GUERRA CIVIL NA AMÉRICA CRIADA PELOS DEMOCRATAS

TEXTO E TRADUÇÃO DO ALUYSIO AMORIN
Recomendo portanto que leiam o artigo que segue e compartilhem. A informação é a principal arma para evitar o pior. Fiz a tradução do inglês com o apoio de tradutor online e posterior copydesk. Mas meus conhecimentos do inglês não são suficientes para uma tradução de primeira linha. Continuo estudando, mas não é moleza. Leiam:
A GUERRA CIVIL ESTÁ AQUI
Uma guerra civil começou.
Esta guerra civil é muito diferente da última. Não há cargas de canhões ou cavalaria. A esquerda não quer se separar. Quer governar. Os conflitos políticos tornam-se guerras civis quando um lado se recusa a aceitar a autoridade existente. A esquerda rejeitou todas as formas de autoridade que não controla.
A esquerda rejeitou o resultado das duas últimas eleições presidenciais ganhas pelos republicanos. Rejeita a autoridade judiciária da Suprema Corte quando as decisões não estão de acordo com sua agenda. Rejeita a autoridade legislativa do Congresso quando não é dominada pela esquerda.
Rejeitou a Constituição há tanto tempo que dificilmente menciona.
Foi para a autoridade executiva unilateral total sob Obama. E agora cabe aos Estados decidirem unilateralmente quais leis seguirão. (Enquanto isso envolve desafiar as leis de imigração sob Trump, não seguindo-as sob Obama.) Foi para a autoridade sacrossanta do Senado quando ele manteve a maioria. Em seguida, criticou o Senado como uma instituição ultrapassada quando os republicanos assumiram.
Foi para Obama desafiar as ordens dos juízes federais, não importa o quão bem fundamentado na lei existente, e serve para os juízes federais anularem qualquer ordem por Trump em qualquer motivo que seja. Foi para Obama punir os denunciantes, mas agora, para minar o governo de dentro, tornou-se “patriótico”.
Não há nenhuma forma de autoridade legal que a esquerda aceite como uma instituição permanente. Só utiliza formas de autoridade seletivamente quando as controla. Mas quando os funcionários do governo recusam as ordens do governo devidamente eleito porque sua lealdade é para uma ideologia cuja agenda está em conflito com o presidente e o Congresso, isso não é ativismo, protesto, política ou desobediência civil; É traição.
Depois de perder o Congresso, a esquerda consolidou sua autoridade na Casa Branca. Depois de perder a Casa Branca, a esquerda mudou seu centro de autoridade para juízes federais e funcionários do governo não eleitos. Cada derrota levou os democratas radicalizados a mudarem de instituições mais democráticas para instituições menos democráticas.
Isso não é apenas hipocrisia. Esse é um pecado político comum. Hypocrites manobra dentro do sistema. A esquerda não tem lealdade ao sistema. Ela não aceita leis diferentes das ditadas por sua ideologia.

LOUCURA IDEOLÓGICA
Os democratas tornaram-se radicalizados pela esquerda. Isso não significa apenas que eles perseguem todos os tipos de políticas ruins. Isso significa que a sua primeira e mais importante fidelidade é uma ideologia, não a Constituição, nem o nosso país nem o nosso sistema de governo. Todos esses são apenas para ser usado como veículos para a sua ideologia.
É por isso que o compromisso tornou-se impossível.
Nosso sistema de governo foi projetado para permitir que diferentes grupos negociassem suas diferenças. Mas essas diferenças deveriam basear-se em encontrar interesses compartilhados. O mais profundo desses interesses compartilhados era o de um país comum baseado em certos valores civilizacionais. A esquerda substituiu essas idéias fundadoras por noções e princípios radicalmente diferentes. Rejeitou a importância primordial do país. Como resultado, ela compartilha pouco em termos de interesses ou valores.
Em vez disso, recuou para enclaves culturais urbanos e suburbanos, onde centralizou enormes quantidades de poder, desconsiderando os interesses e valores da maior parte do país. Se os considera, está convencido de que eles desaparecerão em breve para serem substituídos por imigrantes que se conformam e esquerdistas universitários que formam uma maioria demográfica permanente para sua agenda.
Mas não poderia esperar tanto tempo porque é animada pela convicção de que reforçar suas idéias é urgente e inevitável. E assim transformou o que tinha sido uma transição escondida em uma ruptura aberta.
Na transição oculta, suas figuras de autoridade haviam seqüestrado a lei e todos os cargos políticos que ocupavam para perseguir sua agenda ideológica. A esquerda tinha usado seu vasto poder cultural para fabricar um consenso que estava lentamente transitando o país dos valores americanos para seus valores e agendas. O direito tinha-se revelado largamente impotente diante de um programa que corrompia e subvertia de dentro.
A esquerda teve enorme êxito neste aspecto. Foi tão bem sucedida que perdeu todo o senso de proporção e decidiu abrir suas opiniões e lançar uma luta de poder político depois de perder uma eleição.
Os democratas não estavam mais sendo injetados lentamente com ideologia de esquerda. Em vez disso, a esquerda assumiu abertamente e exigiu lealdade às fronteiras abertas, à política de identidade e ao fanatismo ambiental. O êxodo dos eleitores acabou com os democratas em grande parte do que a esquerda considerou país de passagem aérea.
A esquerda respondeu às derrotas democráticas recuando mais profundamente em instituições não democráticas, seja a burocracia ou a mídia corporativa, ao mesmo tempo que dobra seu radicalismo político. Agora, está desafiando abertamente o resultado de uma eleição nacional usando uma coalizão de burocratas, corporações, funcionários não eleitos, celebridades e repórteres que se baseiam fora de seus enclaves culturais e políticos.
A esquerda respondeu a uma eleição perdida construindo “cidades e estados santuários” transformando assim uma secessão cultural e ideológica em uma secessão legal. Mas enquanto os secessionistas querem ser deixados sozinhos autoritários querem que todos sigam suas leis. A esquerda é um movimento autoritário que quer cumprimento total com seus ditames com punições severas para aqueles que desobedecem.
A esquerda descreve suas ações como princípios. Mas, mais precisamente, eles são ideológicos. Funcionários de vários níveis de governo rejeitaram a autoridade do Presidente dos Estados Unidos, do Congresso e da Constituição porque estes estão em desacordo com sua ideologia radical. Os juízes dissimularam essa rejeição na lei. Prefeitos e governadores nem sequer fingem que suas ações são legais.
As escolhas desta guerra civil são dolorosamente claras.
Podemos ter um sistema de governo baseado em torno da Constituição com representantes democraticamente eleitos. Ou podemos ter um baseado nos princípios ideológicos da esquerda em que todas as leis e processos, incluindo as eleições e a Constituição, são folhas de figo para reforçar a justiça social.
Mas não podemos ter ambos.

O QUE PODE ACONTECER?
Algumas guerras civis acontecem quando um conflito político não pode ser resolvido no nível político. Os realmente maus acontecem quando um conflito político irresolúvel se combina com um conflito cultural insolúvel.
Isso é o que temos agora.
A esquerda deixou claro que não aceitará a autoridade legítima do nosso sistema de governo. Não aceitará o resultado das eleições. Não aceita essas coisas porque estão em desacordo com sua ideologia e porque representam a vontade de grandes porções do país que desprezam.
A questão é o que vem a seguir.
A última vez em torno de tensões crescentes começou a explodir em confrontações violentas entre extremistas de ambos os lados. Esses extremistas foram elogiados por moderados que integram seus pontos de vista. O primeiro presidente republicano foi eleito e rejeitado. As tensões políticas levaram ao conflito e depois à guerra civil.
A esquerda não acredita na secessão. É um movimento político autoritário que perdeu a autoridade democrática. Há agora uma luta de poder político em andamento entre os funcionários democraticamente eleitos e o mecanismo antidemocrático de governo auxiliado por um punhado de juízes e eleitos locais.
O que isso realmente significa é que existem dois governos concorrentes; O governo legal e um anti-governo traidor da esquerda. Se este conflito político progride, as agências e indivíduos em todos os níveis de governo serão convidados a demonstrar sua fidelidade a estes dois governos concorrentes. E isso pode transformar-se rápida e explosivamente em uma verdadeira guerra civil.
Não há sinal de que a esquerda entenda ou esteja preocupada com as implicações do conflito que iniciou. E há poucos sinais de que os democratas entendam adequadamente a estrada perigosa que a esquerda radical está atraindo para eles. A esquerda pressupõe que os vencedores de uma eleição democrática recuarão, em vez de ficarem sob sua autoridade. Não está preparada para a possibilidade de que a democracia não morra na escuridão.
As guerras civis terminam quando um lado é forçado a aceitar a autoridade do outro. A esquerda espera que todos aceitem sua autoridade ideológica. Os conservadores esperam que a esquerda aceite a autoridade constitucional. O conflito ainda é político e cultural. Está sendo travado na mídia e no governo. Mas se nenhum dos lados retroceder, então ele vai além das palavras, pois ambos os lados dão ordens contraditórias.
A esquerda é um movimento traiçoeiro. Os democratas se tornaram uma organização traiçoeira quando caíram sob a influência de um movimento que rejeita nosso sistema de governo, suas leis e suas eleições. Agora sua traição está chegando à tona. Eles estão envolvidos em uma luta pelo poder contra o governo. Isso não é protesto. Não é ativismo. A velha traição dos anos sessenta chegou à idade. Uma guerra civil começou.
Este é um conflito primordial entre um sistema totalitário e um sistema democrático. Seu resultado determinará se seremos uma nação livre ou uma nação de escravos. Click here to read the original in English
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: