Governados por assaltantes – Dilma Rousseff e o Caso do Cofre do Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros

terça-feira, outubro 05, 2010

O ASSALTO QUE DILMA AJUDOU A PLANEJAR

do Blog do Aluísio Amorin

Leiam esta excelente reportagem que está no site do jornalista Augusto Nunes, do portal da revista Veja. É assinada pela repórter Domitila Becker, e detalha como foi o roubo do cofre de Adhemar de Barros, que Dilma Rousseff ajudou a planejar no dia 18 de julho de 1969, quando era ativa militante de uma organização terrorista. Sim, Dilma participou da luta armada contra a democracia com a finalidade de implantar uma ditadura comunista no Brasil. Ou alguém acha que isso é delírio? Com link ao final para leitura completa.

Leiam:
A noite estava chegando quando as duas camionetes estacionaram numa  ladeira do bairro de Santa Tereza, no Rio. Armados de revólveres e  granadas, 11 homens e duas jovens desembarcaram e, em movimentos  rápidos, invadiram o casarão onde morava Ana Benchimol Capriglione,  amante do ex-governador paulista Adhemar de Barros, famoso pelo bordão  “rouba, mas faz”. Na hora do crepúsculo de 18 de julho de 1969, começava  o maior assalto praticado durante a ditadura militar por grupos  partidários da luta armada.

Disfarçados de policiais à caça de documentos considerados  subversivos, os invasores se espalharam pela mansão. Enquanto alguns  subiam ao segundo andar para localizar o cofre, outros imobilizaram  moradores e empregados, furaram os pneus dos carros estacionados na  garagem e cortaram as linhas telefônicas. A operação durou exatamente 28  minutos. E enriqueceu em US$ 2,4 milhões (cerca de R$ 30 milhões em  valores atuais) a VAR-Palmares, organização comunista que tinha entre  seus mais ativos militantes a universitária mineira Dilma Rousseff. “A  gente achava que o golpe ia ser grande, mas não tinha noção do tamanho”,  disse Dilma numa entrevista publicada em 2006.
O cofre de mais de 200 quilos rolou pela escadaria de mármore, foi  colocado numa das camionetes e levado até um “aparelho” ─ termo que  identifica os endereços onde moravam ou se reuniam os partidários da  luta armada ─ em Jacarepaguá. Ali, com o uso de maçaricos, consumou-se o  arrombamento do cofre que fora previamente inundado para evitar que o  dinheiro se queimasse. As cédulas secaram depois de estendidas em varais  e expostas a ventiladores. Eram parte da fortuna do ex-governador de  São Paulo. A informação de que estavam sob a guarda da amante foi  transmitida à VAR-Palmares por Gustavo Buarque Schiller, um sobrinho de  Ana Benchimol que acabara de filiar-se à organização.
Entre os participantes da ação estavam Carlos Minc, deputado estadual  e ex-ministro do Meio Ambiente do governo Lula, e Carlos Franklin  Paixão de Araújo, segundo marido e pai da única filha de Dilma Vana  Rousseff Linhares, ou Estela, ou Wanda, ou Marina, ou Maria Lúcia, ou  Luiza. Embora tenha ajudado a planejar todos os assaltos do grupo, Dilma  não figurou entre os invasores do casarão. Providenciou o armamento,  guardou o dinheiro e ajudou a distribuir o produto do roubo.

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Governados por assaltantes – Dilma Rousseff e o Caso do Cofre do Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros”

  1. Marcelo Says:

    VERGONHA DE SER BRASILEIRO
    ESTOU SENDO “COMANDADO ” POR ISSO !!!

  2. leandro Says:

    POIS É, INVENTARAM UMA TAL COMISSAO DA VERDADE QUE SO VAI INVESTIGAR A DIREITA, PQ NAO INVESTIGAM A ESQUERDA? ELES TAMBEM NAO MATARAM? O QUE O MARIO KOZEL TINHA A VER COM ESSA HISTORIA? ERA UM INOCENTE QUE SO ESTAVA NA GUARDA DO QUARTEL, QUE PRESTAVA O SERVIÇO MILITAR QUE CERTAMENTE SO QUERIA VIVER, TER FAMILIA, ENVELHECER, MAS AI APARECE UM LUNATICO QUE JOGA UM CARRO RECHEADO DE EXPLOSIVO NO COITADO DO RECRUTA QUE SEQUER DEVERIA SABER QUEM ERA STALIN, GUEVARA OU MAO. O CORPO DO MARIO KOZEL FOI RECOLHIDO AOS PEDAÇOS, NINGUEM SERA RESPONSABILIZADO? COMISSAO DA VERDADE? DE QUAL VERDADE?

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: