», metáfora, mito, símbolo” (p. 173), de la Preexistencia del Logos (p. 189) y de la Mediación salvífica única y universal de Cristo y de la Iglesia; la contraposición entre “el cristianismo del Cristo dogmático” y “el cristianismo del Evangelio del Reino de Dios y del seguimiento de Jesús” (pp. 171-172); la negación de la voluntad fundacional de Cristo respecto a la Iglesia (p. 119); la comprensión inmanentista de la Revelación, entendida como “un caer en la cuenta” de lo que Dios va obrando; la consecuente equiparación de la Revelación sobrenatural a las “revelaciones” de otras tradiciones religiosas (pp. 81-91); la ruptura entre el Reino de Dios y la Iglesia; o, la reducción de la religión a la ética, entendida como justicia y respeto al otro (pp. 195-209)”

A nota conclui dizendo que “La gravedad de los errores contenidos en este libro, unida a su carácter divulgativo, hacen de esta obra un instrumento especialmente dañino para la fe de los sencillos.”  A nota é mais extensa, mas estes trechos ilustram bem.

Diante de tudo isso, fazemos algumas perguntas: nesta hora grave da história da Igreja, especialmente no Brasil, onde o laicismo avança e as heresias e a superficialidade pululam, onde a teologia da libertação e a ideologização dominam sobre a fé, sob quais argumentos se pode justificar a presença de tais ilustres inimigos da Igreja para dar conferências e seminários em uma faculdade católica, inclusive eclesiástica, como a FAJE e uma universidade pontifícia como a PUC Minas? Quem os convidou e por qual motivo? É normal que uma instituição, mesmo universitária, convide inimigos da Igreja e hereges manifestos para sofismar impunimente diante de seus alunos que dão os primeiros passos nas ciências sacras e profanas?

A disciplina da Igreja em matéria educacional para este caso

É verdade que a Igreja permite a colaboração das Faculdades eclesiásticas com outras Faculdades não católicas, mas procurando, porém, “conservar sempre com cuidado a própria identidade.”[25] O mesmo se deve dizer dos professores com os quais colabora. Quando fala dos professores não católicos[26], as Disposições da Sagrada Congregação para a Educação para a Exata Aplicação da Constituição Apostólica Sapientia Christiana dizem que se deve ater às normas da competente autoridade eclesiástica e remete ao Diretório sobre o Ecumenismo, Segunda parte[27]. Consultando a documentação mais atual, de 1993[28], ao falar da questão se os estudantes católicos de primeiro ciclo podem assistir a cursos especiais dados por professores de outras igrejas, podemos ler:

“Quando se deve tomar uma decisão sobre se devem ou não assistir a cursos especiais, há que se considerar bem a utilidade do curso no contexto geral de sua formação, a qualidade e o espírito ecumênico do professor, o nível de preparação prévia dos mesmos estudantes, sua maturidade espiritual e psicológica. Quanto mais próximo se refiram as conferências ou cursos a temas doutrinais, mais cuidado será necessário em tomar uma decisão sobre a oportunidade da participação dos estudantes.”[29]

Conclusão

Quanto aos professores, fica claro que ambos não possuem as qualidades intelectuais requeridas. Qual será o caráter educativo da laicidade do Estado da Dra. Fischmann consequente com suas teses e mentalidade? Quais serão as tarefas para o futuro dadas pelo Dr. Vigil consequentes com sua falta de fé católica? E quanto aos alunos, convém dizer que, em sua maioria, ignoram a doutrina da Igreja e a fidelidade a ela devida sobre muitos dos pontos acima. Se há dúvidas quanto a isso, que se lhes interrogue. Não se trata aqui de querer impedir aquela informação necessária aos estudantes das doutrinas dos filósofos e teólogos, seja de qual corrente forem, dada por professores idôneos, respeitosos e capazes. Por isso, é necessário que as autoridades eclesiásticas intervenham não só para impedir que tais inimigos da Igreja nestas instituições profiram seus sofismas, mas também para que se acabe com o costume de contratar, convidar ou permitir professores inidôneos.

***

Quem, diante de tais fatos, quiser enviar este texto às autoridades competentes pedindo providências, pode fazê-lo através dos endereços a seguir:

ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE

Excelência Reverendíssima Dom Walmor Azevedo Oliveira de Azevedo

Palácio Cristo Rei

Praça da Liberdade, 263 – Funcionários – 30140-010 – Belo Horizonte – MG

SECRETARIADO PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR DA CURIA GERAL DOS JESUÍTAS EM ROMA

http://www.sjweb.info/contactcompose.cfm?ContactWho=1

NUNCIATURA APOSTÓLICA

Excelência Reverendíssima Dom Giovanni D’Aniello, Núncio Apostólico

Av. das Nações, Quadra 801 Lt. 01/ CEP 70401-900 Brasília – DF

Cx. Postal 0153 Cep 70359-916 Brasília – DF

Fones: (61) 3223 – 0794 ou 3223-0916

Fax: (61) 3224 – 9365

E-mail: nunapost@solar.com.br

CONGREGAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO CATÓLICA – DOS SEMINÁRIOS E DOS INSTITUTOS DE ESTUDO

Eminência Reverendíssima Dom Zenon Cardeal Grocholewski:

Piazza Pio XII, 3 00193 – Città del Vaticano – ROMA

Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088

[1] http://www.faculdadejesuita.edu.br/eventos/index.php?pagina=grupo_conteudo&tela=41&evento=5

[2] http://aads.org.br/gea/membros.html

[3] http://aads.org.br/gea/documentos/GEA_folheto_apresentacao.pdf

[4] Idem

[5] Idem

[6] Tendo seu coordenador Thomaz Gollop feito exposição na audiência do STF em 8 de agosto de 2008. Outros exemplos de trabalhos pró-aborto deste grupo no Brasil podem ser lidos nos links a seguir: http://aads.org.br/gea/documentos/GEA_folheto_argumentos.pdf

http://aads.org.br/gea/documentos/GEA_consolidado2010.pdf

http://aads.org.br/gea/documentos/REFORMA_CPENAL_SENADO.pdf

[7] em caráter de cooperação.

[8] http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?metodo=apresentar&id=K4783302U1

[9] http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/credn/documentos/notas-taquigraficas/Audiencia%20Publica%20MSG%20134-09%20-%2007-07-09.pdf

[10] Defendendo-a em público. http://www.youtube.com/watch?v=mNbKY1ej6Ng

[11] https://atea.org.br/index.php/component/content/article/923-dia-a-dia/127-atea-acao-urgente-sobre-a-concordata

[12] http://www.geledes.org.br/em-debate/roseli-fischmann/3651-deus-nao-frequeenta-laboratorio

[13] http://www.geledes.org.br/em-debate/roseli-fischmann/651-o-ensino-religioso-e-o-vaticano

[14] http://www.geledes.org.br/em-debate/roseli-fischmann/16622-vitoria-da-bola-preta-por-roseli-fischmann

[15] http://www.geledes.org.br/em-debate/roseli-fischmann/5824-do-preconceito-a-promocao-do-direito

[16] http://www.geledes.org.br/em-debate/roseli-fischmann/5149-de-pecados-e-crimes

[17] Dignitatis Humanae, 1.

[18] Gravissimum educationis, 7.

[19] Gaudium et spes, 74.

[20] Apostolicam actuositatem, 13

[21] Ibid

[22] Idem, 14.

[23] http://www.conferenciaepiscopal.es/index.php/actividades-noticias-doctrina/1651-nota-sobre-el-libro-del-rvdo-p-jose-maria-vigil-cmf-teologia-del-pluralismo-religioso-curso-sistematico-de-teologia-popular.html

[24] http://www.conferenciaepiscopal.es/index.php/notas/2008/322-la-comision-episcopal-para-la-doctrina-de-la-fe-hace-publica-una-nota-sobre-el-libro-del-p-jose-mo-vigilteologia-del-pluralismo-religioso-curso-sistematico-de-teologia-popular.html

[25] Disposições da Sagrada Congregação para a Educação para a Exata Aplicação da Constituição Apostólica Sapientia Christiana. Art. 49 par. 1

[26] Idem. Art. 18

[27] ASS 62 (1970), pp. 705ss.

[28] Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Diretório para a aplicação dos princípios e normas sobre o ecumenismo

[29] n. 194

Revolução comunista em marcha em Floripa

06/09/2013

sexta-feira, setembro 06, 2013

REVOLUÇÃO BOLIVARIANA NA ILHA DA MAGIA: GRUPOS DE AGITADORES COMUNISTAS ATACAM EM FLORIANÓPOLIS E ESPALHAM O TERROR..

O jornal Ilha Capital traz em sua última edição uma reportagem especial que revela aquilo que a grande imprensa catarinense escamoteia, ou seja, a invasão de Florianópolis, a capital do Estado catarinense, que fica na maior parte sobre a Ilha de Santa Catarina por organizações que podem ser qualificadas de MST urbano. Seus integrantes constituem uma horda de desordeiros ligados ao PT e seus satélites.
Na abertura da reportagem, Ilha Capital anota que em entrevista recente o empresário Hélio Bairros, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil da Grande Florianópolis (Sinduscon), alertou sobre a chegada das Brigadas Populares em Floripa. Para ele essa “é mais uma preocupação e um desafio para o poder público” porque “essa gente vem para o enfrentamento” e “já está ocupando terrenos urbanos”.
Transcrevo na íntegra a excelente reportagem do Ilha Capital que serve para demonstrar que os cidadãos de Florianópolis que se informam por meio dos grandes jornais e emissoras e rádio e televisão, estão muito mal informados. Especialmente a maioria dos empresários e autoridades municipais e estaduais.
Florianópolis é uma panela de pressão pronta para explodir, por conta da incúria das autoridades que permitem a proliferação desse grupos de viés comunista que espalham o terror na capital catarinense agasalhados sob o deletério manto do pensamento politicamente correto. Essas autoridades são as responsáveis pela insegurança em que vivem os cidadãos de Florianópolis que agora também têm as suas propriedades sujeitas a invasões.
Transcrevo na íntegra a matéria do jornal Ilha Capital, que também pode ser lido no site desta publicação clicando no link ao final do texto. Leiam:
O alerta do presidente do Sinduscon se refere às manifestações de protesto promovidas no início de agosto contra a administração Cesar Souza Júnior (PSD). Elas ocorreram porque, depois dos oito anos de omissão conivente da gestão Dário Berger, a equipe de fiscalização da Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis (FLORAM) botou abaixo quatro barracos em construção por invasores – que se identificam pelo codinome de “Ocupação Palmares” -, sobre áreas de proteção ambiental e de alto risco na região da Serrinha, no maciço de favelas do Morro da Cruz. Cerca de 25 outras famílias de migrantes continuam dividindo nove barracos no local. Elas até concordam em não refazer os barracos, desde que os sem-teto sejam indenizados e realocados pela Prefeitura. Mas tem que ser na mesma região. Apoiados por vereadores de esquerda, depois de uma reunião no gabinete do vereador petista Lino Peres, manifestantes ameaçaram e chegaram a “pedir a cabeça” de Elisa Neli Rehn, gerente de Licenciamento e Fiscalização da Floram e responsável pelas operações.
Em novembro do ano passado, tão logo anunciada a vitória de Adeliana Dal Pont (PSD) no município de São José, a futura prefeita passou a ser pressionada por um grupo de representantes de cerca de 200 sem-teto, que semanas antes haviam invadido uma área particular de quase 92 mil metros quadrados no bairro Serraria, desde então identificada pelo codinome de “Ocupação Contestado”.

Polícia intertita e desmonta barraco erguida em propriedade particular. A ocupação de propriedades privadas afeta também áreas de preservação, mas os ecochatos calam acumpliciados com as organizações comunistas que infestam Florianópolis

Em vias de explusão, eles exigiam “uma solução para o seu problema de falta de moradia digna”. Segundo os militantes, a invasão só ocorreu porque o então prefeito Djalma Berger teria prometido que, se reeleito, desapropriaria o terreno para transformá-lo em um loteamento de baixa renda. Então, toda aquela gente de bem resolveu que era melhor invadir logo de uma vez para garantir o seu quinhão, furando a fila dos trouxas que optam por obter os seus direitos na forma da legislação. Não bastasse isso, passadas as eleições, eles exigem que a eleita cumpra uma suposta promessa do candidato derrotado. São os tempos sombrios em que vivemos…

Esses furdunços são organizados e orquestrados por um movimento político-ideológico com matriz em Belo Horizonte, que se identifica como Brigadas Populares/SC. Elas já atuam em outros três estados – Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro – sempre se articulando com movimentos revolucionários afinados com os círculos bolivarianos. Em Florianópolis, agem em parceiras com denominações como Bandeira Negra, Passe Livre e Ponta do Coral 100% Pública entre tantas outras, além de gabinetes de políticos esquerdistas.
Os brigadistas se tratam como “camaradas” e seu objetivo “é formar uma militância revolucionária caracterizada por sua disciplina consciente, compromisso, capacidade de iniciativa e compreensão da análise materialista, dialética e histórica da realidade”, porque “a forma de organização deve sempre atender às necessidades da luta de classes”. É que a intenção dos valentes – veja só! – é a “transformação revolucionária”, pela constituição de uma “unidade aberta”, que impulsione o surgimento de “uma nova maioria política e social (…) de caráter nacional, popular e socialista”, na qual “os trabalhadores se estabelecem como força dirigente”. A “Revolução Brasileira para um Brasil Socialista (…) como a aspiração mais elevada das massas populares (…) será obra do povo (…) em sintonia com o movimento internacional dos trabalhadores e trabalhadoras”, diz o manifesto das Brigadas Populares, em novembro de 2011.
O Jornal Ilha Capital teve acesso a uma cópia dos roteiros que as lideranças da Ocupação Palmares receberam das Brigadas Populares, com as instruções de alinhamento do discurso dos manifestantes, principalmente frente à imprensa. O documento expressa claramente o projeto de “outras ocupações e novos movimentos de reivindicação” que levem à criação de um “poder popular” na luta pela “revolução social” de “um mundo sem divisão entre classes sociais ou qualquer outro tipo deopressão” (negritos no original).
O brigadista responsável pela Ocupação Palmares, no Morro da Cruz é o paulista graduado em Economia pela UFSC, Vitor Hugo Tonin. Ele diz que “trabalha na UFSC” e nas férias passou um mês na Venezuela. O brigadista da Ocupação Contestado é o paulista Jonathan Henri Sebastião Jaumont, o “Jojo”, graduado em Serviço Social pela UFSC. Eles integram a Frente de Trabalho pela Reforma Urbana em Florianópolis, que já se articula com invasões mais antigas para ampliar suas atividades, aumentar a visibilidade e ampliar a notoriedade. A imprensa trata de forma vaga e casual a presença desse ente de agitação, como se fosse algo tão natural e inocente, que a opinião pública não precisa preocupar-se em saber mais e melhor sobre o assunto.
O Jornal Ilha Capital se encarrega de cobrir essa lacuna com informações consistentes. Aqui não há jornalistas jovenzinhos recém diplomados nos antros marxistas da UFSC. Conhecemos o método desses movimentos, nos quais supostos pacíficos de cara limpa e baderneiros de balaclava são estratégias de um mesmo plano de ação: suas pequenas intervenções para constranger autoridades são só o aperitivo. O banquete deles é a democracia estraçalhada: atrapalhar a vida da população ordeira, tumultuar a rotina das pessoas de bem, paralisar a cidade, provocar a polícia até o intolerável. Tudo em nome da revolução socialista para a implantação da tirania comunista.
Terrorismo em Florianópolis ocorrido recentemente com destruição de centenas de ônibus
Sempre na UFSC
No sábado, 3 de novembro de 2012, foi realizada uma reunião para tratar sobre moradia popular, regularização fundiária e função social da propriedade nesta Capital. Por trás do verniz politicamente correto dessas expressões, o verdadeiro propósito era formar uma rede de apoio à reestruturação do Movimento Sem Teto na Grande Florianópolis, fomentando a organização de ações diretas, em paralelo com o fortalecimento das articulações coletivas. O movimento perdeu muita força em Florianópolis, porque aqui ninguém precisa de “movimento organizado” para invadir ou ocupar propriedades, públicas ou privadas. A Ilha de Santa Catarina virou uma prostituta cercada de gigolôs, alcoviteiros e rufiões por todos os lados. Eles a oferecem a qualquer um, para ser penetrada, estuprada. Quem tentar fazer carinho, beijar na boca ou fazer amor com ela, provoca polêmica e escândalo e é escorraçado!
O local da reunião só poderia ter sido um: o auditório do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFSC. Público alvo: os sem-teto massa de manobra. Compareceram ao evento apenas cerca de 50 membros de grupos invasores de áreas públicas e privadas, moradores em situação precária, em áreas de risco ou despejados: da favela do Siri, Papaquara, Vila União, Kartódromo, favela do Mosquito, Nova Esperança, Panaia Aeroporto, Caieira do Saco dos Limões, Mont Serrat, Maciço do Morro da Cruz e Monte Cristo. A ocupação José Nitro, do bairro Jardim Zanelatto, em São José, também mandou representante.
Por mais de cinco horas eles ouviram a velha discuseira sobre “inclusão social”, “direito à moradia digna” e “cidades para todos”, que disfarça a doutrinação em luta de classes de pobres contra ricos. Falaram os cabeças dos principais entes articuladores da “luta por moradia popular digna” (a propósito: barraco mal enjambrado sobre propriedade alheia e área de risco é “moradia digna”?), inclusive aqueles professores universitários, arquitetos e urbanistas filiados a diferentes partidos políticos de esquerda – os de sempre, que o leitor deste nanico já sabe quais, de cor e salteado. Além dos sargentos das Brigadas Populares, estavam presentes representantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), do Movimento Sem Terra em Santa Catarina (MST-SC), do Coletivo Anarquista Bandeira Negra, do Diretório Central de Estudantes (DCE) da UFSC, o ectoplasma da União Florianopolitana de Entidades Comunitárias (UFECO), Sintrajusc, Sindiprevs, CUT, Central Sindical e Popular (CSP – Conlutas), Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (RENAP). Repare bem: todas sãoorganizações sustentadas por muita grana que arrancam do povo, de forma direta ou indireta, para professar coletivismo e marxismo e combater o capitalismo, tentando expulsá-lo da alma da nação.
Origem universitária
O movimento Brigadas Populares teve origem em um Núcleo de Estudos Marxistas, formado por estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais para dissecar as ideias de pensadores revolucionários. Em 2005 o Núcleo se dissolveu e seus membros partiram para aplicar as teorias na prática, dedicando-se à articulação popular das favelas da periferia de Belo Horizonte, atuando como uma ferramenta a serviço da necessidade de organização da classe trabalhadora para a transformação social: a revolução das massas. Tempos depois foi realizado um seminário em que o movimento passou a ser estruturado para atuar de acordo com a linha politico-ideológica de sua origem. As Brigadas comandam oito ocupações em Belo Horizonte.
As Brigadas Populares são, tipo assim, um MST urbano: sua existência é praticamente virtual, só visualisada em diversos sites e blogs. Ela não tem existência formal, não tem estatuto, registro ou CNPJ, nem fisponibiliza qualquer informação de contato físico, como endereço ou telefone. As únicas peças de sua materialidade são os “profissionais de universidades” que coordenam as ações.
Na prática, os núcleos executivos de militantes orgânicos das Brigadas Populares surgem depois de articulações prévias com lideranças de grupos em áreas invadidas ou de pretendentes a tornar-se invasores de alguma propriedade já em vista. O movimento também recebe indicação de instituições, como as defensorias públicas, sobre a necessidade de apoio a algum grupo. Os brigadistas atuam pelo método de assembleias populares para identificar as pautas de cada grupo, estabelecer o direcionamento político dos embates, organizar as pessoas, prepará-las para as lutas e atividades necessárias, doutrinando-as para a elevação dos níveis de “consciência social” e fortalecimento das convicções pessoais para o enfrentamento. São eles que garantem o recrutamento de novas lideranças e a sua permanente formação e treinamento nas práxis revolucionárias.
Frente antiprisional
As Ocupações Palmares e Contestado, são brigadas territoriais que integram a Frente pela Reforma Urbana das Brigadas Populares. Além dela, em Santa Catarina está ativa desde o final de dezembro de 2011 a Frente Antiprisional, que antes só existia em Minas Gerais. Com o slogan “Nenhuma Vaga a Mais! Por uma sociedade sem prisões!”, a sua principal atividade é coordenar o Grupo de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, que articula e organiza as reivindicações coletivas dos parentes de presos da Penitenciária de São Pedro de Alcântara. A penitenciária é aquela onde ficavam os líderes do Primeiro Grupo Catarinense (PGC) acusados pelo assassinato da esposa do diretor que impunha regime severo no cumprimento das penas. A agente prisional Deise Alves foi fuzilada por engano quando chegava em casa dirigindo o carro do marido, em São José, em outubro de 2012. A aplicação ainda mais rigorosa das regras na prisão, depois da morte de Deise, foi o estopim para duas ondas de violentos atentados terroristas comandado de dentro da cadeia. As ações de guerrilha varreram Santa Catarina entre novembro e fevereiro últimos. Os principais acusados foram transferidos para uma penitenciária de segurança máxima, em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Segundo as investigações policiais, as famílias dos presos já estão se estabelecendo na cidade.
Nos outros quatro estados onde as Brigadas Populares atuam (Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro), já funcionam também frentes de Formação (de quadros), Comunicação e Cultura e de Juventude.
Aprofundando-se, é possível perceber a existência de uma indústria de sem-teto, uma espécie de agência de tráfico de migrantes de uns locais para outros – entre municípíos e estados -, numa constante realimentação de fogueiras do movimento pelo “direito à moradia digna”, que fundamenta as pressões político-ideológicas pela implantação da “reforma urbana” de cunho marxista. Do site do jornal Ilha Capital

Genoíno pede aposentadoria por invalidez moral

05/09/2013

7859_640078142691984_791090144_n

O maior crime de Genoíno é ter sido guerrilheiro combatendo nossos recrutas do Glorioso Exército de Caxias, lá pelos idos de 1970, no Pará, na Região do Araguaia com o objetivo de implantar um regime de terror comunista tipo Albânia no Brasil. Ele era do PCBR- PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO REVOLUCIONÁRIO que apoiava a Albânia.

Se Genoíno e a cambada dele tivessem vencido, hoje, todas as igrejas do Brasil estariam fechadas como aconteceu na Albânia.

Só a Rússia poderá nos salvar – Putin – O Herói do Milênio

01/09/2013

30 de agosto de 2013
Presidente Vladimir Putin
Federação Russa
23, Ilyinka Street
Moscou, 103132, Rússia

Prezado Presidente Putin
No nome de milhões de americanos e canadenses que estão preocupados com a propagação aparentemente irreversível da homossexualidade em nossos países e internacionalmente, desejo respeitosamente expressar minha gratidão sincera que sua nação tem assumido uma postura firme e inequívoca contra esse flagelo ao proibir a propaganda homossexualista na Rússia. Você tem dado um exemplo de liderança moral que está envergonhando os governos da Europa Ocidental e América do Norte. Você tem inspirado os povos do mundo. A Lituânia, a Moldávia, a Hungria e a Ucrânia já estão começando a seguir seu exemplo baseado em princípios, e você tem gerado esperança real no movimento pró-família internacional de que essa agenda sexual destrutiva e degradante pode finalmente começar a ser freada no mundo inteiro.
Como líder de longa data no movimento pró-família que fez uma turnê em seu país em 2006 e 2007 defendendo a própria lei que você sancionou, quero prevenir você a não presumir que você resolveu totalmente o problema com a sanção dessa lei. A batalha para proteger sua sociedade da homossexualização apenas começou, e você poderá ficar surpreso de descobrir nos próximos meses e anos que muitos líderes mundiais começarão a trabalhar agressivamente para tentar intimidar você e forçar você a se render às exigências homossexualistas.
Poucas agendas políticas na história da humanidade tiveram a tenacidade e determinação do movimento homossexualista. Seus ativistas são movidos por uma militância implacável e fervor de avançar seus próprios interesses egoístas que rivalizam até com as seitas religiosas mais fanáticas. Dá para se ver um vislumbre do espírito por trás desse movimento em Gênesis 19:4-11.
Em apenas cinquenta anos esse grupo periférico que representa apenas 2% da população tem, por meio de pura força de vontade e intimidação, ganhado mais influência política nos poderes legislativos e tribunais do mundo ocidental do que a igreja cristã. A conduta sexual que define sua identidade como indivíduos e como movimento era quase universalmente ilegal e proibida durante os anos em que nossas duas nações estavam aliadas contra a ameaça do nazismo, mas pouco mais de meio século depois os líderes homossexualistas e seus representantes ocupam a maioria dos cargos de poder no Ocidente, e estão crescendo no Oriente e nas nações em desenvolvimento também.
Ao preparar sua sociedade para reconhecer e confrontar as iniciativas do movimento de militantes gays é importante compreender que a propaganda e as políticas deles seguem o conto de que toda censura à homossexualidade leva inevitavelmente ao ódio, violência e assassinato de homossexuais. Todas as políticas pró-homossexualismo dos Estados Unidos e da Europa se apoiam nessa premissa implícita e inquestionável, mas fictícia. Portanto, o movimento homossexualista não está simplesmente buscando tolerância social, ou aceitação, mas poder e controle politico. Eles querem o poder de reprimir toda desaprovação à homossexualidade na sociedade russa e forçar todos os cidadãos (principalmente os jovens) a adotar a opinião de que a conduta homossexual é boa e normal.
Eles pedem igualdade, mas logo que conseguem todos os ideais sociais que exploraram para chegar ali, tais como tolerância social, liberdade de expressão e respeito pela diversidade cultural, vem o descarte desses ideais. Em lugar desses ideais introduz-se uma nova cosmovisão e moralidade reversa e invertida que condenam toda desaprovação à homossexualidade como uma nova forma imaginária de intolerância. Chamo esse fenômeno de “homo-fascismo” e o defino como uma forma de extremo radicalismo esquerdista e retrógrado que busca estabelecer rígidos controles autoritários sobre todos os discursos públicos e políticas governamentais com relação a normas e boas maneiras sexuais, e sancionar medidas punitivas contra pessoas que discordam por motivo de consciência, punindo ou suprimindo toda desaprovação à homossexualidade e condutas sexuais relacionadas (que evidentemente, muito embora eles neguem, rapidamente incluiriam doutrinação e exploração sexual de crianças).
Nos próximos meses e anos a Rússia e seu povo serão cada vez mais retratados por exagerações abusivas e carregadas de paixão como portadores de ódio e intolerância, decididos a exterminar os homossexuais. Aliás, a campanha de propaganda sobre esse tema já foi iniciada, com filmagens de vídeo professando mostrar neo-nazistas russos batendo em homossexuais agora circulando na internet, junto com a falsa insinuação de que essa é a intenção da lei russa. Essa mesma máquina de propaganda e metodologia vem triturando Uganda desde 2009 quando esse país introduziu (mas nunca aprovou) seu Projeto de Lei Anti-Homosexualidade (PLAH) que concordo foi duro demais, mas que nunca refletiu nenhuma intenção do governo de Uganda de exterminar homossexuais, conforme os ativistas gays e seus aliados dos meios de comunicação continuam a alegar.
Aliás, esse conto gay que iguala oposição à homossexualidade ao genocídio nazista é em parte uma tentativa de obscurecer as raízes feias do moderno movimento homossexualista na Alemanha antes do nazismo. O fascismo alemão era formado e facilitado por homossexuais do sexo masculino, de orientação masculina, em resposta ao modelo efeminado da homossexualidade que sustentava que todos os homens homossexualistas eram realmente almas fêmeas aprisionadas em corpos de homens. Começando na década de 1860, os homossexuais fêmeos, depois de Karl Heinrich Ulrichs, o avô do movimento de direitos gays, construíram um poderoso movimento social e politico na Alemanha que focava na revogação das leis contra a sodomia.
Ofendidos pela constante caracterização da homossexualidade masculina como efeminada, os homossexuais machos criaram seu próprio movimento fundamentados na filosofia de culto ao guerreiro exemplificado pela antiga Esparta. Esses foram os primeiros fascistas alemães e de suas fileiras vieram primeiro os briguentos de uniformes marrons da 1ª Guerra Mundial e então o Partido Nazista. Essa tese é fartamente documentada em meu livro “The Pink Swastika: Homosexuality in the Nazi Party” (A Suástica Rosa: Homossexualidade no Partido Nazista), que co-autorei em 1995 com o pesquisador Kevin E. Abrams.
Junto com essa carta, estou incluindo um exemplar de The Pink Swastika (Quarta Edição) em inglês que vem autografado pelo meu co-autor e eu. Logo estaremos completando um processo há muito atrasado de publicar o livro em russo, e assim nos comprometemos que dedicaremos a versão russa da The Pink Swastika ao governo russo e a seu povo. Será nossa honra enviar o primeiro exemplar da versão russa a você.
Mais uma vez, obrigado, presidente Putin, por permanecer firme na defesa da família natural, que é o alicerce essencial de toda civilização humana. Talvez por meio da inspiração de sua liderança, uma aliança das pessoas boas de nossos países com as pessoas boas de seu país, possamos de novo de alguma forma cooperativa, redimir o futuro da humanidade de um Leviatã fascista, exatamente como fizemos na 2º Guerra Mundial.
Respeitosamente,
Pastor Scott Lively, J.D., Th.D.
Defend the Family International
PO Box 2373
Springfield, MA 01101
Estados Unidos

Governo brasileiro importará 600 filósofos franceses, ingleses e alemães

29/08/2013

Após a polêmica contratação de 4.000.000 de médiuns cubanos para incorporarem em massa o Dr. Fritz e todos os chiliques bairristas e corporativistas oriundas do fato, o governo petralha, em mais uma ação afirmativa, acaba de anunciar a importação livre de impostos de 600 filósofos de nacionalidade francesa, inglesa e alemã.

O objetivo é suprir a ausência de intelectuais de pensamento genuinamente nacional.

Como se sabe, o país carece de filósofos no sentido mais puro da expressão.

Como filósofo europeu de hoje em dia ainda é como Sócrates que vivia de favor, os gringos não cobrarão nada por suas palestras ao ar livre.

O primeiro grupo, de 200 profissionais do pensamento, estará no Brasil Varonil já no próximo mês para participar do primeiro período de treinamento do curso online que lhes ensinará a língua portuguesa clássica com textos de Camões, Eça, Gil Vicente, Bernardes, Vieira, Tobias Barreto e Rui (ainda que só se possa filosofar em alemão), e, a detectar o possível defeito no ethos local que bloqueia a possibilidade de um pensamento tupiniquim.

Todos serão alocados em parte das 701 cidades, vilas, bibocas e malocas não colocadas como opção por nenhum filósofo brasileiro, uma vez que não se animam a saírem das cidades universitárias com todas as marolas que rolam por lá.

Um segundo grupo virá em outubro, e, até novembro, se Deus Quiser, todos deverão tentar dar aulas de filosofia nas universidades federais, se os alunos deixarem, compondo comitês de ética nos hospitais, dando palestras e lançando livros nas Livrarias Cultura (eu não quis dizer que vão depredar a Livraria Cultura – é lançar em outro sentido, imbecil!), publicando artigos em língua geral, em revistas com qualificação A1 no CNPQ, e, filosofando acerca do Complexo de Macunaíma Nacional.

No Brasil não há filósofos: há professores de história, jornalistas engajados, ideólogos, marqueteiros ou sofistas por profissão”, dizem os gringos que por aqui passam. Na foto, Marilena Chuái, famosa professora de História da Filosofia Spinoziana.

O Ministério da Educação pediu, e teria conseguido, filósofos que tivessem experiência internacional em Filosofia Analítica, Filosofia Medieval e Antiga e Arcaica, Fenomenologia do Espírito da Revolução Francesa Contemporânea, Ontologia, Metafísica, Realidade do Cinema Novo, Lógica, Positivismo e Bioética e nada de Teologia da Libertação.

Todos eles têm residência em várias universidades da Europa e América do Norte. Cerca de 30% têm também outras especializações, como Sociologia e Ciência Política, e possuem, no mínimo, 16 anos de experiência comprovada.

Pretendemos, assim, expor ao Brasil que figuras como Arnaldo Jabor, Rachel Sheherazade, Reinaldo Azevedo, Emir Sartre, Marinela Chuái, Luiz Felipe Pondé, Massa Sofrida, Sílvio Grimaldo, Mário Sergio Cortella, Marcia Tiburi, Ernildo Stein, Juca Soares, Cavaleiro Conde, Pedro de Lara, Bruna Surfistinha, Caio Fernando de Abreu, entre outros, não são filósofos brasileiros e não atendem à demanda de um LOGOS nacional ou de uma hermenêutica suficientemente potente para o pensamento de si da nação brasileira. São tão somente marqueteiros, professores de história ou sofistas por profissão”, afirmou o ministro da educação Aloízio Mercadante que começou a vida em Santos-SP como Capitão de Areia.

Procurada pela reportagem, Marilena Chuái retrucou afirmando que o seu pensamento é tão autêntico quanto o de Macunaíma e que essa importação de talentos vai fazer o Brasil voltar ao tempo do Fradique Mendes que dizia que tudo no Brasil era copiado da França, e aquele papo besta dele de Mucana e tudo mais.

O que é o comunismo do PT – Acorda Brasil – A Real Face da implementação do Comunismo & Socialismo

29/08/2013
 Um Documentário OBRIGATÓRIO para jovens mal informados e simpatizantes de partidos radicais de esquerda do Brasil e movimentos revolucionários fanáticos.

O Lado comunista de Ouro Preto – Centro de Difusão do Comunismo Norte-Coreano

29/08/2013
http://voltaudn.ning.com/profiles/blogs/justi-a-suspende-funcionamento-de-centro-de-difus-o-da-ideologia

A Vila Rica do Ouro Preto é explícita: Não é Petista, socialista, é COMUNISTA mesmo.

Dinheiro público de cristãos pagadores de impostos gastos para fazer propaganda de países que assassinam quem é pego com Bíblia na mão:

Mundo Ex-affair de Kim Jong-un foi presa e executada, diz imprensa sul-coreana Hyon Song-wol foi acusada de gravar e vender pornografia, diz jornal. Romance não teve aprovação do pai e antecessor do ditador, Kim Jong-il. 29/08/2013 08h11 – Atualizado em 29/08/2013 10h42

A cantora Hyon Song-wol (Foto: Reprodução/YouTube)
Da EFE

A cantora Hyon Song-wol, tida como um possível affair do ditador norte-coreano Kim Jong-un, foi executada na Coreia do Norte junto a um grupo de músicos acusados de gravar e vender pornografia, informou nesta quinta-feira (29) o jornal sul-coreano “Chosun Ilbo”.

O jornal de maior tiragem do país, que cita fontes chinesas, revelou que a cantora foi detida no último dia 17 de agosto por violar as leis norte-coreanas contra pornografia e, apenas três dias depois, foi executada em público.

O suposto affair de Kim Jong-un foi executada junto a outras 11 pessoas, muitos membros da orquestra Unhasu, assim como músicos e dançarinos do grupo Wangjaesan Light Music Band.

Todos eles estavam acusados de gravar e vender vídeos pornográficos e, segundo uma fonte citada pelo jornal, também foram condenados por possuírem muitas bíblias, fato que fez com que os mesmos fossem tratados como dissidentes políticos.

Acredita-se que Kim Jong-un manteve, há 10 anos, uma relação com a cantora.

Eles teriam rompido porque Kim não teve aprovação de King Jong-il, seu pai e antecessor.

Após a ruptura, Hyon se casou com um soldado, enquanto Kim Jong-un se casou com outra cantora, Ri Sol-ju, que também foi integrante da orquestra Unhasu.

A fonte citada pelo jornal sul-coreano revelou que os 12 artistas foram executados diante de outros membros de seus grupos e de seus familiares, os quais teriam sidos transferidos para campos de trabalho.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, vistoria fábrica que produz o smartphone Arirang

Mais Médicos – A Fraude – Maus Médicos

29/08/2013
Aqui está a prova de que desde o começo o programa “Maus Médicos” foi criado somente para importar guerrilheiros cubanos para o Brasil e exportar dinheiro público brasileiro para Cuba.