Trump levará clínicas de aborto à falência

ABORTEIRA SURTOU NA NOITE DA DERROTA

surtou.png

14600884_904712772996183_3564170347783780907_n

15107427_1171046992976548_112892169294332463_n

14956409_1188406391250939_5170230235074985509_n

14732202_981152778663084_4893077637475066394_n

 

54,561 2 1

Foto: Bigstock
Foto: Bigstock

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, assumiu uma série de compromissos contra o aborto e nomeou um time de ativistas pró-vida para coordenar a sua campanha nesse âmbito.

Há duas semanas, Trump publicou uma carta em que fez diversos compromissos com o eleitorado pró-vida, caso se torne presidente: assinar o projeto de lei que proíbe o aborto após 20 semanas de gestação, nomear apenas juízes pró-vida para a Suprema Corte, retirar o financiamento público da clínica de abortos Planned Parenthood e tornar permanente a Emenda Hyde, que proíbe que o aborto seja realizado com financiamento público.

Trump anunciou que sua coalizão pró-vida será formada por 32 membros. Entre eles, estão a parlamentar Marsha Blackburn, que lidera a investigação sobre a Planned Parenthood – principal rede de clínicas de aborto no país; Mary Fallin, governadora de Oklahoma; Sam Brownback, governador do Kansas; Tony Perkins, do Family Research Council; Kristan Hawkins do Students for Life; o padre Frank Pavone, do Priests for Life; Alveda King, diretora da organização Civil Rights for the Unborn; e vários outros.

Os membros da coalizão serão responsáveis por divulgar os compromissos pró-vida de Trump em sua esfera de influência, defender a candidatura republicana e nomear responsáveis em cada estado para que a mensagem pró-vida da campanha chegue ao eleitor.

“As políticas sublinhadas pelo Sr. Trump são importantes não apenas para a base eleitoral pró-vida, mas apelam também a uma maioria de americanos que se opõem ao plano de Hillary Clinton de fazer com que os que pagam impostos financiem até mesmo abortos tardios”, disse Dannenfelser.

Nas primárias do Partido Republicano, Dannenfelser encorajou os eleitores a votarem “em qualquer um exceto em Donald Trump”. Agora, ela diz que confia em Trump “sem medidas”. “Se você é pró-vida, mesmo que de forma marginal, precisa perguntar a si mesmo: a quem eu posso melhor confiar a vida dessas pessoas?”, disse ela ao The Telegraph.

A Planned Parenthood, a maior rede de clínicas de aborto do mundo, investiu pelo menos 18 milhões de dólares nestas eleições. Já a organização NARAL Pro-Choice America está gastando 300 mil dólares em uma campanha publicitária para atingir Trump e alguns senadores republicanos a respeito do aborto.

 

Com informações de Life Site News.

TUDO DE RUIM DE PODRE NESTE MUNDO É FEITO COM O DINHEIRO DESTE CIDADÃO

Após Trump vencer, bilionário judeu George Soros convoca reunião emergencial para rediscutir rumos da esquerda

Compartilhar no Facebook
Tweet

 

O bilionário George Soros, um dos maiores financiadores privados da esquerda mundial, convocou uma reunião de emergência em Washington, EUA, depois que a candidata socialista apoiada por Soros, Hillary Clinton, perdeu as eleições americanas para Donald Trump.

A reunião de três dias, que começou no último domingo e foi ignorada pela imprensa mundial, acontece em um dos hotéis mais caros dos EUA, o Mandarin Oriental, e contará com a presença de líderes dos principais sindicatos e grupos de esquerda do país, bem como líderes políticos do Partido Democrata, como a líder do partido na Câmara, Nancy Pelosi, a senadora Elizabeth Warren e o vice-coordenador das primárias do partido, Keith Ellison.

As sessões do evento incluem debates sobre como proteger o Obamacare, como fazer a esquerda ganhar novamente os votos dos trabalhadores e a importância de captar mais dinheiro para apoiar as iniciativas da esquerda.

A reunião é organizada pela Democracy Alliance (DA), fundada por Soros e outros grandes financiadores do Partido Democrata em 2004 para apoiar a candidatura de John Kerry contra o George W. Bush. Cada membro da DA tem que doar pelo menos 200 mil dólares por ano para grupos de esquerda, além de uma anualidade de 30 mil dólares para o DA.

O líder do grupo, George Soros, investiu 25 milhões de dólares na campanha da derrotada Hillary Clinton, e também financia grupos no Brasil como o Mídia Ninja e a Agência Pública, ligada a Leonardo Sakamoto.

Soros também é conhecido por defender o globalismo, uma visão de mundo que prega a instituição de um único governo mundial centralizador de poder.

Anúncios

Uma resposta to “Trump levará clínicas de aborto à falência”

  1. Sebastião J Oliveira Sebastião Says:

    E Vero

Os comentários estão desativados.


%d blogueiros gostam disto: