Depois de derrubar o presidente bispo comunista, o Paraguai encontra o caminho da felicidade

09/01/2017 14:15

Opinião: Exportando empregos … para o Paraguai

Welson Gasparini*

 

Enquanto o desemprego no Brasil se aproxima de 12%, em meio a quase três anos seguidos de encolhimento da economia, indústrias brasileiras abrem novas fábricas e criam milhares de novos empregos diretos … no Paraguai. São, lamentavelmente, vagas tiradas do trabalhador brasileiro para atender a necessidade crescente de lucros desses empresários insaciáveis na busca de ganhos maiores. O Paraguai, inteligentemente, se aproveita da proximidade com o Brasil para ser uma plataforma de produção barata e livre de burocracia para o abastecimento do mercado de consumo … brasileiro.

Essas indústrias produzem no Paraguai, geram empregos no Paraguai, no entanto, fazem do Brasil o mercado consumidor dos seus produtos. A estratégia paraguaia de atrair investimentos e empregos, ao abrir mão da cobrança de impostos, tem dado resultado. Essa lei existente no Paraguai desde 1997 garante o pagamento de apenas 1% de tributo às companhias que abrirem fábricas naquele país e exportarem 100% da produção. Outras vantagens incluem gastos menores com mão de obra e energia elétrica. O salto quantitativo desse programa, porém, se deu nos últimos três anos ” justamente quando a economia brasileira começou a andar para trás. Embora o total de empregos gerado por essas empresas ainda seja pequeno em comparação ao tamanho da economia brasileira, o ritmo de migração de investimentos do Brasil para o Paraguai está em aceleração: das 124 indústrias incluídas nesse programa, 78 abriram as portas desde 2014. Dos 11,3 mil empregos gerados pelo programa, 6,7 mil são fruto dos investimentos dos últimos três anos. E existem mais projetos de expansão que devem gerar milhares de vagas em 2017.

O desemprego, infelizmente, é um fardo pesado que, no Brasil, a cada dia aumenta mais: são indústrias, empresários e lojistas fechando as portas nos shoppings centers (segundo a Folha de S. Paulo, 19 mil apenas em 2016), nos centros e nas periferias das grandes cidades, deixando um rastro de milhares de pais e mães de famílias sem condições de sustentarem os seus.

Assim, enquanto o Brasil caminha para trás, devido à voracidade da carga tributária e à burocracia imperante nas repartições públicas municipais, estaduais e federais, o Paraguai caminha para frente contando, inclusive, com a ação do Foro Brasil-Paraguai, sediado em Assunção e dedicado exclusivamente a apresentar as oportunidades do país a brasileiros. Essa entidade calcula que dois terços dos investimentos no Paraguai nos últimos anos sejam de empresas de capital brasileiro; mas o Brasil também tem um forte peso no terço restante: montadoras estrangeiras começaram a produzir peças em solo paraguaio para abastecer as montadoras instaladas em nosso país.

Não é um quadro, para dizer o mínimo, surreal? A economia brasileira se desmanchando para sustentar o projeto do presidente Horácio Cartes para fazer do Paraguai uma “China da América do Sul”, gerando empregos para a mão de obra paraguaia, na qual 70% da população, de 6,8 milhões de habitantes, têm menos de 30 anos e boa parte ainda atua na informalidade?

O Brasil precisa, urgentemente, criar políticas para estancar essa sangria num momento em que o desemprego é a nossa maior chaga social, contrapondo-se ao discurso do governo paraguaio segundo a qual o objetivo é “construir” uma parceria entre os dois países na qual o Paraguai fica com a carne e o Brasil com o osso …

*Deputado estadual (PSDB), advogado e ex-prefeito de Ribeirão Preto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: