Papa ou anti papa??? Disse “quem sou eu para julgar” em relação a homossexuais – Mas Trump que defende a Família ele julgou

Anúncios

3 Respostas to “Papa ou anti papa??? Disse “quem sou eu para julgar” em relação a homossexuais – Mas Trump que defende a Família ele julgou”

  1. Eduardo Says:

    Por isso que a Globo fez a maior festa qdo ele virou papa. Tudo faz sentido, ou seja, quando essa mídia porca bate palmas , tenha certeza que é pra beneficiar comunas ou globalistas ou os dois juntos.

  2. Sebastião J Oliveira Sebastião Says:

    O Anticristo chegou, é Argentino/ Latino/ Bolivariano, tem dúvida, tentou ajudar Maduro e se deu mal.

  3. Renan Says:

    O PAPA FRANCISCO ESTARIA PRESTIGIANDO OS VERMELHOS NO ABAIXO…
    Os MILICIANOS COMUNISTAS travestidos de MOVIMENTOS SOCIAIS de diversos países que se encontraram com o papa Francisco são os esquerdistas de varios partidos comunistas, como o quadrilheiro Stédile dos anarquistas do MST aliado do terrorista PT, aliado doutros conspiradores contra o tronco-judaico cristão, como o Rei da Marijuana, o ex guerrilheiro tupamaro, o vermelho Mujica e mais mafiosos!
    Todos os que pertencem ao esquerdismo associam-se aos 3 irmãos gemeos comunonazifascistas, iguais no básico: material-ateístas, fortemente opressores, totalitaristas, constando que seriam subsidiarios da maçonaria.
    Abaixo, 2 partes do discurso – começo-fim – apesar de ser de 2014, por ele se manter os acolhendo, PORTANTO, validaria-se:
    DISCURSO DO PAPA FRANCISCO AOS PARTICIPANTES NO ENCONTRO MUNDIAL DOS MOVIMENTOS POPULARES.
    Ex-Sala do Sínodo Terça-feira, 28 de Outubro de 2014
    “De novo, bom dia! Sinto-me feliz por estar convosco, e faço-vos uma confidência: é a primeira vez que desço aqui, nunca tinha vindo cá. Como dizia, sinto grande alegria e dou-vos as calorosas boas-vindas. Agradeço-vos por terdes aceite este convite para debater os problemas sociais muito graves que afligem o mundo de hoje, vós que viveis na vossa pele a desigualdade e a exclusão. Um obrigado ao cardeal Turkson pelo seu acolhimento, obrigado, Eminência, pelo seu trabalho e palavras. Este encontro dos Movimentos populares é um sinal, um grande sinal: viestes apresentar diante de Deus, da Igreja e dos povos uma realidade que muitas vezes passa em silêncio. Os pobres não só suportam a injustiça mas também lutam contra ela! Não se contentam com promessas ilusórias, desculpas ou álibis. Nem sequer estão à espera de braços cruzados da ajuda de Ongs, planos assistenciais ou soluções que nunca chegam, ou que, se chegam, fazem-no de maneira a ir na direcção de anestesiar ou domesticar, o que é bastante perigoso. Vós sentis que os pobres não esperam mais e querem ser protagonistas; organizam-se, estudam, trabalham, exigem e sobretudo praticam aquela solidariedade tão especial que existe entre quantos sofrem, entre os pobres, e que a nossa civilização parece ter esquecido, ou pelo menos tem grande vontade de esquecer”…
    Quase ao findar o discurso:
    “Queridos irmãos e irmãs: continuai a vossa luta, fazei o bem para todos nós. É como uma bênção de humanidade. Deixo-vos como recordação, como prenda e com a minha bênção, alguns rosários que foram fabricados por artesãos, cartoneros e trabalhadores da economia popular da América Latina. E ao acompanhar-vos rezo por vós, rezo convosco e desejo pedir a Deus Pai que vos acompanhe e abençoe, vos cumule com o seu amor e vos acompanhe no caminho, dando-vos abundantemente aquela força que nos mantém em pé: esta força é a esperança, a esperança que não desilude. Obrigado.. https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2014/october/documents/papa-francesco_20141028_incontro-mondiale-movimenti-popolari.html

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: