Archive for the ‘economia’ Category

Saiba tudo sobre o furto de ferramentas espiões da NSA um mês antes do super ataque hacker em maio de 2017

17/05/2017

http://money.cnn.com/2017/04/14/technology/windows-exploits-shadow-brokers/

https://www.theregister.co.uk/2017/04/21/windows_hacked_nsa_shadow_brokers/

https://www.theverge.com/2017/4/15/15311846/microsoft-windows-shadow-brokers-nsa-hacks-patched

http://thehackernews.com/2017/04/windows-hacking-tools.html

http://www.bbc.com/news/technology-39620534

http://nymag.com/selectall/2017/04/shadow-brokers-nsa-windows-exploits-see-release.html

https://theintercept.com/2017/04/14/leaked-nsa-malware-threatens-windows-users-around-the-world/

Brasil poderá ser maior produtor de alimentos do mundo, aposta o Senador Acir Gurgacz (PDT-AC)

12/05/2017

Da Redação | 12/05/2017, 10h10 – ATUALIZADO EM 12/05/2017, 10h28

O senador Acir Gurgacz (PDT-AC) lamentou nesta sexta-feira (12), em Plenário, a situação da economia brasileira, a qual, segundo ele, não está pior por conta do bom desempenho da agricultura e da pecuária. Ele disse acreditar que, em breve, o país vai ser o maior produtor de alimentos do mundo, sendo responsável por 10% da produção total.

De acordo com o senador, Rondônia tem ajudado a expansão da agricultura familiar e do agronegócio brasileiros. Para a safra 2016/2017, informou, deve haver crescimento de 2% em relação à safra anterior. Além disso, conforme Gurgacz, o estado tem o sexto maior bovino do pais, com 14 milhões de cabeças, e é o maior produtor de peixe nativo da Região Amazônica.

— Isso mostra a solidez e a força do agronegócio, que, mesmo em tempos crise e com a operação Carne Fraca, vem contribuindo para resultado positivo da balança comercial e retomada do crescimento — comentou.

Acir Gurgacz aproveitou para defender a rápida aprovação da Medida Provisória 759/2016, que trata da regularização fundiária.  De acordo com ele, a medida será importante para o desenvolvimento da agricultura do Brasil, e principalmente de Rondônia, visto que proverá segurança jurídica a proprietários que ainda não tem o titulo definitivo de suas terras.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Temer vence a Inflação – A mais baixa do Real (1994-2017)

11/05/2017

inflacao.png

JURO DO CARTÃO DE CRÉDITO CAI PELA METADE

10/05/2017

ECONOMIA E EMPREGO

Com novas regras, juros do rotativo do cartão caem pela metade

Seu bolso

Taxas passaram de 456,6% ao ano, em março, para 233,9% ao ano, em abril
por Portal BrasilPublicado: 08/05/2017 18h27Última modificação: 10/05/2017 15h23
Arquivo Agência BrasilTaxas caíram de 456,6% ao ano para 233,9% apenas no primeiro mês de vigência das novas regras do rotativo

Taxas caíram de 456,6% ao ano para 233,9% apenas no primeiro mês de vigência das novas regras do rotativo

Um mês depois das mudanças nas regras do cartão de crédito, os juros do rotativo (também conhecido como pagamento mínimo), caíram pela metade. Os dados são da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) e foram divulgados nesta segunda-feira (08).

De acordo com a entidade, as taxas passaram de 456,6% ao ano, em março, para 233,9% ao ano, em abril. Esse recuo, explicou a Abecs, ocorreu depois que o Conselho Monetário Nacional (CMN) mudou as regras do cartão.

Antes, o consumidor podia ficar indefinidamente no rotativo do cartão de crédito. Para isso, era preciso pagar apenas o mínimo a cada fatura. Esse procedimento, no entanto, levava ao superendividamento e a níveis elevados de inadimplência nessa modalidade.

Em março, no entanto, o governo mudou essas regras. O consumidor, a partir dessa nova legislação, passou a ter um limite para ficar no rotativo do cartão de crédito: somente 30 dias. Depois desse prazo, o cliente tem duas opções: ou ele paga a conta à vista ou parcela a fatura em até 24 vezes.

Mudança na legislação

Essa mudança havia sido anunciada pelo presidente da República, Michel Temer, em dezembro do ano passado e se tornou definitiva depois de ser regulamentada pelo CMN – o órgão é responsável por garantir a organização do sistema financeiro.

Juros do rotativo do cartão caem pela metade

Fonte: Portal Brasil, com informações da Abecs e do Banco Central

China consegue voar com concorrente do 737 antes da Embraer

06/05/2017

Você voaria em um avião chinês concorrente do A-320 e do Boeing 737-800? Primeiro grande jato de passageiro chinês voa em 4 de maio de 2017

05/05/2017

http://www.lefigaro.fr/societes/2017/05/04/20005-20170504ARTFIG00306-aeronautique-pekin-veut-tous-les-attributs-d-une-superpuissance-mondiale.php 

http://www.cnbc.com/2017/05/04/chinas-first-giant-passenger-jet-is-slated-for-maiden-test-flight-friday.html

Veja slide descritivo:

http://show.chinadaily.com.cn/pub/view/eec110ea7e2740c58bc8be5f54559f4b/htm?t=15bd726e088

XVMe307e552-30dc-11e7-a34a-c7eb138e5750

 

R$ 54,99 é o preço da garrafa de vinho – R$ 45,30 de impostos – Onde? Brasil – 82,38% – Sobram R$ 9,69 para Supermercado, Atacadista, Produtor, e, para o agricultor

03/05/2017

IMG_20170429_090152993_HDR

Balança comercial do Brasil bate recorde e soma US$ 6,9 bilhões em abril de 2017

02/05/2017

Em abril, diferença do número de exportações e importações foi positiva e a maior para o mês desde 1989

por Portal Brasil
Publicado: 02/05/2017 17h47Última modificação: 02/05/2017 17h47
Rogério Santana/Governo do Rio de JaneiroResultado foi influenciado por crescimento das médias diárias de exportações e importações

Resultado foi influenciado por crescimento das médias diárias de exportações e importações

Com o fortalecimento de produtos brasileiros no exterior, a balança comercial de abril foi recorde para o mês. As exportações superaram as importações em US$ 6,969 bilhões, resultando em um saldo comercial inédito de US$ 21,387 bilhões em termos anuais.

Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e foram divulgados nesta terça-feira (02). Segundo a pasta, houve aumento nas médias diárias tanto de exportações quanto nas importações.

A média diária das exportações em março foi de 27,8% maior em relação ao mesmo período do ano passado, influenciada pelo aumento de 29,2% nas vendas de básicos, de 27,5% na venda de semimanufaturados e de 25,7% nos produtos manufaturados.

As exportações de produtos básicos foram influenciadas, principalmente, pela venda de minério de ferro (+87,6%), petróleo em bruto (+58,6%), carne suína (+34,4%) e soja em grão (24,2%)

Ao mesmo tempo, aumentos importantes foram registrados no grupo de semimanufaturados. A principal alta foi na venda de óleo de soja (+173,9%),  seguida dos avanços nos embarques de ferro e aço (+55,5%), ferro fundido (+46,1%) e açúcar em bruto (44,4%).

As importações, por sua vez, cresceram 13,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, diante da alta na compra de combustíveis e lubrificantes (+28,5%), bens intermediários (+16,5%) e bens de consumo (+6,3%).

No ano

Em mais um resultado recorde, o saldo comercial brasileiro nos primeiros quatro meses do ano foi o maior da história, de US$ 21,387 bilhões. Tanto no mercado financeiro quanto no governo federal, a expectativa é que as transações comerciais com exterior superem US$ 50 bilhões em 2017.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MDIC

Legislação do Trabalho adequada ao Século XXI

27/04/2017

GOVERNO

Câmara dos Deputados aprova projeto de modernização da legislação trabalhista

Geração de empregos

Proposta reforça, entre outros pontos, os acordos coletivos de trabalho e regulamenta jornadas intermitentes e empregos temporários
por Portal BrasilPublicado: 26/04/2017 23h10Última modificação: 26/04/2017 23h10
Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilEm votação com quórum alto, os deputados federais aprovaram o texto-base do projeto que moderniza as relações de trabalho

Em votação com quórum alto, os deputados federais aprovaram o texto-base do projeto que moderniza as relações de trabalho

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (26), por 296 votos a 177, o texto base do projeto de lei que moderniza as relações trabalhistas no País. Com potencial de reanimar o mercado de trabalho e dar segurança jurídica às empresas, o acordo coletivo prevalecerá sobre a lei e o sindicato e não mais precisará auxiliar o trabalhador na rescisão trabalhista.

Com as mudanças, trabalhadores e empresas poderão se adaptar às mudanças da realidade atual do mercado de trabalho, mais dinâmico, e também reduzir a informalidade da mão-de-obra no País. Os destaques ainda estão sendo analisados pelos parlamentares.

Entre os principais aprimoramentos em relação à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), está a prevalência dos acordos entre patrões e empregados sobre a legislação, a regulamentação da jornada de trabalho intermitente e do temporário, o parcelamento de férias, que estão dentro dos 16 pontos em que os acordos irão se sobrepor à lei.

Para proteger o trabalhador, o texto aprovado prevê salvaguardas. Por exemplo, pontos como jornada de trabalho e banco de horas poderão se tornar mais flexíveis, mas outros direitos garantidos pela Constituição Federal, como o direito ao 13º salário, não poderão ser reduzidos ou alterados.

Além disso, o texto também proíbe a demissão de um funcionário e a recontratação imediata como terceirizado. Pela proposta, fica estabelecida uma quarentena de 18 meses para a recontratação por outro modelo.

Uma das principais medidas econômicas do governo federal, a modernização da CLT irá desafogar a Justiça do Trabalho e simplificar algumas categorias profissionais, que por vezes são regidas por sete legislações diferentes.

Fonte: Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Confira os principais pontos da proposta de reforma trabalhista

27/04/2017
25/04/2017 – 23h30Atualizado em 27/04/2017 – 03h21
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias

Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (27) o Projeto de Lei 6787/16 na versão apresentada pelo relator, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN). Texto seguirá para votação no Senado

Confira os principais pontos:

  • Negociação

Negociação entre empresas e trabalhadores vai prevalecer sobre a lei para pontos como: parcelamento das férias em até três vezes; jornada de trabalho, com limitação de 12 horas diárias e 220 horas mensais; participação nos lucros e resultados; jornada em deslocamento; intervalo entre jornadas (limite mínimo de 30 minutos); extensão de acordo coletivo após a expiração; entrada no Programa de Seguro-Emprego; plano de cargos e salários; banco de horas, garantido o acréscimo de 50% na hora extra; remuneração por produtividade; trabalho remoto; registro de ponto. No entanto, pontos como fundo de garanta, salário mínimo, 13º salário e férias proporcionais não podem ser objeto de negociação.

  • Fora da negociação

As negociações entre patrões e empregados não podem tratar de FGTS, 13º salário, seguro-desemprego e salário-família (benefícios previdenciários), remuneração da hora de 50% acima da hora normal, licença-maternidade de 120 dias, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

  • Trabalho intermitente

Modalidade pela qual os trabalhadores são pagos por período trabalhado. É diferente do trabalho contínuo, que é pago levando em conta 30 dias trabalhados, em forma de salário. O projeto prevê que o trabalhador receba pela jornada ou diária, e, proporcionalmente, com férias, FGTS, previdência e 13º salário.

  • Fora do trabalho intermitente

Marinho acatou emendas que proíbem a contratação por meio de contrato de trabalho intermitente de aeronautas, que continuarão regidos por lei específica.

  • Rescisão contratual

O projeto de lei retira a exigência de a homologação da rescisão contratual ser feita em sindicatos. Ela passa a ser feita na própria empresa, na presença dos advogados do empregador e do funcionário – que pode ter assistência do sindicato. Segundo o relator, a medida agiliza o acesso do empregado a benefícios como o saque do FGTS.

  • Trabalho em casa

Regulamentação de modalidades de trabalho por home office (trabalho em casa), que será acordado previamente com o patrão – inclusive o uso de equipamentos e gastos com energia e internet.

  • Representação

Representantes dos trabalhadores dentro das empresas não precisam mais ser sindicalizados. Sindicatos continuarão atuando nos acordos e nas convenções coletivas.

  • Jornada de 12 x 36 horas

O projeto estabelece a possibilidade de jornada de 12 de trabalho com 36 horas de descanso. Segundo o relator, a jornada 12×36 favorece o trabalhador, já que soma 176 horas de trabalho por mês, enquanto a jornada de 44 horas soma 196 horas.

  • Ações trabalhistas

O trabalhador será obrigado a comparecer às audiências na Justiça do Trabalho e arcar com as custas do processo, caso perca a ação. Hoje, o empregado pode faltar a até três audiências judiciais.

  • Terceirização

O projeto propõe salvaguardas para o trabalhador terceirizado, como uma quarentena de 18 meses para impedir que a empresa demita o trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado.

  • Contribuição sindical

A proposta torna a contribuição sindical optativa. Atualmente, o pagamento é obrigatório para empregados sindicalizados ou não. O pagamento é feito uma vez ao ano, por meio do desconto equivalente a um dia de salário do trabalhador.

  • Sucessão empresarial

O projeto prevê que, no caso em que uma empresa adquire outra, as obrigações trabalhistas passam a ser de responsabilidade da empresa sucessora.

  • Ambiente insalubre

Marinho acatou emenda sugerida pela deputada Laura Carneiro (PMDB-RJ) que determina o afastamento de mulheres grávidas de ambientes considerados insalubres em grau máximo. Nas atividades insalubres em graus médio e leve, o afastamento depende de atestado de médico de confiança da trabalhadora que recomende o afastamento durante a gestação.

  • Justiça do Trabalho

O projeto torna mais rigorosos os pressupostos para uma ação trabalhista, limita o poder de tribunais de interpretarem a lei e onera o empregado que ingressar com ação por má fé. Em caso de criação e alteração de súmulas nos tribunais, por exemplo, passa a ser exigida a aprovação de ao menos dois terços dos ministros do Tribunal Superior do Trabalho. Além disso, a matéria tem que ter sido decidida de forma idêntica por unanimidade em pelo menos dois terços das turmas, em pelo menos dez sessões diferentes.

  • Regime parcial

O parecer do relator estabelece que trabalho em regime de tempo parcial é de até 30 horas semanais, sem a possibilidade de horas suplementares por semana, ou de 26 horas por semana – neste caso com a possibilidade de 6 horas extras semanais. As horas extras serão pagas com o acréscimo de 50% sobre o salário-hora normal. Atualmente, trabalho em regime de tempo parcial é aquele que tem duração máxima de 25 horas semanais e a hora extra é vedada.

  • Multa

Na proposta original, apresentada pelo governo, a multa para empregador que mantém empregado não registrado era de R$ 6 mil por empregado, valor que caía para R$ 1 mil para microempresas ou empresa de pequeno porte. Em seu parecer, porém, Rogério Marinho reduziu o valor da multa, respectivamente, para R$ 3 mil e R$ 800. Atualmente, a empresa está sujeita a multa de um salário mínimo regional, por empregado não registrado, acrescido de igual valor em cada reincidência.

  • Recontratação

O texto modifica o substitutivo anterior para proibir uma empresa de recontratar, como terceirizado, o serviço de empregado demitido por essa mesma empresa. Modifica a Lei 6.019/74.

  • Tempo de deslocamento

O tempo despendido pelo empregado até o local de trabalho e para o seu retorno, por qualquer meio de transporte, não será computado na jornada de trabalho. A CLT, hoje, contabiliza como jornada de trabalho deslocamento fornecido pelo empregador para locais de difícil acesso ou não servido por transporte público. Segundo Rogério Marinho, o dispositivo atual desestimula o empregador a fornecer transporte para seus funcionários.

  • Acordos individuais

Os trabalhadores poderão fazer acordos individuais sobre parcelamento de férias, banco de horas, jornada de trabalho e jornada em escala (12×36).

  • Banco de horas

A lei atual permite o banco de horas: a compensação do excesso de horas em um dia de trabalho possa ser compensado em outro dia, desde que não exceda, no período máximo de um ano, à soma das jornadas semanais de trabalho previstas, nem seja ultrapassado o limite máximo de dez horas diárias. O substitutivo permite que o banco de horas seja pactuado por acordo individual escrito, desde que a compensação se realize no mesmo mês.

  • Trabalhador que ganha mais

Relações contratuais firmadas entre empregador e empregado portador de diploma de nível superior e que receba salário mensal igual ou superior a duas vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social prevalecem sobre o que está escrito na CLT.

  • Demissão

O substitutivo considera justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador a perda da habilitação ou dos requisitos estabelecidos em lei para o exercício da profissão pelo empregado. Rogério Marinho acatou emenda que condiciona essa demissão “caso haja dolo na conduta do empregado”.

  • Custas processuais

Nos dissídios individuais e nos dissídios coletivos do trabalho, nas ações e procedimentos de competência da Justiça do Trabalho, bem como nas demandas propostas perante a Justiça Estadual, no exercício da jurisdição trabalhista, as custas relativas ao processo terão valor máximo de quatro vezes o teto dos benefícios do Regime Geral da Previdência Social, que em valores atuais corresponde a R$ 22.125,24.

  • Justiça gratuita

O projeto permite aos juízes, órgãos julgadores e presidentes dos tribunais do trabalho de qualquer instância conceder o benefício da justiça gratuita a todos os trabalhadores que perceberem salário igual ou inferior a 40% do limite máximo dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social. A proposta anterior estabelecia limite de 30%.

  • Tempo de trabalho

O substitutivo altera o artigo 4º da CLT para desconsiderar como extra da jornada de trabalho atividades particulares que o trabalhador realiza no âmbito da empresa como: descanso, estudo, alimentação, atividade social de interação entre colegas, higiene pessoal e troca de uniforme.

  • Jornada excedente

Hoje, a CLT permite que a jornada de trabalho exceda o limite legal (8 horas diárias e 44 semanais) ou convencionado se ocorrer necessidade imperiosa. A duração excedente pode ser feita se o empregador comunicar a necessidade à autoridade competente dez dias antes. O projeto acaba com essa obrigação.

  • Penhora

Emenda aprovada da deputada Gorete Pereira (PR-CE) incluiu no texto a dispensa para as entidades filantrópicas do oferecimento de garantia ou de bens à penhora em causas trabalhistas. A dispensa se estende àqueles que compuseram a diretoria dessas instituições.