São Paulo é o meu país – Independência Já

Essa raça estranha chamada “Paulistas”.
“Taxation without representation” era a crítica que o moradores das 13 colônias originais inglesas tinham. Eram taxados pelo governo de sua majestade (que delícia de monarquia…) e tinham uma representação política nula na metrópole. Isso levou a uma rebelião, onde surgiram os Estados Unidos da América, depois da Guerra da Independência. Coisas do século XVIII. De grandes homens, como George Washington, Ben Franklin, John Adams, Thomas Jefferson, James Madison e Alexander Hamilton.
Aqui no federalismo de araque brasileiro, temos basicamente isso. Retiram 93% do que produzimos em impostos federais. Somos obrigados a viver de migalhas, com uma dívida pornográfica para com o governo federal, causada por juros draconianos. Mesmo assim, somos o estado mais rico e desenvolvido. Já imaginaram como seríamos se tudo que produzíssemos em termos tributários ficasse aqui?
E somos sub-representados no congresso. Estados com 1% da nossa população tem mais de 10% das cadeiras de São Paulo no congresso. Um voto aqui vale muito menos do que em outros locais. Roraima tem um parlamentar para cada 50 mil habitantes. São Paulo tem um parlamentar para cada 620 mil eleitores. Meio difícil a história do “uma pessoa, um voto”, quando um eleitor é 12 vezes mais importante do que outro numa eleição para o legislativo.
Para adicionar injúria à infâmia, somos severamente achincalhados e humilhados. Eliminam nossa cultura local. Proíbem estudos da mesma. Matam o nosso passado, a nossa história, em favor do politicamente correto e de uma suposta história geral do Brasil coalhada de marxismo. Nossos heróis locais são transformados em vilões ou em caricaturas elitistas. Criações nossas, seja na música, comida, literatura, artes e ciência são usurpadas e dadas como créditos a outrem. E nos xingam. Não nos respeitam, nem nos tem em alta estima, mesmo com tudo que fizemos por eles. Ingratidão ao extremo.
Essa raça de paulistas que é roubada, mantida à base do chicote em um arranjo governamental que a coloca como meramente uma colônia de Brasília, e é humilhada por aqueles de deveriam apoiar sua luta, pois também são prejudicados pelo Leviatã federal, é uma raça de bravos, que um dia há de levantar. E no dia que levantar, não diga que não avisamos.
Na imagem, George Washington. Se houvesse uma imprensa no final do século XVIII, como existe a de hoje, ele provavelmente seria chamado de racista e xenófobo, por querer (e lutar) pela independência de seu povo.

2 Respostas to “São Paulo é o meu país – Independência Já”

  1. dliossi Says:

    Avante, São Paulo! SÃO PAULO é o meu país!

  2. Denis Says:

    Avante, São Paulo! Eu sou da terra dos bandeirantes!
    VIVA A PÁTRIA PAULISTA!

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: